Altemar Dutra

ALTEMAR DUTRA DE OLIVEIRA
(43 anos)
Cantor

* Aimorés, MG (06/10/1940)
+ Nova York, Estados Unidos (09/11/1983)

Altemar Dutra foi um cantor brasileiro, sucesso em toda a América Latina, interpretando obras como "Sentimental Demais", "O Trovador", "Brigas" e "Que Queres Tu de Mim", boa parte das canções de autoria da dupla Evaldo Gouveia e Jair Amorim. Foi progressivamente destacando-se no gênero musical bolero, e de fato, veio a ser aclamado como o "Rei do Bolero" no Brasil.  É considerado um dos maiores fenômenos da música romântica brasileira.

Ainda pequeno, sua família mudou para Colatina, ES. Nessa época, ganhou da mãe um violão, que aprendeu a tocar sozinho. Ainda na mesma cidade, apresentou-se pela primeira vez em público, no programa da Rádio Difusora de Colatina. Ficou em primeiro lugar e incentivado pelo sucesso que começava a fazer pela cidade, veio para o Rio de Janeiro com apenas 17 anos.

Chegou no Rio de Janeiro em 1957, trazendo uma carta de apresentação para o compositor Jair Amorim, que, percebendo o seu potencial, o apresentou a vários amigos do meio artístico. Tentou a sorte como crooner em boates e casas de espetáculos.

Começou então a se apresentar na boate Baccarat, porém, como ainda era menor de idade, teve que várias vezes se esconder do Juizado de Menores. A convite de Helena de Lima, que o ouvira cantar na Baccarat, passou a se apresentar, entre 1960 e 1965, na boite O Cangaceiro, uma das mais famosas da cidade. Nela fez amizade com várias pessoas do meio artístico, principalmente com os membros do Trio Irakitan. Foi, inclusive, Joãozinho, membro do trio, que o levou para a Odeon em 1963.

Lançou com sucesso o seu primeiro disco no mesmo ano, no qual se destacou o bolero "Tudo de Mim" (Evaldo Gouveia e Jair Amorim). A partir daí, o cantor se tornou o intérprete ideal da dupla que sempre o requisitava para cantar suas composições, entre as quais "Que Queres Tu de Mim?", "O Trovador" e "Somos Iguais", todas com sucesso.

Em 1964 gravou com sucesso "Que Queres Tu de Mim" e "Serenata da Chuva". Em 1965 lançou o LP "Sentimental Demais", com destaque para a música título, de Evaldo Gouveia e Jair Amorim, que se tornou uma marca de seu repertório. Outro sucesso do disco foi "O Trovador", título que lhe valeria a denominação carinhosa usada pelos fãs.

Em 1966 gravou com grande sucesso a música "Brigas" (Evaldo Gouveia e Jair Amorim), com a qual, declarou em um programa na TV Globo, gostaria de ser lembrado no futuro.


Seu sucesso extrapolou as fronteiras nacionais e chegou à América Latina, com apresentações em vários países. As versões dos seus sucessos em espanhol chegaram a vender 500 mil cópias no continente, dando-lhe prestígio e fazendo com que gravasse com Lucho Gatica, um dos maiores ícones do bolero, o disco "El Bolero Se Canta Así".

A partir de 1969, começou a investir no mercado de música latino-americana nos Estados Unidos, obtendo vários êxitos e tornando-se um dos mais famosos cantores latinos neste país. No mesmo ano lançou o LP  "Trovador das Américas", no qual cantou diversas músicas em espanhol, além de "Espera" (Tito Madi) e "Ébrio de Amor" (Romancito Gomes e Palmeira).

Em 1971 gravou com sucesso "Que Será?" (Sebastião Ferreira da Silva, Fontana e Migliacci) e "Bloco da Solidão" (Evaldo Gouveia e Jair Amorim).

Em 1977, no LP "Sempre Romântico", gravou "Os Olhinhos do Menino" (Luiz Vieira) e "Um Jeito Estúpido de Te Amar" (Isolda e Milton Carlos) e que foi sucesso na voz de Roberto Carlos.

Em 1981 lançou pela RCA Victor o LP "Eu Nunca Mais Vou Te Esquecer", com música título de Moacyr Franco, que alcançou grande sucesso.

Morte

Altemar Dutra veio a falecer com apenas 43 anos em Nova York, quando se apresentava para a comunidade hispânica da cidade, na boate La Tanquera, e sofreu um Acidente Vascular Cerebral.

Em 1988, a BMG lançou uma caixa de LPs intitulada "O Trovador", nome de um dos seus maiores sucessos. Posteriormente foi relançada em CD, com suas 60 faixas remasterizadas e com um detalhado livreto com a biografia do autor escrita pelo jornalista Egídio Grandinetti.

Foi durante muitos anos um dos principais intépretes da chamada música romântica. Em 2000, sua gravação da música "Brigas" (Evaldo Gouveia e Jair Amorim) foi incluída na seleção "As Cem Melhores do Século da MPB" em votação de vários críticos musicais coordenada pelo crítico Ricardo Cravo Albin.

Foi casado com a cantora Marta Mendonça, tendo dois filhos, Deusa Dutra e Altemar Dutra de Oliveira Júnior, este também a seguir carreira artística.

Fonte: Dicionário Cravo Albin da MPB
#FamososQuePartiram #AltemarDutra