Magro

ANTÔNIO JOSÉ WAGHABI FILHO
(68 anos)
Cantor, Instrumentista, Arranjador e Compositor.

*  Itaocara, RJ (14/11/1943) 
+  São Paulo, SP (08/08/2012)

Antônio José Waghabi Filho, mais conhecido como Magro, foi um cantor, vocalista e arranjador musical do grupo MPB-4, o qual integrava desde a sua formação.

O fascínio pela música desde criança fez com que Magro tivesse contato com vários instrumentos, como o piano, o violão, o tambor e a clarineta. Participou da Sociedade Musical Patápio Silva, famoso flautista brasileiro, também natural de Itaocara.

Iniciou seus estudos de piano com Pepita Machado, em sua cidade natal, onde fez parte, como segundo clarinetista, da banda de música Sociedade Musical Patápio Silva. Em 1959, mudou-se para Niterói, RJ. Estudou com Eumir Deodato e Guerra Peixe (teoria musical), Isaac Karabtchevsky (regência) e Vilma Graça (solfejo), além de ter recebido orientação na prática de arranjos instrumentais com o maestro Lindolpho Gaya.


Iniciou sua carreira profissional em 1960, como vibrafonista do conjunto de bailes Praia Grande, com o qual atuou durante dois anos.

Em 1963, fundou, juntamente com Milton Lima dos Santos Filho, Ruy Alexandre Faria e Aquiles Rique Reis, do grupo MPB-4, que ingressou no cenário artístico com o nome de Quarteto do CPC, alterado, no ano seguinte, para MPB-4, em função da extinção dos Centros Populares de Cultura.

Inicialmente atuando como vocalista, instrumentista e arranjador vocal, a partir do segundo LP do grupo passou a assinar, também, os arranjos instrumentais.

Os lançamentos dos primeiros LPs tiveram a direção musical do maestro Lindolpho Gaya. Posteriormente, Magro assume os arranjos das músicas produzidas nos próximos discos. Percebe-se que o grupo desenvolve técnicas vocais sofisticadas, especialmente no posicionamento das vozes em algumas músicas, como "Chão, Pó, Poeira", em que os quatro cantam em ordem inversa às posições vocais de cada um.

MPB-4
Paralelamente à sua atuação com o  MPB-4, foi responsável, também, por arranjos e orquestrações para discos de outros artistas, como Chico Buarque, "Chico Buarque de Holanda, Volume 2" e "Construção", Toquinho & Vinicius, Tunay e Simone, entre outros.

Entre seus trabalhos mais reconhecidos, destacam-se os arranjos vocais para as canções "Lamentos" (Pixinguinha e Vinicius de Moraes), com MPB-4, "Roda Viva" (Chico Buarque), classificada em 3º lugar no III Festival de Música Popular Brasileira da TV Record, e registrada em disco pelo compositor, "Cálice" (Gilberto Gil e Chico Buarque), com Chico Buarque, Milton Nascimento e MPB-4, e "Cio da Terra" (Chico Buarque e Milton Nascimento), com MPB-4 e Quarteto em Cy.

Como compositor, é preponderantemente letrista, exceção feita a "Parceria em Marcha Lenta", para a qual compôs a música sobre letra de Luiz Fernando Veríssimo.

Morte

Magro morreu aos 68 anos, na manhã de quarta-feira, 08/08/2012, em São Paulo, onde estava internado em decorrência de um  câncer de próstata que lutava há 10 anos, já diagnosticado com metástase. O cantor estava internado desde a sexta-feira, dia 03/08/2012. A informação foi confirmada no site oficial do grupo: "Com ele vai junto uma parte considerável do vocal brasileiro".

A última apresentação do compositor e instrumentista com o grupo foi no dia 08/06/2012. O velório acontecerá na Beneficência Portuguesa de São Paulo, no bairro de Paraíso, zona sul de São Paulo, e quinta-feira, dia 09/08/2012, o corpo será cremado no Cemitério da Vila Alpina, na zona leste.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!