Paulinho Nogueira

PAULO ARTUR MENDES PUPO NOGUEIRA
(73 anos)
Cantor, Compositor, Violonista e Professor

* Campinas, SP (08/10/1929)
+ São Paulo, SP (02/08/2003)

Começou a tocar violão aos 10 anos, junto com um dos irmãos. Seu estilo foi influenciado por Garoto, de tanto escutá-lo em programas de rádio.

Quando tinha dezenove anos foi para São Paulo atrás de um trabalho como desenhista, mas acabou tocando violão em boates e casas noturnas, atividade que se estendeu por oito anos.

Em 1960 começou sua carreira na indústria fonográfica gravando seu primeiro disco, A Voz do Violão, totalmente instrumental e mais tarde revelou-se como cantor também.

Como a Bossa Nova na década de 60 dominava o mercado, esse fato acabou intensificando sua atividade de professor de violão, sendo um dos mais procurados, em razão de seu método de ensino que ficou famoso. Nessa época participava com freqüência do programa O Fino da Bossa, da TV Record, ao lado de Baden Powell e Rosinha de Valença.

Entre os seus sucessos mais marcantes estão Menina, Bachianinha e Menino Desce Daí.

Em 1969 inventou um novo e exótico instrumento, a Craviola, que mistura sons de cravo e viola com suas 12 cordas.

Discografia

1959 - A voz do Violão
1960 - Brasil, violão e sambalanço
1961 - Menino Desce Daí / Tema do Boneco de Palha
1961 - Sambas de Ontem e de Hoje
1962 - Outros Sambas de Ontem e de Hoje
1963 - Mais Sambas de Ontem e de Hoje
1964 - A Nova Bossa e o Violão
1965 - O Fino do Violão
1966 - Sambas e Marchas da Nova Geração
1967 - Paulinho Nogueira
1968 - Um Festival de Violão
1970 - Paulinho Nogueira Canta Suas Composições
1972 - Dez Bilhões de Neurônios
1973 - Paulinho Nogueira, Violão e Samba
1974 - Simplesmente
1975 - Moda de Craviola
1976 - Antologia do Violão
1979 - Nas Asas do Moinho
1980 - O Fino do Violão Volume 2
1981 - Tom Jobim – Retrospectiva
1983 - Água Branca
1986 - Tons e Semitons
1992 - Late Night Guitar - The Brazilian Sound Of Paulinho Nogueira
1995 - Coração Violão
1996 - Brasil Musical - Série Música Viva - Paulinho Nogueira e Alemã
1999 - Sempre Amigos
2002 - Chico Buarque - Primeiras Composições

Morreu vítima de um Infarto.


Isaurinha Garcia

ISAURA GARCIA
(70 anos)
Cantora

* São Paulo, SP (26/02/1923)
+ São Paulo, SP (30/08/1993)

Isaurinha Garcia nasceu na rua da Alegria, no Brás, São Paulo

Foi uma das maiores cantoras da MPB, e, com mais de cinquenta anos de carreira, foi considerada a Édith Piaf brasileira. Gravou mais de trezentas canções. Entre seus maiores sucesos está a música "Mensagem".

Foi casada com Walter Wanderley, organista de muito sucesso, que renovou a Bossa Nova com seu talento e até hoje está presente em trinta países.

Sobrinha do célebre pintor paulista Giuseppe Pancetti, começou sua carreira em 1938, depois de um concurso promovido pela Rádio Record, tendo sido contratada no mesmo ano pela emissora paulista. Neste começo de carreira, inspirava-se em Carmen Miranda e Aracy de Almeida.

Faleceu em decorrência de um Acidente Vascular Cerebral.


J. B. Tanko

JOSIP BOGOSLAV TANKO
(87 anos)
Cineasta

* Sisak, Croácia (21/04/1906)
+ Rio de Janeiro, RJ (05/10/1993)

Foi um cineasta da antiga Iugoslávia, que após a Segunda Guerra Mundial fixou residência no Brasil, onde deu prosseguimento a sua carreira.

Nascido na cidade croata de Sisak, desde a infância foi apaixonado pelo cinema. Começou a trabalhar na Áustria, criando versões iugoslavas de filmes alemães e austríacos. Na década de 1930, trabalhou no Sascha-Filmindustrie AG e no Wlen-Film GMBH, em Viena, e no Tobis Filmkunst, Terra Filmkunst e UFA, em Berlim, chegando a função de assistente de direção.

A partir de 1937, em Viena, participou das equipes da Wien-Film, criada por Goebbels. No início da Segunda Guerra Mundial, assumiu o Departamento de Cinema Documental do Exército, em Belgrado. Quando a Iugoslávia foi invadida pela Alemanha, filmou o bombardeio de Belgrado. Fugiu para Berlim com o filme, e em 1942 retornou para Viena. Com o fim da Segunda Guerra, na qual perdeu toda a família, decidiu emigrar.

Em 1948 fixou residência no Rio de Janeiro, contribuindo muito para a profissionalização do cinema brasileiro com sua diversificada experiência. Seu primeiro trabalho foi na Cinelândia Filmes, como assistente de direção e roteirista de "Escrava Isaura", adaptação do romance de Bernardo Guimarães.

Sem abandonar a Cinelândia, começou a trabalhar também na Atlântida, onde desempenhou vários papéis, chegando a diretor. Realizou alguns dramas, que não tiveram sucesso de público, levando-o às comédias.

Em 1955 passou a trabalhar para Herbert Richers, para o qual dirigiu 18 filmes, dentre os quais uma série de comédias, estreladas por atores como Ankito, Grande Otelo, Zé Trindade e Ronald Golias. Contudo, continou com os dramas, filmes policiais e infantis.

Em 1967, dirigiu "Adorável Trapalhão", no qual conheceu Renato Aragão, com o qual estabeleceria sólida parceria. J.B. Tanko viria a dirigir 11 filmes de Os Trapalhões.

Em 1969, fundou a JBTV - J. B. Tanko Filmes Ltda (1969) e dirigiu diversas comédias para adolescentes. Trabalhando com Os Trapalhões, realizou "O Trapalhão Nas Minas Do Rei Salomão", uma das maiores bilheterias do cinema brasileiro em todos os tempos (cerca de 6 milhões de espectadores), e também "Os Saltimbancos Trapalhões", considerado o melhor filme do grupo.

Produziu e dirigiu filmes diversificados, como o drama erótico "As Borboletas Também Amam", com a atriz Angelina Muniz, e o musical "Vamos Cantar Disco, Baby?", com o conjunto As Melindrosas, à época popular. Em 1983, produziu o filme "Perdoa-Me Por Me Traíres", dirigido por Braz Chediak, baseado na obra de Nelson Rodrigues.

Quando Dedé Santana, Zacarias e Mussum separaram-se de Renato Aragão, criando a DeMuZa Produções, J. B. Tanko produziu a comédia "Atrapalhando A Suate". Aos 81 anos dirigiu seu último filme: "Os Fantasmas Trapalhões".

Filmografia

1987 - Os Fantasmas Trapalhões
1982 - Os Trapalhões na Serra Pelada
1982 - Os Vagabundos Trapalhões
1981 - Os Saltimbancos Trapalhões
1979 - Vamos Cantar Disco, baby?
1978 - As Borboletas Também Amam
1977 - O Trapalhão nas Minas do Rei Salomão
1976 - Simbad, o Marujo Trapalhão
1976 - O Trapalhão no Planalto dos Macacos
1975 - O Trapalhão na Ilha do Tesouro
1974 - Robin Hood, o Trapalhão da Floresta
1973 - Aladim e a Lâmpada Maravilhosa
1972 - Salve
1971 - Som, Amor e Curtição
1971 - Rua Descalça
1970 - Como Ganhar na Loteria Sem Perder a Esportiva
1969 - Pais Quadrados, Filhos Avançados
1968 - Massacre no Supermercado
1967 - Carnaval Barra
1967 - Adorável Trapalhão
1966 - Engraçadinha Depois dos 30
1964 - Asfalto Selvagem
1964 - Um Ramo Para Luiza
1961 - O Dono da Bola
1961 - Bom Mesmo é Carnaval
1960 - Vai Que É Mole
1960 - Marido de Mulher Boa
1959 - Mulheres À Vista
1959 - Garota Enxuta
1959 - Entrei de Gaiato
1958 - E o Bicho Não Deu
1957 - Metido a Bacana
1957 - Com Jeito Vai
1956 - Saí de Baixo
1956 - Com Água na Boca
1954 - A Outra Face do Homem
1951 - Areias Ardentes
1946 - Amerika Hilft Oesterreích

Teve um filho, Alexander Tanko, que também atuou na produção cinematográfica e na produção de diversos comerciais e vinhetas de clips musicais para divulgação em televisão.

Morreu aos 87 anos, de Enfarto, deixando enorme contribuição para o cinema brasileiro.

Fonte: Wikipédia

Fernando Ramos da Silva

FERNANDO RAMOS DA SILVA
(19 anos)
Ator

* São Paulo, SP (29/11/1967)
+ São Paulo, SP (25/08/1987)

Fernando Ramos da Silva foi um menino de rua, nascido em São Paulo, SP, no dia 29/11/1967. Tornou-se ator ao ser escolhido para viver o personagem Pixote no filme "Pixote, a Lei do Mais Fraco", de 1981, dirigido por Héctor Babenco. O garoto foi considerado uma revelação e o filme foi muito premiado no Brasil e no exterior.

Fernando Ramos da Silva tentou continuar a carreira no Rio de Janeiro, participando da telenovela da TV Globo, "O Amor é Nosso", em 1981. Depois disso ele nunca mais se destacou, fazendo apenas pequenas participações nos filmes "Eles Não Usam Black-Tie", também de 1981, e "Gabriela, Cravo e Canela", de 1983.

Tempos depois do filme, Fernando voltou a Diadema, região do ABCD paulista, e acaba retornando à sua antiga vida, em um ambiente de total miséria e precariedade. Decidido a tentar novamente a carreira de ator, vai ao Rio de Janeiro, sendo escolhido para interpretar um personagem em uma novela da TV Globo, com a ajuda de José Louzeiro. Porém, Fernando foi demitido em pouco tempo, por não conseguir decorar os textos, já que era semi-alfabetizado.


Novamente vivendo nas ruas, se envolveu com a criminalidade, em parte devido à influência dos irmãos. Foi preso duas vezes, uma por assalto e outra por porte ilegal de arma.

Logo após um assalto, aos 19 anos, Fernando foi assassinado por policiais em 1987. Os policiais, depois de uma longa disputa judicial, ainda se encontram em liberdade.

Sua esposa, Cida Venâncio, escreveu o livro "Pixote Nunca Mais", o qual foi inspirador do filme "Quem Matou Pixote?", de José Joffily, que conta a curta trajetória de Fernando Ramos da Silva como ator e como pessoa. No filme, Fernando foi vivido pelo ator Cassiano Carneiro.

Fonte: Wikipédia

Fernando Almeida

FERNANDO ALMEIDA SOARES
(29 anos)
Ator

☼ Rio de Janeiro, RJ (21/05/1974)
┼ Rio de Janeiro, RJ (04/04/2004)

Fernando Almeida foi um ator brasileiro nascido no Rio de Janeiro, RJ, no dia 21/05/1974. De família pobre, Fernando Almeida iniciou sua carreira como ator em 1980, aos seis anos, na telenovela "Olhai os Lírios do Campo".

Em 1984 teve destaque vivendo Gibi, o menino amigo do protagonista PardalTony Ramos, na novela da TV Globo "Livre Para Voar".

Diferentemente de outros atores com o mesmo perfil, como Fernando Ramos da Silva, do filme "Pixote, a Lei do Mais Fraco" (1980), conseguiu trabalhos em outras tramas da emissora, prosseguindo com a carreira artística.

Fernando Almeida participou de telenovelas como "Vale Tudo" (1988) e "Lua Cheia de Amor" (1991), em papéis de certo destaque, bem como minisséries como "Sex Appeal" (1993).

Seu último trabalho na televisão foi na telenovela "A Padroeira" (2001). Fernando Almeida foi casado e teve um filho, Samuel, com a atriz Antônia Fontenelle.

Fernando não atravessava um de seus melhores momentos na televisão e planejava trabalhar na iluminação de espetáculos.

Morte

Fernando Almeida foi assassinado na madrugada de domingo, 04/04/2004, no Rio de Janeiro. A sua família só soube da morte dois dias depois. Ele estava num ponto de ônibus no bairro de Realengo quando foi abordado por dois motoqueiros que dispararam dois tiros contra a sua cabeça. Horas antes, o ator se desentendera numa festa com um grupo de jovens. O motivo da discussão foi uma mulher.

O corpo de Fernando Almeida foi enterrado no cemitério de Irajá, zona norte do Rio de Janeiro. A despedida foi marcada pela indignação dos colegas.

Fernando Almeida e Camila Pitanga
Trabalhos

  • 2001 - A Padroeira ... Gil
  • 1999 - Vila Madalena ... Alfredo
  • 1999 - Chiquinha Gonzaga ... Pedro
  • 1997 - Por Amor e Ódio ... Alexandre
  • 1997 - Malhação ... Franklin
  • 1996 - O Campeão ... Edilberto
  • 1993 - Olho no Olho ... Sebastião
  • 1993 - Sex Appeal ... Tito
  • 1992 - Pedra sobre Pedra ... Lírio
  • 1990 - Lua Cheia de Amor ... Washington
  • 1988 - Vale Tudo ... Gildo
  • 1987 - O Outro ... Lico
  • 1984 - Livre Para Voar ... Gibi
  • 1980 - Olhai os Lírios do Campo ... Mário