Adhemar Ferreira da Silva

ADHEMAR FERREIRA DA SILVA
(73 anos)

Atleta

* Casa Verde, SP (29/09/1927)
+ São Paulo, SP (12/01/2001)

Adhemar Ferreira da Silva foi o maior atleta olímpico brasileiro, nascido em São Paulo, SP, bi-campeão olímpico, recordista mundial de salto triplo e responsável pelo renascimento dessa modalidade esportiva.

Era filho de ferroviário e lavadeira. Não ficou rico com as conquistas e treinava apenas duas ou três vezes por semana, somente na hora do almoço, pois trabalhava e estudava duro. Desde os 16 anos, fumava um maço de cigarros por dia, inclusive no tempo de suas maiores glórias, atitude impensável para os atuais atletas.

Começou a carreira atlética em sua cidade e interessou-se pelo salto triplo (1947) por influência de Ewald Gomes da Silva, atleta e dirigente são paulino que mais tarde se tornou presidente da Federação Paulista e depois da Federação Brasileira de Atletismo.

Conquistou a primeira vitória aos vinte anos, logo após a estréia, quando alcançou a marca de 13,05m no salto triplo, numa evolução tão impressionante que levou o técnico alemão Dietrich Gerner a começar a falar em sucesso internacional e recorde mundial.


Foi duas vezes recordista sul-americano com 15,51m (1949) e 15,83m (1950), e bateu pela primeira vez o recorde mundial no estádio do Fluminense Futebol Clube, no Rio de Janeiro, com 16,01m (1951).

Foi campeão pan-americano (1951) e campeão sul-americano (1952). Nas Olimpíadas de Helsinki, Finlândia (1952), conquistou a medalha de ouro ao bater o recorde olímpico e estabelecer duas novas marcas mundiais: 16,12m e 16,22m. Nos Jogos Pan-Americanos realizados no México (1955) obteve sua melhor marca: 16,56m, que permaneceu imbatível por cinco anos.

Conquistou mais uma medalha de ouro para o Brasil em Melbourne, Austrália (1956), ao estabelecer novo recorde olímpico, com 16,35m. Pentacampeão sul-americano e tricampeão pan-americano (1951,1955 e l959) e campeão luso-brasileiro, em Lisboa (l960), foi dez vezes campeão brasileiro, tendo mais de 40 títulos e troféus internacionais.

Mesmo fracassando nos Jogos de Roma (1960), obteve o reconhecimento da torcida italiana, que o ovacionou dentro do estádio olímpico mesmo após a desclassificação. Mais tarde, descobriu a causa do mau desempenho: estava com princípio de tuberculose.

Praticamente um autodidata, revolucionou o salto triplo direcionando sua atenção para o segundo salto, até então apenas um impulso para o terceiro, e foi muito superior aos concorrentes durante anos.


Escultor formado pela Escola Técnica Federal de São Paulo, em 1948, também se formou em Educação Física na Escola do Exército, Direito na Universidade do Brasil em 1968, e Relações Públicas na Faculdade de Comunicação Social Casper Libero em 1990.

Poliglota, foi Adido Cultural na Embaixada Brasileira em Lagos, Nigéria (1964-1967). Foi ator na peça "Orfeu da Conceição" (1956), de Vinicius de Moraes e no filme franco-italiano "Orfeu do Carnaval" (l962), que venceu o Oscar de melhor filme estrangeiro.

Terminou a vida trabalhando para o Estado de São Paulo, organizando competições nacionais e internacionais de Atletismo.

Recebeu (1993) o título de Herói de Helsinque, junto com Emil Zatopek. Foi agraciado pelo COB (2000), com o Mérito Olímpico. Sua última aparição pública foi na última edição da Maratona de São Silvestre, em São Paulo, na virada do ano, quando entregou os prêmios aos vencedores.

Adhemar Ferreira da Silva sofreu uma parada cardíaca após 5 dias internado em virtude de broncopneumonia. Ele sofria de tuberculose, diabetes e era fumante.

Fonte: Brasil Escola

Carlos Alexandre

PEDRO SOARES BEZERRA
(31 anos)

Cantor

* Nova Cruz, RN (01/06/1957)
+ São José do Campestre, RN (30/01/1989)

Filho de Gennaro Bezera Martins e Antonieta Feconstinny Bezerra, a carreira de Carlos Alexandre começou em 1975, quando ainda utilizando o nome artístico de "Pedrinho", teve sua primeira música gravada. O radialista Carlos Alberto de Sousa levou-o para a gravadora RGE, pela qual gravou um compacto simples, com as canções "Arma de Vingança" e "Canção do Paralítico", que teve vendagem de 100.000 cópias, sucedido pelo grande sucesso "Feiticeira", com 250.000 cópias.

O mito veio da Esperança Distante do centro urbano de Natal. Há alguns anos nascia a Cidade da Esperança. Como o próprio nome guarda em seu significado, surgia um aglomerado populacional que trazia consigo a fé, o desejo do lar, até pelo fato de ser uma experiência pioneira do modelo de moradia para a população de baixa renda. Naquele momento Natal recebia de presente o primeiro conjunto habitacional da América Latina. Conjunto que abrigou e ainda acolhe nomes que fizeram e a continuam construindo a trajetória da capital potiguar. Entre eles estava Pedro Soares Bezerra, nome pouco conhecido do grande público, já que na vida artística ele era conhecido como Carlos Alexandre.

Ídolo popular, ninguém poderia representar melhor o bairro. Carlos Alexandre era o retrato das pessoas de Cidade da Esperança. Humilde, simples, mesmo depois que alcançou o sucesso e passou a ter remunerações mais expressivas, não trocou Natal pelo Sudeste, centro da arte e cultura do país, muito menos deixou o bairro que o recebeu quando ele saiu do município paraibano de Jacaraú, onde morava com a família que o adotou aos 2 anos de idade, e veio para a capital potiguar que lhe presenteou com os caminhos da carreira musical.

Durante 10 anos ele morou na Cidade da Esperança, somente nos três últimos anos de vida fixou residência no Jardim América e depois na Zona Norte.


O Sucesso

Ele alcançou o sucesso aos 21 anos, e talvez tenha sido um dos norte-rio-grandenses que mais brilhou na música nacional. Deixou 200 composições gravadas em três compactos e 14 LPs, sendo que dois LPs e quatro CDs foram uma homenagem póstuma feita pela gravadora RGE.

Com esses trabalhos ganhou 15 discos de ouro e um de platina. Para se ter uma idéia da dimensão de seu sucesso, a viúva do cantor, Maria Solange de Melo Bezerra até hoje, sobrevive com os recursos provenientes dos direitos autorais que ainda recebe.

"A música dele ainda é tocada e regravada. Em todo o Brasil se escuta Carlos Alexandre. Recebo direitos autorais até de rádios de Portugal."
(Maria Solange de Melo Bezerra)

Solange foi sua companheira durante toda a sua carreira e também a sua maior incentivadora. Eles se conheceram em 1976, quando Carlos Alexandre, aos 19 anos, foi para Natal fazer uma cirurgia e não mais voltou para Jacaraú. Ficou morando e trabalhando com os irmãos de criação que eram comerciantes.

"A casa do irmão dele ficava na rua da casa da minha mãe, na Cidade da Esperança. Ele trabalhava como vendedor na padaria de um dos irmãos. Nessa época já gostava de cantar. Seus ídolos eram Elvis Presley, Roberto Carlos e Evaldo Braga. A noite ele ia para frente da minha casa e ficava cantando e tocando violão. Juntava muita gente!"
(Maria Solange de Melo Bezerra)

Nessa época ele já estava interessado em namorá-la, mas Solange tinha um outro namorado.

"Até que na virada do ano de 1976 para 1977 meu namorado não apareceu. No dia 1º de janeiro ele me disse que havia feito a música "Arma de Vingança" para mim e nós começamos a namorar."

Ela conta que aos poucos foi modificando as roupas, o cabelo e o jeito do namorado, com o intuito de levá-lo até a casa do então radialista Carlos Alberto de Sousa.

"Aquele era um ano de campanha, Carlos Alberto ia ser candidato a vereador e gostava de ajudar muito aos pobres. Na primeira vez que fomos até a casa dele, Carlos Alexandre ficou nervoso. Insisti e fomos novamente até a Rádio Cabugi, onde Carlos Alberto tinha um programa. Lá ele cantou Canção de um paralítico e 'Arma de Vingança'. Carlos Alberto adorou e na hora já fizeram um trato, no qual Carlos Alexandre cantaria na campanha e se ele ganhasse, Carlos Alberto se comprometia a levar todos os artistas que o ajudaram para gravar um disco em São Paulo."

Até então ele era conhecido como Pedrinho, e passou a utilizar o nome artístico de Carlos Alexandre por sugestão de Solange.

"Eu tinha um afilhado com esse nome e achava lindo. Fiz a sugestão e ele gostou!"

A campanha foi vitoriosa e o trato foi cumprido. Em janeiro de 1978 Carlos Alexandre junto com Gilliard, Edson Oliveira, e outros artistas, embarcaram para São Paulo para gravar seus discos pela gravadora RGE.

Carlos Alexandre gravou um compacto que vendeu 100 mil cópias. O cantor foi então chamado pela RGE para gravar seu primeiro LP ainda em 1978, "Feiticeira", que o consagrou vendendo 250 mil cópias. Esse disco também foi gravado em castelhano.

Carlos Alexandre viajou o país com seus sucessos, "Feiticeira", "A Ciganinha", "Vá Pra Cadeia", entre tantos outros. Em algumas viagens Solange, que casou-se com o artista em fevereiro de 1978, o acompanhava.


"Ia sempre quando ele ia gravar. Ele vinha para Natal para gastar o que ganhava fora. Dizia que Natal era a sua cidade, o lugar para descanso e para lazer!"

Para Solange o cantor era uma pessoa simples, amável, não guardava mágoa de ninguém e tinha muitos amigos. Ela ainda conta que o artista era um pouco namorador, mas logo justifica a atitude do marido: "Também bonito e gostoso como era". Além de companheira, Solange ainda era a responsável por confeccionar as roupas de seus shows. Juntos eles tiveram três filhos: Germina de Melo Bezerra, através do nome da filha ele homenageou a sua mãe de criação, Carlos Alexandre de Melo Bezerra e Carlos Adriano de Melo Bezerra. O filho do meio, que é conhecido como Carlos Alexandre Júnior, está seguindo os passos do pai fazendo diversos shows pelo interior do Nordeste.


O Acidente

O cantor morreu em 30/01/1989 em um acidente de carro entre São José de Campestre e Tangará, quando voltava de um show em Pesqueira, PE. O velório ocorreu no ginásio de esportes de Cidade da Esperança e o enterro, que reuniu milhares de fãs foi no Cemitério de Bom Pastor, no dia 31/01/1989.

Segundo matérias publicadas na época, ele foi sepultado ao som da multidão cantando "Feiticeira".

"Até hoje sinto muito a falta dele. Ainda guardo a camiseta suada que ele vestia antes de viajar. As últimas palavras que disse a ele foram: "Leve um pedaço do coração e deixe um pedaço do seu", recorda-se sua esposa Solange.



Discografia


  • 1978 - Feiticeira Vol. 01
  • 1979 - A Ciganinha Vol. 02
  • 1980 - Já Troquei Por Outra Vol. 03
  • 1981 - Mulher De Muitos Vol. 04
  • 1982 - Revelação De Um Sonho Vol. 05
  • 1983 - Cartão Postal Aqui Estou Vol. 06
  • 1984 - Vem Ver Como Eu Estou Vol. 07
  • 1985 - Final De Semana Vol. 08
  • 1986 - Gato e Sapato Vol. 09
  • 1987 - Nosso Quarto e Testemunha Vol. 10
  • 1988 - Sei Sei Vol. 11
  • 1989 - Eternamente Vol. 12
  • 1993 - Carlos Alexandre - Especial
  • 1998 - 20 Super Sucessos Vol. 1
  • 1998 - 20 Super Sucessos Vol. 2
  • 2000 - Coleção Pérolas
  • 2001 - Recorda O Irmão
  • S/D - Carlos Alexandre - Grandes Sucessos
  • S/D - Carlos Alexandre - Último Show

Fonte: Wikipédia

Wanda Kosmo

WANDA NERINE LUIZI
(76 anos)
Atriz, Escritora e Diretora de TV e Cinema

* São Bento do Sapucaí, MG (05/07/1930)
+ Rio de Janeiro, RJ (27/01/2007)

Wanda Nerine Luizi, mais conhecida como Wanda Kosmo, foi uma escritora, atriz e diretora brasileira de cinema e televisão.  Seu pai era engenheiro autodidata, que veio da Itália com 15 anos e logo começou a construir casas. Casou-se com Angelina de Franco e tiveram a filha Wanda, na cidade mineira de São Bento de Sapucaí, em plena Revolução de 30.

Wanda tinha vários irmãos. A mãe não quis abandonar a cidade e ficou ali com Wanda, a caçula, pois resolveu cozinhar e atender os soldados invasores.

Wanda era muito estudiosa e queria ser advogada. Por motivos de saúde da mãe, a família mudou-se para Belo Horizonte e, posteriormente, para o Rio de Janeiro.

No Rio de Janeiro, em 1953, Wanda conheceu Olavo de Barros, um dos diretores da TV Tupi do Rio de Janeiro. No começo era só uma carinha jovem a mais, mas, um ano depois, já escrevia sua primeira história para a televisão. Logo, Wanda casou-se com o ator José Luiz Pinho, com quem teve o primeiro filho, Luizinho.



Em 1953, Wanda e o marido foram para Portugal com a companhia teatral de Alda Garrido. Quando voltaram resolveram ir para São Paulo, onde existia o Teatro Brasileiro de Comédia (TBC), onde fez com sucesso, a peça teatral "Véu de Noiva"Depois, Wanda foi para a Companhia Maria Della Costa, onde encenou a peça "O Canto da Cotovia".

Wanda contava que havia sido um período difícil, não só por problemas financeiros, mas, também, pelo preconceito contra a vida artística, a ponto de chegar a ser presa por ter saído sem uma "carteirinha".

Depois de atuar na peça "A Moratória", Wanda Kosmo passou a fazer televisão, indo trabalhar na TV Tupi. Na TV Tupi havia um teatro que era organizado pelas companhias teatrais sempre às segundas feiras, às 21:00 hs. Grandes sucessos, grandes nomes, grandes espetáculos. Foi nessa emissora que Wanda Kosmo começou a dirigir espetáculos. Logo em sua primeira direção, ganhou um prêmio de Ayrton Rodrigues, "Os Melhores da Semana". Nessa época, já tinha dois filhos e dedicava-se intensamente a televisão.

Depois, passou a dirigir, também na TV Tupi, o "TV de Vanguarda". Nessa época, começava o vídeo-teipe e Wanda inovava a cada espetáculo, além de escrever também os roteiros, sempre com os filhos a tira-colo.



O seu teatro começou a viajar o Brasil inteiro, com Wanda atuando como atriz. Essa fase durou bem mais de 10 anos e na companhia Wanda fazia de tudo: cortava, bordava, costurava, maquiava e decorava texto com os demais atores.

Da TV Tupi foi para a TV Bandeirantes, para a TV Record e, por fim, para a TV Globo. Ali foi muito bem recebida por Boni, que a queria não só como atriz, mas também dirigindo. Participou de algumas novelas, mas, não suportando o clima do Rio de Janeiro, pediu demissão e voltou para São Paulo, especialmente por causa da escola de seus filhos.

Montou uma peça "Um Assunta fazer 21", e ganhou o Prêmio Molière, como melhor atriz de teatro. Depois voltou para a TV Globo, e fez novelas como "Amor Com Amor Se Paga" (1984) e "Roque Santeiro" (1985).

Mas aí Wanda Kosmo perdeu um filho que já era formado em medicina, em um acidente de carro. Não sabe bem se foi por isso, a verdade é que, como ela mesmo disse: "Eu desisti de ser. Passei a não ser. Eu trabalhei muito, não por fama ou dinheiro, mas pelos meus filhos!"

Wanda Kosmo faleceu no Rio de Janeiro em 27/01/2007, aos 76 anos.


Trabalhos na TV

  • 1992 - Tereza Batista (Atriz)
  • 1991 - Ilha das Bruxas ... Constância (Atriz)
  • 1990 - Fronteiras do Desconhecido
  • 1987 - O Outro ... Yolanda (Atriz)
  • 1985 - Roque Santeiro ... Marcelina (Atriz)
  • 1984 - Amor Com Amor Se Paga ... Elvira (Atriz)
  • 1979 - Cara a Cara ... Amália (Atriz)
  • 1977 - O Espantalho ... Manoela (Atriz)
  • 1976 - Saramandaia ... Fifi (Atriz)
  • 1973 - O Bem Amado ... Ruth
  • 1970 - Tilim (Atriz e Diretora)
  • 1970 - Pigmalião 70 ... Baronesa (Atriz)
  • 1969 - Algemas de Ouro ... Adélia (Atriz)
  • 1968 - O Coração Não Envelhece (Autora)
  • 1968 - Sozinho No Mundo (Atriz e Diretora)
  • 1967 - Estrelas No Chão (Atriz)
  • 1966 - O Anjo e o Vagabundo (Diretora)
  • 1966 - Calúnia (Diretora)
  • 1965 - A Cor de Sua Pele (Diretora)
  • 1965 - Olhos Que Amei (Diretora)
  • 1965 - O Mestiço (Diretora)
  • 1965 - O Pecado de Cada Um ... Ester (Autora, Atriz e Diretora)
  • 1964 - Gutierritos, o Drama dos Humildes (Atriz e Diretora)
  • 1964 - Se o Mar Contasse ... Tia Bé (Atriz)
  • 1962 - Prelúdio, A Vida de Chopin ... Justina Chopin (Atriz)
  • 1958 - David Copperfield (Atriz)


Trabalhos no Cinema

  • 1984  - A Doutora é Boa Paca
  • 1983 - Elas Só Transam No Disco
  • 1982 - Excitação Diabólica ... Prostituta
  • 1982 - A Noite das Taras II
  • 1980 - Motel, Refúgio do Amor
  • 1980 - A Praga
  • 1975 - Cada Um Dá o Que Tem
  • 1975 - O Sexualista
  • 1975 - O Predileto
  • 1975 - A Filha do Padre
  • 1974 - O Exorcismo Negro ... Malvina
  • 1974 - O Signo de Escorpião
  • 1973 - Sob o Domínio do Sexo
  • 1972 - As Mulheres Amam Por Conveniência
  • 1957 - O Pão Que o Diabo Amassou
  • 1950 - Caraça, Porta do Céu


Direção

  • 1958 – Dirigiu a peça "Casa de Bonecas", de Henrik Ibsen, pela TV Tupi, no programa "Grande Teatro Tupi".

Fonte: Wikipédia

Lombardi

LUÍZ LOMBARDI NETO
(69 anos)

Locutor de Rádio e TV

* São Paulo, SP (22/09/1940)
+ Santo André, SP (02/12/2009)

Luís Lombardi Neto foi um locutor brasileiro de rádio e televisão, famoso por anunciar produtos e quadros no Programa Silvio SantosSua imagem era praticamente desconhecida do grande público até o fim dos anos 2000. Trabalhou com Silvio Santos por mais de 40 anos.

Filho de Américo Lombardi e Joana Parisi, o locutor nasceu no bairro do Bixiga, em São Paulo, e quando criança sonhava em ser locutor de futebol. Fez testes para o Rádio Clube AM, hoje Rádio ABC AM, mas acabou conseguindo emprego na televisão. E foi trabalhando na TV Paulista, atual TV Globo São Paulo, onde conheceu Silvio Santos.

Permaneceu na TV Globo por 15 anos, deixando a emissora quando Silvio Santos decidiu criar a TVS.

Depois do sucesso na TV apresentou também programas de rádio. No começo dos anos 2000 mantinha uma atração na Rádio Cultura AM, de Santos, e na época de seu falecimento apresentava um programa em uma estação de Santo André.


Morte

Lombardi foi encontrado morto em sua casa no dia 02/12/2009, por volta de 08:00 hs da manhã, por sua mulher, Eni. O locutor sofreu um infarto agudo, segundo o laudo médico. De acordo com a esposa e familiares, ele não tinha problemas de saúde e a morte pegou a todos de surpresa.

Silvio Santos, após saber do falecimento de seu amigo, interrompeu a gravação de um programa especial de Ano-Novo, mas retomou os trabalhos em respeito a Lombardi e à plateia que o aguardava.


Lombardi era casado com Eni Lombardi e deixou o filho Luiz Fernando Lombardi e os netos Daniel, Gabriel e Julia.

O corpo de Lombardi foi sepultado em Santo André, São Paulo no Cemitério Cristo Redentor no dia 03/12/2009.

Fonte: Wikipédia

Leila Lopes

LEILA GOMES LOPES
(50 anos)
Atriz, Jornalista, Professora e Apresentadora de TV

* São Leopoldo, RS (19/11/1959)
+ São Paulo, SP (03/12/2009)

Leila Gomes Lopes foi uma atriz, jornalista e apresentadora de televisão brasileira, conhecida por seus papéis em telenovelas da TV Globo e, posteriormente, por ter iniciado carreira no cinema pornográfico.

Filha de Reúcio Lopes e Natália Gomes Lopes, ex-vereadora municipal, Leila Lopes era professora em Esteio, RS, cidade em que morava com seus pais até que ficou nacionalmente conhecida, principalmente por dois papéis que interpretou em telenovelas veiculadas pela TV Globo: a professorinha Lu, em "Renascer" (1993), e Suzane, em "O Rei do Gado" (1996).

Em 1997, fez um ensaio fotográfico para a edição de março da revista Playboy e em maio de 2008 entrou para o elenco da produtora de filmes pornográficos Brasileirinhas, com o filme "Pecados & Tentações". Contudo, muita polêmica foi gerada sobre sua participação no filme. A princípio, Leila Lopes negou e ameaçou processar os veículos que divulgaram que ela teria feito um filme pornô. Entretanto, a capa do DVD "Pecados & Tentações", dirigido por J. Gaspar, veio à tona e a atriz não teve mais como negar. Logo depois, confirmou ao site Ego que de fato havia gravado cenas para o longa, mas não como a mídia havia divulgado:

"O que existe é que fiz duas cenas com um só ator. É um filme de época baseado em Nelson Rodrigues. Na semana que vem vou me isolar para gravar o restante."
(Leila Lopes)

Seus últimos trabalhos foram como apresentadora de programas de TV no "Entre 4 Paredes Com Leila Lopes", exibido pelo canal de internet JustTV, e "Calcinha Justa", pelo Sexprivé.



Morte

A atriz foi encontrada morta em sua residência na madrugada de 3 de dezembro de 2009. Posteriormente, foi confirmado que cometera suicídio ingerindo veneno para rato. Leila Lopes, contudo, deixou uma carta de despedida para seus familiares na qual expressava o que estava sentindo naquele momento de sua vida e o que a fez partir:

"Não chorem, não sofram, eu estou ABSOLUTAMENTE FELIZ!!! Era tudo o que eu queria: ter paz eterna com meu Deus e, se possível, com minha mãe. Eu não me suicidei, eu parti para junto de Deus. Fiquem cientes de que não bebo e não uso drogas, decidi que já fiz tudo que podia fazer nessa vida. Tive uma vida linda, conheci o mundo, vivi em cidades maravilhosas, tive uma família digna e conceituada em Esteio, brilhei na minha carreira, ganhei muito dinheiro e ajudei muita gente com ele. Realmente não soube administrá-lo e fui iludibriada [sic] por pessoas de má-fé várias vezes, mas sempre renasci como uma fênix que sou e sempre fiquei bem de novo. Aliás, nunca me importei com o ter.

Bom, tem muito mais sobre a minha vida, isso é só para verem como não sou covarde não, fui uma guerreira, mas cansei. É preciso coragem para deixar esta vida. Saibam todos que tiverem conhecimento desse documento que não estou desistindo da vida, estou em busca de Deus. Não é por falta de dinheiro, pois com o que tenho posso morar aqui, em Floripa ou no Sul. Mas acontece que não quero mais morar em lugar nenhum. Eu não quero envelhecer e sofrer. Eu vi minha mãe sofrer até a morte e não quero isso para mim. Eu quero paz! Estou cansada, cansada de cabeça! Não aguento mais pensar, pagar contas, resolver problemas... Vocês dirão: Todos vivem!!! Mas eu decidi que posso parar com isso, ser feliz, porque sei que Deus me perdoará e me aceitará como uma filha bondosa e generosa que sempre fui. Aos meus fãs verdadeiros, aos jornalistas imparciais, ao Walter Negrão e sua esposa Orphilia, à LBV, ao Eduardo Gomes, ao prefeito de Itu, Herculano Neto, e toda a sua equipe, e ao meu amigo Zé, meu muito obrigada. Às emissoras que trabalhei, obrigada. E aos colegas maravilhosos, muita luz! A todos os sites dignos que acompanharam a minha vida, SUCESSO!!! Ego, Esther Rocha, Thiago, Odair Del Pozzo, Felipe Campos, não se sintam esquecidos. Não posso citar nomes de amigas, pois aí seria um livro, mas Sueli você é a irmã que não tive. Márcia, seja sempre feliz amiga. Magrid, obrigada por tudo! Andréia, do TV Fama, beijo amiga. Tadeu (di Pietro) cadê você??? Desculpe a quem esqueci, a vida foi muito mais maravilhosa do que sofrida para mim. Obrigada, Jesus, Nossa Senhora e meu Deus, perdoem-me e recebam-me como a filha honesta e bondosa que sempre procurei ser! Fiquem com Deus, todos!


Leila Lopes
Se existe sentimento maior que o amor, desconheço!"


Revelação de Sua Verdadeira Idade

As primeiras notícias sobre sua morte indicavam que ela teria falecido aos 40 anos de idade mas confirmou-se posteriormente que ela já tinha completado 50 anos. Um amigo de Leila Lopes explicou em entrevista que ela costumava esconder a verdadeira idade porque achava que era mais fácil conseguir novos trabalhos quando se declarava ser mais jovem.


Televisão

  • 1988 - A Praça é Nossa
  • 1990 - Pantanal ... Lúcia
  • 1991 - O Guarani ... Severina
  • 1992 - Despedida de Solteiro ... Carol
  • 1993 - Renascer ... Lu
  • 1994 - Tropicaliente ... Olívia
  • 1995 - Você Decide (Episódio "O Matador")
  • 1996 - Caça Talentos
  • 1996 - Você Decide (Episódio "Elvis ou Elvira")
  • 1996 - O Rei do Gado ... Suzane
  • 1997 - Você Decide (Episódio "A Desforra")
  • 1997 - Malhação ... Rosa
  • 1998 - Hilda Furacão
  • 2000 - Marcas da Paixão ... Creuza
  • 2001 - Entre o Amor e a Espada ... Condessa de Iguassu
  • 2004 - Como Uma Onda
  • 2007 - Eterno Amor Com Leila Lopes
  • 2008 - TV Fama
  • 2009 - Entre 4 Paredes Com Leila Lopes
  • 2009 - Calcinha Justa


Teatro

Leila Lopes atuou em 33 espetáculos diferentes, entre eles:

  • 1998 - Paixão de Cristo
  • 1999 - Terapia Sexual
  • 2003 - Despedida Muito Louca
  • 2009 - Nunca Se Sábado


Cinema

  • 2008 - Pecados & Tentações
  • 2009 - Pecado Sem Perdão
  • 2009 - Pecado Final


Fonte: Wikipédia