Miranda

CARLOS EDUARDO MIRANDA
(56 anos)
Produtor Musical, Tecladista, Compositor e Jurado

☼ Porto Alegre, RS (21/03/1962)
┼ São Paulo, SP (22/03/2018)

Carlos Eduardo Miranda foi um produtor musical nascido em Porto Alegre, RS, no dia 21/03/1962. Atuou como jurado em vários programas de calouros do SBT, tais como "Ídolos", "Astros" e "Qual é o Seu Talento?".

Na década de 1980, Carlos Eduardo Miranda foi um dos mais atuantes músicos do cenário de rock alternativo do Rio Grande do Sul. Tecladista e compositor, fez parte de pelo menos dois grupos locais que alcançaram expressão nos anos 1980, como Taranatiriça, Atahualpa Y Us Panquis e Urubu Rei.

Miranda, mudando-se para São Paulo, se envolveu com o cenário independente paulistano, incluindo grupos como Akira S e As Garotas Que Erraram. Nessa época, meio da década de 80, Carlos Eduardo Miranda participou da equipe da revista "Bizz" e suas iniciais se tornariam bastante conhecidas nas resenhas de discos, fazendo trocadilho com o número 100. Era considerado um dos mais polêmicos críticos musicais da revista, por causa de suas resenhas de discos e artistas, que dividiu opiniões.


Na década de 1990, com os selos Banguela Records e Excelente, lançou nomes como Raimundos.

Como produtor musical lançou, entre outros grupos, Skank, O Rappa, Virgulóides, Blues Etílicos, Cordel do Fogo Encantado, Cansei de Ser Sexy, Móveis Coloniais de Acaju, MQN, Mundo Livre S/A e o primeiro disco da Graforréia Xilarmônica, "Coisa de Louco II" e também criou e dirigiu o site Trama Virtual, que é um projeto de distribuição on-line de artistas independentes por MP3. Nessa época, retomava o trabalho de músico com a banda de rock experimental Aristóteles de Ananias Jr.


Nesta época já mostrava talento para a produção, sendo uma espécie de padrinho de bandas como Defalla, Os Replicantes e muitas outras.

Miranda também fez uma edição especial da revista "Ação Games", foi um dos jurados da primeira e segunda temporada de "Ídolos" e do programa "Astros". De 2009 a 2012 foi jurado do programa "Qual É o Seu Talento?".

Também trabalhou com Titãs, O Rappa e com a cantora paraense Gaby Amarantos. Também teve uma participação importante no movimento "Manguebeat", ao lançar a banda Mundo Livre S/A nos anos 90.

Em 2014 foi anunciado como jurado do novo reality show do SBT, "Esse Artista Sou Eu", comandado por Márcio Ballas.

Miranda era casado com Isabel Hammes, cantora e preparadora vocal.

Morte



Miranda faleceu na quinta-feira, 22/03/2018, após sofrer um mal súbito em sua casa, localizada em São Paulo, SP, um dia após seu aniversário. Miranda teve fortes dores de cabeça antes do colapso

Carreira


Televisão

  • 2006-2007 - Ídolos
  • 2009-2012 - Qual é o Seu Talento?
  • 2008-2009 e 2012 - Astros
  • 2014 - Esse Artista Sou Eu
  • 2016 - João Kléber Show

Fonte: Wikipédia
Indicação: Taís Veras e Valmir Bonvenuto

#FamososQuePartiram #Miranda

Marielle Franco

MARIELLE FRANCISCO DA SILVA
(38 anos)
Socióloga, Feminista, Política e Militante dos Direitos Humanos

☼ Rio de Janeiro, RJ (27/07/1979)
┼ Rio de Janeiro, RJ (14/03/2018)

Marielle Francisco da Silva foi uma socióloga, feminista, política brasileira e militante dos direitos humanos, nascida no Rio de Janeiro, RJ, no dia 27/07/1979.

Graduada em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), que cursou como bolsista integral, Marielle Franco era mestre em Administração Pública pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Sua militância na defesa dos direitos humanos e contra ações violentas na favela foi impulsionada após a morte de uma amiga, vítima de bala perdida, durante um tiroteio envolvendo policiais e traficantes de drogas no Complexo da Maré, bairro onde Marielle nasceu e viveu.


Em 2006, integrou a equipe de campanha que elegeu Marcelo Freixo à Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (ALERJ). Com a posse de Marcelo Freixo, foi nomeada assessora parlamentar do deputado. Anos depois assumiu a coordenação da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos e Cidadania da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

Em 2016, sua primeira disputa eleitoral, foi eleita vereadora na capital fluminense pela coligação Mudar é Possível, formada pelo Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) e pelo Partido Comunista Brasileiro (PCB). Com mais de 46 mil votos, foi a quinta candidata mais votada na cidade.

Marielle Franco exercia o mandato de vereadora na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, eleita pelo Partido Socialismo e Liberdade (PSOL). Crítica da intervenção federal no Rio de Janeiro, no dia 10 de março ela havia denunciado policiais do 41º Batalhão de Polícia Militar por abusos de autoridade contra os moradores do bairro de Acari.

Morte

Marielle Franco foi morta a tiros dentro de um carro na Rua Joaquim Palhares, no bairro do Estácio, na Região Central do Rio de Janeiro, por volta das 21h30 de quarta-feira, 14/03/2018. Além de Marielle, o motorista do veículo, Anderson Pedro Gomes, também foi baleado e morreu. Uma outra passageira, assessora de Marielle, foi atingida por estilhaços. A principal linha de investigação da Delegacia de Homicídios é execução.

Segundo as primeiras informações da polícia, bandidos em um carro emparelharam ao lado do veículo onde estava Marielle e dispararam. Marielle foi atingida com pelo menos quatro tiros na cabeça. A perícia encontrou nove cápsulas de tiros no local. Os criminosos fugiram sem levar nada.

A passageira atingida pelos estilhaços foi levada para o Hospital Souza Aguiar e liberada. Em seguida, ela foi levada para prestar depoimento na Delegacia de Homicídios, que terminou por volta de 4h00 de quinta-feira, 15/03/2018. A polícia não deu detalhes do depoimento.

Marielle havia participado no início da noite de um evento chamado "Jovens Negras Movendo As Estruturas", na Rua dos Inválidos, na Lapa, Rio de Janeiro.

No momento do crime, Marielle estava no banco de trás do carro, no lado do carona. Como o veículo tem filme escuro nos vidros, a polícia trabalha com a hipótese de os criminosos terem acompanhado o grupo por algum tempo, tendo conhecimento da posição exata das pessoas. O motorista foi atingido por pelo menos 3 tiros na lateral das costas.

Fonte: Wikipédia e G1
Indicação: Taís Veras
#FamososQuePartiram #MarielleFranco

Bebeto de Freitas

PAULO ROBERTO DE FREITAS
(68 anos)
Jogador e Técnico de Voleibol

☼ Rio de Janeiro, RJ (16/01/1950)
┼ Vespasiano, MG (13/03/2018)

Paulo Roberto de Freitas, conhecido como Bebeto de Freitas, foi um jogador e treinador de voleibol nascido no Rio de Janeiro, RJ, no dia 16/01/1950.

Bebeto de Freitas era sobrinho do jornalista e treinador de futebol João Saldanha e primo por parte de mãe do jogador de futebol Heleno de Freitas.

Sendo um gestor desportivo, foi presidente do Botafogo de Futebol e Regatas entre 2003 e 2008 e, posteriormente, diretor-executivo do Atlético Mineiro. Umas das figuras-chave na transformação e identidade tática e técnica que o voleibol brasileiro adquiriu a partir do início dos anos 80, quando passou a dirigir a seleção masculina.

Carreira no Voleibol

Jogador

Bebeto de Freitas foi um dos mais importantes jogadores de vôlei do Botafogo, tendo conquistado onze campeonatos cariocas de vôlei consecutivos (de 1965 até 1975), além de ter defendido a seleção brasileira nos Jogos Olímpicos de 1976 em Montreal.

Treinador

Bebeto de Freitas foi um dos mais respeitados treinadores de voleibol do mundo, tendo dirigido o time da consagrada Geração de Prata do voleibol masculino brasileiro nos Jogos Olímpicos de 1984 em Los Angeles e também nos Jogos Olímpicos de 1988 em Seul.

Teve uma passagem de grande sucesso pelo voleibol italiano, dirigindo de 1990 a 1995, o Maxicono Parma, atual Pallavolo Parma (It), onde conquistou cinco títulos (Campeonato Italiano 1991-1992 e 1992-1993, Copa Itália 1991-1992 e Copa CEV 1991-1992 e 1994-1995).

Devido a este sucesso, foi convidado a treinar a seleção italiana em 1997 e 1998, sendo campeão da Liga Mundial de Voleibol de 1997, em Moscou e do Campeonato Mundial de Voleibol Masculino de 1998, na final com a Iugoslávia em Tóquio, com o resultado de 3 sets a 0.

Carreira Como Gestor

Bebeto de Freitas teve duas passagens como manager do Clube Atlético Mineiro, em 1999 e 2001. Trabalhou durante a gestão do então presidente Nélio Brant em parceria com o presidente do Conselho Deliberativo e diretor de futebol Alexandre Kalil. Durante estas duas passagens, o clube obteve resultados expressivos. Foi Campeão Mineiro e Vice-Campeão brasileiro em 1999 e chegou ao 4º lugar no Campeonato Brasileiro de 2001. No entanto, deixou o clube para ir trabalhar no Botafogo.

A fase no Atlético fez despertar o interesse em dirigir o Botafogo, seu clube de coração. No início de 2002, chegou a assumir um cargo como diretor do clube carioca, mas em poucos meses pediu afastamento pois, por ser funcionário, não poderia se candidatar ao cargo de presidente ao final daquele ano e também por discordar da gestão do então presidente Mauro Ney Palmeiro.

Eleito para um mandato não-remunerado inicial de três anos, entre 2003 e 2005, Bebeto de Freitas iniciou um processo de reestruturação do clube. Sua direção teve como marco importante, a volta do time de futebol à primeira divisão do Campeonato Brasileiro.

Reeleito até 2008, conquistou os títulos de futebol profissional da Taça Guanabara e do Campeonato Carioca de 2006, e da Taça Rio, de 2007 e 2008. Além disso, venceu também títulos em diversas categorias amadoras, tais como polo aquático, basquetebol, voleibol e natação.

Bebeto de Freitas foi um dos homens de frente na luta da aprovação da Timemania, que poderia solucionar parte das dívidas do clube. Além disso, em sua gestão, o clube - a partir da empresa criada por ele, a Cia. Botafogo - conquistou a concessão do Estádio Olímpico João Havelange, em 2007.

Após a final da Taça Guanabara de 2008, revoltado com a arbitragem, chegou a pedir licenciamento do cargo de presidente, dizendo que "não aguentava mais as coisas que aconteciam no futebol". No entanto, como sua renúncia foi somente verbal, dias depois voltou em sua decisão e permaneceu à frente do clube até dezembro daquele ano, quando seu mandato se encerrava, sem possibilidades de reeleição.

Em 2009, a convite de Alexandre Kalil, que desta vez assumira o cargo de presidente do Galo, Bebeto de Freitas assumiu o cargo de diretor-executivo remunerado do clube.

Em 2016, após a eleição de Alexandre Kalil para prefeito de Belo Horizonte, Bebeto de Freitas foi indicado para o cargo de Secretário Municipal de Esportes e Lazer. No comando da pasta, criou o programa "A Savassi é da Gente", com eventos fechado aos carros na praça Diogo de Vasconcelos e abrindo para atividades esportivas, de lazer e convivência aos domingos. Comandou a pasta de 01/01/2017 a 06/01/2018.

No início de 2018, Bebeto de Freitas assumiu, a convite do presidente Sérgio Sette Câmara, o recém criado cargo de Diretor de Administração e Controle do Clube Atlético Mineiro.

Morte

Bebeto de Freitas faleceu na tarde de terça-feira, 13/03/2018, aos 68 anos, após passar mal dentro da concentração na Cidade do Galo. Ambulâncias e um helicóptero chegaram a ser acionados para socorrer o dirigente, que não resistiu a uma parada cardíaca e morreu antes de ser levado para um hospital.

Bebeto de Freitas havia participado normalmente do lançamento do time de futebol americano do Atlético-MG, o Galo FA, em evento que ocorreu no fim da manhã. Após a cerimônia, os convidados se dirigiram ao hotel do clube, na parte superior do centro de treinamento. Bebeto de Freitas acabou passando mal, enquanto apresentava as acomodações da concentração atleticana. Ele chegou a receber o primeiro atendimento médico em um dos quartos do prédio, mas não resistiu antes de ser levado para um hospital na capital mineira.

Fonte: Wikipédia
Indicação: Soraya Veras
#FamososQuePartiram #BebetodeFreitas

Ary Cordovil

NICANOR DE PAULA RIBEIRO FILHO
(58 anos)
Cantor e Compositor

☼ Rio de Janeiro, RJ (05/05/1923)
┼ Rio de Janeiro, RJ (29/11/1981)

Nicanor de Paula Ribeiro Filho, mais conhecido como Ary Cordovil, foi um Cantor e compositor brasileiro, essencialmente de sambas, nascido no Rio de Janeiro, RJ, no dia 05/05/1923. Ary Cordovil foi o primeiro a gravar, de Haroldo Lobo e Niltinho Tristeza, o samba "Tristeza", lançado no Carnaval de 1966 e que ficaria famoso na interpretação de Jair Rodrigues.

Ary Cordovil estudou no colégio Arte e Instrução no subúrbio de Cascadura no Rio de Janeiro. Trabalhou no Ministério da Justiça e na antiga Polícia Especial, a qual deixou para seguir a carreira artística.

Começou a carreira artística apresentando-se em circos e gafieiras. Teve a primeira composição gravada em 1944, o samba "Olha Ela Aí, Valdemar" (Ary Cordovil e Gil Lima), lançado por Aracy de Almeida pela gravadora Odeon. Nessa época, começou a se apresentar em programas de calouros na Rádio Transmissora.

Em 1946, gravou na Continental os sambas "O Chico Da Cuíca" (Elpídio Viana e Arnô Canegal), e "O Requebrado Da Cabrocha" (de Elpídio Viana e Valdemar Fernandes), com acompanhamento de Benedito Lacerda e seu conjunto regional. No mesmo ano, gravou em dueto com Jorge Veiga o samba "Fui Um Louco" (Haroldo Lobo e Milton de Oliveira), que fez bastante sucesso, e a marcha "O Expresso Não Parou" (Ary Cordovil e Isidoro de Freitas) pela Continental, também com acompanhamento de Benedito Lacerda e seu conjunto regional. 

Em 1949, começou a trabalhar na Rádio Mayrink Veiga, onde permaneceu por dois anos.

Em 1950, passou a integrar o Conjunto Pereira Filho no qual permaneceu por oito anos.

Em 1951, gravou no pequeno selo Carnaval o samba "Eu Quero É Sambar" (Marino Pinto e Humberto de Carvalho) e o "Baião Da Rosa" (Ary Cordovil e Gerêncio Cardoso).

Em 1953, compôs com Buci Moreira o samba "Porque É Que Você Chora?", gravado por Aracy de Almeida na Continental.


Em 1954, fez uma excursão à Argentina e teve seu samba "Vergonha" (Ary Cordovil e Fernando Lobo) gravado por Linda Batista. No mesmo ano, Alcides Gerardi gravou o samba "Ninguém Tem Dó" (Ary Cordovil, Arnô Canegal e Ivo Santos) na Odeon.

Em 1955, seu samba "Calo Na Mão" (Ary Cordovil, Fernando Lobo e Arnô Canegal) foi gravado por Linda Batista na RCA Victor. No mesmo ano, Dircinha Batista lançou na mesma gravadora o samba "Grande Amor" (Ary CordovilFernando Lobo e Arnô Canegal).

Em 1956, compôs com Haroldo Lobo o samba "Velho Estácio", gravado na Continental por Gilberto Milfont. No mesmo ano, gravou na Todamérica os sambas "Formiga" (Raimundo Olavo e Sebastião Nunes), e "Tava Gostoso" (Alberto Jesus e Sebastião Nunes).

Em 1957, passou a se apresentar em programas de televisão e gravou as marchas "Casadinho Mora Junto" (Antônio Almeida e Sebastião Nunes) e "Quem Perdeu Foi Ela" (Otolindo Lopes, Arnô Provenzano e Fausto Guimarães). No mesmo ano, gravou o samba "Palavras Malditas" (Nelson Cavaquinho e Guilherme de Brito).

Em 1958, gravou os sambas "Chega" (Osvaldo dos Santos e Salvador Miceli) e "Giro Pelo Norte" (Monsueto Menezes).

Em 1959, gravou dois discos pela Sinter com os sambas "Cabeça É Pra Pensar" (Raimundo Olavo e Átila Nunes), "Blusa Roxa" (Haroldo Lobo e Rubens Machado), "Piston De Gafieira" (Billy Blanco), e "Alegria De Pobre" (Armando Peçanha e Miguel Alves). Ainda no mesmo ano, também pela Sinter, gravou o LP "Ary Cordovil No Baile Da Gafieira".


Em 1960, gravou os sambas "É Melhor Refletir" (Valdemar Gomes) e "Quem Viu Maria?" (Antônio Domingues). Ainda em 1960, foi para a Philips e gravou os sambas "Pois Sim" (Ary Cordovil e Sidney Más), "Saudade Intrusa" (Vadico), e "Terminemos Aqui" (Benil Santos e Raul Sampaio).

Em 1961, gravou o samba "É Malvada" (Ary CordovilHaroldo Lobo e Henrique de Almeida).

Em 1962, transferiu-se para a Continental e lançou os sambas "O Que Ela Me Fez" (Jota Júnior e Oldemar Magalhães) e "Seu Gregório" (Alberto Ribeiro).

Em 1963, na CBS, gravou "Zé Da Conceição" (João Roberto Kelly) e "Balança, Balança" (Roberto Martins e Arlindo Veloso). No mesmo ano, gravou do iniciante compositor Bezerra da Silva o samba "Conselho Do Papai". Lançou também pela CBS seu grande sucesso, a marchinha de carnaval "Pistoleira" (Ary CordovilHaroldo Lobo e Milton de Oliveira).

Em 1966, lançou o samba "Tristeza" (Haroldo Lobo e Niltinho) pela CBS, música por sinal que obteve repercussão no mundo inteiro.

Em 1967, gravou "Maria Bonita", música composta por Volta Seca, do grupo de Lampião, também pela CBS. Ainda em 1967 lançou o LP "Ary Cordovil Em Ritmo Contagiante" pela CBS, lançado nos Estados Unidos, por iniciativa de um diretor americano da gravadora, com o título "The Sound Of Ary Cordovil".

Ary Cordovil gravou mais de 20 discos entre as gravadoras Continental, Todamérica, Sinter, Philips, Carnaval, Albatrz e CBS em 78 rpm e alguns LPs.

Em 2000, a Inter Records lançou o CD "O Samba É Assim Com Ary Cordovil", com, entre outras, "Indiferença" (Gil Lima e Miguel Lima), "Giro Pelo Norte" (Monsueto Menezes), "Engano" (Zé do Violão e Plínio Gesta) e "Dança Alucinante" (Hélio Nascimento e Gil Lima).

Ary Cordovil faleceu aos 58 anos, no Rio de Janeiro, RJ, no dia 29/11/1981.

Discografia

  • 2000 - O Samba É Assim Com Ary Cordovil (Inter Records, LP)
  • 1967 - Ary Cordovil Em Ritmo Contagiante (CBS, LP)
  • 1967 - The Sound Of Ary Cordovil (CBS, LP)
  • 1964 - Vida De Peixe / Eu Peno Mais (Albatroz, 78)
  • 1964 - Festa Da Penha / Cheiro De Vela (Albatroz, 78)
  • 1963 - Zé Da Conceição / Balança, Balança (CBS, 78)
  • 1963 - Na Base Do João / Conselho Do Papai (CBS, 78)
  • 1962 - O Que Ela Me Fez / Seu Gregório (Continental, 78)
  • 1961 - É Malvada / Quem Vai Sou Eu (Philips, 78)
  • 1960 - É Melhor Refletir / Quem Viu Maria? (Todamérica, 78)
  • 1960 - Pois Sim / Saudade Intrusa (Philips, 78)
  • 1960 - Terminemos Aqui / Destino Malvado (Philips, 78)
  • 1959 - Ary Cordovil No Baile Da Gafieira (Sinter , LP)
  • 1959 - Cabeça É Pra Pensar / Blusa Roxa (Sinter, 78)
  • 1959 - Piston De Gafieira / Alegria De Pobre (Sinter, 78)
  • 1958 - Chega / Giro Pelo Norte (Todamérica, 78)
  • 1958 - Cabeça Erguida / Sem Saudade (Todamérica, 78)
  • 1957 - Casadinho Mora Junto / Quem Perdeu Foi Ela (Todamérica, 78)
  • 1957 - Engano / Meu Aniversário (Todamérica, 78)
  • 1957 - Voltarei / Palavras Malditas (Todamárica, 78)
  • 1956 - Formiga / Tava Gostoso (Todamérica, 78)
  • 1951 - Eu Quero É Sambar / Baião Da Rosa (Carnaval, 78)
  • 1951 - A Mulher Quer Mais Um (Carnaval, 78)
  • 1946 - O Chico Da Cuíca / O Requebrado Da Cabrocha (Continental, 78)
  • 1946 - Fui Um Louco / O Expresso Não Parou (Continental, 78)

Fonte: Wikipedia e Dicionário Cravo Albin da MPB
#FamososQuePartiram #AryCordovil

Tônia Carrero

MARIA ANTONIETA PORTOCARRERO THEDIM
(95 anos)
Atriz

☼ Rio de Janeiro, RJ (23/08/1922)
┼ Rio de Janeiro, RJ (03/03/2018)

Tônia Carrero, nome artístico de Maria Antonieta Portocarrero Thedim, foi uma atriz brasileira de cinema, teatro e televisão, nascida no Rio de Janeiro, RJ, no dia 23/08/1922.

Nascida e criada na Zona Sul do Rio de Janeiro, Maria Antonieta de Farias Portocarrero, seu nome de solteira, era filha do general Hermenegildo Portocarrero e de Zilda de Farias Portocarrero. Também era descendente do marechal Hermenegildo de Albuquerque Porto Carrero, Barão de Forte de Coimbra.

Apesar de graduada em Educação Física, a formação de Tônia Carrero como atriz foi obtida em cursos de teatro em Paris. Antes de partir para a França, fez um pequeno papel no filme "Querida Susana". Foi a estrela da Companhia Cinematográfica Vera Cruz, tendo atuado em diversos filmes.

Seu primeiro casamento durou de 1940 a 1950 com o artista plástico Carlos Arthur Thiré, com quem teve um único filho, o ator Cecil Thiré.


De 1951 a 1962, foi casada com o ator e diretor italiano Adolfo Celi. Seu terceiro e último casamento foi de 1964 a 1977, com o engenheiro César Thedim, de quem assinava o sobrenome. Após o último matrimônio, manteve outros relacionamentos, mas não quis mais casar-se.

A estreia em teatro foi no Teatro Brasileiro de Comédia (TBC), em São Paulo, com a peça "Um Deus Dormiu Lá Em Casa", onde teve como parceiro o ator Paulo Autran. Após a passagem pelo Teatro Brasileiro de Comédia, formou com seu marido à época, o italiano Adolfo Celi, e com o amigo Paulo Autran, a Companhia Tônia-Celi-Autran (CTCA), que nos anos 1950 e 1960 revolucionou a cena do teatro brasileiro ao constituir um repertório com peças de autores clássicos, como Shakespeare e Carlo Goldoni, e de vanguarda, como Sartre.

Na televisão, um dos seus personagens mais marcantes foi a sofisticada e encantadora Stella Fraga Simpson em "Água Viva" (1980), de Gilberto Braga. Tônia Carrero viria a trabalhar novamente com o autor, em 1983, na novela "Louco Amor", dessa vez interpretando a não menos charmosa e chique Mouriel.

Tanto em "Água Viva" como em "Louco Amor", Tônia Carrero perdeu o papel de vilã para Beatriz Segall e Tereza Rachel, respectivamente. Mesmo assim os dois personagens que interpretou foram um sucesso.


Tônia Carrero era mãe do ator Cecil Thiré, e avó dos atores Miguel Thiré, Luísa Thiré e Carlos Thiré.

Cécil Thiré, em entrevista ao jornal Extra declarou, pela primeira vez, sobre o real estado de saúde da mãe. Segundo ele, Tônia Carrero sofria de uma doença chamada de hidrocefalia oculta. Sem dar mais detalhes, Cécil Thiré contou que o quadro de Tônia Carrero era estável mas que, devido a doença, não se comunicava mais nem conseguia andar normalmente. Vivia em seu apartamento no Leblon, cercada de familiares e sempre recebia visitas de amigos próximos.

Tônia Carrero participou de 54 peças, 19 filmes e 15 novelas ao longo de sua carreira. Sua última novela foi "Senhora do Destino" (2004), na qual fez uma participação especial. No cinema, sua última aparição foi em "Chega de Saudade" (2008).

Homenageada do Prêmio Shell de 2008, ela atuou no teatro pela última vez em 2007, em "Um Barco Para o Sonho", peça produzida pelo filho Cécil Thiré e dirigida pelo neto Carlos Thiré.

Morte

Tônia Carrero faleceu aos 95 anos, no sábado, 03/03/2018, pouco depois das 22h00, em uma clínica no Rio de Janeiro, vítima de uma parada cardíaca enquanto realizava um procedimento cirúrgico para tratar de uma úlcera no sacro.

Havia alguns anos, sua saúde estava debilitada por conta de uma hidrocefalia oculta, doença que a acometeu já idosa e que a impedia de falar e se locomover.

Tônia Carrero começou a ser velada na tarde de domingo, 04/12/2018, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. O velório, programado para ter oito horas de duração, foi até as 22h00.

Cecil Thiré, filho único da atriz, chegou ao velório por volta das 15h00. Também prestaram as últimas homenagens, os netos, bisnetos e amigos da TV e do teatro.

O corpo chegou ao teatro por volta de 13h20. Antes da cerimônia ser aberta ao público, somente a família teve acesso ao interior do prédio. Os portões do prédio foram abertos por volta das 14h15 e um dos primeiros amigos a chegar foi o ator Ney Latorraca.

O corpo de Tônia Carrero será cremado em cerimônia restrita para a família no início da tarde de segunda-feira, 05/03/2018.

Carreira

Cinema
  • 1947 - Querida Susana
  • 1949 - Caminhos do Sul
  • 1950 - Quando a Noite Acaba
  • 1952 - Apassionata Sílvia
  • 1952 - Tico-Tico no Fubá ... Branca
  • 1954 - É Proibido Beijar ... June
  • 1955 - Mãos Sangrentas ... Cantora
  • 1961 - Alias Gardelito ... Pilar
  • 1962 - Copacabana Palace
  • 1962 - Esse Rio Que Eu Amo
  • 1962 - Sócio de Alcova
  • 1969 - Tempo de Violência ... Marta
  • 1976 - Gordos e Magros ... Helena
  • 1987 - Sonhos de Menina Moça ... Yolanda
  • 1988 - A Bela Palomera ... Mãe de Orestes
  • 1988 - Fogo e Paixão
  • 1990 - O Gato de Botas Extraterrestre ... Avó
  • 2005 - Vinicius ... Ela Mesma
  • 2008 - Chega de Saudade ... Alice


Televisão
  • 1952/1960 - Grande Teatro Tupi ... Vários Personagens
  • 1966 - A Mulher Que Amou Demais ... Míriam Porto
  • 1969 - Sangue do Meu Sangue ... Pola Renon
  • 1970 - A Próxima Atração ... Maria da Glória
  • 1970 - Pigmalião 70 ... Cristina Melo de Guimarães Cerdeira
  • 1971 - O Cafona ... Beatriz
  • 1972 - Uma Rosa com Amor ... Roberta Vermont
  • 1972 - O Primeiro Amor ... Maria do Carmo
  • 1979 - Cara a Cara
  • 1980 - Água-Viva ... Stella Fraga Simpson
  • 1981 - O Amor é Nosso ... Gilda
  • 1983 - Louco Amor ... Mouriel
  • 1987 - Sassaricando ... Rebeca
  • 1989 - Kananga do Japão ... Letícia Viana
  • 1993 - Cupido Electrónico ... Dona Nenette
  • 1995 - Sangue do Meu Sangue ... Cecile Renon
  • 2000 - Esplendor ... Mimi Melody
  • 2004 - Um Só Coração ... Ela própria (Participação especial em um capítulo)
  • 2004 - Senhora do Destino ... Madame Berthe Legrand

Teatro
  • 1949 - Um Deus Dormiu Lá em Casa
  • 1950 - Amanhã, Se Não Chover
  • 1953 - Uma Certa Cabana
  • 1954 - Uma Mulher do Outro Mundo
  • 1954 - Cândida
  • 1956 - Otelo
  • 1956 - A Viúva Astuciosa
  • 1956 - Entre Quatro Paredes
  • 1958 - Calúnia
  • 1960 - Calúnia
  • 1960 - Seis Personagens à Procura de um Autor
  • 1962 - Tiro e Queda
  • 1964 - Qualquer Quarta-Feira
  • 1965 - A Dama do Maxim's
  • 1968 - Navalha na Carne
  • 1971 - Casa de Bonecas
  • 1976 - Doce Pássaro da Juventude
  • 1978 - Quem Tem Medo de Virgínia Woolf?
  • 1984 - A Amante Inglesa
  • 1984 - A Divina Sarah
  • 1986 - Quartett
  • 1999 - Um Equilíbrio Delicado
  • 2003 - A Visita da Velha Senhora
  • 2005 - Chega de História
  • 2007 - Um Barco Para O Sonho

Fonte: Wikipédia
Indicação: Valmir Bonvenuto
#FamososQuePartiram #ToniaCarrero