Gaúcho

LUÍS CARLOS TÓFFOLI
(52 anos)
Jogador e Técnico de Futebol

☼ Canoas, RS (07/03/1964)
┼ São Paulo, SP (17/03/2016)

Luís Carlos Tóffoli, mais conhecido por Gaúcho, foi um jogador e técnico de futebol brasileiro, que atuava como centroavante, nascido em Canos, RS, no dia 07/03/1964.

Gaúcho começou sua carreira nas divisões de base do Flamengo, mas depois foi jogar no XV de Piracicaba, Grêmio e Verdy Kawasaki, do Japão.

Em 1988, após passar pelo Santo André, chegou desacreditado ao Palmeiras. No entanto, Gaúcho começou a marcar gols e, com isso, foi consolidando seu lugar no time. A fama, porém, sobreviria de maneira inusitada, em um episódio memorável na história do futebol brasileiro.

É bem verdade que Gaúcho não conquistou nenhum título pelo Palmeiras, contudo, foi defendendo este time que ele escreveu seu nome nos anais do futebol, quando, em uma partida válida pelo Campeonato Brasileiro de 1988, substituiu Zetti, que saiu de campo lesionado, e atuou como goleiro. Não fosse isso o bastante, por ironia do destino, o adversário do Palmeiras, naquele jogo, era o Flamengo. Mas o melhor de tudo é que a partida, por conta do regulamento da competição, terminou na disputa de pênaltis, quando Gaúcho defendeu as cobranças de Aldair e Zinho, garantindo a vitória ao Palmeiras.

Dois anos mais tarde, Gaúcho retornava ao Flamengo, para desta vez, tornar-se ídolo da torcida rubro-negra. Através de seus gols de cabeça, ajudou o Flamengo a conquistar a Copa do Brasil de 1990, o Campeonato Carioca de 1991 e o Campeonato Brasileiro de 1992.


Disputou 198 partidas e marcou 98 gols, tendo sido o artilheiro dos Campeonatos Cariocas de 1990 e 1991, da Libertadores da América de 1991 e da Supercopa Libertadores de 1991.

Do Flamengo, Gaúcho saiu para ir defender o Lecce, clube italiano da primeira divisão. Infelizmente, sua carreira não embalou na Itália, tendo disputado somente cinco partidas. Em seguida, passou pelo Boca Juniors, até chegar ao Clube Atlético Mineiro.

Em 1995, Gaúcho jogou na Ponte Preta e no Fluminense e em 1996, no Anápolis, aonde veio a encerrar sua carreira de jogador.

Em 2001, Gaúcho fundou o Cuiabá Esporte Clube, sendo que o seu clube foi o representante do Estado do Mato Grosso, na Copa São Paulo de Futebol Júnior. Nesse ano, o clube passou a participar do Campeonato Matogrossense e, logo em sua estréia, o clube de Gaúcho conquistou o seu primeiro título regional. Em seguida começou a carreira de treinador nesse mesmo clube, como auxiliar.

Em 2010, começou a treinar equipes principais, no Mixto Esporte Clube, e o último clube que treinou foi o Luverdense Esporte Clube.

Gaúcho foi casado com a atriz Inês Galvão e teve 3 filhos.

Gaúcho faleceu em na quinta-feira, 17/03/2016, aos 52 anos, vitimado pelo câncer de próstata.

Zico e Gaúcho
Títulos

Flamengo
  • 1993 - Campeonato da Capital
  • 1993 - Troféu Libertad
  • 1992 - Campeonato Brasileiro
  • 1991 - Campeonato Carioca
  • 1991 - Taça Rio
  • 1991 - Copa Rio
  • 1991 - Campeonato da Capital
  • 1990 - Copa do Brasil
  • 1988 - Taça Guanabara
  • 1988 - Copa Kirin
  • 1988 - Troféu Colombino
  • 1987 - Taça Euzebio de Andrade
  • 1987 - Torneio El Cabon
  • 1987 - Torneio Internacional de Angola
  • 1984 - Taça Guanabara

Grêmio
  • 1985 - Campeonato Gaucho
  • 1985 - Torneio Ciudad Palma de Mallorca
  • 1985 - Torneio de Rotterdam

Atletico-MG
  • 1995 - Campeonato Mineiro

Artilharia
  • 1991 - Campeonato Carioca (17 gols)
  • 1991 - Taça Libertadores da América (8 gols)
  • 1991 - Supercopa Libertadores (3 gols)
  • 1990 - Campeonato Carioca (14 gols)

Fonte: Wikipédia
Indicação: Marcelo Furtado

André Filho

ANTÔNIO ANDRÉ DE SÁ FILHO
(68 anos)
Compositor, Cantor, Arranjador, Instrumentista e Radialista

☼ Rio de Janeiro, RJ (21/03/1906)
┼ Rio de Janeiro, RJ (02/07/1974)

Antônio André de Sá Filho, mais conhecido com André Filho, foi um ator, multiinstrumentista (piano, violão, bandolim, violino, banjo, percussão), radialista, compositor e cantor brasileiro, nascido no Rio de Janeiro, RJ, no dia 21/03/1906.

Ficou órfão muito cedo, sendo por isso criado pela avó. Começou a estudar música erudita aos oito anos com Pascoale Gambardella. Estudou, anos depois, vários instrumentos como violão, violino, piano, bandolim, dedicando-se, então, à música popular brasileira.

Formou-se em Ciências e Letras no Colégio Salesiano de Niterói, RJ, onde foi colega de Almirante.

Na década de 1940, esteve internado com problemas psíquicos, que, somados a alguns outros, acabaram por fazê-lo abandonar a vida artística.

André Filho é autor de muitos sucessos, entre os quais a marcha "Cidade Maravilhosa" que se tornou o hino da cidade do Rio de Janeiro. Por isso virou uma figura histórica do Rio de Janeiro, além de ser o parceiro de Noel Rosa no samba "Filosofia".

André Filho começou a carreira artística cantando na Rádio Educadora. Foi arranjador, compositor de jingles, locutor de várias emissoras como a Rádio Tupi, Rádio Mayrink Veiga, Rádio Phillips e Rádio Guanabara.


Sua primeira composição a ser gravada foi "Velho Solar", em 1929, pela Parlophon, interpretada por Henrique de Melo Moraes, o tio de Vinícius de Moraes. No mesmo ano, Ascendino Lisboa lançou o samba "Dou Tudo".

Em 1930, Carmen Miranda lançou duas músicas suas pela RCA Victor, o samba "O Meu Amor" e a marcha "Eu Quero Casar Com Você". Sílvio Caldas gravou também pela RCA Victor o seu samba "Nem Queiras Saber" (André FilhoFelácio da Silva).

Em 1931, Carmen Miranda gravou os sambas "Bamboleô" e "Quero Só Você", Jaime Vogeler a canção "Meu Benzinho Foi-se Embora" e Francisco Alves a valsa "Manoelina". No mesmo ano, gravou seu primeiro disco, na Parlophon, interpretando os sambas "Estou Mal" (André FilhoHeitor dos Prazeres), e "Mangueira" (Saul de Carvalho). Lançou com J. B. de Carvalho, a macumba "Anduê, Anduá" (Maximiniano F. da Costa) e o samba "É Minha Sina" (André Filho).

Em 1932 teve diversas composições gravadas por diferentes intérpretes. Carmen Miranda registrou os sambas "Mulato De Qualidade", "Quando Me Lembro" e "Por Causa de Você"; Sílvio Caldas o samba "Jurei Me Vingar" (André Filho Valfrido Silva); O Grupo da Guarda Velha e Trio TBT, o samba "Como Te Amei".

Em 1933, gravou os sambas "Vou Navegar" e "Nosso Amor Vai Morrendo", e teve gravados por Carmen Miranda, os sambas "Fala Meu Bem" e "Lua Amiga", e por Elisa Coelho os sambas "O Samba é a Saudade" e "A Lua Vem Surgindo". Mário Reis foi convidado por Noel Rosa para gravar "Filosofia", pela Columbia.


Em 1934, Carmen Miranda lançou, junto com Mário Reis, o samba "Alô... Alô...", um grande sucesso no carnaval daquele ano. Ainda em 1934, gravou seu grande sucesso, a marcha "Cidade Maravilhosa", em dupla formada com a então novata Aurora Miranda, de apenas 19 anos. Segundo Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello, a escolha de Aurora Miranda "refletia de certo modo a tendência de romper com uma constante da época: a hegemonia masculina na gravação do repertório carnavalesco". De qualquer modo, o certo é que a entrada de Aurora Miranda em cena deve-se mesmo ao fato de ser irmã de Carmen Miranda, já então no auge da popularidade, inclusive nos carnavais. O lançamento de "Cidade maravilhosa", se deu no entanto, sem grande sucesso na Festa da Mocidade, em outubro daquele ano.

A marchinha foi inscrita em 1935 no Concurso de Carnaval da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, obtendo, para indignação do autor, a 2ª colocação. Também em 1935, gravou a marcha "Guarde Um Lugarzinho Para Mim" (André Filho e Valfrido Silva) e o samba "Jura Outra Vez" (Alcebíades Barcelos e Valfrido Silva), e com Aurora Miranda, gravou de sua autoria, a marcha "Ciganinha Do Meu Coração" e o samba "O Que Você Me Fez".

Em 1936, lançou as marchas "Teu Cabelo Vou Pintar" e "Cadê a Minha Colombina", de sua autoria. Aurora Miranda gravou de sua autoria, o samba "Quero Ver Você Sambar" e a marcha "Bacharéis Do Amor", e Carmen Miranda a marcha "Beijo Bamba" e o samba "Pelo Amor Daquela Ingrata".

Em 1937 teve mais duas marchas gravadas por Aurora Miranda, "Se a Moda Pega..." e "Quero Ver Você Chorando".


Em 1938, Aurora Miranda gravou a marcha "Na Sua Casa Tem..." (André Filho e Heitor dos Prazeres) e o samba "Chorei Por Teu Amor".

Em 1939 lançou a marcha "Linda Rosa" e o samba "Quem Mandou?".

Em 1941, gravou a marcha "Carnaval na China" (André Filho e Durval Melo) e o samba "Estrela do Nosso Amor" (André Filho). Vicente Celestino gravou pela RCA Victor a valsa "Cinzas No Coração", obtendo grande sucesso, e a canção "Cancioneiro Do Amor".

Em 1960, um decreto oficializou "Cidade Maravilhosa" como hino da cidade. No final da década de 1960, convidado e entrevistado por Ricardo Cravo Albin, então diretor do Museu da Imagem e do Som (MIS), gravou histórico depoimento para o museu, tendo sido seu estado mental considerado bastante razoável pelo entrevistador.

Em 1974, Chico Buarque resgatou "Filosofia", regravando o samba em seu álbum "Sinal fechado", dedicado a outros autores por causa da censura imposta à sua produção. O samba foi, na época, grande sucesso e uma maneira inteligente de dar um recado ao regime militar. O samba voltaria a ser ouvido na voz de Mário Reis, na década de 1970 e, posteriormente, incluído no filme "Brás Cubas" (1985), adaptação do cineasta Júlio Bressane para o clássico de Machado de Assis "Memórias Póstumas de Brás Cubas". No filme, "Filosofia" é o tema do personagem Quincas Borba.

Devido a várias crises pessoais, inclusive o fim prematuro de casamento com a esposa Zilda, o que lhe teria provocado graves crises psíquico-nervosas, afastou-se completa e prematuramente da vida artística, passando a orar com a mãe que o abrigou, cercando-o de carinho e cuidados, o que obscureceu a avaliação de sua obra, fazendo com seu trabalho fosse lembrado basicamente apenas pela marcha "Cidade maravilhosa".

Em 2006, seu acervo passou a pertencer ao Instituto Moreira Salles que o homenageou por ocasião do centenário de seu nascimento com uma exposição de partituras, documentos e fotografias.

André Filho morreu aos 68 anos , no dia 02/07/1974, no Rio de Janeiro.

Discografia

  • 1941 - Carnaval Na China / Estrela Do Nosso Amor (Odeon, 78)
  • 1939 - Linda Rosa / Quem Mandou? (Columbia, 78)
  • 1938 - Perdão, Emília / Onde é Que Eu Vou Parar (Odeon, 78)
  • 1937 - Maravilhosa / Ó Rosa (Odeon, 78)
  • 1936 - Teu Cabelo Vou Pintar / Cadê a Minha Colombina (Odeon, 78)
  • 1935 - Guarde Um Lugarzinho Pra Mim / Jura Outra Vez (Odeon, 78)
  • 1935 - Ciganinha Do Meu Coração / O Que Você Me Fez (Odeon, 78)
  • 1934 - Cidade maravilhosa (Odeon, 78)
  • 1934 - Lourinha Brasileira / Não Chore Mais (Columbia, 78)
  • 1933 - Vou Navegar / Nosso Amor Vai Morrendo (RCA Victor, 78)
  • 1931 - Estou Mal / Mangueira (Parlophon, 78)
  • 1931 - Se o Teu Amor... / Você Diz Que é Melhor (Parlophon, 78)
  • 1931 - Vai De Uma Vez / Amizade Não Se Compra (Parlophon, 78)
  • 1931 - Cala a Boca / Vivo Feliz Sem Você (Parlophon, 78)
  • 1931 - Anduê, Anduá / É Minha Sina (Parlophon, 78)


Indicação: Miguel Sampaio