segunda-feira, 28 de julho de 2014

Elza Laranjeira

ELZA LARANJEIRA
(61 anos)
Cantora

* Bauru, SP (16/06/1925)
+ São Paulo, SP (22/07/1986)


Elza Laranjeira foi esposa do também cantor, Agostinho dos Santos e era uma exímia intérprete de samba-canção e também uma das maiores cantoras ao interpretar as músicas de Dolores Duran.

Ela cantou na Rádio Clube de Bauru, muito novinha, ainda aos 10 anos de idade. Formou-se educadora pela Escola Normal de Bauru e lecionou em escola pública antes de dar início à sua grande carreira artística. Ela foi uma das cantoras mais importantes e requisitadas da radiofonia paulistana.

Um dos seus maiores êxitos, foi em 1963, ano em que lançou o LP "A Música de Tom e Vinicius". Nesse disco cantou "Só Danço Samba", "Sem Você", "Por Toda Minha Vida", "Serenata do Adeus" e "Derradeira Primavera". Por um tempo, se afastou da vida artística e só retornou em 1975.

Iniciou sua carreira artística na década de 40, substituindo Leny Eversong no programa de Blota Júnior, transmitido pela Rádio Cruzeiro do Sul.

Em 1945, transferiu-se com Blota Júnior para a Rádio Record de São Paulo.

Em 1951, fez suas primeiras gravações pelo selo Star, lançando quase simultaneamente dois discos, com os sambas "Foi Sem Querer" (Enrico Simoneti e Maragliano) e "Quando Eu Era Pequenina" (Enrico Simoneti e Donato), e, as canções "Poema Das Duas Mãozinhas" (Hervê Cordovil e Jorge de Lima) e "Dia Das Mães" (Maria Cecília B. França). No mesmo ano, gravou o baião "O Galo Já Cantou" (Hervê Cordovil e Raul Duarte).

Em 1953, foi contratada pela Copacabana e lá estreou com o samba "Vida Nova" (Alfredo Borba e Sérgio Rubens) e a batucada "A Louca Chegou" (Rômulo Paes, Adoniran Barbosa e Henrique de Almeida). Gravou também o samba "Gol de Baltazar" (Alfredo Borba), homenagem ao então artilheiro do time de futebol do Corinthians de São Paulo. No mesmo período, em dueto com Cauby Peixoto, gravou o samba "Já Paguei o Meu Tributo" (Alfredo Borba). Ainda em 1953 estreou na gravadora Columbia, com o choro "Doçura", primeira composição de sua autoria, e o samba canção "Meu Deus Não Sei" (Ted).

Em 1954, gravou a marcha "É Covardia" (Alfredo Borba e José Sacomani) e o samba "Mulher Namoradeira" (Alfredo Borba). Gravou também outra música alusiva ao futebol, uma vez que a Seleção Brasileira de Futebol, em junho daquele ano, participava da Copa do Mundo da Suiça, o samba "Gol do Brasil" (Alfredo Borba).

Em 1955 gravou o xote "Bandinha do Interior" (Mário Vieira e Elpídio dos Santos), e o baião "Baião Espanhol" (Alfredo Borba e Luiz Gaúcho). No mesmo ano, gravou mais duas composições de Alfredo Borba, a marcha "Gole de Cachaça" e o samba "Lampião de Querosene".

Em 1956, teve uma rápida passagem pela gravadora Odeon, onde gravou dois discos. No primeiro, cantou "Lavadeiras de Portugal" (Popp e Lucchesi), em ritmo de baião, com versão de Joubert de Carvalho, e o choro "Pica-Pau" (Alfredo Borba e José Henrique).

O segundo disco, lançado em janeiro de 1957, trazia a valsa "Que Será, Será" (Livingstone e Evans), com versão de Nadir Corte Real, e, o samba "Poço Dos Desejos" (Edson Borges). Ainda em 1957 passou a gravar na RGE e lançou a valsa "Dois Olhos Azuis" (M. Jary e Maugéri Neto) e o beguine "Insônia" (Mário Albanese e Heitor Carrilho), com acompanhamento de Enrico Simoneti e Sua Orquestra.


Em 1959, gravou o fox "É Disso Que Eu Gosto" (Heitor Carrilho e Maugério Neto) e o samba canção "Dona Saudade" (Mário Albanese e Habib Nader). No mesmo ano, gravou de Antônio Carlos Jobim e Vinícius de Moraes, o samba canção "Eu Sei Que Vou Te Amar", e, de Antônio Carlos Jobim e Marino Pinto, o samba "Aula de Matemática".

Elza Laranjeira foi considerada uma das maiores intérpretes de Dolores Duran, de quem gravou ainda em 1959, o samba canção "A Noite do Meu Bem". Cantou durante muito tempo em casas noturnas de São Paulo. Destacou-se como cantora romântica, tendo gravado valsas, fox, beguines e sambas canções, como "Estou Amando Azul" (Fernando César e Britinho), lançado também em 1959.

Em 1960 gravou o samba canção "Fale Baixinho" (Portinho e Heitor Carrilho), e a marcha rancho "Um Punhadinho de Estrelas" (Mário Albanese e Heitor Carrilho). No mesmo ano, gravou o samba "Tome Continha de Você" (Dolores Duran) e o samba canção "Um Minuto Só" (Edson Borges). Fiel ao seu estilo de músicas românticas, com temáticas amorosas, gravou ainda no mesmo em 1960 o bolero "Ninguém é de Ninguém" (Umberto Silva, Toso Gomes e Luiz Mergulhão) e o fox "Devaneio" (Djalma Ferreira e Luiz Antônio). Neste mesmo ano lançou seu primeiro LP, e um dos discos de maior destaque, "A Noite do Meu Bem", com Simonetti e Sua Orquestra, no qual cantou além da música título, as composições "Tome Continha de Você" (Dolores Duran e Édson Borges), "Um Punhadinho de Estrelas" (Mário Albanese e Heitor Carillo), "Cuidado Coração" (Ciloca Madeira e Fred Jorge), "Eu Sei Que Vou Te Amar" (Tom JobimVinícius de Moraes), "Estou Amando Azul" (Fernando César e Britinho), "Fale Baixinho" (Portinho e Heitor Carillo), "Quando Te Achei" (Adoniran Barbosa e Hilda Hilst), "Podem Falar" (Agostinho dos Santos e Quico), "Conversa" (Jair Amorim e Evaldo Gouveia), "Um Minuto Só" (Édson Borges), e "Porquê" (Hervé Cordovil e Vicente Leporace).

Em 1962, gravou o bolero "Sem Motivo" (Aderaldo Monteiro) e o samba canção "Mais Uma Vez Adeus" (Georges Auric e Teixeira Filho). Gravou o bolero "Sem Motivo" (Aderaldo Monteiro) e o samba canção "Mais Uma Vez Adeus" (Georges Auric e Teixeira Filho). Ainda em 1962, gravou acompanhada pelo Conjunto RGE, dois clássicos da bossa nova, os sambas "Só Danço Samba" (Tom Jobim e Vinícius de Moraes) e "Samba do Avião" (Tom Jobim). Apresentou-se em vários países latino-americanos, destacando-se o Uruguai.

Recebeu o Prêmio Roquete Pinto, melhor cantora paulista de música internacional, o Prêmio Cidade de São Sebastião, RJ, e o Troféu Chico Viola, SP. As músicas "A Noite do Meu Bem" (Dolores Duran) e "Eu Sei Que Vou Te Amar" (Tom Jobim e Vinícius de Moraes) destacaram-se entre suas gravações de maior sucesso.

No início da década de 60, deixou a Rádio Record e foi para Rádio Nacional em São Paulo.

Em 1963, lançou o LP "A Música de Tom e Vinicius", no qual interpretou, entre outras, "Só Danço Samba", "Sem Você", "Por Toda Minha Vida", "Serenata do Adeus" e "Derradeira Primavera".

Ficou um tempo afastada da vida artística, só retornando em 1975. Nesse mesmo ano voltou a cantar na Boate Samba-Enredo, em São Paulo.


Discografia

  • 1962 - Sem Motivo / Mais Uma Vez Adeus (RGE, 78)
  • 1962 - Só Danço Samba / Samba do Avião (RGE, 78)
  • 1962 - Elza Interpreta Tom Jobim e Vinícius de Moraes (RGE, LP)
  • 1961 - Elza Laranjeiras Canta Sucessos (RGE, LP)
  • 1960 - Fale Baixinho / Um Punhadinho de Estrelas (RGE, 78)
  • 1960 - Tome Continha de Você / Um Minuto Só (RGE, 78)
  • 1960 - Ninguém é de Ninguém / Devaneio (RGE, 78)
  • 1960 - A Noite do Meu Bem (RGE, LP)
  • 1959 - É Disso Que Eu Gosto / Dona Saudade (RGE, 78)
  • 1959 - Eu Sei Que Vou Te Amar / Aula de Matemática (RGE, 78)
  • 1959 - A Noite do Meu Bem / Estou Amando Azul (RGE, 78)
  • 1957 - Que Será, Será / Poço Dos Desejos (Odeon, 78)
  • 1957 - Dois Olhos Azuis / Insônia (RGE, 78)
  • 1956 - Lavadeiras de Portugal / Pica-Pau (RGE, 78)
  • 1955 - Bandinha do Interior / Baião Espanhol (Columbia, 78)
  • 1955 - Gole de Cachaça / Lampião de Querosene (Columbia, 78)
  • 1954 - É Covardia / Mulher Namoradeira (Columbia, 78)
  • 1954 - Gol do Brasil / Isso é Namorar (Columbia, 78)
  • 1954 - Napoli / Lençol de Linho (Columbia, 78)
  • 1954 - Não Vá Embora / Pé de Pobre (Columbia, 78)
  • 1953 - Vida Nova / A Louca Chegou (Copacabana, 78)
  • 1953 - Gol de Baltazar / Don Juan (Copacabana, 78)
  • 1953 - Já Paguei o Meu Tributo / Esquisitice da Vovó (Copacabana, 78)
  • 1953 - Parabéns São Paulo / Você (Copacabana, 78)
  • 1953 - Doçura / Meu Deus Não Sei (Columbia, 78)
  • 1951 - Foi Sem Querer / Quando Eu Era Pequenina (Star, 78)
  • 1951 - Poema Das Duas Mãozinhas / Dia Das Mães (Star, 78)
  • 1951 - O Galo Já Cantou / As Lágrimas Podem Secar (Star, 78)
  • 1951 - Encantadora de Serpentes / Tira a Coroa (Carnaval, 78)

Indicação: Miguel Sampaio