Marcelo Ibrahim

MARCELO IBRAHIM
(24 anos)
Ator

* Rio de Janeiro, RJ (1962)
+ Rio de Janeiro, RJ (03/07/1986)

Adepto da malhação, seu primeiro sucesso no teatro foi em 1985 com a peça "Rocky Stallone", escrita especialmente para ele por sua semelhança de rosto e de físico como ator estadunidense Sylvester Stallone.

Na televisão estreou também em 1985, na Rede Globo, na telenovela "Um Sonho a Mais", vivendo o personagem Beto.

Em 1986 participou do remake da telenovela "Selva de Pedra", como Gastão, e do filme "Os Trapalhões e o Rei do Futebol". Participou também da série "Armação Ilimitada".

Faleceu aos 24 anos quando se preparava para estrelar a peça "Segura o Afonso Pra Mim".

Namorou com a atriz Suzana Queiroz (1982-1983), com a cantora Neuzinha Brizola (1985), com a atriz Cláudia Magno (1985) e com a atriz Débora Duarte (1985-1986).


Em sua página pessoal, Emílio Ibrahim pai de Marcelo Ibrahim escreveu o depoimento abaixo que acho de extrema importância que seja divulgado:

Na condição de pai do ator Marcelo Ibrahim, não poderia no contexto deste meu resumo biográfico, deixar de exprimir os meus mais caros sentimentos de saudade e inconformismo pelo seu prematuro falecimento, que nos deixou a todos, os seus familiares e amigos, desconsolados e tristemente atingidos por tão inesperado e doloroso desenlace.

Mas em razão da inexata e inverídica divulgação, na mídia eletrônica, da causa mortis de seu óbito, sinto-me na indeclinável obrigação de repor, documentadamente, a verdade dos fatos, transcrevendo a seguir, o teor ipsis litteris do laudo médico emitido, em 12 de julho de 1986, à época da morte de Marcelo, pela Drª Emília N. Xavier, profissional que exerce suas atividades no Hospital São Vicente, do Rio de Janeiro, onde se deu seu falecimento:

"Os testes imunológicos realizados no paciente Marcelo Ibrahim pelo Drº Carlos Loja, consistiram de investigação dos dois tipos de imunidade, celular e humoral, e pesquisa de HTLV3. Os resultados demonstraram que não havia deficiência na produção de anticorpos, que sua imunidade celular no momento da doença estava diminuída em função da agudicidade do quadro infeccioso e que O HTLV3 foi negativo. Isso ressalta o fato de que a infecção grave quando ocorre não é somente pela baixa da imunidade, mas pela virulência e toxinas liberadas pelo micro organismo causador, como neste caso, levando a um quadro irreversível de Pulmão de Choque."

Não obstante decorrido um longo período desde a ocorrência do óbito, tomo agora a iniciativa de, mais uma vez, rechaçar essa informação que ainda perdura na internet, inteiramente destituída de fundamento e veracidade, divulgada de forma irresponsável e leviana, sem o mínimo de cuidado de subsidiar-se de documentos médicos oficiais sobre o caso, como o fiz tão logo ocorreu o óbito, divulgando, à época, junto à imprensa, a verdadeira causa do falecimento do Marcelo, em razão do meu dever paterno de zelar pela memória do meu querido filho, desafortunadamente afastado do meu convívio, e de restabelecer a verdade sobre a causa da dolorosa ocorrência.

Abaixo, o laudo médico emitido pela Drª Emília N. Xavier, em 12 de julho de 1986.


Fonte: Wikipédia e Eng. Emílio Ibrahim

13 comentários:

Postar um comentário