Morgana

ISOLDA CORRÊA DIAS
(65 anos)
Cantora

* São Paulo, SP (02/08/1934)
+ São Paulo, SP (04/01/2000)

Isolda Corrêa Dias foi uma cantora brasileira, filha de Geraldo Corrêa Dias e Maria Helena Franco Dias, conhecida com o nome artístico de Morgana Cintra e, posteriormente, Morgana, também era chamada de "A Fada Loira". Morgana cantava em várias línguas e era considerada por muitos como uma das melhores cantoras brasileira.

Seus principais sucessos foram "Arrependida" e "Serenata Do Adeus", ambas de 1958, "Canção Da Tristeza", "Conselho", "Este Seu Olhar", estas de 1959, "Hino Ao Amor", de 1960, "Não Pense Em Mim", de 1967, e "E a Vida Continua", de Jair Amorim e Evaldo Gouveia. Seus principais discos são "Esta é Morgana" (1959) e "Morgana" (1960).

Morgana ganhou muitos troféus durante sua carreira. Um Troféu Roquete Pinto, das Emissoras Unidas; 8 Discos de Ouro, do programa "Astros do Disco"; o Troféu Chico Viola; Os Melhores da Semana; Discos de Ouro, no Rio de Janeiro; Troféu Imprensa; Troféu Tupiniquim; e tantos outros, tanto em São Paulo, como no Rio de Janeiro e outras capitais brasileiras.

Morgana estudou no Colégio Alfredo de Gusmão e depois fez curso de balet, na Escola de Bailado da Prefeitura de São Paulo. Estudou canto e piano no Colégio Cristovão Colombo. Continuou os estudos com o maestro Tobias Perfetti e com Zaira Bianchi. Estudou ainda italiano, inglês, francês e castelhano.

Começou sua carreira como cantora lírica, no qual obteve êxito durante sete anos. Em 1958 passou a se dedicar à música popular, adotando o nome Morgana Cintra.


Contratada pela gravadora Copacabana estreou em discos ainda em 1958, quando gravou com o acompanhamento do conjunto de Severino Filho a "Serenata Do Adeus", de Vinícius de Moraes, em gravação que logo obteve grande sucesso. No lado B desse disco gravou com Booker Pittman, pai da cantora Eliana Pittman, o fox "Let's Fall In Love" (Arlen e Kehler). No mesmo ano, gravou o samba "Conselho" (Denis Brean e Osvaldo Guilherme), e o samba-canção "Era Uma Vez", de Lina Pesce. 

Obteve imediatamente grande sucesso com a primeira gravação "Serenata Do Adeus", que tornou-se bastante conhecida através de sua gravação. Logo após gravou "Mais Brilho Nas Estrelas", que também teve grande aceitação pelo público, bem como o recente sucesso de Edith Piaf, em versão de Odair Marzano, "Hino Ao Amor". Morgana também gravou "O Hino do IV Centenário", de Mário Zan.

Em 1958, Morgana recebeu o Troféu Imprensa como melhor cantora, e lançou com a orquestra de Osmar Milani o LP "Esta é Morgana", no qual interpretou as composições "Serenata Do Adeus" (Vinícius de Moraes), "Era Uma Vez" (Lina Pesce), "Sombras Entres Nós" (Hervé Cordovil e René Cordovil), "Dois Orgulhosos" (Antônio Bruno), "Conselho" (Denis Brean e Osvaldo Guilherme), "Mais Brilho Nas Estrelas" (Aloísio Figueiredo e Nelson Figueiredo), "Porque Tu Me Feres" (Gordurinha), e "Amar Ou Não Amar" (Antônio Bruno e Amauri Medeiros).

Em 1959, já com o nome artístico abreviado para apenas Morgana, gravou o samba-canção "Mais Brilho Nas Estrelas" (Aloysio Figueiredo e Nelson Figueiredo), com acompanhamento da orquestra de Osmar Milani, música que ela interpretaria no filme "Moral Em Concordata" (1959) uma comédia com direção e argumento de Fernando de Barros. No lado B desse disco gravou a toada "Bentevi" (Miranda e Maio), com acompanhamento da orquestra de Marin Pereira.


Ainda em 1959, Morgana fez sucesso com a gravação de "Hymne a L'amour" (Edith Piaf e Monnot), em versão de Odair Marzano, em disco que trazia no lado B a seresta "Choro Por Você" (Heitor Carrilho e Betinho). Nesse mesmo período participou do LP "A Música De Dolores" uma homenagem a Dolores Duran, falecida naquele ano, interpretando a "Canção Da Tristeza".

Em 1960, lançou seu terceiro LP interpretando as músicas "Tome Continha De Você" (Édson BorgesDolores Duran), "Encontrei o Amor" (Fernando César e Roberto Mário), "A Rosa (Canção da Rosa Que Eu Te Dou)" (Édson Borges), "Carinho e Amor" (Tito Madi), "Leva-me Contigo" (Dolores Duran), "Sonata Sem Luar" e "Elegia Ao Violão" (Fredy Chateaubriand e Vinicius de Carvalho), "Menina Moça" (Luis Antônio), "Falar Por Falar" (Fernando César), "Segredo Para Dois" (Fernando César e Ted Moreno), "Só Falta Aqui Você" (Édson Borges e Sandra Alves), e "A Flor" (Vera Brasil e De Rosa).

Em 1961, lançou o LP "Morgana, A Fada Loura" que consolidaria definitivamente sua carreira, disco no qual cantou as músicas "Não Sei Explicar" (F. Jay e A. Harris) em versão de Teixeira Filho"Cantando Baixinho" (Fredy Chateaubriand e Vinicius de Carvalho), "Manhã à Toa" (Ciloca Madeira e Regina Guerreiro), "Tarde Outonal" (Hector Lagna Fietta e Ribeiro Filho), "Até Sempre (Hasta Siempre)" (Mário Clavell) versão de Teixeira Filho"Volte Pra Mim (Come Back To Me)" (Roy Orbison e J. Nelson), e versão de Ciro Cruz e Marco Antônio Brandão, "Canta Pra Mim" (Lina Pesce), "Amare (Essere Amati)" (D. Vignali e Danpa) versão de Ramalho Neto"Teleco-Teco Nº 3" (Ciloca Madeira e Regina Guerreiro), "Fica Ou Vai" (Inara Simões de Irajá), "A Distância Não Vai Alterar" (H. Hilm, V. Aleda e P. Kreuder) versão de Teixeira Filho, e "Arrependida" (J. C. Villafuerte) versão de Sebastião Ferreira.

Para o natal de 1962, Morgana gravou em dueto com o cantor Moacyr Franco a canção "Natal De Felicidade" (Moacyr Franco e Wilton Franco).


Ainda em 1962, Morgana lançou o LP "Fuga Com Morgana" no qual cantou as músicas "Fuga", de Renato de Oliveira e Nazareno de Brito; "Areia branca", de Jorge Smera e Othon Russo; "Cravo vermelho", de Pernambuco e Sergio Malta; "A volta", de Ted Moreno e Fernando César; "Primeira estrela que vejo", de Fredy Chateaubriand e Vinicius de Carvalho; "Caminho perdido", de Luis Antônio; "Maldito", de Evaldo Gouveia e Jair Amorim; "Maldade", de Denis Brean e Osvaldo Guilherme; "Ninguém no mundo (Nessuno al mondo)", de A. Crafer e J. Nebb, e versão de Wilma Valéria; "Quero paz", de Ricardo Galeno e Cirene Mendonça; "Que tristeza é essa", de Silvio César, e "Para que me enganar", de Romeo Nunes e Édson França.

Em 1963, lançou o LP "A Romântica Morgana" com um repertório eminentemente romântico com as músicas: "Nem Deus" (João Roberto Kelly), "Espero Por Ti Meu Amor", uma versão de Claribalte Passos para "Da Un Giorno Al Altro" (F. de Paolis, Galotti e Medini), "Confessa Agora" (Alcyr Pires Vermelho e Hagá Faria), "Meu Grande Amor" (Antônio Bruno), "Adeus à Solidão" (Dalton Vogeler), "Quatro Letras" (Vera Brasil e Sivan Castelo Neto), "Vê, Lembra e Pensa" (Nazareno de Brito e Adolfo Maclerevsky), "Tema Do Amor Triste" (Rildo Hora e Clóvis Mello), "Tu" (Ed Lincoln e Silvio César ), "Canção Do Amor Perdido" (Fredy Chateaubriand e Vinicius de Carvalho), "Mágoa" (Hervé Cordovil e Julio Atlas), e "Tristeza Triste" (Jorge Smera e Paulo Gesta).

Ainda em 1963, sua interpretação para o bolero "Maldito" (Evaldo Gouveia e Jair Amorim), foi incluída no LP "14 Maiorais Nº 2" da gravadora Copacabana, incluindo sucessos daquele momento. Também nesse mesmo ano participou da coletânea "5 Eestrelas Interpretam a Bossa Nova - Elizeth Cardoso, Marisa, Carminha Mascarenhas, Morgana e Lucienne Franco" da gravadora Copacabana que demonstrou o prestígio que tinha na época. Nesse LP interpretou as canções "A Flor" (Vera Brasil e De Rosa) e "Cravo Vermelho" (Pernambuco e Sergio Malta).

Em 1964, participou da coletânea "Tudo De Mim - Poemas e Canções de Jair Amorim" que a gravadora Copacabana lançou homenageando o compositor Jair Amorim. Nesse disco interpretou o bolero "Maldito". No mesmo ano, sua interpretação para o bolero "Deixa Pra Lá" (Nóbrega e Souza e Jerônimo Bragança), foi incluída no LP "As 14 Maiorais Em Boleros" da gravadora Copacabana.


Em 1965, gravou o LP "Morgana, Morgana, Morgana" que teve como destaque o bolero "Amor Eterno" (Alfredo Borba e Edson Borges), que foi incluído também na coletânea "Sucessos Volume 1" da gravadora Continental.

Morgana também atuou como cantora na TV. Sua canção mais famosa foi a música-tema da novela "O Direito de Nascer", da extinta TV Tupi, em 1965, escrita por por Talma de Oliveira e Teixeira Filho, baseada no original cubano de Félix Caignet, com direção de Lima Duarte, José Parisi e Henrique Martins. Nessa época, Morgana era carinhosamente chamada de "Fada Loira".

Em 1966, participou da coletânea "Lina Pesce - Seus Grandes Sucessos" com o qual a gravadora Copacabana homenageou a compositora Lina Pesce. Nesse disco foi incluída sua gravação para a música "Era Uma Vez".

Em 1967, duas gravações suas foram incluídas na coletânea "14 Sucessos De Ouro - Volume 8" da RGE, "Não Pense Em Mim" e "Kilimandjaro". No mesmo ano, participou da coletânea carnavalesca "Carnaval 68" do selo Som Maior interpretando a marcha "A História De Um Pierrot" (Celso Mendes).

Em 1968, participou do III Festival Internacional da Canção Popular defendendo a composição "Engano" (Renato de Oliveira e Fernando César), incluída no volume II dos discos do Festival lançados pela Odeon.

Morgana foi casada com Amaury Garcia de Oliveira, que trabalhava no ramo de restaurantes. E eles tiveram um filho, de nome Amaury. Em 1973, no auge do sucesso no Brasil e no exterior, ela decidiu trocar a carreira de cantora por uma rede de pizzarias, em sociedade com o marido.

Em 1977, sua interpretação para a "Serenata Do Adeus" (Vinícius de Moraes), foi incluída no LP "As Grandes Cantoras da MPB" do selo Som/Copacabana. Essa mesma gravação seria incluída em 1980, no LP "Saudade & Fossa" do selo Seta.

Morgana faleceu aos 65 anos, em 04/01/2000, e foi sepultada no Cemitério Quarta Parada, em São Paulo.


Discografia


  • 1966 - Lina Pesce - Seus Grandes Sucessos (Copacabana, LP)
  • 1965 - Morgana, Morgana, Morgana (Copacabana, LP)
  • 1964 - Deixa Lá / Luar Do Nosso Adeus (Copacabana, 78)
  • 1964 - As 14 Maiorais Em Boleros (Copacabana, LP)
  • 1964 - Tudo de Mim - Poemas e Canções de Jair Amorim (Copacabana, LP)
  • 1963 - Fuga / Ninguém No Mundo (Copacabana, 78)
  • 1963 - A Romântica Morgana (Copacabana, LP)
  • 1963 - 5 Estrelas Interpretam a Bossa Nova - Elizeth Cardoso, Marisa, Carminha Mascarenhas, Morgana e Lucienne Franco (Copacabana, LP)
  • 1962 - Maldito / Eu, a Tristeza e Você (Copacabana, 78)
  • 1962 - Natal de Felicidade (Copacabana, 78)
  • 1962 - Fuga Com Morgana (Copacabana, LP)
  • 1961 - Não Sei Explicar / A Distância Não Vai Alterar (Copacabana, 78)
  • 1961 - Amar / Cantando Baixinho (Copacabana, 78)
  • 1961 - Morgana, A Fada Loura (Copacabana, LP)
  • 1960 - Sonata Sem Luar / Elegia Ao Violão (Copacabana, 78)
  • 1960 - Este Amor / A Rosa (Copacabana, 78)
  • 1960 - Morgana (Copacabana, LP)
  • 1959 - Mais Brilho Nas Estrelas / Bentevi (Copacabana, 78)
  • 1959 - Hymne a L'amour / Choro Por Você (Copacabana, 78)
  • 1959 - Morgana (Copacabana, LP)
  • 1958 - Serenata Do Adeus / Let's Fall In Love (Copacabana, 78)
  • 1958 - Conselho / Era Uma Vez (Copacabana, 78)
  • 1958 - Esta é Morgana (Copacabana, LP)

3 comentários:

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!