Aldo César

ALDO DA SILVA CÉSAR
(72 anos)
Ator e Humorista

* Rio de Janeiro, RJ (20/12/1928)
+ São Paulo, SP (05/01/2001)

O ator carioca Aldo Cezar também é creditado como Aldo CésarAtor e um dos grandes nomes da dublagem brasileira, Aldo César, desde os 5 anos de idade já cantava na Igreja Batista. Com 17 anos, ingressou na Rádio Ministério da Educação e trabalhou nas Rádio Tupi e Rádio Mayrink Veiga, no Rio de Janeiro.

Em toda a sua carreira fez novelas, peças e dublagens. Em novelas, trabalhou em "Redenção" (1966), sua estréia na televisão, "Hospital" (1971), "O Preço de um Homem" (1971), "A Barba Azul" (1974), "O Profeta" (1977), "O Direito de Nascer" (1978), "Como Salvar Meu Casamento" (1979), "Cavalo Amarelo" (1980), "Rosa Baiana" (1981), "A Filha do Silêncio" (1982), "Braço de Ferro" (1983), "O Tempo e o Vento" (1985), "Dona Beija" (1986) e "Chapadão do Bugre" (1988).

Trabalhou em diversas emissoras como Rede Globo, Rede Manchete e SBT, na qual ficou 18 anos. Destaque para sua trajetória no SBT, onde trabalhou em "A Praça é Nossa" e fazia o quadro "Ui, ui, ui meu chefinho!", com a então modelo famosa Mariette.

Como dublador trabalhou na Arte Industrial Cinematográfica (AIC São Paulo), aonde dublou o ator Rex Harrison, o comandante do conselho galático central no filme "Cassiopéia", Jason Bolt na série "...E as noivas chegaram", Júlio César em alguns filmes do "Asterix", o Rei do Crime em alguns episódios do desenho do "Homem-Aranha", a primeira voz do Bender em "Futurama" , Doutor Maki Gero em "Dragon Ball Z", dentre outros trabalhos.

Aldo César sofreu um infarto em dezembro de 2000, implantou três pontes de safena e uma mamária, mas teve complicações que o levaram para a UTI. Faleceu em 5 de janeiro de 2001 e seu último trabalho foi como o detetive Magnolio do programa humorístico "A Praça é Nossa", no SBT.

Nas dublagens ele foi substituído por Sílvio Navas em Bender e por Luiz Carlos de Mores na voz do Doutor Maki Gero em "Dragon Ball GT".

Ruth Cardoso

RUTH VALENÇA CORREIA LEITE CARDOSO
(77 anos)
Antropóloga, Professora Universidade de SP e Primeira Dama Brasileira

* Araraquara, SP (19/09/1930)
+ São Paulo, SP (24/06/2008)

Era casada desde 1953 com Fernando Henrique Cardoso, ex-presidente do Brasil, Ruth Cardoso foi a primeira-dama do País durante o mandato de seu marido, entre 1995 e 2003, embora tenha rechaçado tal título.

Ruth Vilaça Corrêa Leite nasceu em Araraquara, no interior do estado de São Paulo. Ela era filha do contador José Corrêa Leite de sua esposa, a professora e farmacêutica Maria "Mariquita" Vilaça. Tinha uma irmã gêmea, Raquel, que morreu em tenra idade. A casa em que vivia sua família ficava no centro da cidade e hoje é uma agência bancária. Ela viveu em sua cidade natal até os dezoito anos, quando se mudou para estudar Filosofia na Universidade de São Paulo (USP).

Em 1951, Ruth Leite conheceu seu futuro marido, Fernando Henrique Cardoso, então um estudante de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da USP. Eles se casaram em 1953 e tiveram três filhos juntos: Paulo Henrique Corrêa Leite Cardoso (1954), Luciana Vaz (1958) e Beatriz Zylbersztajn (1960).

Na década de 50, Ruth Cardoso se envolveu no estudo de movimentos feministas, étnico-raciais e de orientação sexual classificados por ela como "novos movimentos sociais”.

Doutora em antropologia pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH-USP), Ruth Cardoso atuou como docente e pesquisadora na USP e em várias instituições universitárias de diferentes países, tais como a Faculdade Latino-americana de Ciências Sociais (Flacso/Unesco), a Universidade do Chile, a Maison des Sciences de L'Homme em Paris, a Universidade de Berkeley e a Universidade de Colúmbia.

Ela era membro associado do Centro para Estudos Latino-Americanos da Universidade de Cambridge, na Inglaterra, e membro da equipe de pesquisadores do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap - São Paulo).

Ruth Cardoso, enquanto primeira-dama do Brasil, criou e presidiu o programa Comunidade Solidária, de combate à exclusão social e à pobreza, dentro de uma perspectiva emancipatória. Em 2000, ela criou a organização não-governamental Comunitas, na qual atuou até sua morte.

Ruth Cardoso faleceu no dia 24 de junho de 2008, aos setenta e sete anos de idade em sua residência, em decorrência de problemas cardíacos, apenas um dia após ter realizado um cateterismo cardíaco e recebido alta hospitalar.

Fonte: Wikipédia

Roberto Ribeiro

DERMEVAL MIRANDA MACIEL
(55 anos)
Cantor, Compositor e Puxador de Samba-Enredo

* Campos dos Goytacazes, RJ (20/07/1940)
+ Rio de Janeiro, RJ (08/01/1996)

Roberto Ribeiro foi um cantor e puxador de samba-enredo brasileiro. Sambista do Império Serrano, Roberto Ribeiro construiu uma respeitável carreira de intérprete e compositor desde a segunda metade da década de 1960. De voz bem timbrada e enxuto fraseado, seu repertório incluíam sambas de todos os tipos, como afoxés, ijexás, maracatus e outros ritmos africanos. Tem mais de 20 discos gravados, com sucessos populares como as canções "Acreditar", "Estrela de Madureira", "Todo Menino é Um Rei", "Malandros Maneiros", "Fala Brasil" e "Amor de Verdade".

Filho do jardineiro Antônio Ribeiro de Miranda e de Júlia Maciel Miranda, Dermeval era um carioca típico, apaixonado por futebol e samba. Aos 9 anos de idade, trabalhava como entregador de leite. Naquele tempo, já frequentava a Escola de Samba Amigos da Farra, da cidade de Campos dos Goytacazes, e participava das festas do tradição "Boi Pintadinho".

Dermeval foi jogador de futebol profissional em sua cidade natal. Depois de passagens por equipes amadoras como Cruzeiro e Rio Branco, ele se tornou goleiro do Goytacaz Futebol Clube. Era conhecido pelo apelido de "Pneu".

Em 1965, Dermeval mudou-se para a cidade do Rio de Janeiro em busca de um lugar em um clube grande carioca. Chegou a treinar no Fluminense, mas acabou desistindo da carreira e começou a trabalhar com música, a se apresentar no programa "A Hora do Trabalhador", da Rádio Mauá, do Rio de Janeiro. Sua performance chamou a atenção da compositora Liette de Souza, que viria a ser sua esposa, irmã do compositor Jorge Lucas. Ela resolveu apresentá-lo aos sambistas da Império SerranoDermeval passou a frequentar as rodas de samba da tradicional escola de Madureira. A diretoria da Império Serrano convidou-o para ser o puxador de samba-enredo da escola no Carnaval de 1971.



Ele aceitou, mas se afastou nos dois carnavais seguintes para gravar seus primeiros discos como cantor. A partir de 1974, já como Roberto Ribeiro, firmou-se como puxador oficial da IImpério Serrano, defendendo a agremiação até o Carnaval de 1981. Dentre os grandes destaques nos desfiles cariocas, estão os sambas-enredo "Brasil, Berço dos Imigrantes", de 1977, feito em parceria com o cunhado Jorge Lucas, e em "Municipal Maravilhoso, 70 Anos de Glórias", de 1979, parceria com Jorge Lucas e Edson Passos.

Sua carreira como cantor ganhou impulso a partir de 1972 com gravações de três compactos em parceria com Elza Soares pela Odeon. Satisfeita com o sucesso dos compactos, o selo lançou o LP "Elza Soares e Roberto Ribeiro". No ano seguinte, Roberto Ribeiro gravou um LP, "Simone Et Roberto Ribeiro - Brasil Export 73 Agô Kelofé", junto com a Simone, lançado pela Odeon exclusivamente para o mercado externo.

Em 1975, a mesma gravadora lançou o compacto duplo "Sucessos 4 Sambas", no qual Roberto Ribeiro interpretou "Leonel/Leonor" (Wilson Moreira e Neizinho). Ainda neste ano, foi lançado o disco "Molejo", que despontou com os sucessos "Estrela de Madureira" (Acyr Pimentel e Cardoso) e "Proposta Amorosa" (Monarco) e chamou a atenção da crítica.

Em 1976 foi lançado "Arrasta Povo", LP que destacou mais dois grandes sucessos nas rádios de todo o Brasil: "Tempo É" (Zé Luiz e Nelson Rufino) e "Acreditar" (Dona Ivone Lara e Délcio Carvalho).



Gravou em 1977 o LP "Poeira Pura", onde se destacou "Liberdade" (Dona Ivone Lara e Délcio Carvalho). Um ano depois, foi lançado o álbum "Todo Menino é Um Rei", que o colocou outra vez nas lista dos discos mais vendidos, puxado pelos sucessos da faixa-título de Nelson Rufino e Zé Luiz, "Amei Demais" (Flávio Moreira e Liette de Souza), "Isso Não São Horas" (Catoni, Chiquinho e Xangô da Mangueira) e "Meu Drama" (Silas de Oliveira e J. Ilarindo) - esta incluída também na trilha sonora da novela "Pai Herói", da Rede Globo.

Em 1979, foi a vez do lançamento do LP "Coisas da Vida", que teve entre as mais tocadas "Vazio" (Nelson Rufino), também conhecida na época como "Está Faltando Uma Coisa Em Mim", e "Partilha" (Romildo e Sérgio Fonseca).

No início da década de 1980, Roberto Ribeiro gravou "Fala Meu Povo". Neste LP, de 1980, constavam algumas composições de sua autoria como "Vem" (Roberto RibeiroToninho Nascimento), e sucessos como "Só Chora Quem Ama" (Wilson Moreira e Nei Lopes) e "Quem Lucrou Fui Eu" (Monarco).

Em 1981, foi lançado "Massa, Raça e Emoção", com o sucesso "Santa Clara Clareou" (Zé Baiano do Salgueiro).

Em 1983, foi lançado o disco "Roberto Ribeiro", com o sucesso "Algemas" (Roberto RibeiroToninho Nascimento).



Em 1984, no seu LP "De Palmares Ao Tamborim", obteve êxito com "Lágrima Morena" (Roberto Ribeiro e Toninho Nascimento). Nesse ano participou do disco "Partido Alto Nota 10", de Aniceto do Império Serrano, no qual interpretaram em dueto a faixa "Chega Devagar", de autoria de Aniceto do Império Serrano.

Em 1985, foi lançado o LP "Corrente de Aço", que contou com a participação de Chico Buarque de Hollanda na música "Quem Te Viu, Quem Te Vê" (Chico Buarque), e de Nei Lopes em "Malandros Maneiros" (Nei Lopes e Zé Luiz).

Em 1987, Roberto Ribeiro gravou o disco "Sorri Pra Vida", obtendo sucesso com a faixa "Ingrata Paixão" (Mauro Diniz, Adílson Victor e Ratinho) e, um ano depois, "Roberto Ribeiro", que contou com a participação especial de Alcione na faixa "Mel Pra Minha Dor" (Nelson Rufino e Avelino Borges) e do Grupo Raça, em "Malandro Mais Um" (Ronaldinho e Carlos Moraes).

Em 1995, a EMI-Odeon lançou a coletânea "O Talento de Roberto Ribeiro", na qual compilou 22 sucessos de seus vários discos. Roberto Ribeiro participara ainda naquele ano do disco-homenagem "Clara Nunes Com Vida", produzido por Paulo César Pinheiro, no qual interpretou, com sua voz acrescida posteriormente, um dueto com Clara Nunes, "Coisa da Antiga" (Wilson Moreira e Nei Lopes).

Roberto Ribeiro passou a sofrer de um seríssimo problema de vista e perdeu a visão de um olho em razão de uma contaminação por fungo agravada pelo diabetes.


Morte

Em janeiro de 1996, faleceu após ser atropelado próximo à sua casa, por alguém que sequer lhe prestou socorro, em Jacarepaguá, Rio de Janeiro. Roberto Ribeiro ficou em coma no Hospital Municipal Miguel Couto, mas não resistiu vindo a falecer.


Discografia


  • 2007 - Roberto Ribeiro - Programa Ensaio
  • 1995 - O Talento de Roberto Ribeiro (EMI-Odeon)
  • 1995 - Clara Nunes Com Vida (EMI-Music)
  • 1988 - Roberto Ribeiro (BMG/RCA)
  • 1987 - Sorri Pra Vida (EMI-Odeon)
  • 1985 - Corrente De Aço (EMI-Odeon)
  • 1984 - De Palmares Ao Tamborim (EMI-Odeon)
  • 1984 - Partido Alto Nota 10 (CID)
  • 1983 - Roberto Ribeiro (EMI-Odeon)
  • 1981 - Massa, Raça e Emoção (EMI-Odeon)
  • 1980 - Brazilian Popular Music (Fundação Nacional de Arte Funarte)
  • 1980 - Fala Meu Povo! (EMI-Odeon)
  • 1979 - Coisas Da Vida (EMI-Odeon)
  • 1978 - Todo Menino é Um Rei (EMI-Odeon)
  • 1978 - Pai Herói (Trilha Sonora Novela)
  • 1977 - Poeira Pura (EMI-Odeon)
  • 1976 - Roberto Ribeiro (EMI-Odeon)
  • 1976 - Arrasta Povo (EMI-Odeon)
  • 1975 - Sucessos 4 Sambas (Odeon)
  • 1975 - Molejo (EMI-Odeon)
  • 1973 - Simone Et Roberto Ribeiro (Odeon)
  • 1972 - Elza Soares e Roberto Ribeiro (Odeon) - Compacto Duplo
  • 1972 - Elza Soares e Roberto Ribeiro (Odeon) - Compacto Simples
  • 1972 - Elza Soares e Roberto Ribeiro (Odeon) - Compacto Duplo
  • 1972 - Elza Soares e Roberto Ribeiro (Odeon) - LP

Fonte: Wikipédia

Caíque Ferreira

CARLOS HENRIQUE FERREIRA DA COSTA
(39 anos)
Ator, Cantor e Bailarino

* Rio de Janeiro, RJ (05/09/1954)
+ Rio de Janeiro, RJ (12/01/1994)

Caíque Ferreira iniciou a carreira em 1970, na peça teatral "A Exceção e a Regra", montada em sistema de cooperativa. Em seus 16 anos de carreira como ator, cantor e bailarino, trabalhou em várias telenovelas e peças de teatro, chegando em 1991 a ser premiado em Düsseldorf, na Alemanha, com o musical "Lights To Light".

No cinema, ficou conhecido pelo retirante Zé Branco, de "Aventuras de um Paraíba", dirigido por Marco Altberg. Em 1984, fez "Flor do Desejo".

No teatro, atuou também em "Isadora e Oswald", "Grande e Pequeno", "Apenas Bons Amigos" e "Poleiro dos Anjos".

Seu trabalho de maior repercussão de crítica foi Giovanni, em 1987, adaptação para o palco do romance de James Baldwin, onde ele interpretava um homossexual, ao lado de Hugo Della Santa.


Na TV os momentos mais marcantes foram nas novelas "Brilhante" (1981), "Corpo a Corpo" (1984) do autor Gilberto Braga e "Amor Com Amor Se Paga" (1984) de Ivani Ribeiro.

Pouco antes de sua morte, o ator deixou os originais de um romance intitulado "Vinho da Noite", baseado em sua própria experiência, contando a história de um homem de meia-idade que entra em crise existencial quando descobre ter uma doença terminal e que está condenado a morrer.

Caíque Ferreira era irmão do diretor de fotografia Flávio Ferreira, que atua na parte técnica das produções televisivas, e do contrabaixista e compositor Dôdo Ferreira.

Caíque Ferreira morreu aos 39 anos vítima de complicações da AIDS. Apenas 6 dias antes, a atriz Cláudia Magno havia morrido de complicações da mesma doença.

Fonte: Wikipédia

Ronnie Cord

RONALD CORDOVIL
(42 anos)
Cantor

* Manhuaçu, MG (22/01/1943)
+ São Paulo, SP (06/01/1986)

Filho do maestro e compositor Hervé Cordovil, aos seis anos já tocava violão.

Em 1959 fez um teste na Copacabana Discos, no Rio de Janeiro e, no ano seguinte, realizou sua primeira gravação, lançada em LP que reunia vários outros cantores.

Iniciou sua carreira em 1960, tendo a ajuda na produção e na escolha do repertório, de seu pai, e sendo acompanhado por Betinho e Seu Conjunto. Nesse período, assim como outras estrelas do rock na época, cantava em inglês ou fazia versões de sucessos internacionais em português. No mesmo ano teve seu primeiro LP lançado e ganhou o Troféu Chico Viola por ter permanecido por seis meses em primeiro lugar nas paradas de sucesso, com a música "Itsy Bitsy Teenie Weenie Yellow Polkadot Bikini", de Lee Pockriss e Paul Vence.


Em 1961 gravou a balada "Bat Masterson", de Bart Corwin e Havens Wray, de um seriado de grande sucesso na TV. Em 1962, estreou como compositor com a música "Sandy". Porém, somente em 1964 obteria novo sucesso com "Rua Augusta", de autoria de seu pai, Hervé  Cordovillançada pela RCA Victor.



De acordo com Erasmo Carlos e Tony Campello, essa composição seria o primeiro hino do rock brasileiro. Foi também a primeira música desse gênero a ter problemas com a censura. Sua terceira estrofe, - "Comigo não tem mais esse negócio de farda / não paro o meu carro nem se for na esquina / tirei a 130 a maior fina do guarda..." - foi cortada pela censura, tendo que ser substituída. A canção fez enorme sucesso e ganhou vários prêmios.

Em 1965, voltaria a gravar "Itsy Bitsy Teenie Weenie Yellow Polkadot Bikini", desta vez em português, versão feita por seu pai, Hervé Cordovil. Com o nome de "Biquíni de Bolinha Amarelinha", a música fez novamente grande sucesso. Ainda nesse ano e no seguinte formaria e participaria com os irmãos Norman e Hervé Jr. dos conjuntos The Cords e Os Cords, lançando alguns compactos pela RCA Victor. Participou também como contratado do programa Jovem Guarda, exibido pela TV Record.

Demonstrando ter a mesma versatilidade do pai, não gravou apenas rocks e twists, lançando também marchas como "Mulher e Meia", parceria de seu pai com Manoel Vitório, e "Um Brinde à Lua", também de Hervé Cordovil.

Interrompeu sua carreira no início dos anos 1970, apresentando-se apenas em ocasiões comemorativas com outros pioneiros do rock brasileiro. Morreu prematuramente, em 1986, aos 42 anos, deixando três filhos. Não foi informada a causa da morte do cantor.


Discografia



  • 1968 - O Jogo do Simão / Se Você Gosta (RCA Victor)
  • 1967 - Só Eu e Você / Felizes Juntinhos (Polydor)
  • 1967 - Mulher e Meia / Luciana (Equipe)
  • 1966 - Escândalo de Família / Todo o Meu Amor (RCA Victor)
  • 1966 - Dia Lindo / Há Uma Estranha Expressão Nos Teus Olhos / Girl / Escuta no Vento (RCA Victor)
  • 1966 - Disco Voador / Eu, a Noite e Ninguém (RCA Victor)
  • 1965 - Biquíni de Bolinha Amarelinha / Veludo Azul (RCA Victor)
  • 1965 - Eu Vou à Praia / Amor Perdoa-me (RCA Victor)
  • 1965 - A Força do Destino / Giorno Grigio (RCA Victor)
  • 1965 - Ronnie Cord (RCA Victor)
  • 1964 - Rua Augusta / Brotinho Difícil (RCA Victor)
  • 1964 - Rua Augusta (RCA Victor)
  • 1964 - My Bonnie / Eu e o Luar (RCA Victor)
  • 1964 - Boliche Legal / Hippy Hippy Shake (RCA Victor)
  • 1963 - Rosa Meu Amor / Sandy (Copacabana)
  • 1962 - Banjo Boy / Parabéns 15 Anos (Copacabana)
  • 1962 - Ronnie Cord (Copacabana)
  • 1962 - Brotinho do Pullover / Pêra Madura (Copacabana)
  • 1961 - Ronnie Cord (Copacabana)
  • 1961 - Dreamin' / Look For a Star (Copacabana)
  • 1961 - Lop Sided, Over Loaded / Bye, Bye Love (Copacabana)
  • 1961 - Remember (Copacabana)
  • 1961 - Tonight My Love Tonight / Teen Angel (Copacabana)
  • 1961 - Tonight My Love Tonight (Copacabana)
  • 1961 - Dance On Little Girl / Bat Masterson (Copacabana)
  • 1960 - You're Knockin' In Me Out / Pretty Blue Eyes (Copacabana)
  • 1960 - Itsy Bitsy Teenie Weenie Yellow Polkadot Bikini / Flaming Love (Copacabana)
  • 1960 - Ronnie Cord (Copacabana)
  • 1960 - Ronnie Cord Com Orquestra e Coro (Copacabana)
  • 1960 - Ronnie Cord Com Betinho e Seu Conjunto (Copacabana)

Fonte: Wikipédia e Dicionário Cravo Albin da MPB

Paulo Autran

PAULO PAQUET AUTRAN
(85 anos)
Ator

* Rio de Janeiro, RJ (07/09/1922)
+ São Paulo, SP (12/10/2007)

O ator Paulo Paquet Autran, conhecido como Paulo Autran, nasceu no Rio de Janeiro mas viveu em São Paulo desde criança.

Em 1945, formou-se em Direito na Faculdade de Direito do Largo São Francisco. No mesmo ano, integrou o grupo de atores do Teatro Brasileiro de Comédia (TBC) com produções amadoras. Apesar de nunca ter freqüentado uma escola de teatro, estreou na Dramaturgia profissional com prêmio de melhor ator em 1949, na peça "Um Deus Dormiu Lá em Casa".

Desistiu da Advocacia e, com apoio da amiga Tonia Carrero, Paulo Autran iniciou-se definitivamente qualquer teatro - sua verdadeira paixão.

Para custear despesas de espetáculos, Paulo Autran fez muita televisão nos anos 60.

Não cinema, protagonizou clássicos como "Terra em Transe" de Glauber Rocha (1967). Participou, ainda, dos filmes "O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias" (2006), "A Máquina" (2005), "Artifícios" (2001), "Tiradentes" (1999), "Oriundi" (1999) e "Felicidade É ..." (1995), dentre outros.

Atuou em dezenas de espetáculos com adaptações de Shakespeare e Molière, mas foi vivendo o "Rei Lear" shakespeariano, aos 73 anos, que foi consagrada a sua melhor atuação no teatro de acordo com alguns críticos.

Casou-se com uma atriz Karin Rodrigues em 1999. Eles se conheceiam do teatro 30 anos antes. Tornaram-se amigos e confidentes na década de 70. Discretos, só formalizaram uma relação sem fim da década de 90, entre outros motivos para assegurar uma parte dela na herança. Embora casados, cada um vivia em seu apartamento, mas se viam todos os dias.

Paulo Autran confessava pelo menos duas grandes paixões em sua vida: uma atriz Odete Lara, com quem ele chegou a ter um romance, e Tonia Carrero, paixão que durou dois anos e levou Autran, um homem educadíssimo, a sair da linha. Em 1958, o então crítico de teatro Paulo Francis (1930-1997) publicou um artigo duríssimo criticando uma atuação de Tonia. Quando o viu, Autran não teve dúvidas: cuspiu-lhe na cara. Francisco, mais tarde, se retratou dizendo-se arrependido de ter insultado Tonia Carrero.

Participou das novelas "Sassaricando" (1987), "Guerra dos Sexos" (1983), "Os Imigrantes" (1981) e "Pai Herói" (1979), novelas da TV Globo e da Bandeirantes.

Em 1990, participou da novela "Brasileiras e Brasileiros", do SBT.

Paulo Autran atuou, ainda, na minissérie "Hilda Furação, da TV Globo em 1998.

Dos mais clássicos intérpretes brasileiros, Paulo Autran encenou quatro peças de Molière (1622-1673): "O Burguês Fidalgo", nos anos 60, "Como Sabichonas", também nos anos 60, "Tartufo", nos anos 80 e, em 2006 / 2007, "O Avarento", sua 90ª peça.

No dia 08 de agosto de 2007, Paulo Autran recebeu uma homenagem ao nível de sua reconhecida grandiosidade. O teatro do Sesc Pinheiros, em São Paulo, foi nomeado "Teatro Paulo Autran."

Depois da exibição de um vídeo em sua homenagem, Paulo Autran ficou sozinho não palco, seu segundo lar. Ele agradeceu e declamou o poema "Meus Oito Anos", de Casimiro de Abreu. "Oh! Que saudades que tenho / Da aurora da minha vida / Da minha infância querida / Que os anos não trazem mais!".

No ano anterior à sua morte, Paulo Autran passara por diversas internações, por conta de um Câncer de Pulmão. O tratamento (radioterapia e quimioterapia) não o impediu de seguir atuando em O Avarento - e nem de seguir fumando até quatro maços de cigarros por dia.

Faleceu aos 85 anos, depois de sofrer um Enfisema Pulmonar e por complicações decorrentes do Câncer. O ator foi internado na véspera, no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, em estado grave, e precisou ser sedado. Ele fazia tratamento de rádio e quimioterapia e lutava contra um câncer de pulmão e enfisema pulmonar.

A pedido da família, a causa mortis não foi divulgada pela equipe médica que o acompanhava. Seu corpo foi velado na Assembléia Legislativa de São Paulo e cremado no Crematório da Vila Alpina.

Fonte: Dramaturgia Brasileira - In Memoriam e Wikipédia

Ruth Romcy

RUTH ROMCY
(80 anos)
Atriz e Humorista

* (12/05/1927)
+ São Paulo, SP (06/09/2007)

Ficou famosa pela suas participações no quadro Câmera Escondida do programa Topa Tudo Por Dinheiro, do SBT (razão pela qual ficou conhecida como Rainha das Pegadinhas). Também participou de Esmeralda, telenovela produzida pela emissora. Nos últimos tempos, Romcy podia ser vista no Show do Tom (Record), Comando Maluco e A Praça é Nossa (SBT).

A atriz também participou da novela "Esmeralda" (2004), apresentada no SBT e dos programas “Show do Tom” (Record), “A Praça É Nossa” e “Dedé e o Comando Maluco” (ambos do SBT).

A comediante deixou três filhos, quatro netos e três bisnetos.

Ela estava internada na UTI do Hospital São Camilo, devido a uma infecção pulmonar. Não resistiu, e sofreu falência múltipla dos órgãos.

Fonte: Dramaturgia Brasileira - In Memoriam

Suely May

JULIETA RIBEIRO BARBOSA
(88 anos)
Atriz e Humorista

☼ São Paulo (1920)
┼ Rio de Janeiro, RJ (29/08/2008)

Julieta Ribeiro Barbosa mais conhecida pelo nome artístico de Suely May foi uma atriz e humorista nascida em São Paulo no ano de 1920.

Seu papel mais marcante foi no humorístico programa "Chico City", no qual viveu a personagem Terta, mulher de Pantaleão, Chico Anysio, durante 10 anos.

A última participação de Suely May em televisão foi na telenovela "Da Cor do Pecado" em 2004.

Suely May tinha contrato vitalício com a TV Globo.

Morte

Suely May morreu na madrugada de sexta-feira, 29/08/2008, aos 88 anos. Segundo informações iniciais, ela foi vítima de um câncer e septcemia, infecção generalizada. Suely May estava internada na Ordem Terceira da Penitência, na Zona Norte. 

 O corpo de Suely May foi velado na capela 5 do Memorial do Carmo.

O sepultamento ocorreu às 16h00 do dia 29/08/2008, no cemitério São Francisco Xavier, no Caju, Zona Portuária do Rio de Janeiro.

Fonte: Gazeta do Povo

Renata Fronzi

RENATA MIRRA ANA MARIA FRONZI LADEIRA
(82 anos)
Atriz

☼ Santa Fé, Argentina (01/08/1925)
┼ Rio de Janeiro, RJ (15/04/2008)

Renata Mirra Ana Maria Fronzi foi uma atriz nascida em Santa Fé, Argentina, no dia 01/08/1925. Filha de dois atores italianos radicados no Brasil, Cesare Fronzi e Iolanda VernatiRenata Fronzi começou sua carreira como bailarina no Teatro Municipal de São Paulo.

Começou sua carreira no teatro na cidade paulista de Santos, SP, onde a família havia se estabelecido. Fez diversas peças de teatro na companhia de teatro de Eva Todor, tornando-se conhecida vedete do teatro de revista ou rebolado e trabalhou com o lendário Walter Pinto.

No fim da década de 40, Renata Fronzi casou-se com o locutor de rádio César Ladeira.


Em 1946 estreou no filme "Fantasma por Acaso" e atuou em diversos títulos do cinema, tendo sido uma das estrelas da Atlântida Cinematográfica. Atuou também em filmes de Carlos Manga. Seu último filme foi "Coisa de Mulher", com Adriane Galisteu, produzido em 2005.

O auge de popularidade de sua carreira foi a personagem Helena, no célebre teleteatro de comédia intitulado "Família Trapo", na TV Record, Canal 7 de São Paulo, atual Rede Record, em que dividia o palco com Jô Soares, Ronald Golias, Otelo Zeloni, Cidinha Campos e Ricardo Corte Real.

Nos anos 80 voltaria a trabalhar com Ronald Golias, no programa do "Bronco" exibido pela TV Bandeirantes.

Na TV Globo, teve momentos marcantes nas novelas "Jogo da Vida" (1981) e "Corpo a Corpo" (1984). Sua última participação foi na temporada de 1996 da série "Malhação".

Morte

Renata Fronzi faleceu aos 82 anos vítima da síndrome de disfunção múltipla de órgãos, que foi provocada pela diabetes, em 15/04/2008, no Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro. Ela estava internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital desde 01/04/2008.

Renata Fronzi era viúva de César Ladeira e mãe de César Ladeira Filho e do músico Renato Ladeira.

Carreira

Televisão

  • 1956 - Teatrinho Trol ... Vários Personagens
  • 1966 - O Rei dos Ciganos ... Tânia
  • 1967 a 1971 - Família Trapo ... Helena
  • 1970 - Faça Humor, Não Faça Guerra ... Vários Personagens
  • 1971 - Minha Doce Namorada ... Marianita
  • 1973 - O Semideus ... Paloma Figueira
  • 1974 - Corrida do Ouro ... Suzana
  • 1978 - Pecado Rasgado ... Rachel
  • 1980 - Chega Mais ... Águida
  • 1980 - Dulcinéa Vai à Guerra ... Ludmila
  • 1981 - Jogo da Vida ... Aurélia Creonte
  • 1983 - Pão Pão, Beijo Beijo ... Loreta Cantarelli
  • 1984 - Transas e Caretas ... Sônia (Participação Especial)
  • 1984 - Corpo a Corpo ... Zoraide Motta
  • 1985 a 1989 - Bronco ... Helena Dinozzauro
  • 1990 - A História de Ana Raio e Zé Trovão ... Gióia (Participação Especial)
  • 1990 - Mico Preto ... Amelinha
  • 1994 - Memorial de Maria Moura ... Aldenora
  • 1996 - Malhação ... Dona Jasmin
  • 1997 - Malhação ... Jasmin
  • 1999 e 2000 - Zorra Total ... Vários Personagens

Cinema

  • 1946 - Fantasma por Acaso
  • 1955 - Carnaval em Lá Maior ... Lola (Participação Especial)
  • 1957 - Garotas e Samba
  • 1957 - De Pernas pro Ar
  • 1957 - Treze Cadeiras
  • 1958 - Pé na Tábua
  • 1958 - É de Chuá!
  • 1960 - Pistoleiro Bossa Nova
  • 1960 - Vai Que é Mole
  • 1960 - Marido de Mulher Boa
  • 1970 - Salário Mínimo
  • 1970 - Como Ganhar na Loteria sem Perder a Esportiva
  • 2001 - Copacabana
  • 2002 - Dead In The Water
  • 2005 - Coisa de Mulher


Fonte: Wikipédia

Ivan Senna

IVAN SENNA
(73 anos)
Ator e Humorista

☼ Rio de Janeiro, RJ (1936)
┼ Rio de Janeiro, RJ (09/05/2009)

Ivan Senna foi um ator e humorista brasileiro nascido no Rio de janeiro, RJ, em 1936. Ivan Senna começou na vida artística com Dulcina de Moraes na Fundação Brasileira de Teatro, de quem se tornou grande amigo e braço direito, ajudando-a a levar seus cursos até Brasília.

Ivan Senna iniciou profissionalmente em 1954 na Peça "O Anjo" e daí em diante não parou mais, quer seja em teatro ou na televisão, onde brilhou por muitos anos no "Sítio do Pica Amarelo" da TV Globo e no cinema.

Ivan Senna deu vida ao João Perfeito do "Sítio do Pica Amarelo" de 1979 até o final da série em 1986. Após o "Sítio do Pica Amarelo", Ivan Senna participou de algumas novelas como "Carmem" (1987) na TV Manchete, e "Bebê a Bordo" (1988) na TV Globo.

Atuou ao lado dos grandes nomes do cenário artístico nacional e soube deixar uma imagem que todos reverenciam: Um ótimo colega que trazia alegria onde quer que chegasse. Segundo amigos e colegas, Ivan Senna tinha rara habilidade e simpatia de levantar o astral de onde quer que chegasse. Sempre de bom humor, mesmo nas piores fases da doença, era divertidíssimo não só nos palcos como nos camarins, nas reuniões com os amigos e nos ensaios.

Ivan Senna sempre teve todo o apoio dos familiares. Nos últimos e difíceis tempos, fazia questão de enaltecer e falar com profundo agradecimento da ajuda recebida de três grandes amigos que o ajudaram de todas as maneiras possíveis: Suely Franco, Ary Fontoura e Leandro Ribeiro.

Ivan Senna faleceuno Rio de Janeiro, RJ, no dia 09/05/2009, aos 73 anos, após longa enfermidade de causas não reveladas.

Ida Gomes

IDA SZAFRAN
(84 anos)
Atriz e Dubladora

☼ Kraśnik, Polônia (25/09/1924)
┼ Rio de Janeiro, RJ (22/02/2009)

Ida Szafran, mais conhecida como Ida Gomes, foi uma atriz e dubladora polonesa naturalizada brasileira.

Nascida na Polônia, passou seus primeiros 13 anos na França, para onde sua família se transferiu em 1924. Em Paris, aperfeiçoou a língua materna, o francês, e teve contato a dramaturgia clássica francesa do século XVII, Racine, Corneille e Molière.

Transferiu-se para o Brasil com a família no fim dos anos 1930.

Em 1938, incentivada pela mãe, participou e venceu um concurso de talentos lendo uma poesia no programa de Celso Guimarães na Rádio Tupi, onde assinou contrato para trabalhar em radionovelas, adotando o nome Ida Gomes.

Durante 20 anos, trabalhou como radioatriz, passando pela Rádio Tupi, Rádio Globo, onde integrou ao elenco de Amaral Gurgel, e pela Rádio Nacional, que vivia no auge da sua programação.

Em 1948, com uma bolsa de estudos, foi para os Estados Unidos e, em 1951, seguiu para um estágio como locutora na Rádio BBC em Londres.

De volta ao Brasil, em 1953, iniciou sua carreira na televisão, entrando para a TV Tupi, onde atuou no "Grande Teatro Tupi", teleteatro dirigido por Sérgio Britto, e no "Câmera Um", seriado dirigido por Jacy Campos que encenava contos de terror. Atuou também nas novelas "Coração Delator" (1954) e "A Canção de Bernadete" (1957).


Estreou nos palcos em 1957 no Teatro do Estudante, de Paschoal Carlos Magno com as peças "O Primo da Califórnia", de Joaquim Manuel de Macedo e "Catarina da Rússia", ao lado do galã Herval Rossano.

No cinema, estreou em 1963 no filme "Bonitinha, Mas Ordinária". Atua em outros grandes sucessos como "O Mundo Alegre de Helô" (1967), "A Penúltima Donzela" (1969), "O Casal" (1975), "Copacabana" (2001), dentre outros.

Estreou em 1967 na TV Globo em "A Rainha Louca". Atuou em várias telenovelas e minisséries da emissora, interpretando personagens inesquecíveis como a anciã rainha Sílvia Candiano em "A Ponte dos Suspiros" (1968), a inescrupulosa Jandira Serrano em "Verão Vermelho" (1969), a divertida Madre Encarnación em "Estúpido Cupido" (1976), a solteirona Tia Magda em "O Astro" (1977), a grã-fina Zizi de La Rocha em "Memórias de um Gigolô" (1986), dentre tantos outros.

Em 1973, interpretou o seu maior sucesso na televisão, a impagável Dorotéia Cajazeira, uma das três Irmãs Cajazeiras - as outras eram vividas pelas atrizes Dirce Migliaccio e Dorinha Duval -, solteironas reprimidas, amigas do prefeito de Sucupira, e que defendiam a moral e os bons costumes, com certa hipocrisia - de "O Bem-Amado", primeira novela em cores, escrita por Dias Gomes e dirigida por Régis Cardoso. O sucesso da novela foi tão grande que ganhou formato de seriado sete anos depois, com Ida Gomes e os mesmos protagonistas: Paulo GracindoLima DuarteEmiliano Queiroz e Dirce Migliaccio.

Em 1986, trabalhou na peça "Lily, Lily", que lhe rendeu alguns prêmios.

Em 1989, fundou o Teatro Israelita de Comédia, para difundir a obra e a dramaturgia de autores judeus.


Apesar de judia, Ida Gomes foi uma das atrizes mais escaladas para viver freiras na TV. Em entrevista a Jô Soares em seu "Programa do Jô", em 2001, Ida Gomes declarou, brincando, quando o apresentador lhe fez uma pergunta sobre as suas freiras na televisão:

"Eu sou judia, mas sempre me chamam para fazer a irmã de caridade, a madre superiora. A Globo tentou me converter mas não conseguiu!"

Em 2003, atuou no espetáculo "Tio Vânia", de Tchecov, com direção de Aderbal Freire Filho.

Em 2006, fez parte do elenco de "Rainha Esther", com direção de Leon Góes.

Entre 2007 e 2009, participou de "7, o Musical", seu último trabalho no teatro, da dupla Charles Möeller e Cláudio Botelho.

Seu trabalho mais recente na TV foi na primeira fase da minissérie "JK", na qual era a Irmã Maria, uma freira francesa radicada em Minas Gerais que ajudava o médico Juscelino Kubitschek, então Wagner Moura, a cuidar dos feridos na batalha militar entre os Estados de Minas e São Paulo.

Paralelo à televisão, fez dublagens e integrou o elenco estelar da Cine Castro, dirigida por Carla Civelli, onde dublou ao lado de Nathalia Timberg, Alberto Pérez, Cláudio Corrêa e Castro, Ângela Bonatti, José Miziara, Daniel Filho e Cláudio Cavalcanti. Tornou-se a voz oficial de Bette Davis e Joan Crawford em seus principais desempenhos no cinema para as versões na televisão.

Criadora de personagens marcantes na televisão e no teatro, dedicou-se integralmente à carreira e ao convívio com os amigos, sendo considerada por todos uma mulher de forte personalidade e de talento comprovado.

Era irmã do ator Felipe Wagner e tia da atriz Débora Olivieri e do músico Daniel Szafran.

Morte

Ida Gomes faleceu em 22/11/2009, vítima de uma parada cardíaca, consequência de uma pneumonia, aos 85 anos de idade e 65 de carreira, no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro. Foi sepultada em São João de Meriti.

Ida Gomes já tinha sido escolhida como a grande homenageada da 21ª edição do Prêmio Shell de Teatro do Rio, pela contribuição ao teatro brasileiro. De acordo com parentes, ela estava preparando o discurso de agradecimento com muita alegria.

Carreira

Televisão

  • 1951 - Grande Teatro Tupi ... Vários Personagens
  • 1953 - Coração Delator ... Noca
  • 1957 - A Canção de Bernadete ... Irmã Má
  • 1967 - A Rainha Louca ... Astrid
  • 1968 - A Gata de Vison ... Rose Parker
  • 1968 - A Ponte dos Suspiros ... Rainha Sílvia Candiano
  • 1969 - A Última Valsa ... Condessa Matilde
  • 1969 - Verão Vermelho ... Jandira Serrano
  • 1970 - Pigmalião 70 ... Júlia
  • 1970 - A Próxima Atração ... Zilda
  • 1971 - O Homem que Deve Morrer ... Júlia
  • 1972 - Selva de Pedra ... Mme. Heloise Katzuki
  • 1972 - Caso Especial - "A Dama das Camélias"
  • 1973 - O Bem-Amado ... Dorotéia Cajazeira
  • 1974 - Fogo Sobre Terra ... Frida
  • 1974 - Caso Especial "Enquanto a Cegonha Não Vem"
  • 1974 - Caso Especial "Feliz na Ilusão"
  • 1975 - Helena ... Úrsula
  • 1975 - Senhora ... Emília Camargo
  • 1975 - O Grito ... Branca
  • 1976 - Estúpido Cupido ... Madre Encarnación
  • 1977 - Dona Xepa ... Isabel Becker
  • 1977 - O Astro ... Tia Magda
  • 1978 - Pecado Rasgado ... Aída
  • 1980 - O Bem-Amado ... Dorotéia Cajazeira
  • 1984 - O Bem-Amado ... Dorotéia Cajazeira
  • 1985 - De Quina Pra Lua ... Urânia
  • 1986 - Memórias de um Gigolô ... Zizi de La Rocha
  • 1986 - Hipertensão ... Ma Mére
  • 1987 - Expresso Brasil ... Dorotéia Cajazeira
  • 1989 - República ... Dona Marianinha da Fonseca
  • 1990 - Gente Fina ... Eudóxia
  • 1992 - Você Decide "Achados e Perdidos"
  • 1992 - De Corpo e Alma ... Bela Lopes Jordão
  • 1994 - Você Decide "Anjos Sem Asas"
  • 1995 - Você Decide "O Gosto da Vingança"
  • 1995 - Cara e Coroa ... Irmã Domitília
  • 1998 - Você Decide "O Rapto da Sogra"
  • 1999 - Você Decide "Dupla Traição"
  • 2001 - A Padroeira ... Zuleika
  • 2003 - Os Normais "O Magnífico Antepenúltimo" ... Dona Mimi
  • 2005 - A Diarista "Asilo é se Lhe Parece" ... Dona Amélia
  • 2006 - Sob Nova Direção "Fiança Esperança" ... Tia Esmeralda
  • 2006 - JK ... Irmã Maria


Cinema

  • 1963 - Bonitinha Mas Ordinária
  • 1967 - O Mundo Alegre de Helô
  • 1969 - A Penúltima Donzela
  • 1975 - O Casal
  • 1977 - O Seminarista
  • 1979 - Amante Latino
  • 1988 - Primeiro de Abril, Brasil
  • 2001 - Copacabana
  • 2003 - My Father, Rua Alguém 5555
  • 2006 - O Amigo Invisível


Teatro

  • 1957 - O Primo da Califórnia
  • 1958 - Catarina da Rússia
  • 1965 - As Feiticeiras de Salém
  • 1971 - Um Violinista no Telhado
  • 1978 - A Pequena Loja de Horrores
  • 1986 - Lily, Lily
  • 1990 - No Natal a Gente Vem te Buscar!
  • 1991 - A Fada Mofada
  • 2002 - Bodas de Ouro
  • 2003 - O Avarento
  • 2003/2004 - Tio Vânia
  • 2006 - Rainha Esther
  • 2007 - Sete, O Musical
  • 2009 - Sete, O Musical


Dublagens

  • Todas os trabalhos de Joan Crawford
  • Todos os trabalhos de Bette Davis
  • Irmã Maria Teresa Vauzous (Gladys Cooper) em "A Canção de Bernadette"
  • Madame Medusa (Geraldine Page) em "Bernardo e Bianca"
  • Madame Min (Martha Wentworth) em "A Espada Era a Lei"
  • Tia Esponja (Miriam Margolyes) em "James e o Pêssego Gigante"


Fonte: Wikipédia

Pitoco

HÉLIO EDUARDO AFONSO
(39 anos)
Humorista

☼ Santo André, SP (02/06/1970)
┼ São Paulo, SP (10/06/2009)

Pitoco, nome artístico de Hélio Eduardo Afonso, foi um humorista brasileiro nascido em Santo André, SP, no dia 02/06/1970, que atuou no SBT e na Rede Record ao lado da apresentadora Eliana.

Natural de Santo André, interior de São Paulo, Hélio Eduardo Afonso foi acompanhar um amigo em um teste realizado pelo SBT, no final dos anos 90, quando acabou contratado. No programa infantil "Bom Dia & Cia.", Afonso interpretava o Melocoton, uma espécie de minhoca cor de rosa. Com a saída de Eliana da emissora, em 1998, mudou junto com a apresentadora para a TV Record, para ser seu assistente de palco nos programas infantis.

Ganhou destaque como o personagem Pitoco, ao lado de Edison Oliveira da Silva, o Chiquinho, no matinal "Eliana na Fábrica Maluca" e no vespertino "Programa Eliana".

Com o fim da parceria, esteve no humorístico "Show do Tom" e em peças infantis, como "O Pequeno Polegar", seu último trabalho.

Morte

Hélio Eduardo Afonso faleceu no dia 10/06/2009, aos 39 anos, no Hospital das Clínicas em São Paulo, SP, vítima de uma hemorragia interna. Ele sofria de hepatite C.

Fonte: Wikipédia