Severiano Ribeiro

LUIZ SEVERIANO RIBEIRO FILHO
(88 anos)
Empresário

* Baturité, CE (03/06/1886)
+ Rio de Janeiro, RJ (01/12/1974)

Foi o fundador do Grupo Severiano Ribeiro.

Filho do médico Luiz Severiano Ribeiro e Maria Felícia Caracas, teve duas irmãs: Alice e Maria.

Aos 10 anos vai estudar no Seminário Episcopal de Fortaleza (Seminário da Prainha) na Praia Formosa. Apesar de ser religioso, não tinha vocação para o sacerdócio e fugiu do Seminário. Aos 18 anos é embarcado para o Rio de Janeiro e matriculado na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro.

Em 1904, decepcionado com a medicina diante da morte da mãe, Severiano Ribeiro abandonou os estudos e logo voltou e estabeleceu-se no Ceará.

Com a morte do pai em 1916, ele excluiu Filho do seu nome.

O Empresário

Com uma vocação comercial incontestável, Luiz Severiano Ribeiro antes de entrar no mercado de cinema, teve uma livraria, um empório em Fortaleza e outro em Recife, além de hotéis, cafés e outros empreendimentos. À frente de seu tempo, em 1914, Severiano Ribeiro decidiu criar uma nova empresa nos moldes de uma holding, a fim de centralizar a administração de todos os seus negócios.

Seu primeiro contato com a projeção de imagens aconteceu no Circo Pery, quando ainda era jovem. A partir de 1908, quando foi inaugurado o primeiro cinema fixo de Fortaleza, o Cinematographo Art-Nouveau, do italiano Victor Di Maio, passou a acompanhar o ramo de exibição de filmes.

Um ano após promover grande reforma no Cinematographo Art-Nouveau, sufocado pela forte concorrência, Victor Di Maio deixa o Ceará. Severiano Ribeiro arrenda o local, realizando projeções diárias em horários sincronizados com o Café Riche. Logo em seguida, decide fechar o café e abrir no local um cinema com o mesmo nome. O Cine Riche, uma sociedade com o também empresário Alfredo Salgado, é inaugurado em dezembro de 1915.

Luiz Severiano Ribeiro não considerou o Cine Riche como seu primeiro cinema. A terrível seca daquele ano, aliado à concorrência acirrada e à oferta precária de filmes deixou o mercado em uma situação difícil. O empresário foi em busca de uma solução e apresentou uma estratégia que considerava a melhor para aquecer o capital de giro das empresas: arrendar os cinemas pelo período mínimo de cinco anos, pagando uma renda fixa aos proprietários, mas com a condição dos demais exibidores não abrirem outro cinema em Fortaleza ou imediações.


Década de 20

Luiz Severiano Ribeiro se estabelece no Rio de Janeiro, alugando um palacete de três andares para a sua família. À frente de seu tempo, associa-se à americana Metro-Goldwyn-Mayer, fechando a primeira Joint Venture da história do grupo. No acordo, a companhia fica responsável pelas reformas das casas e pelo fornecimento de filmes, enquanto a empresa brasileira ficava a cargo do arrendamento e administração dos cinemas. A parceria durou quatro anos e foi desfeita em comum acordo.

É inaugurado o Cine Odeon, no Centro do Rio de Janeiro. E, o Cine Palácio, na Cinelândia, Rio de Janeiro, torna-se o primeiro cinema carioca a exibir um filme sonoro.

Década de 30

Severiano Ribeiro, junto a outros exibidores cariocas, funda o Sindicato Cinematográfico dos Exibidores e é eleito presidente. É inaugurado na Praça Duque de Caxias, hoje Largo do Machado, o Cinema São Luiz. Com capacidade para 1.794 espectadores, a sua abertura marcou a história da cidade. A sala foi a primeira a exibir lançamentos fora do centro do Rio de Janeiro, desenhando um novo cenário na geografia do mercado de exibição. Localizado próximo ao Palácio do Catete, residência oficial do então presidente Getúlio Vargas, o cinema foi decorado com todos os requintes a que se tinha direito, misturando a imponência do mármore aos cristais e espelhos tão em voga na época. Já a sala de projeção foi inspirada na do Radio City, de Nova York. O empreendimento consumiu todas as economias de Luiz Severiano Ribeiro, que investiu pesado para erguer um dos mais bonitos palácios cinematográficos do Rio de Janeiro.

Em 3 de setembro de 1938, Bloqueio, com Henry Fonda, mostra pela primeira vez aos cariocas o que o Cine Roxy oferecia. A sala permitia, além da exibição de filmes, a apresentação de espetáculos de variedades. O palco do Cine Roxy possuía duas escadas laterais e um fosso destinado às orquestras.

Década de 40

O Cine Rex, em Fortaleza, é reaberto como uma empresa de Luiz Severiano. O filme O Sabotador, de Alfred Hitchcock, leva o público ao delírio. Os freqüentadores do local eram chamados de "Geração Rex". O ator José Lewgoy passou por um momento inesquecível no Cine São Luiz, Rio de Janeiro, no lançamento de Carnaval de Fogo. Desconhecido até então, o ator entrou tranqüilamente para assistir ao filme, mas na saída, teve que ser escoltado pela polícia. Os fãs alvoroçados, mais de mil pessoas, queriam um autógrafo a todo custo.

Década de 50

O Cine Palácio foi cenário de mais uma evolução da indústria cinematográfica. Nesta década, lançava com exclusividade no Brasil o Cinemascope, com o filme O Manto Sagrado.

Inaugurados os cines São Luiz de Recife, Cine São Luiz de Fortaleza – a obra demorou 20 anos para ser finalizada - e Leblon, Rio de Janeiro. O cine Cine São Luiz de Fortaleza foi uma homenagem pessoal de Severiano Ribeiro para a cidade. No de Recife, o destaque é um mural do renomado artista Lula Cardoso Ayres no saguão do local.

Segunda Joint Venture na trajetória da empresa. A parceria com a 20th Century Fox era para operar dois cinemas: Cine Palácio, no Rio de Janeiro, e Cine Marrocos, em São Paulo, em sociedade com Lucídio Seravolo.

O roqueiro Bill Halley levou a platéia do Rian, no Rio de Janeiro, ao delírio na apresentação do filme No Balanço das Horas (Rock Around The Clock). O público assistiu a produção, dançando o rock'n roll e transformando o cinema em uma pista de dança.

Década de 60

O Cine Roxy mostra para seus freqüentadores a tela em curva do Cinerama. No Cine São Luiz, do Rio de Janeiro, na avant premiére do O Pagador de Promessas, vencedor do Festival de Cannes, a platéia ficou emocionada com a chegada do diretor Anselmo Duarte, o elenco do filme, juntos com o produtor Osvaldo Massaini, que carregava a Palma de Ouro. Eles foram recebidos ao som de mais de mil vozes cantando o hino nacional. O Cine Majestic, no Ceará, primeiro do grupo, é destruído por um incêndio.

Década de 70

Dois cinemas de rua no Rio de Janeiro passam por reformas e são divididos em duas salas de projeção: Cine Leblon e Cine Palácio.

Luiz Severiano Ribeiro morre vítima de uma Parada Cardiorrespiratória no dia 01/12/1974.

Década de 80

Com as obras de construção do metrô no Rio de Janeiro, o Cine São Luiz acabou sendo fechado e demolido. Logo no ano seguinte, começou a ser construído o Edifício São Luiz e o cinema foi reaberto.

Na década de 80 começou a migração dos cinemas de rua para dentro dos shoppings centers. Criada a terceira Joint Venture: a Paris-Severiano Ribeiro, com o lançamento do primeiro multiplex brasileiro, com oito salas no Park Shopping, de Brasília.

Década de 90

O Cine Roxy, no Rio de Janeiro, passa por uma reforma e reabre com três salas de exibição.

O Grupo Severiano Ribeiro e a United Cinemas International fecham uma parceria e inauguram os cinemas Recife Shopping (de 10 salas) e o Shoppping Tacaruna (oito salas), formando a quarta Joint Venture.

Anos 2000

O Cine São Luiz, Rio de Janeiro, passa por uma reforma e reabre em janeiro do ano seguinte completamente remodelado: com mais duas salas, totalizando quatro, o Café São Luiz, novas bilheterias e bomboniéres.

O grupo estréia em São Paulo com uma nova marca, que passa a dar nome aos seus cinemas equipados com tecnologia de última geração. Lançamento da marca Kinoplex no Shopping Parque Dom Pedro, em Campinas, em um complexo com 15 salas de projeção. Em seguida, o Grupo Severiano Ribeiro abre seu primeiro empreendimento na capital, o Kinoplex Itaim. Inaugura também o Kinoplex Praia da Costa, em Vila Velha, Espírito Santo, e o cinema no Shopping Iguatemi, de Fortaleza, em parceria com a United Cinemas International.

Em 2006, a marca Kinoplex estréia no Rio de Janeiro: em julho abriu o Kinoplex Nova América, na zona norte, e em dezembro, o Kinoplex Leblon, na zona sul da cidade. No início deste ano, o Grupo Severiano Ribeiro abriu UCI Kinoplex, na zona norte do Rio de Janeiro. O cinema é equipado com a tecnologia 3D.