Helena Meirelles

HELENA MEIRELLES
(81 anos)
Cantora, Compositora e Instrumentista

Bataguassu, MS (13/08/1924)
+ Presidente Epitácio, SP (29/09/2005)

Instrumentista brasileira nascida na Fazenda Jararaca, que ficava na Estrada Boiadeira, que liga Campo Grande ao porto 15 do Rio Paraná, divisa com o estado de São Paulo, reconhecida mundialmente por seu talento como tocadora da denominada viola caipira, considerada a melhor violeira do mundo, sendo comparada a astros como Keith Richards, do Rolling Stones, e Eric Clapton

Filha do boiadeiro paraguaio Ovídio Pereira da Silva e da mato-grossense Ramona Vaz Meirelles, apesar de nascer e crescer em uma época em que a viola era um instrumento proibido às mulheres, seu mundo não existiria sem esse instrumento. Cresceu rodeada de peões, comitivas e violeiros pantaneiros. Aprendeu a tocar sozinha e escondida, fugiu de casa aos 15 anos e teve o primeiro filho aos 17, de seu primeiro marido, com quem teve mais dois e viveu 8 anos.

Helena Meirelles é comparada a astros como Keith Richards e Eric Clapton
Começou a surpreender desde jovem quando chegava e tocava até de graça em festas, bailes e bares de Mato Grosso do Sul e no interior oeste do Estado de São Paulo. Sua música seguiu os ritmos de sua região, com influências paraguaias, entre eles, chamamé, rasqueado e polca.

Reconhecida pelos sul-mato-grossenses como expressão das raízes e da cultura da região, começou a ser divulgada fora de sua região, quando foi apresentada em 1980 por Inezita Barroso no seu programa "Mutirão", na Rádio USP de São Paulo, tocando ao vivo e mostrando seu trabalho. Depois a mesma Inezita Barroso apresentou a violeira em seu programa de música caipira "Viola, Minha Viola", na TV Cultura.

Alzira Espíndola, Helena Meirelles e Tetê Espíndola
Depois dessas oportunidades, gravou uma fita, mas não recebeu atenção dos diversos meios de comunicação onde tentou a divulgação. Na década seguinte, em 1992, teve nova oportunidade ao se apresentar ao lado de Inezita Barroso e da dupla Pena Branca & Xavantinho, no Teatro do Sesc, em São Paulo. Porém, como muitas vezes acontece, o reconhecimento da violeira veio de fora do Brasil.

Tudo começou quando um sobrinho de Helena Meirelles enviou para uma revista especializada norte-americana, uma fita com gravações feitas de maneira praticamente amadora. Assim, no ano seguinte, aos 69 anos, a revista estadunidense Guitar Player a escolheu como Instrumentista Revelação do Ano, com o Prêmio Spotlight (1993),  por sua atuação nas violas de seis, oito, dez e doze cordas.

Foi um extraordinário prêmio para quem, injustamente, antes não obtivera o merecido reconhecimento em seu país, talvez por puro preconceito contra sua arte. Desde então passou a ser observada e valorizada por onde passou, tendo inclusive, no mesmo ano participado de um grande show em São Paulo com a dupla Tonico & Tinoco e, nos anos seguintes, gravou vários CDs.


Morte

Aos 81 anos, esteve internada na Santa Casa de Campo Grande, Estado do Mato Grosso do Sul, por dez dias  para tratar uma pneumonia aguda crônica. Chegou a ficar na UTI, respirando com o auxílio de aparelhos. Na terça-feira, dia 27/09/2005, já se alimentando por via oral e sem necessitar de aparelhos para respirar, teve alta e foi para casa.

Morreu dois dias depois de receber alta, na madrugada de 29/09/2005, aos 81 anos, vítima de Parada Cardiorrespiratória. Seu corpo foi velado no cemitério Parque das Paineiras.

Helena Meirelles era analfabeta e autodidata, foi casada três vezes e teve 11 filhos.


Discografia

  • 1994 - Helena Meirelles
  • 1996 - Flor de Guavira
  • 1997 - Raiz Pantaneira
  • 2003 - De Volta ao Pantanal

Laura de Vison

NORBERTO CHUCRI DAVID
(67 anos)
Ator, Professor e Transformista

* Rio de Janeiro, RJ (07/09/1939)
+ Rio de Janeiro, RJ (08/07/2007)

Norberto Chucri David, artisticamente Laura de Vison, foi um ator e transformista brasileiro.

Carioca do Engenho de Dentro, filho de pais libaneses que comercializavam tecidos com a ajuda dos filhos, Norberto estudou na Faculdade Nacional de Filosofia e licenciou-se em filosofia, psicologia e história. Como Norberto, viveu profissionalmente como professor de História em escolas públicas e particulares do Rio de Janeiro. Como professor, usava paletó e gravata, diariamente, mas não era sempre convencional. Certa vez, chegou a se vestir de Cleópatra para explicar a História do Egito.

Considerada a musa do underground carioca, Laura de Vison fez muito sucesso nas décadas de 70, 80 e 90 como transformista. Seu nome artístico surgiu ainda na década de 60 quando desfilava de biquíni e casaco de pele no Carnaval carioca. Até recentemente, Laura de Vison fazia shows na cena LGBT carioca e suas aparições eram sempre muito festejadas.

Norberto Chucri David

Um de seus principais palcos foi o Bar Boêmio, no Centro do Rio de Janeiro. Ali, era aplaudida por turistas, antropólogos, sociólogos, atores, cantores e personalidades internacionais, como o estilista Jean Paul Gaultier. Quando soube que Laura de Vison lecionava história e moral e cívica, Jean Paul Gaultier ficou pasmo: "Interessante essa faceta dupla, isso não seria permitido pela moral francesa", declarou à imprensa.

 Com reconhecimento internacional, principalmente pelo seu estilo exótico de se montar, Laura de Vison a ser capa da revista americana "Out Look".

Após 18 anos como professor no Colégio Cenecista Capitão Lemos Cunha, na Ilha do Governador, no Rio de Janeiro, perdeu o emprego porque respondeu às perguntas dos alunos sobre a transmissão sexual da AIDS. Na década de 1970 foi presa por homofobia, segundo ela "simplesmente por ser gay". Ficou dez dias em uma cela que lhe rendeu uma grande experiência de vida.

Muito profissional, em "O Fantasma da Ópera" chegou a comer o cérebro do fantasma: dois miolos crus, com quase 300 gramas. Laura de Vison geralmente era comparada a drag queen americana Divine, atriz preferida do diretor John Waters no longa metragem Pink Flamingos (1972) por suas performances bizarras e incomuns.

Durante sua carreira, Laura atuou em oito filme, entre curtas e longas, inclusive no premiado "Cazuza, o Tempo Não Para", onde viveu a si mesma. Seu último trabalho foi a peça teatral "Dei a Elza Em Você", em 2006. No espetáculo, três drag-queens decadentes decidem montar um show com rapazes musculosos.


Morte

Laura de Vison faleceu no dia 8 de julho de 2007 vítima de Insuficiência Cardiorrespiratória decorrente de complicações de uma cirurgia para tratamento de problemas de Hérnia. O enterro aconteceu no dia posterior, às 14:00 hs, no cemitério de Inhaúma, no Rio de Janeiro. Deixou irmãos, sobrinhos, amigos, "afilhados" e uma legião de fãs. 

Filmografia
  • 2005 - Mamãe Parabólica
  • 2005 - Laura, Laura
  • 2004 - Cazuza - O Tempo Não Pára
  • 2001 - Memórias Póstumas
  • 1999 - Você Decide (Episódio: Ninguém é Perfeito)
  • 1994 - Incidente em Antares … Cantora Garcia  (Minissérie)
  • 1987 - No Rio Vale Tudo (Si Tu Vas à Rio… Tu Meurs)
  • 1985 - Noite

Prêmios

  • Medalha de Ouro no Festival du Court-Métrage de Bruxelles, na Bélgica, em virtude do filme "O Bigode da Aranha"
  • Candango de Ouro, em Brasília, e Sol de Prata, no Fest Rio, na categoria de melhor ator em "Mamãe Parabólica"

Fonte: Wikipédia