Reginaldo Rossi

REGINALDO RODRIGUES DOS SANTOS ROSSI
(69 anos)
Cantor e Compositor

* Recife, PE (14/02/1944)
+ Recife, PE (20/12/2013)

Reginaldo Rodrigues dos Santos Rossi, foi um cantor e compositor brasileiro, conhecido como o "Rei do Brega". Nasceu em  14/02/1944, em Recife, PE. Estudou Engenharia Civil por quatro anos e chegou a dar aulas de matemática. Começou a se interessar por música em 1964, ouvindo os Beatles e intérpretes da Jovem Guarda.

Iniciou a carreira em 1964, imitando Roberto Carlos em apresentações em bares e clubes de Recife. Na época, era acompanhado pelo conjunto The Silver Jets.

Em 1966 lançou pela gravadora Chantecler seu primeiro LP, "O Pão", música título composta em parceria com Namir Cury e Orácio Faustino. No ano seguinte lançou o LP "Festa Dos Pães", música título feita em parceria com Waldemar Pimentel, além de outras de sua autoria como "Maior Que Deus" e "Mexerico Dos Quadrados".

Lançou o disco seguinte somente em 1970, já pela gravadora CBS, onde estreou com o LP "A Procura de Você", música de Geraldo Nunes e Clayton. Nesta época, afastou-se do gênero rock e passou a apresentar um repertório dentro do chamado brega-romântico, do qual se tornou um ícone. Lançou ainda mais quatro LPs pela CBS.

Em 1976, passou a gravar pela gravadora Beverly. No ano seguinte lançou o disco "Chega De Promessas", novamente pela CBS.

Ficou sem gravar até 1980, quando foi contratado pela EMI, e gravou o LP "A Volta", com inúmeras composições de sua autoria, entre as quais, "Volta" (Reginaldo Rossi e Dom Pixote), "Uma Tentação" (Reginaldo Rossi e Baby Santiago) e "A Idade Do Lobo".


Seguindo-se nove discos ao longo da década, nos quais gravou, entre outras, "Sua Ausência" (Eduardo Araújo), "A Volta" (Roberto Carlos e Erasmo Carlos). Nesta época já era um fenômeno de vendas no Norte e Nordeste, mas continuava esquecido no eixo Rio-São Paulo.

Em 1987 lançou um de seus maiores sucessos, "Garçon", de sua autoria e que estouraria no sul do país como grande sucesso no final da década de 1990.

Em 1989 lançou o LP "Momentos De Amor", com músicas como "Saí Da Tua Vida" (Chico Roque e Carlos Colla), "Me Tira Da Solidão" (Chico Roque, Telma e Carlos Colla) e "Momentos De Amor", de sua autoria.

Na primeira metade dos anos 1990, lançou apenas um disco, pela modesta gravadora Celim. Em 1998 lançou pela Polydisc o CD "Reginaldo Rossi Ao Vivo", com seus grandes sucessos, entre os quais, "A Raposa e As Uvas", de sua autoria e "Mon Amour, Meu Bem, Ma Femme" (Cleide).

Em 1999, o CD "Reginaldo Rossi The King", contou com a participação de convidados como Wanderléia, Erasmo Carlos, Golden Boys, Solange Corrêa, Rossini Pinto, Roberta Miranda e do grupo de rock Planet Hemp. O disco vendeu 1 milhão de cópias.

Em entrevista à revista Veja, afirmou que se orgulhava de ser rotulado de brega, falava de si em terceira pessoa e se comparava a Mozart. Entre seus maiores sucessos estão "O Pão", "Mon Amour, Meu Bem, Ma Femme", "A Raposa e As Uvas" e "Garçom", esta última a mais pedida em seus shows.

Em 2000, teve a sua música "Garçom", gravada por Roberta Miranda, no álbum ao vivo "A Majestade, o Sabiá", lançado pela Universal Music

Em 2001 lançou um CD ao vivo interpretando, entre outras, "O Dia Do Corno", de sua autoria, "Será Que Foi Saudade?" (Zezé di Camargo) e "Em Plena Lua De Mel" (Clayton e Cleide).


Em 2006, gravou seu primeiro DVD da carreira pela EMI Music, "Reginaldo Rossi - Ao Vivo", cujo repertório, constituído apenas de grandes sucessos, foi escolhido pelo próprio cantor. Entre outras, constaram "O Dia Do Corno", "Eu Devia Te Odiar", "Volta Amor", "Mon Amour, Meu Bem, Ma Femme", além do o mega hit "Garçon"

Em 2007, teve as músicas "Mon Amour, Meu Bem, Ma Femme", "Garçon" e "Dia Do Corno" gravadas pelo cantor Luano do Recife no Cd "Luano do Recife - Simplesmente Brega - Volume 3".

Em 2010, mantendo-se fiel ao estilo romântico exagerado, lançou, novamente pela EMI Music, seu segundo DVD, "Cabaret do Rossi". Na apresentação ao vivo, que contou com um cenário de tecidos aveludados, poltronas vermelhas, entre outros elementos decorativos de um cabaret, fez releituras de grandes sucessos, tais como "Taras & Manias", "Dama De Vermelho", "Boate Azul", "Amor I Love You", "Só Você", além de uma versão inédita da música "I Will Survive". O DVD, que teve produção de Antônio Mojica e Victor Kelly, foi indicado ao 22º Prêmio da Música Brasileira, na categoria melhor álbum de canção popular. No mesmo prêmio, foi o vencedor na categoria de melhor cantor.

Ao longo da carreira recebeu 14 discos de ouro, dois de platina, um de platina duplo e um de diamante. Teve diversas de suas composições gravadas por diferentes cantores e grupos, entre os quais, Mastruz Com Leite, que gravou um CD com suas composições em ritmo de forró.

Reginaldo Rossi tem mais de trezentas composições gravadas e fazia uma média de 25 shows por mês, em todo o Brasil. Sua base é o Recife, PE, mas tem fã-clubes espalhados pelas principais capitais brasileiras: Salvador, Fortaleza, Natal, João Pessoa, Maceió, Brasília, Porto Alegre, São Paulo, Teresina, Manaus, entre outras, onde é conhecido por "O Rei da MBB" (Música Brega Brasileira).

Assim falou Reginaldo Rossi:
"Não sei o que vou cantar e o show vai rolando naturalmente. Eu descontraio o ambiente. Não entro para cantar com maquiagem nem com roupas extravagantes. Sou eu mesmo o tempo todo."
"Sou apenas um Cantor. A diferença entre o brega e o chique só começou a existir depois da década de 60. Quem falasse mal do regime militar era chique."

Outras Atividades

Reginaldo Rossi foi estudante de Engenharia Civil e professor de Física e Matemática. Candidatou-se a deputado estadual de Pernambuco nas eleições de 2010 pelo PDT, sem êxito.

Histórico da Doença

Em 04/12/2013, um nódulo foi retirado da axila direita e submetido à biópsia. No dia 09/12/2013, o cantor passou por um procedimento chamado toracocentese, que retirou dois litros de líquido acumulados entre a pleura e o pulmão. O resultado da biópsia, divulgado no dia 11/12/2013, confirmou o diagnóstico de câncer no pulmão.

Na primeira sessão de quimioterapia, Reginaldo Rossi respondeu mal e precisou de hemodiálise e remédio para controlar a pressão. No final da manhã do dia 12/12/2013, a pressão arterial se estabilizou e o funcionamento dos rins e os exames laboratoriais também melhoraram. A quantidade de remédios para controlar a pressão foi reduzida. Com o primeiro ciclo do tratamento para câncer encerrado, o paciente seria monitorado por 21 dias, quando deveria recomeçar o segundo ciclo.

Morte

Reginaldo Rossi morreu na manhã de 20/12/2013, às 09:40 hs, aos 69 anos. Ele estava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Memorial São José, na área central do Recife, PE, desde 27/11/2013. Na quinta-feira, 19/12/2013, sofreu uma piora no quadro clínico.

Estatísticas
  • 14 discos de ouro
  • 2 discos de platina
  • 1 disco de platina duplo
  • 1 disco de diamante

Discografia

  • 1966 - O Pão (Chantecler)
  • 1967 - Festa Dos Pães (Chantecler)
  • 1968 - O Quente (Chantecler)
  • 1970 - À Procura De Você (CBS)
  • 1971 - Reginaldo Rossi (CBS)
  • 1972 - Nos Teus Braços (CBS)
  • 1973 - Reginaldo Rossi (CBS)
  • 1974 - Reginaldo Rossi (CBS)
  • 1976 - Reginaldo Rossi (Beverly)
  • 1977 - Chega De Promessas (CBS)
  • 1980 - A Volta (EMI)
  • 1981 - Cheio De Amor (EMI)
  • 1982 - A Raposa E As Uvas (EMI)
  • 1983 - Sonha Comigo (EMI)
  • 1984 - Não Consigo Te Esquecer (EMI)
  • 1985 - Só Sei Que Te Quero Bem (EMI)
  • 1986 - Com Todo Coração (EMI)
  • 1987 - Teu Melhor Amigo (EMI)
  • 1989 - Momentos De Amor (EMI)
  • 1990 - O Rei (EMI)
  • 1992 - Reginaldo Rossi (Celim)
  • 1997 - Reginaldo Rossi - Tão Sofrido (Polydisc)
  • 1998 - Reginaldo Rossi Ao Vivo (Polydisc)
  • 1999 - Reginaldo Rossi The King (Sony Music)
  • 1999 - Popularidade - Reginaldo Rossi (Continental)
  • 2000 - Reginaldo Rossi (Sony Music)
  • 2001 - Reginaldo Rossi Ao Vivo (Sony Music)
  • 2001 - Para Sempre - Reginaldo Rossi (EMI)
  • 2003 - Reginaldo Rossi (EMI)
  • 2003 - Ao Vivo, O Melhor Do Brega (Indie Records)
  • 2010 - Cabaret do Rossi

Figueiredo

CLÁUDIO FIGUEIREDO DIZ
(23 anos)
Jogador de Futebol

* São Paulo, SP (23/12/1960)
+ Nova Friburgo, RJ (20/12/1984)

Cláudio Figueiredo Diz, mais conhecido como Figueiredo, foi um jogador de futebol brasileiro, zagueiro do Flamengo, no início dos anos 1980. Vivia com seus pais, Antônio e Suzana, e com os irmãos Antônio e Silvana.

Figueiredo começou a jogar futebol, como dente de leite, no Palmeiras. Aos quinze anos, mudou-se para o Rio de Janeiro, para defender os infantis do Flamengo, que o lançou, em 1979, numa partida contra o Botafogo.

Em um time repleto de estrelas, como o Flamengo do início da década de 1980, Figueiredo não chegava a ser um dos destaques daquela equipe.

"Não é um jogador excepcional, e seu prestígio deve-se em parte ao sobrenome, que insinua um parentesco com o presidente João Figueiredo", escreveu o jornal Folha de S.Paulo no texto sobre o acidente avião que vitimaria o zagueiro em 1984.

Justamente por causa do sobrenome, ele tinha sido escolhido como "padrinho" da recém-criada torcida Fla-Diretas em janeiro de 1984. Assim, ele teria sido o primeiro jogador de futebol a dar apoio à campanha Diretas Já. O sobrenome também valeu-lhe o apelido de "Presidente" entre os jogadores.

Diversas contusões atrapalharam-no ao longo de sua carreira, inclusive em 1983, quando foi considerado pelo então técnico Cláudio Garcia como titular absoluto da quarta-zaga rubro-negra.

Apesar de sua curta carreira, Figueiredo teve a oportunidade de comemorar os Brasileiros de 1980, 1982 e 1983, além da Libertadores da América e do Mundial Interclubes em 1981. Sua última partida com a camisa rubro-negra aconteceu em 01/12/1984, quando o Flamengo foi derrotado pelo Fluminense pelo placar de 2 x 1. Na sua última partida Leandro, que então estava jogando como titular da quarta-zaga, foi deslocado para o meio-campo, e Figueiredo acabou recebendo do técnico Zagallo a camisa 10 do ausente Zico.

Morte

Figueiredo morreu em 20/12/1984, num desastre de avião no Pico da Caledônia, em Nova Friburgo. O monomotor Corisco de prefixo PT-NJS 193 desapareceu após decolar do Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, e só foi localizado um dia depois, a uma altitude de dois metros no Pico da Caledônia, embora os bombeiros só tenham conseguido alcançar o local após mais dois dias, devido às chuvas e à neblina na região. No acidente morreram também Nilton, irmão de Bebeto, uma modelo amiga dos dois jogadores e o piloto.

Figueiredo foi velado a Capela 7 do Cemitério São João Batista, Rio de Janeiro, onde o corpo do jogador foi sepultado.

Em pé: Leandro, Raul, Marinho, Figueiredo, Andrade e Júnior
Agachado: Tita, Adílio, Nunes, Zico e Lico
Títulos

Flamengo
  • Copa Europeia / Sul-Americana: 1981
  • Copa Libertadores da América: 1981
  • Campeonato Brasileiro: 1980, 1982 e 1983
  • Campeonato Carioca: 1981
  • Taça Guanabara: 1980, 1981, 1982 e 1984
  • Taça Rio: 1983

Fonte: Wikipédia

Nuno Roland

REINOLD CORREIA DE OLIVEIRA
(62 anos)
Cantor

* Joinville, SC (01/03/1913)
+ Rio de Janeiro, RJ (20/12/1975)

Reinold Correia de Oliveira, conhecido como Nuno Roland, foi um dos grandes cantores da época de ouro do rádio brasileiro.

Desde pequeno, manifestava senso rítmico e o gosto de cantar. Assim, de calças-curtas, tocava caixa e tarol na banda da cidade paranaense de Teixeira Soares. Com 13 anos, mudou-se para Porto União, em Santa Catarina, onde trabalhou como balconista, telegrafista e bancário.

Depois de servir o Exército em 1931, a convite de um cunhado, mudou-se para Passo Fundo, RS. Iniciou sua carreira artística e conseguiu emprego como cantor e baterista num cassino da cidade.

Na Revolução de 1932, alistou-se como voluntário no 7º Batalhão de Caçadores de Porto Alegre. Veio com sua tropa para São Paulo e nessa ocasião, ficou amigo de outro soldado, Lupicínio Rodrigues, que era crooner da Jazz Band do Batalhão. Nuno Roland relembrava sempre ter sido um dos primeiros a cantar as composições de Lupicínio Rodrigues.  

Numa apresentação do Jazz-Band na Rádio Gaúcha, Nuno Roland se destacou e recebeu um contrato da rádio, ainda como Reinold de Oliveira.


Em 1934, tentou a sorte em São Paulo e atuou na Rádio Record na base de cachês, mas poucos dias depois a turma do Regional de Garoto o levou à Rádio Educadora Paulista, daí advindo um contrato. Sobressaiu-se logo como um dos grandes cantores de São Paulo, já com o nome artístico de Nuno Roland, por sugestão do diretor da Rádio Educadora Paulista.

Ainda em 1934, fez seu primeiro disco, na Odeon: "Pensemos Num Lindo Futuro / Cantigas De Quem Te Vê". Só voltou a gravar em 1937, na Colúmbia, 2 discos com 4 musicas.

De 1937 a 1941, voltou à Odeon, fez em 1941 apenas 1 disco com 2 músicas na RCA Victor, e só retornou as gravações em 1944, na Continental. Ao todo, foram 47 discos com 87 músicas, sem contar as muitas gravações como integrante do Trio Melodia e os LPs.

Em 1936 mudou-se para o Rio de Janeiro onde assinou contrato com a Rádio Nacional, a fim de compor o elenco pioneiro, desde a sua inauguração, em 12/09/1936, dela nunca se desligando.

Também foi crooner, de 1937 a 1948, da orquestra do Copacabana Palace Hotel. Dentre seus sucessos, devem ser citados "Iracema", "O Primeiro", "Mil Corações", "Rosali", "Ao Som das Balalaicas" "Fim de Semana em Paquetá". Com Carmen Miranda, gravou "Nas Cadeiras da Baiana".

Também foi um campeão de carnavais: "Clodomira", "Pirata da Perna de Pau", "Tem Gato Na Tuba", "Serenata Chinesa", "Tem Marujo no Samba" (Com Emilinha Borba) e "Lancha Nova".

Nuno Roland é um cantor que merece ser sempre lembrado e reconhecido como um dos grandes intérpretes de nossa música popular.