Carmen Santos

MARIA DO CARMO SANTOS GONÇALVES
(48 anos)
Atriz, Produtora, Roteirista e Diretora

* Vila da Flor, Portugal (08/06/1904)
+ Rio de Janeiro, RJ (24/09/1952)

Maria do Carmo Santos Gonçalves nasceu em Vila da Flor, Portugal, em 08 de Junho de 1904 e chegou ao Brasil em 1912, aos oito anos de idade. Em 1919, com quinze anos de idade estreou no cinema no filme "Urutau", dirigido pelo americano William A. Jansen, com argumento de Francisco de Almeida Fleming e fotografia de Fausto Muniz.

A mais importante presença feminina no cinema brasileiro nos anos 20 e 30, Carmen Santos foi uma das incansáveis batalhadoras do nosso cinema, onde atuou como atriz, produtora, diretora e roteirista.

Carmen Santos foi uma pioneira. Depois de sua estréia como atriz em 1919, ela inaugura uma das mais importantes trajetórias de mulheres no cinema brasileiro, desempenhando nos anos seguintes inúmeras funções, como produtora roteirista e diretora.

Entre seus feitos, o mais notável foi a fundação, em 1933, com o suporte financeiro do marido - um rico empresário, a "Brasil Vox Film" - rebatizada em 1935 por "Brasil Vita Filme", responsável por clássicos do cinema brasileiro, como "Argila", em 1942, último filme do genial cineasta Humberto Mauro.

Como a outra Carmen famosa do nosso cinema, Carmen Santos também nasceu em Portugal, no dia 8 de junho de 1904, em Vila Flor – Distrito de Bragança, vindo para o Brasil com oito anos de idade.

Sua estréia no cinema se dá em "Urutau" dirigido pelo americano Willian Jansen, em 1919. Mas é só 10 anos após que Carmen Santos começa a ajudar a escrever a história do cinema brasileiro ao atuar em "Sangue Mineiro", de Humberto Mauro.

Sua associação com um dos mais geniais cineastas brasileiros resulta ainda em clássicos como "Favela dos Meus Amores", "Cidade-Mulher" e "Argila" - ela produzindo e interpretando, e ele dirigindo.

Carmen Santos levava para a tela a mesma determinação e garra com que defendia o cinema nacional. Seu maior sonho e projeto mais ambicioso foi adaptar a inconfidência para a tela do cinema. Em 1937 planeja "Inconfidência Mineira", em 1939 inicia os preparativos e em 1941 começa a filmar. Mas teve muitos problemas e só conseguiu concluí-lo em 1948. Carmen transforma sua realização numa grande obsessão e nela produz, roteiriza, dirige e atua. Entre concepção, filmagem e acabamento transcorreram onze anos. Sua personagem, Bárbara Heliodora é tão marcante quanto sua realizadora, mas o filme foi um retumbante fracasso, levando Carmen à falência, forçando-a a vender seus estúdios no início dos anos 50. Infelizmente, "Inconfidência Mineira" foi um fracasso e hoje encontra-se desaparecido.

Carmen Santos teve morte prematura, aos 48 anos,no dia 24 de setembro de 1952.

Os mais jovens talvez nem a conheçam mas com certeza encontrarão seu nome em qualquer publicação sobre a História do Cinema Brasileiro, porque Carmen ajudou fazer essa história.

Anésia Pinheiro Machado

ANÉSIA PINHEIRO MACHADO
(96 anos)
Aviadora

* Itaí, SP (05/06/1902)
+ Brasília, DF (10/05/1999)

Foi a primeira mulher a se habilitar e a trabalhar como aviadora no Brasil. Iniciou seus estudos em 1921 e já no ano seguinte recebia seu brevet internacional pelo Aéro Club do Brasil.

Ainda no mesmo ano, realizou seu primeiro voo interestadual de São Paulo ao Rio de Janeiro, como parte das comemorações do centenário da Independência do Brasil, e participou de uma apresentação de acrobacias aéreas. Por estes, foi pessoalmente homenageada por Santos Dumont.

Entre 1927 e 1928, manteve uma coluna dominical sobre aviação no jornal carioca "O País". Em 1943, fez curso nos Estados Unidos, onde também se licenciou como piloto e instrutora de vôo.

Entre seus feitos pioneiros, destacam-se uma travessia da Cordilheira dos Andes e uma viagem transcontinental pelas três Américas, ambos em 1951. Em 1954, foi proclamada pela Federação Aeronáutica Internacional (FAI), durante a Conferência de Istambul, Decana Mundial da Aviação Feminina. Recebeu dezenas de condecorações civis e militares, nacionais e estrangeiras.

O Primeiro Vôo Interestadual

Com apenas vinte anos e cinco meses após obter seu brevet, Anésia decidiu fazer o vôo entre São Paulo e Rio de Janeiro como forma de participar das comemorações do centenário da Independência e não imaginava que causaria tanta sensação, conforme afirmou em entrevista concedida em 1961 ao jornal The Evening Star, de Washington.

A viagem foi realizada no monomotor Caudron G.3, batizado de Bandeirante, o mesmo em que aprendeu a voar.

A viagem durou quatro dias, de 5 a 8 de setembro. Anésia voava, no máximo, uma hora e meia por dia, quando tinha que pousar para reabastecimento e revisão da aeronave.

Anésia foi recepcionada no aeroporto do Rio de Janeiro por autoridades do governo e populares, dos quais recebeu flores e outros presentes. Naquela ocasião, Santos Dumont presenteou Anésia com uma medalha de ouro, réplica de uma que ele próprio havia recebido da Princesa Isabel, e que Anésia levou sempre consigo ao longo de toda sua vida, por considerá-la seu amuleto de boa sorte.

Pioneirismo Contestado

A filial brasileira da International Organization of Women Pilots atribui a Tereza de Marzo a primazia de ter sido a primeira mulher brasileira a pilotar um avião.

Tereza e Anésia são contemporâneas e colegas da mesma escola de aviação, em São Paulo. Tiveram o mesmo instrutor, Fritz Roesler, com quem Tereza viria a casar.

Tereza iniciou seus estudos em março de 1921, Anésia, em dezembro do mesmo ano. O võo solo (sem a companhia do instrutor) de ambas aconteceu na mesma data, 17 de março de 1922.

Tereza recebeu o brevet de nº 76 da FAI, em 8 de abril de 1922, Anésia, o de nº 77, no dia seguinte.

Tereza abandonou a carreira de aviadora em 1926, ao casar, enquanto Anésia permaneceu em atividade por mais três décadas.

A urna com suas cinzas está depositada no Museu de Cabangu, na cidade de Santos Dumont, MG.

Fonte: Wikipédia

Luiz Armando Queiroz

LUIZ ARMANDO QUEIROZ
(54 anos)
Ator e Diretor

☼ Recife, PE (22/02/1946)
┼ Rio de Janeiro, RJ (16/05/1999)

Entre os maiores sucessos de Luiz Armando Queiroz na televisão estão os personagens Cláudio da novela "Cuca Legal" (1975), o Belchior da novela "Estúpido Cupido" (1976), o Tuco da primeira versão da série "A Grande Família" (1973), e o Tito Moreira França da novela "Roque Santeiro" (1985), todos estes trabalhos exibidos pela TV Globo.

Luiz Armando Queiroz também se destacou em trabalhos na TV Bandeirantes como em "Os Imigrantes" (1981), e na TV Manchete, onde entre outros trabalhos viveu um vilão inesquecível, o personagem Rodrigo de "A História de Ana Raio e Zé Trovão" (1990), trabalho este que pôde ser visto novamente em 2010 com a reprise da novela pelo SBT.

Luiz Armando Queiroz também se destacou como diretor de novelas, e entre seus principais trabalhos como diretor estão "A Idade da Loba" (1995) na TV Bandeirantes, "Os Ossos do Barão" (1997) no SBT e a minissérie "Chiquinha Gonzaga" (1999) na TV Globo, um de seus últimos trabalhos.

Morte

Luiz Armando Queiroz faleceu no Rio de Janeiro, RJ, no dia 16/05/1999, aos 54 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos, consequência de uma quimioterapia quando se recuperava de um câncer linfático. Ele descobriu o câncer em dezembro de 1998.

Telenovelas, Minisséries e Seriados

  • 1997 - Mandacaru ... Tenente (Manchete)
  • 1996 - Você Decide
  • 1995 - A Idade da Loba ... Cândido (Bandeirantes)
  • 1994 - Confissões de Adolescente ... Osório Neto
  • 1993 - Guerra Sem Fim ... Narrador (Manchete)
  • 1991 - O Guarani (Manchete)
  • 1991 - Filhos do Sol (Manchete)
  • 1990 - A História de Ana Raio e Zé Trovão ... Rodrigo (Manchete)
  • 1990 - Pantanal ... Empresário Carioca (Manchete)
  • 1990 - Fronteiras do Desconhecido (Manchete)
  • 1988 - Abolição ... Joaquim Nabuco
  • 1987 - A Grande Família Especial ... Tuco
  • 1985 - Roque Santeiro ... Tito Moreira França
  • 1984 - Caso Verdade
  • 1982 - Os Imigrantes ... Luiz Vasconcellos (Bandeirantes)
  • 1982 - Avenida Paulista ... Duda
  • 1982 - As Cinco Panelas de Ouro ... Afonsinho Henriques Mourão (Cultura)
  • 1982 - Nem Rebeldes, Nem Fiéis (Cultura)
  • 1981 - O Resto é Silêncio (Cultura)
  • 1981 - Os Imigrantes ... Júlio (Bandeirantes)
  • 1980 - Plantão de Polícia (Participação Especial)
  • 1980 - Olhai os Lírios do Campo
  • 1979 - Dinheiro Vivo ... Douglas Fabiani (Tupi)
  • 1979 - Memórias de Amor ... Adolfo
  • 1978 - Sinal de Alerta ... Duda
  • 1977 - Nina ... Agripino
  • 1976 - Estúpido Cupido ... Belchior
  • 1975 - Pecado Capital ... Vicente Lisboa
  • 1975 - Cuca Legal ... Cláudio
  • 1973 - A Grande Família ... Tuco
  • 1972 - Selva de Pedra ... Beto


Filmes

  • 1997 - O Que É Isso, Companheiro?
  • 1987 - Os Trapalhões no Auto da Compadecida
  • 1986 - Por Incrível Que Pareça
  • 1983 - Janete
  • 1983 - A Mulher-Serpente e a Flor
  • 1982 - Pra Frente, Brasil
  • 1980 - Parceiros da Aventura
  • 1980 - O Grande Palhaço
  • 1979 - O Caso Cláudia
  • 1978 - O Namorador
  • 1975 - O Monstro do Santa Teresa
  • 1974 - As Alegres Vigaristas

Xandó Batista

XANDÓ BATISTA
(72 anos)
Ator e Dublador

* São Paulo, SP (1920)
+ Rio de Janeiro, RJ (1992)

Seu trabalho artístico começou em cinema, em 1951, quando participou do filme "Ângela". No mesmo ano fez o filme "Suzana e o Presidente". Seu papel de maior destaque na TV foi o "Seu Jesus" da novela "A História de Ana Raio e Zé Trovão" da extinta TV Manchete, cuja reprise teve início em 07 de junho de 2010 pelo SBT.

Ao longo da sua carreira como ator de cinema Xandó Batista trabalhou ao lado de importantes nomes como Mazzaropi, Othon Bastos, e Jofre Soares.

Atuou em sucessos do cinema nacional como "O Corintiano", "O Homem do Pau Brasil", "Tiradentes, O Mártir da Independência" e "O Predileto", entre vários outros filmes. Xandó Batista atuou em cerca de 36 filmes.

Por "O Predileto" Xandó Batista ganhou o prêmio de melhor ator coadjuvante em 1977.

No teatro , Xandó Batista, fez: "Eles Não Usam Black-Tie", "Chapetuba Futebol Clube" e "Solness, o Costrutor".

Como dublador, suas principais atuações foram como Dr. Bellows, na série Jeannie é Um Gênio e Abner, em A Feiticeira.

Xandó Batista foi casado duas vezes sendo que seu primeiro casamento foi com a grande atriz Léa Camargo. Seu segundo casamento foi com a atriz Celeste, com quem teve dois filhos.

Televisão

1990 - A História de Ana Raio e Zé Trovão
1990 - O Canto das Sereias (Minissérie)
1988 - Chapadão do Bugre (Minissérie)
1984 - Meus Filhos, Minha Vida
1983 - Braço de Ferro
1982 - Paiol Velho
1982 - O Coronel e o Lobisomem
1982 - Renúncia
1978 - O Direito de Nascer
1976 - Os Apóstolos de Judas
1975 - O Velho, o Menino e o Burro
1974 - Ídolo de Pano
1972 - Vitória Bonelli
1971 - Meu Pedacinho de Chão
1969 - O Bolha
1961 - Vigilante Rodoviário (1961-1962)

Cinema

1982 - O Homem do Pau-Brasil
1980 - O Gosto do Pecado
1979 - Sexo Selvagem
1979 - Histórias Que Nossas Babás Não Contavam
1979 - A Noite dos Imorais
1979 - Os Amantes da Chuva
1978 - A Noite dos Duros
1977 - Contos Eróticos
1977 - O Seminarista
1976 - Chão Bruto
1976 - Fruto Proibido
1976 - Já Não Se Faz Amor Como Antigamente
1976 - Tiradentes, O Mártir da Independência
1975 - Efigênia Dá Tudo Que Tem
1975 - O Predileto
1975 - A Casa das Tentações
1975 - O Sexualista
1974 - Trote de Sádicos
1973 - A Pequena Órfã
1970 - Marcado Para o Perigo
1967 - O Corintiano
1965 - O Beijo
1964 - Satan Mit Den Roten Haaren, Der
1963 - Mord In Rio
1962 - O Vigilante Rodoviário
1959 - O Preço da Vitória
1957 - Rebelião em Vila Rica
1954 - Candinho
1953 - Uma Pulga na Balança
1953 - Luz Apagada
1952 - Nadando em Dinheiro
1952 - Apassionata
1952 - Sai da Frente
1952 - Tico-Tico no Fubá
1951 - Suzana e o Presidente
1951 - Ângela

Não há registros da causa, nem do dia correto de sua morte, só se sabe, que pouco tempo depois do fim das gravações de Ana Raio e Zé Trovão (em Outubro/1992), o ator faleceu aos 72 anos

Fonte: Wikipédia