Marisa Raja Gabaglia

MARISA RAJA GABAGLIA
(61 anos)
Jornalista e Escritora

* (1942)
+ São Paulo, SP (13/01/2003)

Marisa Raja Gabaglia foi uma jornalista e escritora brasileira. Era tida como pessoa de opinião forte, e também forte e polêmica era sua presença nos programas de auditório do qual participou, inclusive no de Flávio Cavalcanti. Participou dos jornais Última Hora e Diário de São Paulo, e trabalhou como repórter pela Rede Globo por 18 anos.

Marisa começou na televisão como jurada do programa de Flávio Cavalcanti, na extinta TV Tupi. Só depois que a empresa de comunicação faliu é que a jornalista foi para a TV Globo, onde trabalhou por dezoito anos.

Foi autora de vários livros, entre eles, "Milho Para a Galinha Mariquinha""Grilos e Amâncio Pinto" e "Casos de Amor".

Teve uma atuação na telenovela "Pigmalião 70" (1970) junto com Tônia Carrero e Betty Faria.


No início da década de 80 iniciou um relacionamento com o cirurgião plástico Hosmany Ramos, assistente de Ivo Pitanguy na época, que, envolvido em diversos crimes, foi preso.

Um dia, Marisa apaixonou-se por Hosmany Ramos e desse romance, além da peregrinação pelas vizinhanças dos presídios que guardava o amado, ficou o livro "Amor Bandido" de 1982, contando sua versão da história. "Não me apaixonei por um bandido", dizia.

Além desse, ela publicou outros sete livros. Esse foi o primeiro de uma série de oito obras de sua autoria. O romance conta a sua versão da convivência que teve com o cirurgião plástico Hosmany Ramos, preso, seis meses depois de conhecê-la, por tráfico de drogas, assassinato, roubo e contrabando.

Logo após a explosão do caso HosmanyMarisa foi demitida da televisão. Mas seu choque maior foi em relação às amigas, que se afastaram.


"Nunca pensei que Hosmany fosse tão temível pelo povo. E eu, imagine, tachada de mulher do bandido. Nunca tinha visto de perto o orgasmo da maldade!"

Marisa Raja Gabaglia sempre foi uma mulher à frente de seu tempo. Profissionalmente, introduziu no jornalismo brasileiro a entrevista em primeira pessoa, quando esteve no jornal O Globo. Depois do envolvimento com o cirurgião plástico, Marisa foi gradativamente abandonando e se desencantando com o jornalismo.

Ela tinha duas filhas e morreu vítima de leucemia, aos 61 anos, em 13/01/2003.

Hosmany Ramos foi preso sob a acusação de matar dois cúmplices, roubar aviões e contrabandear carros importados. Ele está condenado a 53 anos de prisão e, em 2003, mandou um exemplar do seu livro mais recente, "Sequestro Sangrento", lançado pela Geração Editorial, ao então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com um pedido de comutação da pena.

Fonte: Wikipédia e Memorial da Fama

2 comentários:

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!