Cida

APARECIDA MARTINS BATISTA
(71 anos)
Cantora

* Franca, SP (22/05/1940)
+ São Paulo, SP (17/07/2011)

Aparecida Martins Batista e Irene Lopes, ambas nascidas em Franca, SP, em 1940 e 1941, respectivamente eram cantoras e faziam a dupla Duo Ciriema.

A dupla iniciou carreira em 1959. Em 1960, passou a cantar na Rádio Nacional, no programa "Alvorada Cabocla". Em setembro do mesmo ano, gravou seu primeiro disco, contendo a canção rancheira "Não Beba Mais Não" (Jeca Mineiro e Orlandinho) e o bolero "Mais uma Lição" (Nonô Basílio).


Acompanhada do sanfoneiro Orlandinho, a dupla passou a cantar em diversas rádios paulistas, tendo participado de programas na Rádio Nacional, na Rádio América, na Rádio Bandeirantes e na Rádio Piratininga.

Em maio de 1961, lançou o segundo disco contendo a huapango "Pecado de Amor" (Nízio e Piraci) e o bolero "Sonhando Contigo" (Junquinha, Junqueira e Paulo Jorge). No mesmo ano, gravou seu maior sucesso, a guarânia "Colcha de Retalhos" (Raul Torres). Pela mesma época, iniciou uma excursão ao Nordeste do Brasil levando a música sertaneja, onde, até então, somente predominavam o frevo e o forró.

Apresentou-se na Bahia, Rio Grande do Norte, Alagoas, Sergipe, Paraíba e Ceará.

Em janeiro de 1962, lançou o bolero "Beijos Proibidos" (Raimundo Teles e Antônio Mendes), e o rasqueado "Indiazinha" (Paulo Borges e Doralice Ferreira).

Ainda em 1962, lançou o rasqueado "Não Bebas Mais" (Nízio e Piraci). Em 1963, gravou dois de seus maiores sucessos, o rasqueado "Oh! Ciriema" (Mário Zan e Nhô Pai) e "Bebida Não Mata Saudades", canção rancheira de Benedito Seviero e Luiz de Castro. Lançou, também, com grande sucesso, inclusive em Assunção, Paraguai, "Lencinho de Nhanduti" (Piraci e Nhô Fio). Em 1964, a dupla fez temporada no país vizinho. De lá trouxe a composição "Saudade", uma guarânia do escritor e embaixador Mário Palmeiro.

A dupla se afastou da vida artística um pouco depois. Em 1972, gravou "Chitãozinho e Xororó" (Serrinha e Athos Campos), retornando à vida artística. Gravou também "Como Era Bom Aquele Tempo" (César e Cirus), "Rogo ao Senhor" (J.K. Filho e Miguel da Portela) e "Hei de Vencer" (Capitão Furtado e Juvenal Fernandes).

Em 1973, lançou novo LP, onde gravou a guarânia "Saudade" (Mário Palmeiro), até então inédita. Gravou também "Mensagem de Esperança" (Capitão Furtado e João Pacífico), que se tornou tema de uma novela do "Capitão Furtado" com o mesmo nome.

Regravou também "Não Beba Mais Não" (Jeca Mineiro e Orlandinho), a primeira gravação e sucesso do Duo Ciriema. Em 1975, gravou LP pela Copacabana em que se destacaram entre outras, "Onde Tu Irás Sem Mim" (J.K. Filho e Zito Berdinato) e "Vivo Chorando" (Everaldo Ferraz e Silvia Boanato). Em 1978 gravou "Mensagem de Esperança" (Capitão Furtado e João Pacífico).


Cida faleceu no dia 17 de julho de 2011, às 18:30 hs, em São Paulo, aos 71 anos. Cida completaria 52 anos de carreira no dia 18/07/2011. Ela sofria de Câncer, segundo informações de Irene Lopes, sua parceira de dupla.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!