Souza Aguiar

FRANCISCO MARCELINO DE SOUZA AGUIAR
(80 anos)
Engenheiro e Político

* Salvador, BA (02/06/1855)
+ Rio de Janeiro, RJ (10/11/1935)

Francisco Marcelino de Souza Aguiar foi um engenheiro e político brasileiro. Foi prefeito do Distrito Federal (cidade do Rio de Janeiro) entre 1906 e 1909, nomeado pelo presidente Afonso Pena.

Filho do major do exército e ex-presidente da província do Maranhão Francisco Primo de Sousa Aguiar e de Johanna Maria Freund, austríaca, nasceu na capital da Bahia, e ficou órfão de pai aos 13 anos de idade. Em 1869 ingressou na Escola Militar, como cadete. Tornou-se alferes-aluno em 1874, concluiu o curso de engenharia em 1876.

Foi prefeito do então Distrito Federal (Rio de Janeiro), de 16/11/1906 a 23/07/1909. Reformou-se no posto de marechal em 1911.

Souza Aguiar assumiu, em 1877, o cargo de instrutor-geral da Escola de Tiro de Campo Grande, no qual permaneceu até ser transferido para o Rio Grande do Sul em 1879, onde demarcou as fronteiras brasileiras como o Uruguai, no período de 1880 a 1888.

Assumiu o cargo de secretário do ministro da Guerra em 1892, até integrar, no mesmo ano, a comissão que representou o Brasil em Chicago. Antes de partir, a pedido do então vice-presidente Floriano Peixoto, em poucos dias projetou o Hospital Central do Exército.

Em 1893, assumiu o cargo de diretor-geral dos Telégrafos. Em 1896, tornou-se comandante da Escola Militar do Rio Grande do Sul e, em 1897, comandante do Corpo de Bombeiros, na capital da República, quando projetou o quartel central, cuja construção foi iniciada no ano seguinte. Foi promovido a general-de-brigada em 1904.

No ano seguinte, foi presidente da Comissão da Exposição do Brasil em Saint Louis; enquanto se encontrava nos Estados Unidos, incumbido pelo ministro do Interior, projetou o edifício da Biblioteca Nacional. A pedido do ministro da Fazenda, estudou a fabricação de cédulas para implantação dos serviços da Casa da Moeda e, por solicitação do ministro da Guerra, estudou o sistema estadunidense de fabrico da pólvora sem fumaça. Na Exposição, obteve o Grande Prêmio de Arquitetura com o projeto do Palácio Monroe.

No retorno ao Brasil, foi encarregado da construção do edifício da Biblioteca Nacional e do Palácio Monroe.


Morte

Souza Aguiar morreu em sua residência, na Rua Paiçandu, nº 222, na cidade do Rio de Janeiro, às 13:00 hs do dia 10/11/1935. Deixou viúva Maria Gabriela de Souza Aguiar e os filhos: Gabriel de Souza Aguiar, engenheiro-chefe da Diretoria de Engenharia da prefeitura do Rio de Janeiro; Miguel de Souza Aguiar, engenheiro da Companhia Mecânica e Importadora de São Paulo; Louis de Souza Aguiar, médico; capitão Rafael de Souza Aguiar; Geny, casada com Domecq de Barros; América, casada com Eugenio Lefki; e a religiosa Maria Angelina do Colégio Sion de Petrópolis. No enterro, a família dispensou as honras militares a que o marechal tinha direito, mas aceitou a oferta do prefeito Pedro Ernesto de a prefeitura arcar com as despesas do enterro, no Cemitério São João Batista, o qual decretou luto oficial de três dias.

Alguns Projetos
  • Palácio Monroe
  • Biblioteca Nacional
  • Pavilhão Mourisco
  • Quartel Central do Corpo de Bombeiros
  • Palácio da Prefeitura
  • Escolas Menezes Vieira, Macaúbas, Barth, Afonso Pena e Deodoro
  • Posto Central de Assistência da Praça da República, atual Hospital Sousa Aguiar
  • Hospital Central do Exército
  • Casas para operários na Avenida Salvador de Sá e no Becco do Rio
  • Mercado Municipal
  • Mercado das Flores
  • Edifício da Superintendência da Limpeza Urbana
  • Oficinas da Superintendência da Limpeza Urbana


Fonte: Wikipédia
Indicação: Miguel Sampaio

Um comentário:

  1. Este Sim Foi Um Grande Prefeito do Meu Rio de Janeiro Vejam Suas Obras seus Projetos Demarcou nossas Fronteiras No Sul do Brasil Para Este eu Abro o meu Chapeu - Projetou em poucos dias O Primeiro Hospital Militar do Brasil O Palaçio Monroe - O Corpo de Bombeiros A Biblioteca Nacional e Muitos outros.Como Tambem tambem a Unica Homenagem a ele O Hospital que leva seu Nome as pessoas Cultas tinham mais que saber da suas obras e atividades.Valeu Marcos Por este grande Resgate.

    ResponderExcluir

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!