Rose Marie Muraro

ROSE MARIE MURARO
(83 anos)
Escritora, Editora, Intelectual e Feminista

* Rio de Janeiro, RJ (11/11/1930)
+ Rio de Janeiro, RJ (21/06/2014)

Rose Marie Muraro foi uma intelectual, escritora e feminista brasileira. Aprendeu desde cedo a lutar contra as dificuldades, físicas e sociais, com força. Nasceu praticamente cega, e somente aos 66 anos conseguiu recuperar parcialmente a visão com uma cirurgia. Estudou Física, foi escritora e editora de livros, assumindo a responsabilidade por publicações polêmicas e contestadoras.

Ao longo da vida, escreveu 44 livros, como "Os Seis Meses Em Que Fui Homem" (1993), "Por Que Nada Satisfaz As Mulheres E Os Homens Não As Entendem" (2003), que venderam mais de 1 milhão de exemplares.

Nos anos 70, foi uma das pioneiras do movimento feminista no Brasil. Nos anos 80, quando a Igreja adotou uma postura mais conservadora, passou a ser perseguida pelos ideais. A atuação intensa no mercado editorial é fruto de uma mente libertária cuja visão atenta da sociedade pode ser comparada a de muito poucos intelectuais da atualidade.

As idéias refletem-se na vida pessoal desta mulher notável: Há pouco tempo, Rose Marie Muraro desafiou os próprios limites quando, aos 66 anos, recuperou a visão com uma cirurgia e viu seu rosto pela primeira vez.

"Sei hoje que sou uma mulher muito bonita!"


Oriunda de uma das mais ricas famílias do Brasil nos anos 30/40, aos 15 anos, com a morte repentina do pai e consequentes lutas pela herança, rejeitou sua origem e dedicou o resto da vida à construção de um novo mundo: mais justo, mais livre. Nesse mesmo ano conheceu o então padre Helder Câmara e se tornou membro de sua equipe. Os movimentos sociais criados por ele nos anos 40 tomaram o Brasil inteiro na década seguinte. Nos anos 60, o golpe militar teve como alvo não só os comunistas, mas também os cristãos de esquerda.

A Editora Vozes foi um capítulo à parte na vida de Rose. Lá, trabalhou com Leonardo Boff durante 17 anos e das mãos de ambos nasceram os dois movimentos sociais mais importantes do Brasil, no século XX: O movimento de emancipação das mulheres e a teologia da libertação - até hoje, base da luta dos oprimidos.

Nos anos 80, presenciou a virada conservadora da Igreja, e em 1986, Rose e Boff foram expulsos da Vozes, por ordem do Vaticano. Motivo: a defesa da teologia da libertação, no caso de Boff e a publicação, por Rose, do livro "Por Uma Erótica Cristã".

Ela introduziu a questão da classe social no estudo de gênero, ela foi a primeira mulher a estudar de forma sistemática a sexualidade da mulher brasileira a partir da situação ou classe social - disse Boff. - Ela inaugurou esse discurso, nem Freud ou qualquer analista europeu atingiram esse ponto. Tudo isso foi resultado de uma ampla e minuciosa pesquisa de campo.

Juntos, Rose Marie e Boff assinaram, em 2002, o livro "Masculino / Feminino", onde investigaram juntos a relação entre os gêneros.

"Rose elevou a questão do gênero a um novo patamar, pois não considerava o masculino e o feminino como realidades que se contrapõem, mas como instâncias fundamentais, onde cada um é completo em si mas voltado para o outro, numa relação de reciprocidade e construção conjunta."
(Leonardo Boff)


Em trecho do documentário "Memórias De Uma Mulher Impossível", lançado em 2009 por Márcia Derraik, Rose Marie explicou:

"O assunto mulher era um assunto sem importância para os militares e para a sociedade como um todo. O pessoal não sabia da existência do feminino. Ah, essa daí lida com mulher, essa daí não é perigosa, tem filhos pequenos, só tá na igreja, então essa daí não vamos perseguir. Já nos anos 60 eu dizia: eu também quero pôr fogo no mundo. Fui pôr fogo no mundo, fui ser editora. E eu vi que eram os livros que punham fogo no mundo."

Rose Marie Muraro foi eleita, por nove vezes, A Mulher do Ano. Em 1990 e 1999, recebeu, da revista Desfile, o título de Mulher do Século. E da União Brasileira de Escritores, o de Intelectual do Ano, em 1994.

O trabalho de Rose, como editora, foi um marco na história da resistência ao regime militar. Devido a este trabalho, recebeu, do Senado Federal, o Prêmio Teotônio Vilela, em comemoração aos 20 anos da anistia no Brasil.

Foi palestrante nas universidades de Harvard e Cornell, entre tantas outras instituições de ensino americanas, num total de 40. Editou até o ano 2000 o selo Rosa dos Tempos, da Editora Record.


Foi Cidadã Honorária de Brasília (2001) e de Cidadã Honorária de São Paulo (2004). Ganhou o Prêmio Bertha Lutz (2008), e principalmente, pela Lei 11.261 de 30/12/2005 passada pelo Congresso Nacional foi nomeada Patrona do Feminismo Brasileiro.

Em 1999, ela contou sua história na autobiografia "Memórias De Uma Mulher Impossível".

Na última entrevista de Rose para o jornal Correio Braziliense, no dia 18/08/2003, a intelectual relatou como os problemas de saúde estavam limitando a produção de novas publicações. Ela contava com a ajuda de amigos e parentes para conseguir manter os tratamentos e a estrutura que a possibilitava continuar o exercício da atividade intelectual.

"Atualmente sou uma meia-pessoa. Semi-cega, porque vejo vultos, e semi-paralítica, porque não consigo andar com o andador, mas preciso de cuidados 24 horas por dia, e de uma secretária para escrever o que eu dito, pois estou escrevendo dois livros no momento. Um sobre a traição e outro sobre amor."
(Rose Marie Muraro)


Uma das cinco filhas de Muraro, Tônia, cuida do Instituto Cultural Rose Marie Muraro (ICRM), que foi criado em 2009. O órgão tem o objetivo de salvaguardar o acervo da intelectual, que têm mais de 4 mil publicações.


Morte

Rose Marie Muraro, a Patrona do Feminismo Brasileiro, morreu na manhã de sábado, 21/06/2014, aos 83 anos, no Rio de Janeiro, em consequência de problemas respiratórios. Ela tinha câncer na medula óssea há cerca de 10 anos e, desde o dia 12/06/2014, estava na CTI do Hospital São Lucas, em Copacabana. No dia 15/06/2014, entrou em coma e acabou acometida por uma infecção.

O velório de Rose Marie Muraro começará às 08:00 hs de domingo, 21/06/2014, no Memorial do Carmo, no Caju, e a cremação está marcada para as 16:00 hs.

Rose Marie Muraro tinha 5 filhos e 12 netos, frutos de um casamento de 23 anos.


Alguns Livros:

  • 2007 - Educando meninos E Meninas Para Um Mundo Novo
  • 2007 - História do Masculino E Do Feminino
  • 2007 - Uma Nova Visão Da Política E Da Economia
  • 2007 - História Do Meio Ambiente
  • 2007 - Para Onde Vão Os Jovens
  • 2007 - A Mulher Na Construção Do Futuro
  • 2006 - O Que As Mulheres Não Dizem Aos Homens
  • 2006 - Diálogo Para O Futuro
  • 2006 - Mais Lucro
  • 2004 - Espírito De Deus Pairou Sobre As Águas
  • 2003 - Por Que Nada Satisfaz As Mulheres E Os Homens Não As Entendem
  • 2003 - Um Mundo Novo Em Gestação
  • 2003 - Amor de A A Z
  • 2003 - A Paixão Pelo Impossível
  • 2002 - Masculino / Feminino
  • 2001 - As Mais Belas Orações De Todos Os Tempos
  • 2000 - Textos Da Fogueira
  • 1999 - A Alquimia Da Juventude
  • 1999 - Memórias De Uma Mulher Impossível
  • 1996 - As Mais Belas Palavras De Amor
  • 1996 - Sexualidade Da Mulher Brasileira
  • 1993 - Seis Meses Em Que Fui Homem
  • 1993 - A Mulher No Terceiro Milênio
  • 1990 - Poemas Para Encontrar Deus


Indicação: Miguel Sampaio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!