Darci Rossi

DARCI ROSSI
(70 anos)
Cantor e Compositor

☼ Guaxupé, MG (1947)
┼ Valinhos, SP (20/01/2017)

Darci Rossi foi um cantor e compositor de música sertaneja nascido em Guaxupé, MG em 1947.

Filho de João Rossi e Natércia Boldrini Rossi, nasceu na cidade de Guaxupé, MG, mas com um ano de idade foi morar em São Caetano do Sul, SP.

Darci Rossi teve um início de vida adulta com dificuldades. A mãe faleceu quando ele tinha 18 anos e o rapaz teve de ajudar na criação de alguns dos irmãos, que eram oito.

Trabalhou na General Motors, onde entrou em 1969 e em 1977 chegou a ocupar a gerência do Banco GM. Nesta função, conheceu dois jovens clientes que estavam procurando financiamento para comprar um carro modelo Chevrolet Opala. Estes jovens eram Chitãozinho & Xororó em início de carreira. A amizade entre os três iniciou, porque Darci já compunha letras de músicas, entusiasmando a dupla pela qualidade dos versos que escrevia.

Foi neste período que nasceu o compositor Darci Rossi, dono de mais de 400 canções gravadas e responsável pelos maiores sucessos das duplas Chitãozinho & Xororó, principalmente "Fio de Cabelo", João Paulo & DanielJoão Mineiro & Marciano, entre tantos outros.


Em 1979, Chitãozinho & Xororó gravaram a polca "Tudo Está Desarrumado" (Darci RossiMarciano), a rancheira "Nosso Filho Com Quem Vai Ficar" (Darci Rossi e Marciano) e o rasqueado "Pensando em Voltar" (Darci RossiXororó e Bekeké), "Amor Perigoso" (Darci Rossi e Waldemar de Freitas Assunção), a polca "Noites do Passado" e "60 Dias Apaixonado" (Darci Rossi e Constantino Mendes "Chamamé"), em disco do mesmo nome.

Em 1981, Chitãozinho & Xororó gravaram o rasqueado "Pais e Filhos", o huapango "Não Consigo Repartir Você"  e a rancheira "Amor a 3", todas composições de Darci Rossi com Marciano, e a polca "Vida e Saudade" (Darci Rossi Chitãozinho).

Em 1982, Chitãozinho & Xororó gravaram "Somos Apaixonados" (Darci Rossi e Chitãozinho), que deu nome ao disco da dupla naquele ano e "Eu Quero é Amor". No mesmo ano gravaram a guarânia "Fio de Cabelo" (Darci Rossi e Marciano), que se tornou um dos maiores sucessos da música sertaneja em todos os tempos, abrindo o caminho para a nova onda sertaneja que tomou conta da música brasileira na década de 1980.

Em 1983, Ataíde & Alexandre gravaram "Fingindo Dormir" (Darci Rossi e Marciano).

Em 1984, Chitãozinho & Xororó gravaram "Minha Amiga" (Darci Rossi Chitãozinho), "Nossas Roupas" (Darci Rossi e Marciano), "Marcados" (Darci Rossi e Martinez), "A Carne é Fraca" (Darci Rossi e Xororó) e "Dizem Que Sou Velho" (Darci Rossi e Xororó), no disco "Amante".

Marciano e Darci Rossi
Em 1985, Chitãozinho & Xororó gravaram "Metade de Alguém" (Darci Rossi e Marciano) e "Ela Chora, Chora" (Darci Rossi, Alcino Alves e Xororó) no LP "Fotografia".

Em 1988, João Mineiro & Marciano gravaram "Crises de Amor" (Darci Rossi, Marciano e José Homero).

Em 1998, Chitãozinho & Xororó gravaram no disco "Na Aba do Meu Chapéu", "Ai Maria" (Daniel Moore), em versão de Darci Rossi, e "Te Esquecer é Impossível" (Darci Rossi e Chitãozinho).

Um de seus parceiros mais constantes foi Marciano, da dupla João Mineiro & Marciano, com quem compôs, entre outras, "Tudo Está Desarrumado", "Filho de Jesus", "Na Metade da Vida", "Momentos Especiais" e "Valeu a Pena".

Em 2008, teve a sua música "Estrada do Amor" (Darci Rossi e Alexandre) gravada pela dupla Zezé di Camargo & Luciano. Teve a música "Quem Disse Que Te Esqueci" (Darci Rossi e Alexandre), gravada pela dupla Milionário e José Rico, no DVD "Atravessando Gerações". Ainda em 2008, participou da gravação do DVD "Inimitável - 15 Anos de Carreira Solo", de Marciano, seu parceiro de composições, cantando "Fio de Cabelo" (Darci Rossi e Marciano).

Darci Rossi e seu amigo Antônio Julio Pedroso de Moraes
A composição "Fio de Cabelo" (Darci Rossi e Marciano), desde os anos 1980, é uma das músicas mais regravadas do estilo sertanejo, e tornou-se uma referência do segmento a partir dos anos 2000. Entre mais de 40 nomes que já gravaram a música, estão Bruno & Marrone, Fábio Júnior, Chitãozinho & Xororó, Tinoco & Zé Paulo, Ivan Villela, Zezé di Camargo & Luciano, Leonardo, entre vários outros.

Em 2009, Darci Rossi foi homenageado com a concessão do título de Cidadão Honorário do município de Valinhos e em 2010, com o Diploma de Mérito Cultural e Artístico Adoniran Barbosa, também concedido pela câmara de Valinhos, pelo "Seu trabalho, dedicação e altruísmo, divulgando a música sertaneja e o município onde vive".

Em 2010, Chitãozinho & Xororó gravou "Comendo Em Sua Mão" (Darci Rossi e Alexandre), no CD "Double Face", lançado pela Sony Music. O disco recebeu indicação ao prêmio Grammy Latino do mesmo ano.

Em 2017, teve "Fio de Cabelo" (Darci Rossi e Marciano) incluída no repertório da peça teatral "Bem Sertanejo - O Musical", estrelada por Michel Teló e dirigida por Gustavo Gasparani. O espetáculo esteve em cartaz em diversas cidades brasileiras, entre elas São Paulo, Porto Alegre, Curitiba, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte e Ribeirão Preto.

Fio de Cabelo

Apesar da personalidade tímida e do jeito humilde, com a caneta nas mãos criava mundos, histórias de amor e cenários em poesias para a música sertaneja. Foi assim que, no ano de 1982, escreveu:
"E hoje, o que encontrei me deixou mais triste, um pedacinho dela que existe, um fio de cabelo no meu paletó!"
A música "Fio de Cabelo" foi escrita em 40 minutos, uma parceria que Darci Rossi assinou com Marciano. Gravada por Chitãozinho & Xororó, ultrapassou as barreiras até então nunca alcançadas pelo gênero, abrindo as portas para o que viria ser um fenômeno musical de massa, e que se sustenta nesses moldes, com algumas variações, até os dias de hoje.

Darci Rossi era gerente do Banco GM, no final dos anos 1970, quando foi procurado pelos jovens irmãos Chitãozinho & Xororó. Os cantores com nome de passarinho já faziam considerável sucesso, mas o Fusca que os transportava já não estava dando mais conta do recado e eles queriam financiar um novo carro. Nesta época, os irmãos moravam em Mauá, também no Grande ABC.

Na conversa para negociar a compra do carro, foram informados que o gerente também era escritor e que fazia belas rimas e versos. Xororó perguntou se ele não poderia colocar letra em uma música. Tempos depois, após algumas trocas de ideias, nascia sua primeira composição ao lado da dupla: "Querida" (1977).


A amizade já estava firmada. Darci Rossi e a esposa são, inclusive, padrinhos de casamento tanto de Xororó, quanto de Chitãozinho.

Quando da mudança para a GM em Campinas, no início dos anos 1980, a dupla passou a visitar o compadre e, após simpatizar tanto com a cidade, transferiram-se para Campinas, onde vivem até hoje.

"Todos costumam dizer que existe uma música sertaneja antes e outra depois de 'Fio de Cabelo'", relatou Xororó em depoimento ao documentário da TV Câmara de Valinhos.

Quando a música foi lançada, em 1982, os irmãos já carregavam um destaque inédito ao gênero musical, pois seu último álbum, "Amante Amada" (1981) havia alcançado 400 mil cópias vendidas, o que era um feito para a época.

"'Fio de Cabelo' rompeu todas as barreiras do preconceito, triplicou essa venda para 1,5 milhão de discos (...) Ultrapassou o limite do ouvinte do sertanejo, abriu as portas de rádios FM onde, até então, esses artistas só eram divulgados pelas emissoras AM, televisão em horário nobre e não apenas para nós dois, mas para o estilo musical inteiro", complementou Chitãozinho, no mesmo vídeo.


O escritor Alonso também reforçou as dimensões do sucesso desse álbum. "Até então, poucos artistas haviam vendido um milhão de exemplares de um disco, tendo sido Roberto Carlos o primeiro, em 1977", disse.

Um detalhe interessante na biografia de Darci Rossi é que, mesmo tendo escrito em parceria sucessos como "Fio de Cabelo", "60 Dias Apaixonado", "Crises de Amor", "Deixei de Ser Cowboy Por Ela" e outros tantos sucessos, e apesar de receber pelos direitos autorais dessas produções, o compositor teve sempre de trabalhar em outras atividades para garantir o sustento da casa.

"Acho que se meu pai fosse compositor fora do Brasil ele seria um trilhardário", comentou a filha Lissandra, ressaltando que o pai foi funcionário da GM, dono de concessionária, de padaria e só nos últimos dez anos é que estava, de fato, vivendo apenas das suas composições.

Darci Rossi foi casado com Sônia Maria e tiveram quatro filhos.

Morte

Darci Rossi faleceu às 6h30 de sexta-feira, 20/01/2017, aos 70 anos, em Valinhos, SP, vítima de infecção pulmonar. Ele estava internado em um hospital de Valinhos, no interior de São Paulo.

A informação foi confirmada por Marcelo Rossi, filho do compositor.
"Ele esteve internado dos dias 23 a 25 de dezembro de 2016. Teve uma melhora, estava em casa. Na última terça-feira, 17/01/2017, teve uma recaída, foi direto para a UTI e hoje à 06h30 veio a óbito!"
O velório de Darci Rossi aconteceu na sexta-feira, 20/01/2017, a partir das 15h00 e, o sepultamento, no sábado, 21/01/2017, às 10h00 no cemitério São João Batista, em Valinhos, SP.

Darci Rossi deixou a esposa Sônia Maria, quatro filhos, seis netos e um legado de mais de 400 composições.

Em um áudio bastante emocionado, Marciano afirmou ter perdido um grande amigo, com quem iniciou a carreira, ainda nos anos 1970.
"Estou arrasado, chorando o tempo todo", disse o cantor, "foram tantas as músicas que a gente gravou e cantou, nossa história foi maravilhosa. Ele era extremamente inteligente, tudo o que a gente falava para ele dava certo, ele desenvolvia os temas com a maior clareza, com nitidez!"
(Marciano)

#FamososQuePartiram #DarciRossi

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!