Perry Salles

PERILÚCIO JOSÉ DE ALMEIDA
(70 anos)
Ator e Diretor

* Rio de Janeiro, RJ (06/03/1939)
+ Rio de Janeiro, RJ (17/06/2009)

Perry Salles foi casado com a atriz Vera Fischer, com quem viveu 16 anos e teve a filha Rafaela. Atuou ao lado de Vera Fischer em "A Super Fêmea" (1973), um dos grandes sucessos do gênero pornochanchada dos anos de 1970, dirigido por Aníbal Massaini Neto, com roteiro do escritor e autor de telenovelas Lauro César Muniz. Esse foi o filme que deu projeção nacional a Vera Fischer como atriz, depois de ter sido eleita Miss Brasil em 1969.

No cinema, Perry Salles dirigiu dois longas, "Intimidade" (1975) e "Dora Doralina" (1982), ambos protagonizados por Vera Fischer quando ainda era sua esposa.

Fez carreira principalmente no teatro, em peças como "Porcelana Fina", "Confidências", em que foi dirigido pela ex-mulher, "A Primeira Noite de um Homem", em que contracenava com Vera Fisher e a filha Rafaela, entre tantas outras.


O personagem mais marcante de Perry Salles, em telenovelas, foi Laio, na segunda fase de "Mandala" (1987).

Quando se separou de Vera Fisher, em 1989, tentou dar a volta por cima encenando um espetáculo em que se apresentava representando e sapateando. O show foi bem aceito pela crítica, mas um fracasso de público. Além disso, acabava sabendo todos os passos de Vera Fisher, que na época começara a namorar Felipe Camargo, nas gravações da novela "Mandala". Perry Salles também fazia parte do elenco e tinha sido seu último trabalho na tevê. Saiu de casa, levou apenas uma valise de nailon, livros, alguns objetos e dólares. Depois, pegou sua Parati, transformou o banco de trás numa cama e ganhou estrada. Saiu de carro sem destino pelo Nordeste. Passou três meses dormindo nos acostamentos até chegar em Trancoso, BA, a 50 minutos de Porto Seguro. Lá, encontrou um lugarejo sem luz e água e com pouquíssimas moradias. "Passei a viver como um bicho", recordava. Mergulhado numa depressão profunda, ele passou dois anos sem fazer a barba e cortar o cabelo.

Os dois anos que se seguiram sem que Perry Salles e Vera Fisher mantivessem contato não decretaram o fim da forte amizade entre eles. Quando decidiu se mudar de Trancoso para Salvador, em 1994, contou com um empréstimo de Vera Fisher, além de outros, para comprar o Teatro da Gamboa, de 101 lugares. A partir de 1998, Perry Salles, passou seus dias praticamente sem ver a luz do sol. Enclausurado em uma das salas do Teatro Gamboa. Ele tentava se livrar de uma crise existencial. Não conseguia pagar as dívidas que contraíra para manter a casa funcionando. Parou de tomar banho, deixou o cabelo crescer e só saía às ruas uma vez ou outra para comprar comida, ou melhor, dois quilos de carne moída e quatro pacotes de macarrão, suficientes para se manter durante um mês.


O quadro só foi revertido em 2000, quando Perry Salles recebeu um telefonema que o trouxe de volta à vida. Do outro lado da linha, a atriz Ivone Hoffman o convidava para atuar na peça "Com Amor", de Oscar Wilde. Longe dos palcos cariocas há 12 anos, ele passou a madrugada debruçado sobre o computador lendo o texto da peça. Na manhã seguinte, retornou a ligação de Ivone Hoffman com uma resposta positiva.

Dias depois, Perry Salles apareceu descalço, de bermuda listrada, camiseta com a inscrição de Trancoso e cabelo desalinhado para a entrevista e sessão de fotos para a revista Isto É, Gente. Era a maior prova de que abandonara a escuridão da depressão e estava novamente exposto à luz do sol.

Ele enxergou o dedo da ex-mulher no convite para retornar aos palcos no Rio de Janeiro. A atriz Ivone Hoffman confirmou que foi Vera Fisher quem sugeriu que ele fosse chamado para a peça. Depois disso, o ator se mudou para o Rio de Janeiro, morando no mesmo bairro de Vera Fisher.

Antes desse episódio, Perry Salles havia se casado com a arquiteta Beatriz, com quem teve dois filhos, Romeu e Rômulo.

Depois que voltou a viver no Rio de Janeiro, passava pequenas temporadas em Trancoso, matando as saudades dos filhos que teve com Beatriz, de quem se separou em 1997, mantinha uma relação amistosa.

Foi em Trancoso, em 1990, que ele viveu a dor de perder seu filho Rodrigo, fruto de seu casamento com a atriz Miriam Mehler. Com 20 anos de idade, ele morreu num acidente de moto. Perry Salles também é pai de Renata que mora na Inglaterra.

Perry Salles e Vera Fisher
Morte

Perry Salles faleceu no dia 17/06/2009, no Rio de Janeiro, e seu corpo foi cremado no dia 19/06/2009, vítima de câncer no pulmão. A doença foi diagnosticada em fevereiro de 2009, ocasião em que se mudou para a casa da ex-mulher e grande amiga Vera Fisher que cuidou dele até os últimos momentos.

Uma das últimas participações de Perry Salles na televisão foi na série "Mandrake", da Rede Globo, em 2004. Seu último filme foi "Espelho d’Água - Uma Viagem no Rio São Francisco", em 2004.

A última aparição pública do ator ocorreu em março de 2009, no lançamento do segundo livro de Vera Fisher, "Um Leão Por Dia". Debilitado, ele foi ao evento de cadeira de rodas.

"Ele estava no hospital, mas agora está convalescendo aqui em casa, porque eu e minha filha somos as pessoas que ele mais ama", disse Vera Fisher na ocasião. Ela estava otimista com a recuperação de Perry Salles. "Ele está melhorando sensivelmente. Já que amo tanto esse homem, tenho de cuidar dele!".

Perry Salles e Vera Fisher
Filmografia

  • 1998 - Cinderela Baiana
  • 1994 - O Efeito Ilha - Tom Amareto
  • 1975 - Intimidade
  • 1974 - As Delícias da Vida
  • 1974 - A Gata Devassa
  • 1973 - A Super Fêmea
  • 1962 - Assassinato em Copacabana
  • 1961 - O Dono da Bola - Fernando

2 comentários:

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!