Procópio Ferreira

JOÃO ÁLVARO DE JESUS QUENTAL FERREIRA
(80 anos)
Ator, Diretor Teatral e Dramaturgo

* Rio de Janeiro, RJ (08/07/1898)
+ Rio de Janeiro, RJ (18/06/1979)

Mais conhecido como Procópio Ferreira, é considerado um dos grandes nomes do teatro brasileiro.

Procópio descobriu cedo o talento de envolver a plateia, arrastando aos seus espetáculos contingentes de público de fazer inveja aos maiores sucessos de hoje. Em 62 anos de carreira, Procópio interpretou mais de 500 personagens em 427 peças.

Era filho de Francisco Firmino Ferreira e de Maria de Jesus Quental Ferreira, ambos portugueses naturais da ilha da Madeira, em Portugal.

Ingressou na Escola Dramática do Rio de Janeiro a 22 de março de 1917. Representou mais de 450 peças, de todos os gêneros, desde o teatro de revista até a tragédia grega. Em toda a Historia do Teatro Nacional foi o ator que maior número de peças nacionais interpretou e, que maior número de autores lançou.

Procópio Ferreira atuava no circo-teatro, gênero que, se não foi criado no Brasil, aqui teve pleno desenvolvimento. Tratava-se de um circo que, além de números de acrobacias, malabarismo e palhaçadas, apresentava a adaptação de peças de teatro. Do circo-teatro passou às comédias.

Sua primeira peça foi "Amigo, Mulher e Marido", fazendo o papel de um criado, em 1917, no Teatro Carlos Gomes. Seu maior sucesso no teatro foi o espetáculo "Deus Lhe Pague", de Joracy_Camargo, com o qual viajou o país inteiro e para o exterior. Participou de mais de quatrocentas peças e teve uma carreira de mais de 60 anos.

No cinema, estrelou, entre muitas obras, O Comprador de Fazendas, de 1951 (um sucesso tremendo de público e crítica, com Hélio Souto e Henriette Morineau, baseado na obra de Monteiro Lobato, e "Quem Matou Ana Bela", de 1956.

Suas andanças pelo país, se apresentando em rincões muito distantes, levaram Getúlio Vargas a dizer que Procópio colocou mais cidades no mapa brasileiro do que um cartógrafo. Extremamente popular, disse que o sucesso chegou quando ele parou de pensar com a sua própria cabeça para pensar com a cabeça do público.

Um homem que vivia intensas paixões, foi pai de 06 filhos. De seu primeiro casamento com a artista Argentina Aida Izquierdo nasceu uma das mais importantes atrizes e diretoras brasileiras, Bibi Ferreira. casou também com a grande atriz Norma Geraldy e com a atriz Hamilta Rodrigues.

Do casamento com Hamilta Rodrigues nasceram Maria Maria, João Procópio Filho e Francisco de Assis Procópio Ferreira. De seu relacionamento com a atriz Lígia Monteiro nasceu a Diretora e jornalista Lígia Ferreira. Do romance com a musicista Celecina Nunez nasceu a cantora Mara Sílvia (nome artístico de Mariazinha, como era chamada pelo pai). Um grande Homem, pai e avo (Tina Ferreira filha de Bibi, João Procópio Neto filho de Mariazinha, Bianca filha de Lígia Ferreira, Alice Ferreira filha de Maria Maria e Alessandra Ferreira filha de João Procópio Filho).

Internado no Hospital das Clínicas do Rio de Janeiro por 21 dias, Procópio Ferreira faleceu, aos 80 anos de idade, por conta de um Enfisema Pulmonar.

Sua obra pode ser resumida através de uma de suas mais famosas frases:

"A vida na sua simplicidade é banalíssima. Sem o magnetismo da arte toda natureza é nula".

É bom lembrar também que talento está no sangue desta família, já que sua filha, Bibi Ferreira, é considerada uma das maiores atrizes brasileiras.

Fonte: Wikipédia e Terra

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!