Marquês de Valença

ESTÊVÃO RIBEIRO DE RESENDE
(79 anos)
Proprietário Rural, Desembargador e Político

* Prados, MG (20/07/1777)
Rio de Janeiro, RJ (08/09/1856)

Estêvão Ribeiro de Resende, primeiro Barão com grandeza, Conde e Marquês de Valença, foi um proprietário rural, desembargador e político brasileiro do primeiro reinado nascido em Prados, Rio das Mortes, estado de Minas Gerais, que foi Juiz de Fora, Ministro da Justiça e Senador do Império do Brasil (1826-1856) e se destacou como pacificador e pela fidelidade ao imperador.

Filho do coronel, de família lisboeta, Severino Ribeiro e de Josefa Maria de Resende, casou-se com Ilídia Mafalda de Sousa Queirós, filha do brigadeiro Luís António de Sousa Queirós, quando tinha apenas 14 anos de idade.

Aos vinte anos viajou para Portugal, onde estudou filosofia e direito em Coimbra.

Recebeu em 1801 do Príncipe Regente, como recompensa pelos serviços prestados pelo pai, o Hábito de Cristo e um cartório em São João del Rei e foi nomeado Juiz de Fora de Palmela, em Portugal.

Em virtude da Invasão Francesa em 1808, teve que escapar para Lisboa e depois para o Brasil.

Exerceu diversas funções públicas de importância (1810-1821) como o de Juiz de Fora em São Paulo, em cuja função exerceu a presidência do Senado da Câmara. Também foi fiscal de diamantes em Serro Frio, Minas Gerais, foi desembargador da relação da Bahia, ajudante do intendente-geral da polícia mineira e superintendente-geral dos contrabandos. Foi secretário de estado itinerante e acompanhou Dom Pedro I na viagem de pacificação que fez a Minas Gerais em 1822.

Foi eleito representante de Minas Gerais no conselho de procuradores anterior à constituinte (1823) e participou, instalada da assembléia como deputado. Ministro do Império (1824-1825), recebeu o título de Barão de Valença e foi deputado à primeira legislatura da Assembléia Geral, senador por São Paulo e ministro da justiça. Conde (1827), tornou-se conselheiro honorário do Império (1827) e como Fidalgo Cavaleiro da Casa Imperial, recebeu a Grã-Cruz da Imperial Ordem de Cristo, Dignitário da Imperial Ordem do Cruzeiro e Cavaleiro da Ordem Militar de Cristo.

Marquês (1829), último título concedido por carta de Dom Pedro I, morreu no Rio de Janeiro, aos 79 anos.

Entre os filhos de seu casamento, destacaram-se Amélia de Sousa Ribeiro de Resende, casada com o Marquês de Palarim, Estêvão Ribeiro de Sousa Resende, Barão de Resende e senador, Pedro Ribeiro de Sousa Resende, Segundo Barão de Valença, Geraldo Ribeiro de Sousa Resende, Barão de Resende e de Barão de Iporanga, e Estêvão Ribeiro de Resende, Barão de Lorena e presidente de Mato Grosso.

Fonte: Unidade Acadêmica de Engenharia Civil (UAEC)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!