Dilson Funaro

DILSON DOMINGOS FUNARO
(55 anos)
Empresário e Engenheiro

* São Paulo, SP (23/10/1933)
+ São Paulo, SP (12/04/1989)

Dilson Domingos Funaro foi um engenheiro, empresário brasileiro do ramo de plásticos, proprietário da fábrica de brinquedos Trol. Foi presidente do BNDES e ministro da Fazenda do Brasil durante o governo José Sarney, entre 26 de agosto de 1985 e 29 de abril de 1987. Durante seu cargo como ministro da Fazenda, foi responsável pela criação de um plano de estabilização financeira, o Plano Cruzado.

Dilson Funaro era filho de Paschoal Funaro e neto de Domingos Funaro. Ele cursou a Escola Mackenzie de Engenharia e, vindo de família abastada montou, ainda jovem, a CIBRAPE, uma indústria de plásticos. Logo depois adquiriu a Monitora e, posteriormente, a Trol, uma grande fábrica de produtos de plástico para indústria, uso doméstico e brinquedos.

Em outubro de 1982, descobriu que sofria de Câncer Linfático, uma das formas mais graves da doença, que apresentou várias recidivas, causando sua morte em 1989.

Foi casado com Ana Maria Matarazzo Suplicy, filha de Paul Cochrane Suplicy e Filomena Matarazzo, irmã de Eduardo Matarazzo Suplicy, a quem deixou viúva com seis filhos. São eles: Dílson Suplicy Funaro, Ana Lucia Funaro, Marcos Suplicy Funaro, Jorge Eduardo Suplicy Funaro, Vera Suplicy Funaro e Fernando Suplicy Funaro.


Plano Cruzado

O Plano Cruzado foi um conjunto de medidas econômicas, lançado pelo governo brasileiro em 28 de fevereiro de 1986, com base no decreto-lei nº 2.283, de 27 de fevereiro de 1986, sendo José Sarney o presidente da República e Dilson Funaro o ministro da Fazenda.

As principais medidas contidas no Plano Cruzado eram:

  • Congelamento de preços de bens e serviços nos níveis do dia 27 de fevereiro de 1986;
  • Congelamento da Taxa de Câmbio por um ano em Cz$ 13,84 = US$ 1,00 e Cz$ 20,58 = £ 1,00;
  • Reforma monetária, com alteração da unidade do sistema monetário, que passou a denominar-se cruzado (Cz$), cujo valor correspondia a mil unidades de cruzeiro;
  • Substituição da Obrigação Reajustável do Tesouro Nacional (ORTN), título da dívida pública instituído em 1964, pela Obrigação do Tesouro Nacional (OTN), cujo valor foi fixada em Cz$ 106,40 e congelado por um ano;
  • Congelamento dos salários pela média de seu valor dos últimos seis meses e do salário mínimo  em Cz$ 804,00 que era igual a aproximadamente a US$ 67,00 de salário mínimo;
  • Como a economia fora desindexada, institui-se uma tabela de conversão para transformar as dívidas contraídas numa economia com inflação muito alta em dívidas contraídas em uma economia de inflação praticamente nula;
  • Criação de uma espécie de seguro-desemprego para aqueles que fossem dispensados sem justa causa ou em virtude do fechamento de empresas;
  • Os reajustes salariais passaram a ser realizados por um dispositivo chamado "Gatilho Salarial" ou "Seguro-Inflação", que estabelecia o reajuste automático dos salários sempre que a inflação alcançasse 20%

José Serra e Dilson Funaro (Foto: Arquivo Agência Estado)

Atividades

De 1958 a 1980, Dilson Funaro exerceu diversas atividades, enumeradas a seguir:

  • Diretor do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo - CIESP;
  • Diretor do departamento de Comércio Exterior - FIESP;
  • Membro do do Conselho de Comércio Exterior - CNI;
  • Membro do Conselho de Assuntos legislativo da CNI;
  • Diretor do Departamento de Estatística da FIESP;
  • Diretor Adjunto do Departamento de Economia da FIESP;
  • Conselheiro Especial da CNI;
  • Presidente da Associação Brasileira de Plástico;
  • Presidente da Associação Latino Americana de Plásticos;
  • Presidente do Sindicato da Industria de Material Plástico;
  • Vice-Presidente da FIESP;
  • Membro do Conselho de comércio Exterior da FIESP;
  • Conselheiro da Escola de Administração de Empresas da Fundação Getúlio Vargas;
  • Presidente do Conselho de Tecnologia do Estado de São Paulo;
  • Secretário da Economia e Planejamento do Estado de São Paulo (governo Abreu Sodré);
  • Secretário da Fazenda do Estado de São Paulo (governo Abreu Sodré);
  • Membro do Conselho de Economia da FIESP;
  • Membro do Conselho da Fundação Padre Anchieta (TV educativa);
  • Presidente do Conselho da VASP.

Fonte: Wikipédia
Indicação: Simone Cristina Firmino

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!