Cláudio Kano

CLÁUDIO MITSUHIRO KANO
(30 anos)
Jogador de Tênis de Mesa

* São Paulo, SP (18/12/1965)
+ São Paulo, SP (01/07/1996)

Cláudio Mitsuhiro Kano foi um jogador de tênis de mesa brasileiro de empunhadura caneta canhota.

Cláudio Kano deteve o recorde de 12 medalhas no Jogos Pan-americanos, marca só superada nas edições seguintes por Hugo Hoyama, seu companheiro de esporte, que possui 13 medalhas, e pelo nadador Gustavo Borges, que tem 17 medalhas. Ele também detém o terceiro maior número de medalhas de ouro do Brasil, com sete conquistas, duas a menos do que Hugo Hoyama e uma a menos que Gustavo Borges.

Cláudio Kano começou no esporte desde pequeno brincando em uma mesa dentro de casa com os pais, Dona Mitiko e Minoru em casa. Aos nove anos, seus pais procuraram um clube da colônia japonesa chamado Showa, localizado na zona Sul de São Paulo, onde ele e seu irmão Agnaldo praticavam vários esportes entre eles o tênis de mesa.

Desde pequeno Cláudio Kano mostrava habilidade na mesa, derrotando oponentes mais velhos do que ele. Na primeira vez que participou do Campeonato Intercolonial ficou em segundo lugar. Com isso, os técnicos do clube viram que não tinham muito a ensinar ao jovem habilidoso, e conversaram com seu pai, Srº Minoru para que ele procurasse algum clube com melhores condições de treinamento.

Cláudio Kano começou a treinar no Clube Hebraica, que tinha como técnicos Manoel Medina e Emiko Takatatsu, campeã brasileira na época. Lá conheceu o Mutsuo Kasahara, um ex-jogador japonês que trabalhava em uma multinacional japonesa e treinava em vários clubes. Na época Mutsuo Kasahara viu que o menino tinha potencial e convidou-o a treinar em São Bernardo do Campo que naquela época tinha como técnico Maurício Kobayashi, então técnico da seleção paulista.

Claudio Kano durante treino em janeiro de 1996, em preparação para a Olimpíada de Atlanta 
Morte

Faltavam apenas 18 dias para a abertura dos Jogos Olímpicos de Atlanta de 1996, quando o esporte brasileiro sofreu uma de suas maiores baixas. O mesa-tenista Cláudio Kano, que traçava planos de ficar entre os oito primeiros colocados de seu esporte na Olimpíada, foi vítima de acidente de trânsito na Marginal do Pinheiros. Fechado por um carro, ele bateu no guard-rail e morreu aos 30 anos. Cedo demais para quem ainda tinha muito a fazer pela modalidade.

Seria a terceira Olimpíada de Cláudio Kano, que por seis anos, de 1980 a 1986, treinou e defendeu São Bernardo, e já havia colocado o Brasil em destaque com dois sextos lugares em campeonatos mundiais, 1987 e 1989, seis títulos sul-americanos e, até então, o maior medalhista do país em Jogos Pan-Americanos, com 12 medalhas, marca que foi superada por Hugo Hoyama, no Pan do Rio de Janeiro, em 2007.


Principais Resultados

  • Seis vezes campeão sul-americano
  • Dois sextos lugares nos mundiais de 1987 e 1989
  • 1983 - Caracas - Recebeu duas medalhas de ouro (dupla masculina e por equipe), e uma de bronze (dupla mista)
  • 1987 - Indianápolis - Recebeu uma medalha de ouro (equipe); uma de prata (dupla masculina), e uma de bronze, (individual)
  • 1991 - Havana - Recebeu duas medalhas de ouro (dupla masculina e por equipe) e uma de prata (individual)
  • 1995 - Mar del Plata - Recebeu duas medalhas de ouro (dupla masculina e por equipe), e uma de prata (individual)

Participações em Olimpíadas

  • 1988 - Jogos Olímpicos de Seul
  • 1992 - Jogos Olímpicos de Barcelona

Fonte: Wikipédia

Um comentário:

  1. Já dizia Renato Russo, os bons morrem antes :(
    Eu tinha 12 anos e lembro disso até hoje. Que tristeza

    ResponderExcluir

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!