Bertha Becker

BERTHA KOIFFMAN BECKER
(82 anos)
Geógrafa, Professora e Pesquisadora

* Rio de Janeiro, RJ (07/11/1930)
+ Rio de Janeiro, RJ (13/07/2013)

Bertha Koiffmann Becker foi uma geógrafa brasileira. Graduou-se em Geografia e História pela Universidade do Brasil em 1952, foi Docente Livre-Doutora em Geografia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1970). Realizou pós-doutorado no Massachusetts Institute Of Technology - Department Of Urban Studies And Planning (1986). Foi professora Emérita da Universidade Federal do Rio de Janeiro e coordenadora do Laboratório de Gestão do Território - LAGET/UFRJ. Membro da Academia Brasileira de Ciências e Doutor Honoris Causa pela Universidade de Lyon III. Havendo sido agraciada com as medalhas David Livingstone Centenary Medal da American Geographical Society e Carlos Chagas Filho de Mérito Científico da Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ). Foi consultora ad hoc de várias instituições científicas e membro de conselho editorial de editoras nacionais e internacionais. Coordenou diversos projetos de pesquisa e participou da elaboração de políticas públicas nos Ministérios de Ciência e Tecnologia, da Integração Nacional e do Meio Ambiente. Seu foco principal de pesquisa foi a Geografia Política da Amazônia e do Brasil. Autora de uma extensa produção sobre a geografia política da Amazônia e do meio-ambiente.

Bertha Becker iniciou a carreira na década de 1950, na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), onde deu aulas por 40 anos, tornando-se professora emérita. No Instituto Rio Branco, lecionou por quase 20 anos. Acumulou títulos de prestígio, como doutora honoris causa pela Universidade de Lyon III, na França, e era integrante da Academia Brasileira de Ciências (ABC).

Por mais de 40 anos, Bertha Becker se aprofundou nos estudos sobre os conflitos fundiários nas regiões Centro-Oeste e Norte do Brasil, com foco na Amazônia. Ao longo desse período, estudou e pesquisou in loco a geografia humana e política da região, tornando-se uma autoridade internacional no assunto. Por isso, era sempre requisitada por órgãos do governo, como o Itamaraty e a Secretaria de Assuntos Estratégicos, além de dar conferências nas principais associações internacionais. Sua contribuição foi essencial para o desenvolvimento do plano estratégico da Amazônia, hoje em implantação no Brasil.


Para a companheira de pesquisa e amiga, a geógrafa Ima VieiraBertha Becker deixou um legado enorme. "O que ela fez é muito importante e teve repercussão internacional. Participou de reuniões científicas que deram origem a importantes ações políticas para o Brasil como, por exemplo, a Rio Mais 20 e ECO 92" - disse Ima Vieira, pesquisadora do Museu Goeldi, em Belém.

A geógrafa estudou a fronteira móvel da agropecuária no Brasil desde a década de 60. Começou com o crescimento da pecuária no Rio de Janeiro e São Paulo, depois em Goiás na década de 70 e, a partir daí desenvolveu suas pesquisas de campo principalmente na Amazônia.

"As pessoas pensam que isso é novo, mas não é, a expansão das fronteiras da pecuária na direção da Amazônia tem 50 anos."
(Declarou recentemente Bertha)

Bertha era, desde os anos 90, membro do conselho diretor da Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP) Amigos da Terra – Amazônia Brasileira, da qual era também associada emérita.

"Sua dedicação para a instituição era total, profunda, como tudo o que ela fazia. Bertha foi uma cidadã 24×7, além de uma das pessoas mais inteligentes que já conheci na vida. Uma inteligência que a levava sempre a farejar as mudanças antes que elas se revelassem. A sociedade brasileira recebe uma herança ímpar e um desafio para décadas: decifrar e desdobrar o patrimônio de sabedoria que ela construiu."
(Roberto Smeraldi)

A geógrafa publicou diversos livros, sendo o mais recente "A Urbe Amazônica - A Floresta e a Cidade", finalizado há alguns meses.

Bertha deixou três filhos, Beatriz, Paulo e Lídia, e oito netos.


Morte

A geógrafa, professora, pesquisadora e o maior nome da geografia internacional em estudos sobre a Amazônia, Bertha Koiffmann Becker, de 82 anos, morreu no sábado, 13/07/2013, às 16:30 hs, por complicações decorrentes de um câncer de pulmão, após quatro anos lutando contra a doença.

Além de familiares e amigos, autoridades fizeram as últimas homenagens a pesquisadora, em uma cerimônia na Chevra Kadisha. Seu corpo foi enterrado no Cemitério de Vilar dos Teles, em Belford Roxo.


Publicações

  • Dimensões Humanas da Biodiversidade - O Desafio de Novas Relações Sociais (Co-autoria de Irene Garay)
  • Migrações Internas no Brasil - Reflexo da Organização do Espaço Desequilibrada
  • Tecnologia e Gestão do Território (Bertha Becker et al.)
  • Amazônia Geopolítica Na Virada do III Milênio (2004)
  • Um Futuro Para Amazônia (Co-autoria de Claudio Stenner)
  • Dilemas e Desafios do Desenvolvimento Sustentável (Bertha Becker, Ignacy Sachs e Cristovam Buarque)
  • Becker, Bertha K. Geopolítica da Amazônia

Indicação: Miguel Sampaio

Um comentário:

  1. A Maior Geografa Brasileira a Pesquisadora do Amazonas Culta e Professora. um nome Internacional Vai deixar muitas saudades.

    ResponderExcluir

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!