Maria Della Costa

GENTILE MARIA MARCHIORO DELLA COSTA POLONI
(89 anos)
Atriz

☼ Flores da Cunha, RS (01/01/1926)
┼ Rio de Janeiro, RJ (24/01/2015)

Gentile Maria Marchioro Della Costa Poloni foi uma atriz brasileira nascida no interior do Rio Grande do Sul.

No Rio de Janeiro estreou como show-girl no Cassino Copacabana. Em 1944, estreou no teatro em "A Moreninha", de Joaquim Manuel de Macedo. Em seguida foi para Portugal estudar arte dramática com a atriz Palmira Bastos, no Conservatório de Lisboa.

De volta ao Brasil, passou a fazer parte do grupo Os Comediantes e participou de espetáculos como "Rainha Morta", de Henry de Montherlant (1946), "Terras do Sem Fim", de Jorge Amado, "Vestido de Noiva", de Nelson Rodrigues, e "Não Sou Eu", de Edgard da Rocha Miranda.

Fundou em 1948, junto com seu marido, o ator Sandro Polloni, o Teatro Popular de Arte, e estreou a peça "Anjo Negro", de Nelson Rodrigues, no Teatro Fênix, no Rio de Janeiro.

Em 1954, inaugurou sua própria casa de espetáculos, o Teatro Maria Della Costa, em São Paulo, projetado por Oscar Niemeyer e Lúcio Costa. Sandro Polloni, à frente da casa, criou um repertório considerado um dos melhores do teatro brasileiro. Montagens como "Tobacco Road", de Erskine Caldwell e Jack Kirkland (1948), "A Prostituta Respeitosa", de Sartre (1948), "Com a Pulga Atrás da Orelha", de Feydeau (1955), "A Moratória", de Jorge Andrade (1955), "Rosa Tatuada", de Tennessee Williams (1956), e "A Alma Boa de Setsuan", de Brecht (1958), marcaram essa fase.

A companhia seguiu por uma excursão pela Europa e em 1963 lotaram por 45 dias casas de espetáculos em Buenos Aires.

Ao visitar New York conheceu o autor Arthur Miller e dele trouxe, para comemorar os dez anos de seu teatro, em 1964, a famosa peça "Depois da Queda", dirigida por Flávio Rangel. Com esse mesmo diretor fez também os espetáculos "Homens de Papel", de Plínio Marcos em 1967, "Tudo no Jardim", de Edward Albee, em 1968, entre outros.

No cinema, Maria Della Costa, atuou em diversos filmes como "O Cavalo 13" (1946) e "O Malandro e a Grã-fina" (1947), ambos sob a direção de Luiz de Barros"Inocência" (1949), "Caminhos do Sul" (1949), e "Moral em Concordata" (1959).

Foi dirigida pelo italiano Camillo Mastrocinque no premiado "Areião" (1952), produção da Maristela Filmes.

Já na televisão teve pouca participação. Fez a novela "Beto Rockfeller", na TV Tupi, em 1968, e na TV Globo atuou em "Estúpido Cupido" (1976) e "Te Contei?" (1978).

Em São Paulo, no bairro da Bela Vista, foi fundado em 1954 um teatro que leva seu nome. Nos palcos do Teatro Maria Della Costa passaram os melhores atores e atrizes do teatro brasileiro, bem como importantes cenógrafos, como Gianni Ratto.

Em 2002, Maria Della Costa foi homenageada pelo Ministério da Cultura com a Ordem do Mérito Cultural. Em seus últimos anos de vida, residia no município fluminense de Parati, onde administrava seu hotel.

Morte

Maria Della Costa morreu às 16h30 de sábado, 24/01/2015, aos 89 anos. Ela estava internada no Hospital Samaritano, em Botafogo, na Zona Sul do Rio de Janeiro, e teve um edema pulmonar agudo. O velório foi realizado no domingo, 25/01/2015, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

Maria Della Costa não tinha filhos.

Televisão

  • 1990 - Brasileiras e Brasileiros
  • 1982 - Sétimo Sentido ... Juliana
  • 1978 - Te Contei? ... Ana Paula
  • 1976 - Estúpido Cupido ... Olga
  • 1970 - As Bruxas ... Teresa
  • 1969 - Beto Rockfeller ... Maitê

Teatro
  • 1992 - Típico Romântico
  • 1988 - Temos Que Refazer a Casa
  • 1986 - Alice, Que Delícia
  • 1982 - Motel Paradiso
  • 1974 - Tome Conta de Amélia
  • 1973 - Bodas de Sangue
  • 1968 - Tudo no Jardim
  • 1968 - Abra a Janela e Deixa Entrar o Ar Puro e o Sol da Manhã
  • 1967 - Homens de Papel
  • 1964 - Depois da Queda
  • 1963 - Pindura Saia
  • 1962 - Armadilha Para um Homem Só
  • 1962 - O Marido Vai à Caça
  • 1960 - Society em Baby Doll
  • 1959 - Gimba
  • 1958 - A Alma Boa de Set-Suan
  • 1956 - Moral em Concordata
  • 1956 - A Rosa Tatuada
  • 1956 - A Casa de Bernarda Alba
  • 1955 - A Mirandolina
  • 1955 - Com a Pulga Atrás da Orelha
  • 1954 - O Canto da Cotovia
  • 1952 - Manequim
  • 1951 - Ralé

Fonte: Wikipédia
Indicação: Fadinha Veras e Miguel Sampaio

Um comentário:

  1. é, realmente o baque vai ser maior o dia em que morrerem tbm as atrizes: Tônia Carreiro, Fernanda Montenegro, Marília Pêra, Betty Faria, Sônia Braga, Vera Fischer, Regina Duarte, Bruna Lombardi, Maitê Proença, Malu Mader, Ana Paula Arósio, Luana Piovani... Musas das Telenovelas Globais... e Divas eternas da teledramaturgia nacional as quais quem já assistiu pela TV vai ver o quanto elas deixarão saudades profundas, assim como a Maria Della Costa, por exemplo.

    ResponderExcluir

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!