Estácio de Sá

ESTÁCIO DE SÁ
(47 anos)
Militar

* Santarém, Portugal (1520)
+ Rio de Janeiro, RJ (20/02/1567)

Quem se depara com a natureza exuberante da cidade do Rio de Janeiro dificilmente pode imaginá-la palco de lutas ferozes. No entanto, a cidade maravilhosa foi fundada por Estácio da Sá sob a marca dos combates entre franceses, índios e portugueses.

Estácio de Sá foi um militar português, fundador da cidade do Rio de Janeiro, e primeiro governador-geral da Capitania do Rio de Janeiro, no período colonial.

Filho de Gonçalo Correia e Filipa de Sá, sua primeira esposa. Da segunda esposa, Maria Rodrigues Gonçalo Correia teria outros filhos. Eram seu irmão Francisco de Sá e seu primo Salvador Correia de Sá nascido em 1540. Alguns historiadores dizem que da segunda esposa, Gonçalo Correia teve um filho, Manuel Correia Vasques. Outros dizem ser este filho de Martim Correia de Sá e de Dona Maria de Mendoza.

Estácio de Sá era sobrinho de Mem de Sá, terceiro governador geral do Brasil. Desembarcou na Bahia em 1563, vindo de Portugal, trazendo reforços com o objetivo de expulsar definitivamente os franceses que ainda permaneciam na baía da Guanabara e ali fundar uma cidade.

Diante da situação vulnerável da Colônia, a rainha de Portugal, Dona Catarina, nomeou Estácio de Sá capitão de uma armada destinada a expulsar os franceses da costa brasileira.

Em 1564, a bordo do navio Conceição, Estácio de Sá partiu de Salvador, Bahia, sede do governo geral do Brasil, em direção ao sul. Foi nomeado comandante da esquadra que rumou para a Baía da Guanabara, para expulsar os franceses que estavam instalados na região desde 1555. Ao chegar ao destino, foram duramente repelidos pelos índios Tamoios, que eram numerosos e fizeram Estácio de Sá desistir de aportar na Guanabara.

A esquadra seguiu para a Capitania de São Vicente, em busca de reforços. Desembarcaram no porto de Santos. Os padres Manuel da NóbregaJosé de Anchieta, influentes em toda região, conseguiram recrutar muita gente para reforçar a armada de Estácio de Sá. No dia 20/01/1565, a esquadra partiu para o destino. Índios e mamelucos, sob o comando dos padres José de Anchieta e Gonçalo de Oliveira, desembarcaram em nove canoas, se unindo a mais índios vindos do Espírito Santo.

Marco de Posse e Fundação da Cidade do Rio de Janeiro
Desembarcando na Baía da Guanabara, no dia 01/03/1565, Estácio de Sá iniciou o trabalho de construção da cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro, entre o Pão de Açúcar e o Morro de São João. Junto ao Pão de Açúcar ergueram fortificações. Hoje, na Fortaleza de São João há um marco simbólico da fundação do Rio de Janeiro. Foi lá que Estácio de Sá ergueu as primeiras paliçadas para enfrentar os franceses.

No dia 06/03/1565 ocorreu a primeira batalha. A vitória foi dos tamoios e dos franceses. Dias depois, em nova luta, os portugueses saíram vitoriosos.

No início de 1566, José de Anchieta partiu para Salvador com a missão de levar a Mem de Sá um relato da situação. Três meses depois o padre José de Anchieta se integrou à esquadra preparada por Mem de Sá para auxiliar seu sobrinho Estácio de Sá, para conquistar definitivamente o Rio de Janeiro.

Seguiram também com a esquadra, o bispo Dom Pero Leitão e o novo provincial dos jesuítas, Luís de Grã.

Chegaram ao Rio de Janeiro no dia 18/01/1567. Com a chegada da esquadra comandada por Cristóvão de Barros com reforços comandados pessoalmente por seu tio Mem de Sá e indígenas mobilizados pelos padres jesuítas José de Anchieta e Manuel da Nóbrega, lançou-se ao ataque, travando os combates de Uruçu-Mirim (atual praia do Flamengo) e Paranapuã (atual Ilha do Governador).

Gravemente ferido por uma lança indígena que lhe vazou um olho durante a Batalha de Uruçu-mirim em 20/01/1567, veio a falecer um mês mais tarde, em 20/02/1567, provavelmente por septicemia decorrente do ferimento.


Existe uma capela na Igreja de São Sebastião dos Frades Capuchinhos, na cidade do Rio de Janeiro, com a sua campa tumular onde encontra-se a seguinte inscrição:

"Aqui jaz Estácio de Saa, 1o Capitam e Conquistador desta terra cidade, e a campa mandou fazer Salvador Correa de Saa, seu primo, 2o Capitam e Governador, com suas armas e essa Capela acabou o ano de 1583."

O túmulo de Estácio de Sá foi colocado em 1583 na Igreja Matriz de São Sebastião do Morro do Castelo, antes seus restos mortais encontravam-se na Capela de São Sebastião, junto ao Morro Cara de Cão.

Em 1922, antes da demolição do Morro do Castelo o túmulo foi removido e depois transferido para a Igreja de São Sebastião na Tijuca, onde ainda se encontra.

Indicação: Miguel Sampaio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!