Caninha

JOSÉ LUIZ DE MORAIS
(77 anos)
Compositor

* Rio de Janeiro, RJ (06/07/1883)
+ Rio de Janeiro, RJ (16/06/1961)

José Luiz de Morais mais popularmente conhecido como Caninha, foi um compositor brasileiro. Nasceu no Rio de Janeiro, no bairro de Jacarepaguá, mas, em seguida, mudou-se para a Cidade Nova. Perdendo seus pais muito cedo, conseguiu emprego como vendedor de roletes de cana, na estação da Estrada de Ferro Central do Brasil, e, a partir daí, passou a ser chamado de Caninha Doce e, por fim, apenas Caninha. Nessa época aprendia cavaquinho com Adolfo Freire.

Sendo o mais antigo compositor de samba da primeira leva, Caninha foi amigo de DongaPixinguinhaJoão da BaianaHeitor dos Prazeres, entre outros. 

Por 1900, começou a frequentar as reuniões de sambistas nas casas da Tia Dadá e da Tia Ciata, baianas da Cidade Nova. Nesta época também estudou cavaquinho com o músico Adolfo Freire. Um dos fundadores do Dois de Ouro, rancho pioneiro no Rio de Janeiro, participou ainda do Balão de Rosa, do Rosa Branca, do Recanto das Fadas, do União dos Amores, chegando a ser diretor de canto do Recreio das Flores.

Já havia feito várias músicas, mas o seu primeiro sucesso foi o maxixe "Gripe Espanhola", lançado na festa da Penha em 1918, num momento em que que a famosa gripe tornava-se uma epidemia, obrigando as repartições públicas a fecharem suas portas para evitar contágio. Outros sucessos vieram aumentando em muito seu prestígio: "Ninguém Escapa do Feitiço", "Até Parece Coisa Feita", "Quem Vem Atrás Feche a Porta", "Que Vizinha Danada", "Essa Nêga Qué Me Dá", dentro outras.

Depois, tornou-se frequentador constante da festa e passou a integrar vários grupos carnavalescos, como o Grupo de Caxangá, do qual participava com o nome de Mané do Riachão, o Grupo Cidade Nova, integrado também por Pixinguinha, e o Grupo Sou Brasileiro.

Em 1919 compôs o tango "O Kaiser Em Fuga" e o samba "Até Parece Coisa Feita".

Em 1920, fez os sambas "Quem Vem Atrás Fecha a Porta", outro sucesso, e "Ninguém Escapa Ao Feitiço".

Em 1921 obteve êxito com sua primeira composição gravada, "Esta Nêga Qué Mi Dá" (Caninha e Lezute). Ainda em 1921, compôs um samba e um tango, ambos com o mesmo título, "Que Vizinha Danada".

Em 1922 foi acirrada a disputa entre Sinhô e Caninha pela majestade do samba. Sinhô recebeu as honras de Rei do Samba, e Caninha foi aclamado Imperador do Samba. Conquanto Sinhô tenha sido o autor de maior sucesso do período, Caninha foi o único que conseguiu ameaçar o seu reinado de popularidade, inclusive tendo derrotado o Rei do Samba, em 1922, no concurso da Festa da Penha, com a marcha-rag-time "Me Sinto Mal". A partir daí, tudo que compusesse seria sucesso.

Vários foram os seus intérpretes, entre os principais, o Rei da Voz Francisco Alves e os cantores Bahiano, Fernando, Mário Reis, Frederico RochaMoreira da Silva.

Para o Carnaval de 1923, compôs o maxixe "Não é Conversa", a marcha "Meu Amor Qué Me Batê" e o samba "Não Se Ganha Pra Comer".

Em 1927 obteve o primeiro prêmio no concurso do jornal Correio da Manhã, com "Rosinha".

Com o falecimento de Sinhô em 04/08/1930, de quem, embora rival, Caninha também era amigo, acabou se afastando do meio musical.

Em 1933, já por muitos considerado ultrapassado, compôs "É Batucada", feita em parceria com o jornalista Horácio Dantas, que usava o pseudônimo de Visconde de Bicoíba. Com este samba, venceu o Primeiro Concurso de Sambas e Marchas instituído pela Prefeitura do Rio de Janeiro, então Distrito Federal, que também lhe agraciou com o Diploma de Sambista, visto que concorrera com outros 63 compositores importantes do período. Essa música foi gravada por Moreira da Silva, na Columbia, com acompanhamento do grupo instrumental Gente do Morro, de Benedito Lacerda.

No início dos anos 40, chegou a se casar com Edméia Franco, no entanto não teve filhos.

Funcionário Público, José Luiz de Morais se aposentou em 1945.

Em 1954, participou do Festival da Velha Guarda organizado por Almirante, de que também fizeram parte PixinguinhaDongaJoão da Baiana, Alfredinho Flautim e outros.

Caninha faleceu aos 77 anos, em sua casa em Olaria, subúrbio do Rio de Janeiro, no dia 16/06/1961, embora em 1950, a prefeitura do Rio de Janeiro, supondo sua morte, já o tivesse incluído numa homenagem prestada a sambistas famosos falecidos, ao lado de Noel RosaSinhô e outros.

Fonte: Wikipédia

Um comentário:

  1. Falta de memoria no Brasil a um musico - compositor - Caninha faleceu aos 77 anos, em sua casa em Olaria, subúrbio do Rio de Janeiro, no dia 16/06/1961, embora em 1950, a prefeitura do Rio de Janeiro, supondo sua morte, já o tivesse incluído numa homenagem prestada a sambistas famosos falecidos, ao lado de Noel Rosa, Sinhô e outros.

    ResponderExcluir

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!