Zito

JOSÉ ELY DE MIRANDA
(82 anos)
Jogador de Futebol

☼ Roseira, SP (08/08/1932)
┼ Santos, SP (14/06/2015)

José Ely de Miranda, mais conhecido por Zito, foi um futebolista brasileiro que iniciou a carreira pelo Esporte Clube Taubaté atuando na posição de volante.

Zito nasceu no dia 08/08/1932 em meio ao auge da Revolução Constitucionalista de São Paulo, a hoje cidade de Roseira nem era município, pertencia ainda à cidade de Aparecida. Somente na metade da década de 60, a cidade foi emancipada. No entanto quando isto aconteceu, o seu filho e cidadão mais ilustre já atuava há um tempo com a tarja de capitão da equipe do Santos, sendo reconhecido como um dos melhores da posição no planeta, além de ser bicampeão mundial com o Santos e com a Seleção Brasileira.

Quando pequeno José Ely era chamado por seu familiares de "Joselito", porém, em meio aos amigos, para simplificar ainda mais a alcunha, passou a ser chamado de "Zito", apelido pelo qual é mundialmente conhecido até os dias de hoje.

A carreira de jogador de futebol de Zito começou aos 16 anos exatamente no Vale do Paraíba. Com 19 anos ele desfilava toda a sua técnica pelos gramados da região, sendo considerado o melhor volante de todo o Vale do Paraíba. Era um volante cheio de técnica, moderno para sua época, distante dos volantes que só sabiam destruir jogadas. Zito era daqueles jogadores que sabiam atacar e defender da mesma forma, sempre com classe e maestria.

Neste período Zito disputava muitos jogos pela equipe do Taubaté, inclusive participava do Campeonato Paulista. Por indicação acabou sendo contratado pelo Santos Futebol Clube e desembarcou na Vila Belmiro às vésperas de completar 20 anos de idade, no dia 15/06/1952.


A estréia do volante com a camisa do Santos aconteceu em 30/06/1952 no amistoso realizado contra o time carioca do Madureira, vencido pelo time santista por 3x1. Durante um bom tempo Zito foi reserva do saudoso Formiga e nesta condição conquistou seu primeiro título com a camisa do Santos, o Campeonato Paulista de 1955.

Em 1956, Zito já havia conquistado a condição de titular na equipe do Santos, sendo notável e impressionante seu senso de organização no meio-campo. O jogador também se destacava na liderança, respeitado naturalmente por seu companheiros, dentro e fora do campo. Neste ano de 1956 conquistou novamente o título do Campeonato Paulista, fato que se repetiu em muitos outros anos.

Mas, ainda na década de 50, surgiu na Vila Belmiro um menino chamado Pelé, que como todos nos sabemos se tornou o melhor jogador de futebol de mundo. No entanto, Zito nunca se fez de rogado quando precisava dar uma bronca em Pelé, mesmo quando ele já era de fato o Rei do Futebol.

Para o volante não importava quem estava ao seu lado. Se não estivesse jogando bem, Zito utilizava sua liderança inata para chamar a atenção do companheiro. Era muito comum observá-lo dando gritos de incentivo aos seus companheiros a fim de que a equipe marcasse mais gols, mesmo com o placar já bem dilatado a favor do Santos, com a vitória garantida.

Zito tinha a permissão do técnico Lula para ser o grande orientador da equipe dentro das quatro linhas. Ele era uma espécie de técnico dentro do campo. Por meio de seus passes perfeitos e posicionamento dentro de campo, o Santos conseguiu alcançar muitos resultados positivos.


Seu perfil fez com que todos os jogadores, sem exceção, respeitassem-no, mesmo os mais renomados como Jair da Rosa Pinto, por exemplo. Até mesmo o Pelé se curvava perante sua liderança. Na Vila Belmiro, Zito ficou também conhecido como "Gerente".

Zito atuou no Santos até 1967, despediu-se do clube deixando a camisa número 5 para um jovem, que assim como ele, também se tornaria uma lenda viva na história do Santos: Clodoaldo.

Após encerrar a carreira, Zito permaneceu ainda muito ligado ao Santos, clube que segundo ele era o grande amor, sua vida. O ídolo continuou vivendo na cidade e atuou no clube em vários cargos, como auxiliar técnico, diretor de futebol, gerente e vice-presidente. Foi um dos responsáveis pelo surgimento na base santista dos jogadores Diego, Robinho e Neymar.

As homenagens fizeram parte de sua vida, o craque virou nome de centro esportivo em Pindamonhangaba, cidade vizinha à Roseira. No Centro Esportivo José Ely de Miranda, muitos garotos aprimoram-se no esporte, onde quem sabe um dia, um novo representante da região do Vale do Paraíba possa despontar no cenário esportivo mundial.

Zito foi o grande líder de uma geração de sonho, representando a disciplina e a organização de uma equipe que jogava por música, passando por cima de qualquer adversário em qualquer situação. Um jogador que impunha respeito até mesmo para o Rei Pelé, certamente, deve ser ovacionado por todos.

Zito atuou em 727 jogos com a camisa do Santos, marcou 57 gols.

Seleção Brasileira

Pela Seleção Brasileira de Futebol jogou a partir de 1956, tendo ajudado nas conquistas das Copas do Mundo de 1958 e 1962.

Em 1958 era inicialmente reserva, porém foi escalado para a partida contra a Seleção Soviética, permanecendo como titular a partir de então.

Na Copa de 1962 marcou um dos gols na partida final contra a Tchecoslováquia.

Morte

Zito morreu no domingo, 14/06/2015, em sua casa, em Santos, aos 82 anos. A morte foi confirmada pela assessoria de imprensa do Santos, que não revelou a causa. O velório ocorreu na segunda-feira, 15/06/2015, das 8:00 hs às 11:00 hs, no Memorial Necrópole Ecumênica, em Santos. Depois do velório, o corpo foi encaminhado para Roseira, no interior de São Paulo, cidade natal de Zito.

Zito recebia acompanhamento médico em casa depois que sofreu um Acidente Vascular Cerebral há menos de um ano. Ele passou 32 dias na Santa Casa de Misericórdia de Santos.

Pela morte de Zito, o Santos decretou sete dias de luto oficial e suspendeu as atividades de segunda-feira, 15/06/2015. O clube lançaria um livro do título Paulista na segunda-feira, mas cancelou o evento.

"Obrigado por tudo, Zito. Descanse em paz, eterno capitão", escreveu o Santos no Twitter.

Djalma Santos, Zito e Pelé na Inglaterra, em 1963
Títulos

  • Campeonatos Paulistas: 1955, 1956, 1958, 1960, 1961, 1962, 1964, 1965 e 1967
  • Campeonato Brasileiro: 1961,1962, 1963 e 1964
  • Libertadores da América: 1962 e 1963
  • Copa Intercontinental: 1962 e 1963
  • Torneios Rio-São Paulo: 1959, 1963, 1964 e 1966
  • Copa do Mundo FIFA: 1958 e 1962

Indicação: Miguel Sampaio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!