Paulo Pagni

PAULO ANTÔNIO FIGUEIREDO PAGNI
(61 anos)
Baterista

☼ São Paulo, SP (01/06/1958)
┼ Salto, SP (22/06/2019)

Paulo Antônio Figueiredo Pagni, também conhecido como Paulo Pagni, foi um baterista, nascido em São Paulo, SP, no dia 01/06/1958.

Paulo Pagni foi um baterista integrante da banda RPM desde 1984. Também fez parte da formação do grupo P.R5, ex-banda de apoio do cantor Paulo Ricardo.

Filho único do farmacêutico Orestes Pagni e de Dona Aparecida, depois de estudar nos Estados Unidos, voltou ao Brasil e abriu o Planeta Gullis, um estúdio de ensaio para bandas.

Em 1984, foi convidado para integrar o RPMPaulo Pagni foi o último a entrar no RPM. A banda precisava de um baterista, pois sem baterista, não dava pra gravar. Luiz Schiavon lembrou-se então de Paulo Pagni, que havia conhecido quatro anos antes, em uma improvisada jam-session, os dois tocaram juntos umas 2 vezes.

Quando Luiz Schiavon ligou para Paulo Pagni ele nem lembrava mais dele e mesmo assim aceitou o convite de tocar. Era um músico experiente que havia passado algum tempo nos Estados Unidos e de volta ao Brasil montou um estúdio de ensaios, o Planeta Gullis.


Em janeiro de 1985, Paulo Pagni entrou para o RPM como convidado, no meio da gravação do LP. Em março de 1985, a banda voltou a fazer shows e foi em um destes shows, no Noite Carioca, que Ney Matogrosso se interessou pelos garotos que após uma conversa com Manoel Poladian resolveram que o Ney Matogrosso seria o diretor dos shows.

O sucesso, no entanto, causou uma superexposição da banda e os problemas internos começaram a aparecer. Em 1987, Deluqui e Paulo Pagni abandonaram a banda, retornando somente em março de 1988, quando foi lançado o álbum "Quatro Coiotes". Um ano depois, a banda anunciou novamente seu fim.

Em 1993, uma nova tentativa de retorno, sem a formação original, foi frustrada após o lançamento do fraco álbum "RPM".

Em 2002, Paulo Pagni voltou a trabalhar com os parceiros do RPM lançando o single "Vida Real", que foi tema de abertura do programa "Big Brother Brasil" da TV Globo. No final do mesmo ano teve início o trabalho com a MTV para lançamento de um especial do RPM com CD e DVD.

O álbum "MTV RPM 2002", foi gravado ao vivo no Teatro Procópio Ferreira, em São Paulo, nos dias 26 e 27 de março 2002. O trabalho vendeu mais de 300 mil cópias do CD e 50 mil cópias do DVD. O ano de 2002 foi repleto de realizações.

RPM
Em 2003, após divergências entre os integrantes, o RPM novamente foi desfeito. Surge então a banda P.R5 que era formada por Paulo Ricardo junto com Paulo Pagni, Jax Molina, Juninho, Paulinho Pessoa e Yann Lao ex- Metrô.

Em 2004 foi lançado o trabalho "Zum Zum" que foi um fracasso de vendas.

Em dezembro de 2007 foi lançado o livro "Revelações Por Minuto", contando a história do RPM de autoria de Marcelo Leite de Moraes com fotos de Rui Mendes.

O tão esperado Box Comemorativo dos 25 anos do RPM foi lançado em julho de 2008, contendo os três CDs da banda, um CD de raridades e um DVD com o show "Rádio Pirata" de 1986 no Anhembi em São Paulo e gravações de programas como Chacrinha, Mixto Quente e Globo Repórter.


Em 2010, a TV Globo produziu o especial "Por Toda a Minha Vida" sobre o RPM. O programa apresentou a trajetória da banda do início até o fim em 1989. Com depoimentos dos próprios músicos e de pessoas ligadas à história da banda, o programa foi um estopim para um novo retorno.

No início de 2011, Paulo Ricardo e Luiz Schiavon já estavam compondo novas canções e ensaiando com Fernando Deluqui e Paulo Pagni. O show que marcou o retorno foi no encerramento da Virada Cultural em São Paulo, no dia 17/04/2011. O lançamento oficial da nova turnê da banda foi no dia 20/05/2011, no Credicard Hall, em São Paulo, apresentando as novas canções e os clássicos dos anos 80.

Já o lançamento do álbum "Elektra" foi no dia 18/11/2011, no Citibank Hall, no Rio de Janeiro. O novo trabalho, trazia um CD duplo com 12 canções inéditas, com destaque para "Dois Olhos Verdes", "Muito Tudo", "Ela é Demais (Pra Mim)" e a regravação de "Ninfa". O CD 2, é composto por sete, das doze canções inéditas, remixadas pelo DJ Joe K.

Morte

Internado em decorrência de uma fibrose pulmonar, no dia 02/06/2019, por causa de uma declaração errada do hospital a mídia nacional divulgou uma falsa morte do músico. Após mais de vinte dias internado, Paulo Pagni faleceu no sábado, 22/06/2019, às 08h40, aos 61 anos, em Salto, SP, vítima de insuficiência respiratória e broncopneumonia.

Paulo Pagni estava internado em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital São Camilo, em Salto, SP, desde 14/05/2019. Ele deu entrada na unidade com infecção pulmonar, apresentando dificuldade respiratória e estava recebendo ventilação por traqueostomia. Ele havia sido diagnosticado com fibrose pulmonar.

Indicação: Miguel Sampaio
#FamososQuePartiram #PauloPagni

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!