Teixeirinha

VÍTOR MATEUS TEIXEIRA
(58 anos)
Cantor, Compositor e Ator


☼ Rolante, RS (03/03/1927)
┼ Porto Alegre, RS (04/12/1985)

Vítor Mateus Teixeira, mais conhecido pelo seu nome artístico Teixeirinha ou o Rei do Disco, pelos recordes de vendas, foi um cantor, compositor e ator brasileiro, nascido em Rolante, distrito de Mascaradas, RS, no dia 03/03/1927.

Teixeirinha era filho de Saturnino Teixeira e Ledurina Mateus Teixeira, e teve um irmão e duas irmãs. Com 6 anos perdeu o pai e, com 9 anos, perdeu a mãe, ficando órfão. Foi morar com parentes, mas estes não tinham condições de sustentá-lo. Saiu de sua terra ainda menino, seguindo sua caminhada pelo mundo fazendo de tudo um pouco.

Aprendeu a ler nos poucos meses que frequentou a escola, e fez sua morada as muitas cidades por onde passou: Taquara, Santa Cruz do Sul, Soledade, Passo Fundo e Porto Alegre. Para sobreviver trabalhou em granjas no interior. Seu primeiro emprego foi em Porto Alegre, na pensão de Dona Aidê, carregando malas, vendendo doces como ambulante, entregador de viandas, vendedor de jornais, enfim fazia qualquer atividade para poder sobreviver.

Com Dezesseis anos se auto-registrou como Cidadão Brasileiro. Aos dezoito anos se alistou no Exército, mas não chegou a servir. Nesta ocasião foi trabalhar no Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (DAER), como operador de máquinas, durante seis anos. Dali saiu para tentar a carreira artística, cantando nas rádios do interior nas cidades de Lajeado, Estrela, Rio Pardo e Santa Cruz do Sul. Nesta última conheceu sua esposa Zoraida Lima Teixeira.

Casaram-se em 1957 e foram morar em Soledade, em seguida mudaram-se para Passo Fundo, onde compraram um "Tiro ao Alvo" que era cuidado por ele e sua esposa. Durante a noite Teixeirinha se apresentava na Rádio Municipal de Passo Fundo.

Com o coração voltado para a música, nas horas vagas já era solicitado para animar festas, iniciando assim sua carreira com shows. Sem estudar canto nem música, possuía muita capacidade de improvisação e repentismo. A beleza simples de suas letras e a melodia comunicativa de suas músicas eram frutos de inspiração espontânea, gerados por sua vivência, seu amor à vida e aos seus semelhantes.

Em 1959 foi convidado para gravar em São Paulo. Viajou na segunda classe de um trem. Gravou seu primeiro 78RPM onde de um lado tinha a música "Xote Soledade" e do outro "Briga no Batizado".

Segundo depoimento de um dos membros da Gravadora Chantecler, Drº Biaggio Baccarin, o sucesso assim aconteceu:

Como se constata, "Coração de Luto" ocupou o lado B do quarto disco gravado por Teixeirinha, o qual foi lançado sem qualquer preocupação de sucesso que, no entanto, aconteceu espontaneamente após seis meses de seu lançamento.

As primeiras reações vieram de Sorocaba, SP, e em pouco tempo já era sucesso nas demais cidades da região. Foi nessa ocasião que a gravadora Chantecler resolveu trazer o cantor para São Paulo a fim de trabalhar o disco, cujo trabalho teve início com um show na cidade de Sorocaba, SP e, posteriormente, nas demais cidades do Estado de São Paulo, até o triângulo mineiro.

O sucesso aconteceu em todo o Brasil, com venda superior a um milhão de cópias no ano de 1961. Um acontecimento inédito na história da música popular brasileira. Para se ter uma idéia deste fato, o disco "Coração de Luto" chegou a ser vendido no câmbio negro em Belém, PA, onde haviam filas para comprá-lo.

A gravadora não tinha condições de atender aos pedidos e era obrigada a distribuir cotas para cada loja. O fato de Belém foi registrado pelo saudoso Edgard Pina, então agente da Chantecler naquela capital.

Teixeirinha voltou a Passo Fundo, vendeu o "Tiro ao Alvo" e se mudou para Porto Alegre. Foi chamado novamente pela Chantecler, desta vez para morar em São Paulo e continuar a divulgação do sucesso "Coração de Luto", no entanto, recusou domiciliar-se em São Paulo, voltando para Porto Alegre.


Com o que ganhou na excursão em São Paulo, comprou uma casa, no bairro da Glória em Porto Alegre, onde viveu toda sua vida e uma Kombi para viajar por todo o Brasil. Então, definitivamente Teixeirinha assumiu a carreira artística, passando a trabalhar em circos, parques, teatros, cinemas e demais casas de espetáculos. Como o próprio cantor relatou em uma de suas últimas entrevistas à imprensa:

"... onde o povo me pediu para estar, eu fui!"
(RBS/TV - julho/1985)

Teixeirinha começou a viajar por todo o Brasil como o "Gaúcho Coração do Rio Grande".

Em 1963, ganhou o troféu Chico Viola outorgado pela TV Record de São Paulo, no programa "Astros do Disco", um programa de gala da televisão brasileira que tinha por objetivo premiar os melhores do disco de cada ano, e Teixeirinha ganhou por ter sido o cantor campeão de vendagem por dois anos consecutivos, em 1962 e 1963.

Internacionalmente ganhou o troféu Elefante de Ouro como maior vendagem de discos em Portugal.

A música "Coração de Luto", até hoje, vendeu mais de 25 milhões de cópias.

Em 1964, Teixeirinha escreveu a história do filme "Coração de Luto", que foi produzido pela Leopoldis Som, em 1966, se transformando em outro recorde de bilheteria.

Em 1969, encenou no filme "Motorista Sem Limites" juntamente com Walter D’Avila, produzido por Itacir Rossi.

Em 1970 criou sua própria produtora Teixeirinha Produções Artísticas Ltda., pela qual escreveu, produziu e distribuiu dez filmes: "Ela Tornou-se Freira" (1972), "Teixeirinha 7 Provas" (1973), "Pobre João" (1974), "A Quadrilha do Perna Dura" (1975), "Carmem a Cigana" (1976), "O Gaúcho de Passo Fundo" (1978), "Meu Pobre Coração de Luto" (1978), "Na Trilha da Justiça" (1978), "Tropeiro Velho" (1980) e "A Filha de Iemanjá" (1981).


Teixeirinha e Mazzaropi foram os maiores fenômenos populares do cinema sul-americano regional. No caso do cantor gaúcho, seus filmes chegaram a superar 1,5 milhões de espectadores, obtidos apenas nos três Estados do sul do país. A fórmula era semelhante: baseavam-se em músicas de autoria de Teixeirinha, que interpretava a si mesmo. Eram coproduzidos por distribuidores e exibidores locais, que lhes asseguravam a permanência em cartaz. Sua última produção, "A Filha de Iemanjá", foi distribuída pela Embrafilme, com fracos resultados.

Durante 20 anos, apresentou programas de rádio diariamente com duas edições: "Teixeirinha Amanhece Cantando" (Manhã), "Teixeirinha Comanda o Espetáculo" (Noite) e "Teixeirinha Canta Para o Brasil "(Domingos pela manhã) em diversas rádios da capital, com transmissão para o interior e outros Estados brasileiros.

Teixeirinha recebeu 9 discos de ouro, foi cidadão emérito de vários municípios como Passo Fundo, Santo Antônio da Patrulha e Rolante.

Em 1973 foi contratado para fazer 15 apresentações nos Estados Unidos.

Em 1975 foi para o Canadá, onde realizou 18 espetáculos.

Teixeirinha fez shows na maioria dos países da América do Sul.

Durante 22 anos Mary Terezinha lhe acompanhou com acordeon em shows, rádio e cinema.

Teixeirinha teve um recorde de venda de discos sendo que até 1983, lançou 70 LPs, compôs por volta de 1200 canções e vendeu mais de 80 milhões de cópias.

Teixeirinha teve sete filhas e dois filhos: Sirley, Liria Luisa, Victor Filho, Margareth, Elizabeth, Fátima, Márcia Bernadeth, Alexandre e Liane Ledurina.

Morte

Teixeirinha faleceu vítima de câncer, aos 58 anos, em Porto Alegre, RS, no dia 04/12/1985, e está sepultado no Cemitério da Santa Casa de Misericórdia, em Porto Alegre, Quadra 04, Túmulo 04.

Sua viúva, Zoraida Lima Teixeira, com quem Teixeirinha se casara em 1956, faleceu em 2014.

Discografia

  • 1961 - O Gaúcho Coração do Rio Grande
  • 1961 - Assim é Nos Pampas
  • 1961 - Um Gaúcho Canta Para o Brasil
  • 1962 - O Gaúcho Coração do Rio Grande, Volume 4
  • 1963 - Saudades de Passo Fundo
  • 1963 - Êta Gaúcho Bom
  • 1963 - Teixeirinha Interpreta Músicas de Amigos
  • 1964 - Teixeirinha Show
  • 1964 - Gaúcho Autêntico
  • 1964 - Canarinho Cantador
  • 1965 - O Rei do Disco
  • 1965 - Bate-bate Coração
  • 1965 - Disco de Ouro
  • 1966 - Teixeirinha no Cinema
  • 1967 - Coração de Luto (Trilha Sonora do Filme)
  • 1967 - Mocinho Aventureiro
  • 1967 - Dorme Angelita
  • 1968 - Doce Coração de Mãe
  • 1968 - Última Tropeada
  • 1969 - O Rei
  • 1969 - Volume de Prata
  • 1970 - Carícias de Amor
  • 1970 - Doce Amor
  • 1971 - Num Fora de Série
  • 1971 - Entre a Cruz e o Amor
  • 1971 - Chimarrão da Hospitalidade
  • 1972 - Ela Tornou-se Freira (Trilha Sonora do Filme)
  • 1972 - Minha Homenagem
  • 1973 - O Internacional
  • 1973 - Sempre Teixeirinha
  • 1974 - Última Gineteada / Menina Que Passa
  • 1975 - Pobre João (Trilha Sonora do Filme)
  • 1975 - Aliança de Ouro
  • 1975 - Lindo Rancho
  • 1977 - Novo Som de Teixeirinha
  • 1977 - Norte a Sul
  • 1977 - Canta Meu Povo / Fronteira Gaúcha
  • 1978 - Amor de Verdade / Inseparável Violão
  • 1978 - Menina da Gaita / O Centro-Oeste Brasileiro
  • 1979 - 20 Anos de Glória
  • 1979 - Menina da Gaita
  • 1980 - Menina Margareth / Vida e Morte
  • 1981 - Rio Grande de Outrora / Crime de Amor
  • 1981 - Iemanjá (Trilha Sonora do Filme)
  • 1982 - Que Droga de Vida / Infância Frustrada
  • 1982 - Os Reis do Desafio - Dez Desafios Inéditos (Teixeirinha e Mary Terezinha)
  • 1983 - Chegando de Longe / Apenas Uma Flor
  • 1984 - Guerra dos Desafios - Teixeirinha e Nalva Aguiar
  • 1984 - Quem é Você Agora / Amor Desfeito
  • 1985 - Amor Aos Passarinhos
  • 1993 - Milonga da Fronteira (Póstumo)
  • 1994 - Teixeirinha Canta Com Amigos (Póstumo)


Participação Especial

  • 1981 - A Grande Noite da Viola (Ao Vivo)


Filmografia

  • 1967 - Coração de Luto
  • 1969 - Motorista Sem Limites
  • 1972 - Ela Tornou-se Freira
  • 1973 - Teixeirinha a 7 Provas
  • 1974 - O Pobre João
  • 1976 - Na Trilha da Justiça
  • 1976 - Carmen a Cigana
  • 1976 - A Quadrilha do Perna Dura
  • 1978 - Meu Pobre Coração de Luto
  • 1978 - Gaúcho de Passo Fundo
  • 1979 - Tropeiro Velho
  • 1981 - A Filha de Iemanjá

Fonte: Wikipédia

4 comentários:

  1. Foi o cantor preferido da minha infância... Ass. Vaskyto

    ResponderExcluir
  2. esse Cantor gaucho suas musicas foram muito tocados nos Rádios e que era compositor também e fez dupla com a Mary Terezinha eu assisti ao um show seu na cidade de Catole do Rocha-PB

    ResponderExcluir
  3. Tenho um disco com a música Angelita hino ao motorista entre outras músicas.

    ResponderExcluir

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!