Lily Marinho

LILY MONIQUE DE CARVALHO MARINHO
(89 anos)
Socialite

* Colônia, Alemanha (10/05/1921)
+ Rio de Janeiro, RJ (05/01/2011)

Nascida Lily Monique Lemb, foi uma socialite brasileira, conhecida por ter sido a esposa do dono das Organizações Globo, Roberto Marinho.

Filha única da francesa Jeanne Bergeon e do militar britânico John Lemb, Lily Marinho foi criada em Paris. Aos dezessete anos, ficou noiva do jornalista e fazendeiro brasileiro Horácio Gomes Leite de Carvalho Filho. O avô paterno de Horácio foi o 2° Barão de Amparo, Joaquim Gomes Leite de Carvalho, e o avô materno, Luís de Sousa Monteiro de Barros, o 1° Barão de Monteiro de Barros.

Chegou ao Rio de Janeiro um ano depois, contrariando o pai e sendo apoiada pela mãe. Lily e Horácio tiveram um filho, Horácio de Carvalho Junior, e viveram quarenta e cinco anos juntos. Entretanto, em 1966, Horacinho morreu em um acidente de carro aos vinte e seis anos, em companhia da cantora Sylvia Telles. Sete meses depois, aconselhada por sua amiga Sarah Kubitschek, Lily adotou um bebê, João Baptista.

Foi após seu segundo casamento em 1991, com o jornalista Roberto Marinho, que Dona Lily, como é chamada, tornou-se uma figura nacionalmente reconhecida. Eles se conheceram em 1942, na fazenda do empresário em Cosme Velho, quando a socialite ainda era casada com seu primeiro marido. Roberto Marinho apaixonou-se à primeira vista por Lily, mas omitiu o sentimento até a morte de Horácio, em 1983. Os detalhes deste primeiro encontro, tais como sua roupa, jóias e o jeito de cruzar as mãos, foram contados mais tarde à Lily pelo próprio Roberto Marinho, que se separou de sua segunda esposa, Ruth Albuquerque.

Embaixadora da Boa Vontade da Unesco, Lily Marinho desenvolveu projetos sociais e era apaixonada pelas artes. Presidiu as comissões de honra das exposições de Rodin, Picasso, Camille Claudel e Monet no Brasil.

Sua decisão de homenagear Roberto Marinho veio em 3 de dezembro de 2003. A partir daí, Lily debruçou-se sobre cartas, fotografias de casamento de catorze anos e, durante quatro meses, mergulhou nas lembranças revivendo, com saudade, momentos inesquecíveis. Escreveu em francês. Foram três meses de tradução, releituras e correções e, onze meses depois, o livro "Roberto & Lily" estava concluído.

Em maio de 2008, Lily Marinho decidiu colocar jóias, obras de arte (incluindo quatro telas de Cândido Portinari), móveis, entre outros bens, a leilão, para evitar disputas entre seus herdeiros: o filho adotivo João Baptista, os quatro netos e quatro ex-noras. Curiosamente, neste mesmo ano, Lily havia dito que fizera isso pois teria apenas mais três anos de vida. E estava certa. Seu retrato feito por Kees van Dongen foi vendido pela Sotheby's por 685 mil dólares.

Dona Lily Marinho costumava organizar recepções para personalidades importantes em sua mansão no Cosme Velho, como a Rainha Sílvia da Suécia, o ditador Fidel Castro e outros.

Lily, faleceu no dia 5 de janeiro de 2011, às 20h05m aos 89 anos de idade, na Clínica São Vicente no Rio de Janeiro, vítima de Falência Múltipla dos Órgãos, decorrente de uma Infecção Respiratória. Foi enterrada no dia seguinte, na tumba de seu filho, no Cemitério de São João Batista.

Fonte: Wikipédia

Um comentário:

  1. Marcos, parabéns pelo blog... é completo no assunto a que se propõe, como texto e vídeo.
    Um abraço. Vanisa

    ResponderExcluir

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!