Luiz Bonfá

LUIZ FLORIANO BONFÁ
(78 anos)
Cantor, Compositor e Violonista

☼ Rio de Janeiro, RJ (17/10/1922)
┼ Rio de Janeiro, RJ (12/01/2001)

Um dos integrantes do primeiro grupo de músicos da Bossa Nova, compositor de clássicos como "Manhã de Carnaval" e "Samba de Orfeu", ambas em parceria com Antônio Maria, Luiz Bonfá começou a tocar violão de ouvido, na infância, no Rio de Janeiro.

Quando completou 12 anos passou a ter aulas com o uruguaio Isaías Sávio. Tais aulas se tornaram muitos cansativas para Luiz Bonfá, que tinha de sair de sua casa na periferia do Rio de Janeiro, andar uma grande parte do caminho a pé e depois pegar um bonde para Santa Teresa, onde morava o professor. Devido à extraordinária dedicação de Luiz BonfáIsaías Sávio não lhe cobrava as aulas.

Na década de 40 tocou na Rádio Nacional, ao lado de Garoto. Participou de alguns conjuntos, como o Quitandinha Serenaders, até começar a carreira solo, como violonista.

Teve atuação destacada como compositor, e seus primeiros sucessos foram gravados por Dick Farney, em 1953. A peça "Orfeu da Conceição", de Vinicius de Moraes, foi um marco em sua carreira. Tocou violão na gravação do disco da peça em 1956 e, três anos depois, compôs algumas das faixas que compunham a trilha sonora do filme de Marcel Camus, "Orfeu do Carnaval", inspirado na peça.

"Manhã de Carnaval", feita para o filme "Orfeu do Carnaval" (1959), tem incontáveis gravações em todo o mundo, a primeira delas feita por Agostinho dos Santos.

"Não há violonista que não saiba tocar Manhã de Carnaval", sentenciou Toquinho, que foi discípulo do mesmo professor de violão de Luiz Bonfá, o uruguaio Isaías Sávio.


"Manhã de Carnaval é uma música muito simples e muito profunda, por isso é tão especial", explicou o violonista Paulinho Nogueira, que conhecia Luiz Bonfá de longa data.

"Lembro que uma vez, há mais de 30 anos, ele foi me visitar na minha casa, faltou luz e ficamos várias horas tocando no escuro. Esse tipo de coisa não se esquece", disse Paulinho Nogueira.

Participou do Festival de Bossa Nova no Carnegie Hall em New York, em 1962, sempre respeitado como compositor refinado e exímio violonista. Uma de suas características era tocar fazendo amplo uso do recurso das cordas soltas, o que conferia uma sonoridade ampla e grandiosa.

Luiz Bonfá gravou diversos discos nos Estados Unidos que não foram lançados no Brasil. Voltou a gravar no Brasil no fim dos anos 80 e nos anos 90, lançando discos bem-sucedidos também nos Estados Unidos.

"Almost In Love", composição de Luiz Bonfá, foi a única música brasileira gravada por Elvis Presley.

Frank Sinatra, Sarah Vaughan, George Benson, Tony Bennett, Julio Iglesias, Diana Krall e Luciano Pavarotti são outros intérpretes que já cantaram músicas de Luiz Bonfá.

Luiz Bonfá foi, como compositor, um dos responsáveis pela transição do samba-canção para a bossa nova, com suas composições do início da década de 50, interpretadas por nomes como Nora Ney, Lúcio Alves e Johnny Alf.

Outros sucessos são "De Cigarro em Cigarro", "Correnteza", em parceria com Tom Jobim, "The Gentle Rain", "Menina Flor", "Mania de Maria" e "Sem Esse Céu".

Morte

Luiz Bonfá sofria de câncer de próstata, agravado por metástase óssea e uma isquemia. Ficou internado por 7 dias na clínica Núcleo Integrado de Geriatria (NIG), na Barra da Tijuca, Zona Oeste, bairro onde morava desde os anos 70.

Morreu na madrugada do dia 12/01/2001, aos 78 anos. Foi enterrado no mesmo dia, às 16:30 hs, no Cemitério Jardim da Saudade.

Um comentário:

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!