Pedro Ludovico

PEDRO LUDOVICO TEIXEIRA
(87 anos)
Político

* Cidade de Goiás - Goiás Velho, GO (23/10/1891)
+ Goiânia, GO (16/08/1979)

Formado pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro (1915). Um dos líderes da Revolução de 1930 em Goiás, interventor federal no estado (1930-1933) e governador de 1935 a 1937, foi responsável direto pela mudança da capital da Cidade de Goiás para Goiânia.

Pedro Ludovico Teixeira, político goiano, fazia parte do núcleo de oposição em Goiás que se esboçava em Rio Verde, Inhumas e Anápolis, contra o poderio político dos Caiado.

Pedro Ludovico reuniu um grupo de 120 voluntários de Goiás e Triângulo Mineiro com a intenção de invadir o sudoeste goiano. Perto de Rio Verde, Pedro Ludovico foi preso pelas tropas caiadistas (04/10/1930), sendo solto logo que chegou a notícia em Goiás da vitória da revolução.

O objetivo político do governo de Pedro Ludovico era impulsionar a ocupação do Estado de Goiás, direcionando os excedentes populacionais para os espaços demográficos vazios na tentativa de aumentar a produção econômica.

A implantação de tal projeto só seria possível com a garantia de uma infra-estrutura básica ligando a região Centro-Oeste a região Sul do Brasil.

As Medidas Adotadas Por Pedro Ludovico

  1. Mudança da capital
  2. Construção de estradas internas
  3. Reforma agrária
  4. Marcha para o Oeste
A pedra fundamental da cidade de Goiânia foi lançada em 3 de outubro de 1933 como homenagem aos 3 anos do início da Revolução de 1930.

Pedro Ludovico foi Deputado Constituinte da Constituição de 1946.

Interventor federal pela segunda vez (1937-1945) e governador eleito (1951-1954), além de ser senador eleito por duas vezes (1955-1962 e 1962-1970), em 1968, estava na vice-presidência do Senado Federal quando teve o mandato cassado e suspensos seus direitos políticos por dez anos, em 1969 pelo AI-5.

A antiga Rua 26, atualmente Rua Dona Gersina Borges, abriga uma casa que faz parte da história do povo goiano. Lá morou o fundador da capital, Pedro Ludovico Teixeira que iniciou sua construção em 1934, tendo concluído a obra em 1937. A arquitetura em Art-Déco, em voga na época, marca o prédio até hoje conservado assim como o deixou seu proprietário.

Tombado pelo Patrimônio Histórico Estadual foi transformada em museu em 1987. Distribuído por toda residência está o acervo, constituído de 1836 peças. São porcelanas, mobiliário, vestuário, cristais e objetos de uso pessoal. Dois mil livros e oitocentos documentos originais datados dos anos vinte até a década de setenta, compőem a biblioteca particular de Pedro Ludovico. O acervo iconográfico contém um mil, cento e quarenta e duas fotos, formando importante registro histórico.

Fonte: Wikipédia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!