Juliano Moreira

JULIANO MOREIRA
(59 anos)
Médico e Professor

* Salvador, BA (06/01/1873)
+ Rio de Janeiro, RJ (02/05/1932)

Juliano Moreira foi médico e um dos pioneiros da psiquiatria brasileira. O primeiro professor universitário a citar e incorporar a teoria psicanalítica no seu ensino na Faculdade de Medicina.

Nascido em Salvador, negro e de origem pobre, entrou na Faculdade de Medicina da Bahia em 1886, formando-se aos dezoito anos, em 1891, e se tornando professor da Faculdade.

Já em 1900 representa o Brasil em congressos internacionais: em Paris, neste ano - sendo também eleito Presidente Honorário do 4º Congresso Internacional de assistência a alienados, em Berlim. Também foi congressista brasileiro em Lisboa, em 1906, Milão e Amsterdão em 1907, Londres e Bruxelas em 1913.

Em 1903, após ter exercido a clínica psiquiátrica na Faculdade Baiana, mudou-se para o Rio de Janeiro.


Durante seu trabalho na direção do Hospital Nacional dos Alienados, do Rio de Janeiro, humanizou o tratamento e acabou com o aprisionamento dos pacientes. Foi neste período, entre maio e junho de 1910, que o hospital recebeu o ilustre líder da Revolta da Chibata, João Cândido, para tratamento de uma psicose de exaustão.

Criou o manicômio judiciário, adquiriu o terreno para construção do atual Hospital-Colônia Juliano Moreira e fundou a nova colônia para mulheres dementes.

Em seu trabalho clínico eliminou coletes e camisas-de-força e instalou um laboratório de análises, a partir do qual iniciou-se, no Brasil, a rotina de punções lombares para elucidação de diagnóstico. Professor de neurologia e psiquiatria e pesquisador de doenças tropicais, deixou importantes trabalhos sobre o ainhum, a bouba, a leishmaniose e a lepra, e os livros "Assistência Aos Alienados no Brasil" (1906) e "A Evolução da Medicina no Brasil" (1908). 


Defendeu a idéia de que a origem das doenças mentais se devia a fatores físicos e situacionais, como a falta de higiene e falta de acesso à educação, contrariando o pensamento racista em voga no meio acadêmico, que atribuia os problemas psicológicos do Brasil à miscigenação. Foi importante representante internacional da psiquiatria brasileira.

Dentre as instituições das quais foi membro Juliano Moreira, contam-se: Antropolegische Gesellschaft (Munique), Societé de Medicine (Paris), Medico-Legal Society (Nova York). Juliano Moreira foi membro da diretoria da Academia Brasileira de Ciências entre 1917 e 1929, tendo ocupado o cargo de presidente no último triênio.

Fonte: Wikipédia

2 comentários:

  1. Este site é muito bom! Adorei ler a história de Juliano Moreira. É maravilhoso saber que muitos de nossa história contribuíram para o progresso e um mundo melhor!

    Parabéns por este seu empenho e muito obrigada, Marcos Carvalho! :)

    ResponderExcluir

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!