Moura Brasil

JOSÉ CARDOSO DE MOURA BRASIL
(82 anos)
Médico

* Iracema, CE (10/02/1846)
+ Rio de Janeiro, RJ (10/01/1929)

José Cardoso de Moura Brasil foi um médico, nascido na então povoação de Caixa-só, hoje Vila de Iracema, do município de Pereiro, CE, no ano de 1846. Radicou-se em Salvador, BA, no ano de 1866.

Moura Brasil era filho do tenente-coronel José Cardoso Brasil e Tereza Maria de Moura Brasil. Iniciou os seus estudos de humanidade no Liceu do Ceará em 1865. No ano seguinte embarcou para a Bahia, onde concluiu os seus preparatórios e, em 1867, a 15 de março, ingressou na Faculdade de Medicina. Doutorou-se em 30 de novembro de 1872 e meses depois seguiu para a Europa afim de fazer os diversos cursos de especialidade, o que realizou com o maior proveito e especializou-se em oftalmologia.

De retorno do Velho Continente esteve no Ceará, tendo sido alvo de entusiástica recepção, pois que o seu nome já era um símbolo de sapiência e caridade. Do Ceará viajou para o Rio de Janeiro e ali fixou residência e estabeleceu a sua clínica.

Alma compassiva, espírito devotado ao bem alheio, cirurgião de perícia admirável, adquiriu larga fama, passando a ser tido e reconhecido como a maior personalidade na clinica e cirurgia oftalmológica. Foi o mestre dos mestres da oftalmologia no Brasil.

Escreveu trabalhos da maior proficiência e praticou as mais ousadas e delicadas intervenções operatórias. Foi Comendador da Ordem de Cristo e recusou várias comendas e títulos, inclusive o de Barão, que se lhe oferecera no Ministério João Alfredo.

Prestou serviços à população pobre e fundou a Policlínica Geral do Rio de Janeiro, sendo seu presidente durante a proclamação da República em 1889.

É autor de obras como "Tratamento Cirúrgico Para o Deslocamento de Retina" (1879), "Contribuição Para o Estudo Comparativo de Diversos Processos Operativos no Tratamento das Afecções Oculares" (1880), e outras obras.

Foi membro da Academia Imperial de Medicina, futura Academia Nacional de Medicina, tornando-se seu presidente.

Impasse na Naturalidade de Moura Brasil

No tocante á naturalidade deste sábio e ilustre, surgiu séria dúvida provocada por um jornal norte-riograndense, o qual sustentava, á vista de uma certidão de batismo, ter nascido o Drº Moura Brasil na vila de Apodi, do Rio Grande do Norte. Entretanto, ficou plenamente demonstrado, por ele próprio, que fora chamado a esclarecer o ponto controvertido, ser o grande médico natural da vila de Iracema, numa de cujas fazendas nasceu, embora tenha sido batizado naquela vila potiguar.

A carta abaixo, transcrita integralmente, escrita de próprio punho pelo Drº Moura Brasil, tira de vez a dúvida que passou a pairar com relação ao seu local de nascimento.

Rio de Janeiro, 15 de Julho de 1901.
Meu caro e illustrado amigo Dr. Paulino Nogueira.
Recebi a sua presada carta, e vou respondel-a. Muito lisongeou-me saber que uma illustre folha do Rio Grande do Norte disputa para aquelle Estado o meu humilde berço à pequena localidade do nosso amado Ceará.
Eis o facto:
Em 1845, meu pae, Tenente coronel José Cardoso Brasil, residia em sua fazenda - Passagem Franca -, no Rio Grande do Norte, muito perto dos limites da província do Ceará; mas meus avós maternos, Antonio Ferreira de Moura e D. Maria Joaquina de Moura, e minha avó paterna, D. Feliciana, que viveu 105 annos, residiam na pequena povoação de Caixa-só, hoje Villa de Iracema.
Meus pais costumavam passar as festas de Natal na pequena povoação  em companhia dos meus avós. Minha mãe, em adiantado estado de gravidez, demorou-se alli pela conveniencia da companhia, e em princípio de 1846 tive a fortuna de respirar o puro ar cearense naquella pequena localidade, onde tantas vezes expandiu-se desatenta a minha infancia.
Por occasião da sécca de 1845, meu pae, no desempenho das funções de delegado de polícia, teve de punir furtos de gados, em que se acharam envolvidas pessoas das suas relações; desgostoso mudou-se  nos primeiros mezes de 1846 para a fazenda Atraz da Serra, no Riacho de Figueirêdo, a 4 legoas do Caixa-só, e 3 da Passagem Franca, fazenda que ainda hoje é conservada sob a minha posse por herdeiros de um irmão.
Eis porque nasci no Ceará, e igual honra me caberia se tivesse pela primeira vez visto a luz na fazenda Passagem Franca, do Rio Grande do Norte, a qual ainda deve pertencer aos herdeiros do meu fallecido irmão Joaquim Cardoso.
Entretanto baptisei-me  na antiga Villa do Apody onde residiam meus padrinhos, Antonio Nunes de Oliveira e Dona Marianna.
No mais continúe a dispor do
Amigo affectuoso e muito obrigado
Moura Brasil

Moura Brasil faleceu aos 82 anos no Rio de Janeiro, RJ, no dia 10/01/1929.

2 comentários:

  1. Comprovado!! Ele É! e Sempre Será Iracemense..
    Um Grande Filho da Terra.. Chamada IRACEMA-CE

    ResponderExcluir
  2. Meu Deus... Essa historia bate com tudo que eu ouço meu pai contar sobre sua família desde que me entendo por gente, fez questão de manter o sobrenome, agora entendo o motivo de tanto orgulho, estou passada!!!!! Sandra de Moura Brasil

    ResponderExcluir

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!