Alzirinha Camargo

ALZIRA CAMARGO
(66 anos)
Cantora e Atriz

☼ São Paulo, SP (10/12/1915)
┼ Santos, SP (09/12/1982)

Alzira Camargo foi uma cantora e atriz brasileira. Nasceu no bairro do Brás e foi criada por seus padrinhos em Itapetininga, SP, onde se formou professora da Escola Normal. Não chegou a lecionar, pois, o rádio a encantou.

Com 17 anos, em 13 de junho de 1933, estreou na Rádio Record de São Paulo onde começou a cantar amadoramente, assinando contrato com a Rádio Cruzeiro do Sul e, depois, com a Rádio Difusora. Em 1931, participou do filme "Coisas Nossas", considerado o primeiro filme musical brasileiro, junto de Procópio Ferreira, Zezé Lara, Batista Jr., Paraguaçu e outros.

Em novembro de 1935, foi levada por Sílvia Autuori, conhecida por Tia Chiquinha, para a Rádio Tupi, do Rio de Janeiro, onde começou a fazer sucesso. No ano seguinte, gravou seu primeiro disco, um 78 rpm, na RCA Victor, que incluía a marcha "Cinqüenta Por Cento" (Lamartine Babo) e o samba "Você Vai Se Arrepender" (Kid Pepe, Germano Augusto e Alberto Fadel). Nessa mesma época, foi descoberta por Alberto Quatrini Bianchi, que a convidou para cantar em sua cadeia de cassinos, espalhados por todo o país.

Jovem, bonita e talentosa, Alzirinha Camargo logo seria convidada a participar do cinema, estreando em "Coisas Nossas", 1931, comédia musical produzida e dirigida por Wallace Downey.

Em 1936 trabalhou no filme "Alô, Alô, Carnaval", de Adhemar Gonzaga. Também nesse ano ocorreu seu desentendimento com Carmen Miranda, imediatamente após a gravação de "Querido Adão" (Benedito Lacerda e Osvaldo Santiago). Carmen Miranda foi para Buenos Aires, Argentina, sem ter tido tempo de lançar a música, que os autores então lhe ofereceram, e ela, que fazia o mesmo gênero de Carmen Miranda, tanto na roupa como no repertório, lançou-a com sucesso absoluto. A rivalidade entre as duas prolongou-se durante toda sua carreira.


Em 1937 atuou no filme "O Grito da Mocidade", de Raul Roulien. Em 1938 apresentou-se, com o conjunto de Benedito Lacerda, em temporada na Rádio El Mundo, de Buenos Aires. De volta ao Brasil, Benedito Lacerda compôs para ela a marcha "Meu Buenos Aires Querido" e o samba "Ritmo do Coração" (Benedito Lacerda e Herivelto Martins), ambos gravados na Odeon.

Em fins de 1939, apresentou-se no Cassino Atlântico com a orquestra norte-americana, regida pelo peruano Ciro Rimac, que em julho de 1940 embarcou no vapor Uruguai, levando-a para cumprir um contrato de seis meses. Ficou nos Estados Unidos até 1949, e nos três anos seguintes, percorreu a Espanha e Portugal, apresentando-se no Cassino Estoril.

Em novembro de 1953 regressou ao Brasil, sendo contratada pela Rádio Nacional para fazer o programa "Gente Que Brilha", de Paulo Roberto. Em seguida atuou esporadicamente em televisão e rádio, no Rio de Janeiro e em São Paulo, tendo também gravado na Polydor. Gravou ainda, no princípio dos anos 60, um disco pelo selo Guarani, sem maiores repercussões.

Em 1964, abandonou a vida artística e tornou-se funcionária pública do INSS, no Rio de Janeiro. Quando se aposentou foi morar em Santos, SP, onde faleceu em 09 de dezembro de 1982, um dia antes de seu 67º aniversário.

Filmografia

  • 1931 - Coisas Nossas
  • 1935 - Fazendo Fita
  • 1936 - Alô, Alô, Carnaval
  • 1937 - O Grito da Mocidade
  • 1937 - Samba da Vida
  • 1954 - Agora é Que São Elas

Fonte: WikipédiaCifra Antiga e Estrelas Que Nunca Se Apagam

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!