Nílton Santos

NÍLTON SANTOS
(88 anos)
Jogador de Futebol

* Rio de Janeiro, RJ (16/05/1925)
+ Rio de Janeiro, RJ (27/11/2013)

Nílton dos Santos foi um futebolista brasileiro que atuava como lateral-esquerdo. Em 2000, foi eleito pela FIFA como o melhor lateral-esquerdo de todos os tempos. Foi o precursor em arriscar subidas ao ataque através da lateral do campo. Revolucionou a posição de lateral-esquerdo, utilizando-se de sua versatilidade ao defender e atacar, inclusive marcando gols, numa época do futebol que apenas tinha a função defensiva.

Integrou o plantel da seleção brasileira nos campeonatos mundiais de 1950, 1954, 1958 e 1962, tendo sido bicampeão nas duas últimas.


Botafogo

Enquanto cumpria serviço militar foi descoberto por um oficial da Aeronáutica. Levado para jogar no Botafogo em 1948, somente deixou General Severiano em 1964 quando abandonou os gramados. Sua estréia com a camisa do clube da estrela solitária aconteceu contra o América Mineiro. No campeonato carioca de 1948, disputou seu primeiro jogo contra o Canto do Rio Foot-Ball Club em Caio Martins. O Botafogo venceu de 4 x 2. O alvinegro de General Severiano foi o campeão carioca de 1948.

Nílton Santos atuou sua carreira toda no Botafogo, onde conquistou por quatro vezes o Campeonato Estadual, 1948, 1957, 1961 e 1962; o Torneio Internacional de Paris em 1963, além de vários outros títulos internacionais. Participou de 718 partidas pelo clube sendo o recordista.

Tão adorado quanto Garrincha, tão respeitado quanto Pelé. Com sua habilidade e categoria, Nilton Santos ultrapassou o conceito de maior lateral esquerdo da história do futebol mundial. Ao ser chamado de "A Enciclopédia do Futebol", teve de forma definitiva o merecido reconhecimento de sua incrível capacidade de encantar o torcedor. Em toda sua carreira jogou apenas no Botafogo e, além do Glorioso, a única camisa que usou foi a da Seleção Brasileira. No Botafogo, disputou 723 partidas, marcando 11 gols. Na Seleção Brasileira, fez 84 jogos, marcando 3 gols.

Segurança na marcação era uma de suas virtudes. Com sua dinâmica de jogo, tornou-se o precursor dos laterais que buscavam o ataque, tendo marcado um gol na Copa de 1958, contra a Áustria, fato raro na época em que lateral era apenas marcador de ponta. Se taticamente tinha sua importância para o esquema do Botafogo e da Seleção Brasileira, foi fora de campo que marcou um de seus mais belos gols: quando, após enfrentar Mané Garrincha num treino, Nílton Santos praticamente forçou o Botafogo a contratar o então desconhecido ponta-direita.

No Botafogo, Nílton Santos foi campeão carioca quatro vezes (1948, 1957, 1961 e 1962) e conquistou dois Torneios Rio-São Paulo (1962 e 1964). Foi bicampeão mundial pela Seleção Brasileira, em 1958 e 1962, e esteve também nas Copas de 1950 e 1954. Nunca perdeu uma decisão e, assim como Garrincha, foi eleito, em pesquisa feita pela FIFA em 1998, para a seleção de todos os tempos.


Seleção Brasileira

Nílton Santos estreou na Seleção Brasileira no sul-americano de 1949, a competição foi realizada no Brasil que acabou campeão. Participou da Copa do Mundo de 1950 onde foi vice-campeão. Ainda foi campeão com a seleção do Pan-Americano de 1952, bi campeão mundial em 1958 na Suécia e 1962 no Chile. Atuou em 75 partidas oficiais e 10 não oficiais. Sua despedida da Seleção Brasileira ocorreu na final da Copa de 1962. Marcou dois gols com a camisa da seleção2 .

Na Seleção Brasileira, Nílton Santos foi um jogador chave na defesa durante os campeonatos mundiais em que participou e ficou famoso internacionalmente por marcar um gol magnífico no torneio de 1958, quando o Brasil jogou com a Áustria. Trazendo a bola do campo de defesa e driblando o time adversário inteiro, e deixando doido o técnico Vicente Feola, finalizou com um ótimo chute.

Outra jogada de gênio sempre lembrada aconteceu contra a Espanha, na Copa do Mundo de 1962, no Chile, considerada a partida mais difícil daquela campanha. Nílton Santos derrubou o atacante espanhol muito perto da linha lateral da grande área, cometendo pênalti. Quando o juiz se aproximava, ele deu um passo à frente, saindo mansamente da grande área, sem estardalhaço. Para sorte do Brasil, enganado, o árbitro não percebeu e acabou marcando falta fora da área.

Garrincha e Nilton Santos
Garrincha

Nílton Santos também fez história no futebol brasileiro fora das quatro linhas. Já consagrado, teve de enfrentar em um treino do Botafogo um jovem desconhecido e malvisto por ter as pernas tortas. A dificuldade para marcar Mané Garrincha naquela atividade levou o lateral a convencer o Botafogo a contratar o homem que viria a ser o maior nome da história do clube.

Depois de encerrar a carreira, Nílton Santos chegou a fazer parte da cúpula do futebol do Botafogo, mas a carreira como dirigente chegou ao fim quando agrediu com um soco o então árbitro Armando Marques, após uma partida no Maracanã, em 1971.

Ele chegou a ter uma escolinha de futebol em Uberaba, MG, antes de se mudar para o Distrito Federal.


Vida Como Ex-jogador

Depois que parou de jogar, Nílton Santos se especializou em contar passagens divertidas da vida de Garrincha, seu compadre e amigo íntimo de muitos anos. Ele dizia, por exemplo, que na sua frente Garrincha, um contumaz alcoólatra, nunca havia tomado um gole, pedindo sempre um copo de água quando o via.

Escreveu "Minha Bola, Minha Vida", livro que conta sua história através dos campos do mundo. Ele também foi homenageado no Cantinho da Saudade em dezembro de 1999, no Museu dos Esportes Edvaldo Alves de Santa Rosa - Dida, que fica localizado no Estádio Rei Pelé em Maceió, AL.

Nílton Santos faz parte do FIFA 100. E foi homenageado no Prêmio Craque do Brasileirão de 2007. Foi eleito pela International Federation Of Football History & Statistics (IFFHS), o 9º maior jogador brasileiro do século, o 28º da América do Sul, e o maior lateral esquerdo de todos os tempos pela Federação Internacional de Futebol Associado (FIFA).


Falecimento

Nilton Santos faleceu às 15:50 hs de quarta-feira, aos 88 anos de idade, após uma infecção pulmonar. A morte do jogador na Clínica Bela Lopes, Zona Sul do Rio de Janeiro, foi confirmada por uma rede social do Glorioso.

O jogador sofria de Mal de Alzheimer há cinco anos e estava residindo na clínica em que morreu, porque precisava de acompanhamento de médicos e enfermeiros. O ídolo deixava a clínica em poucos momentos e, na maioria das vezes, era para tratar alguma emergência em um hospital ou pronto-socorro.

No último sábado, 23/11/2013, Nilton Santos foi internado em um hospital do Rio de Janeiro por causa de uma insuficiência respiratória. A informação foi confirmada no domingo, 24/11/2013, pela equipe de General Severiano.

Nílton Santos deixou a mulher Célia, que hoje luta contra um câncer no cérebro e mora em Aruarama, região dos Lagos, também no Rio de Janeiro. O velório ocorrerá na quarta-feira, 27/11/2013, às 22:00 hs, no Salão Nobre do Botafogo.

Fonte: Wikipédia, Gazeta Esportiva e Folha de S.Paulo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!