Bertha Rosanova

BERTHA ROZENBLAT
(78 anos)
Bailarina

* Santos, SP (31/08/1930)
+ Rio de Janeiro, RJ (13/10/2008)

Bertha Rosanova nasceu no Rio de Janeiro em 31/08/1930 e era filha única de pais poloneses. Aos 8 anos de idade entrou para a Escola de Danças criada por Maria Olenawa, que foi sua professora.

Entrou para o Corpo de Baile Oficial do Teatro Municial do Rio de Janeiro aos 13 anos de idade através de uma seleção, e despontou como a primeira bailarina do Teatro Municipal aos 15 anos. No Corpo de Baile teve grandes mestres como, por exemplo, Yuco LindenbergIgor SchwezoffMadelene RosayLeonide MassineAurélio MillorsWillam DólarTatiana Lescova e Eugenia Feodorova, que lhe deu o nome artístico Bertha Rosanova.

Trabalhou com Aurélio Millors, William Dólar, Leonid Massine, entre outras figuras importantes do ballet nacional e internacional. Dançou grandes clássicos do repertório tradicional, e ballets especialmente criados para ela. Viajou, dançou no exterior e recebeu vários prêmios e medalhas de ouro.


Após sua apresentação do ballet "Lago dos Cisnes" completo, montado pela primeira vez na América do Sul, recebeu da direção do Teatro Municial do Rio de Janeiro o título de Primeira Bailarina Absoluta, título exclusivo de artistas considerados perfeitos, e inédito no ballet brasileiro.

Primeira Bailarina Absoluta do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, Bertha Rosanova recebeu por três vezes a Medalha de Ouro das Associações dos Críticos Teatrais, como melhor bailarina brasileira, em 1948, 1951, e 1959. Sempre com enorme sucesso de crítica e público, Bertha Rosanova excursionou por diversos países da América do Sul, França, África do Norte e Suíça.

Bailarina de inigualável dom artístico permanece como símbolo do ballet brasileiro, "A Magnífica", sem dúvida nossa bailarina maior.


Em 1983, Bertha Rosanova recebeu o Prêmio Pedro Ernesto da Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro, como gratidão a uma das mais eminentes expressões da dança aqui radicadas.

Bertha Rosanova dirigia e dava aulas na sua própria academia fundada em 1957, e periodicamente ensaiava as bailarinas do Teatro Municipal.

Vítima de câncer nos brônquios e nos pulmões, estava internada desde sexta-feira, 10/10/2008, mesmo dia em que foi homenageada em um grande espetáculo no Teatro Municipal, mas não chegou a ver a homenagem. A bailarina deixou marido, uma filha e dois netos, além de inúmeras admiradoras e alunas de sua escola de ballet.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!