Ruy Mesquita

RUY MESQUITA
(88 anos)
Jornalista

* São Paulo, SP (16/04/1925)
+ São Paulo, SP (21/05/2013)

Ruy Mesquita foi um jornalista brasileiro, nascido em São Paulo em 16/04/1925. Era neto de Júlio de Mesquita, um dos primeiros jornalistas do jornal O Estado de S.Paulo, que posteriormente virou proprietário do jornal. O pai de Ruy Mesquita, Júlio de Mesquita Filho, ocupou a posição do pai após a morte dele.

Ruy Mesquita cursou a Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP), mas acabou trocando os estudos jurídicos pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, na própria Universidade de São Paulo (USP).

Passou a trabalhar no jornal O Estado de S.Paulo, em 1948. Desde então ele ocupou os cargos de redator e editor internacional. Em 1996, após a morte do irmão Júlio de Mesquita NetoRuy Mesquita assumiu a direção da publicação. Passou a ser o  responsável pela Seção de Opinião do Estadão desde a morte do irmão. Ao cabo da Revolução Cubana, foi o único jornalista brasileiro a entrevistar Fidel Castro, sendo homenageado pelo presidente daquele país no ano seguinte.


Em 1966, assumiu a direção do recém-criado Jornal da Tarde, diário que revolucionou a linguagem do jornalismo brasileiro.

Segundo o Estadão, Ruy Mesquita "reuniu-se com militares antes do golpe de 1964, que apoiou, em nome da defesa da democracia, mas, assim como seu pai e seu irmão, também passou a criticar a ditadura, uma vez instalada".

Durante a ditadura militar, de 1964 a 1985, o Estado foi alvo de censura prévia. Para desafiar o regime, Ruy Mesquita, junto com o pai e o irmão, decidiu que o periódico deveria publicar poesias, como "Os Lusíadas", de Camões, e receitas de bolos e doces no espaço dos textos censurados.

Ruy Mesquita mantinha hábitos reclusos, dividindo o tempo entre o jornal e a casa, onde se dedicava a leituras. De acordo com o Estadão, Ruy Mesquita manteve sua rotina de trabalho até a véspera da internação, se reunindo com os editorialistas para definir as "Notas & Informações" da página 3 do jornal.


Morte

Ruy Mesquita morreu na terça-feira, 21/05/2013, às 20:40 hs, em São Paulo, aos 88 anos. Ele estava internado no Hospital Sírio-Libanês desde 25/04/2013, após ser diagnosticado um câncer na base da língua.

O corpo de Ruy Mesquita foi sepultado às 15:25 hs de quarta-feira, 22/05/2013, no Cemitério da Consolação, no centro de São Paulo. A cerimônia de sepultamento terminou às 15:45 hs, com uma salva de palmas.

Ruy Mesquita deixou a mulher Laura Maria Sampaio Lara Mesquita, os filhos Ruy, Fernão, Rodrigo e João, 12 netos e um bisneto.

Em nota oficial, a presidente Dilma Rousseff afirmou que "Ruy Mesquita foi um homem de convicções". "Diretor do jornal 'O Estado de S. Paulo', criador do inovador Jornal da Tarde, Doutor Ruy - como era conhecido - foi símbolo de uma geração da imprensa brasileira. Neste momento de dor, presto a minha solidariedade à família e amigos", afirmou a presidente, no texto.

O presidente do Senado Federal, Renan Calheiros, também divulgou nota para lamentar a morte de Ruy Mesquita.

"Lamentamos profundamente a morte do Dr. Ruy. Ele nos deixa como legado a luta em defesa da liberdade de expressão e da democracia, valores que o 'Estado de S. Paulo' ajudou a construir no nosso país. O Brasil vai sentir sua falta. Perdemos um grande brasileiro."


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!