Domingos de Oliveira

DOMINGOS JOSÉ SOARES DE OLIVEIRA
(82 anos)
Ator, Diretor, Cineasta, Poeta e Dramaturgo de Cinema e Teatro

☼ Rio de Janeiro, RJ (28/09/1936)
┼ Rio de Janeiro, RJ (23/03/2019)

Domingos José Soares de Oliveira foi um ator, diretor, dramaturgo de cinema e teatro, poeta e cineasta nascido no Rio de Janeiro, RJ, no dia 28/09/1936.

Domingos de Oliveira iniciou no teatro e projeta-se no cinema e na televisão. A partir da década de 1980, não abandonou mais o palco, atuando como autor e diretor em pelo menos um espetáculo anual.

Licenciado em Engenharia pelo ENE, nunca trabalhou nessa área já que depois de se ter envolvido no teatro amador, começou a escrever e a realizar para cinema. Fez duas assistências de direção para Joaquim Pedro de Andrade, "Manuel Bandeira, O Poeta do Castelo" e "Couro de Gato".

Estreou como autor com "Somos Todos do Jardim da Infância", em 1963.

Em 1964, dirigiu outro texto seu, "A Estória de Muitos Amores". Chamou a atenção no cinema com os filmes "Todas As Mulheres do Mundo" (1966), que lançou Leila Diniz, e "Edu, Coração de Ouro" (1968), sendo já autor de mais de 20 peças teatrais e tendo dirigido vários filmes.

Nos primeiros anos da década de 1980, Domingos Oliveira se tornou um dos mais atuantes diretores do teatro carioca, voltando assim à atividade na qual dera seus primeiros passos na década de 1960.


Dirigiu grandes atores como Henriette Morineau em "Ensina-me a Viver" (1981), de Colin Higgins, Jorge Dória em "Amor Vagabundo" (1981), de Felipe Wagner, Tônia Carrero em "A Volta Por Cima" (1982), de Domingos de Oliveira e Lenita Plonczynski, Marília Pêra em "Adorável Júlia" (1983), de Somerset Maugham e Marc-Gilbert Sauvajon.

Em 1980, recebeu o Prêmio Mambembe de melhor autor com "Assunto de Família". Com direção de Paulo José, a montagem teve no elenco Fernanda Montenegro e Fernando Torres. O texto procurava fazer uma radiografia da alma pequeno-burguesa no cotidiano de uma família tradicional no início dos anos 1950, exemplar da mentalidade de uma classe social que decidiu em vários momentos os rumos da história brasileira. O crítico Yan Michalski analisou a peça, sequenciando pequenos e banais acontecimentos familiares:
"Essa pequenez dos episódios causa certa sensação de saturação [...]. Ao mesmo tempo, porém, é na manipulação dessa pequenez que reside uma das qualidades da obra. Com muita sensibilidade, Domingos transforma cada um desses inócuos incidentes do passado num autêntico mini-drama, que machuca surdamente os seus protagonistas. Mas, simultaneamente, cada draminha comporta a semente de uma mini-comédia. Com um espírito bem tchekhoviano, o autor mistura extrema simpatia pelas suas personagens com uma exposição bem-humorada dos seus ridículos."
Em 1983, Domingos de Oliveira escreveu o policial "No Brilho da Gota de Sangue", com o qual ganhou os prêmios de direção e cenografia, com Juarez Puig), com desempenhos elogiados dos atores, entre eles Carlos Vereza, Francisco Milani e Clemente Viscaíno.


Segundo o crítico Macksen Luiz, o maior mérito da encenação é o cuidado com o acabamento:
"Há cuidados que chegam a ser comoventes, como um personagem manuseando um exemplar de 'O Correio da Manhã' ou o luto usado na lapela do delegado pela morte da esposa [...]. E esses cuidados se transferem para o trabalho dos atores [...]"
Domingos de Oliveira recebeu o Prêmio Molière de direção pelo conjunto de trabalhos - "Conversas Íntimas", "Escola de Mulheres" e "Irresistível Aventura" - realizados em 1984.

Em "Irresistível Aventura"Domingos de Oliveira reuniu quatro peças curtas - de Federico García Lorca, Artur Azevedo, Tennessee Williams e Anton Tchekhov - e, tendo Dina Sfat e José Mayer como atores centrais, conseguiu, na opinião do crítico Macksen Luiz, "manter aguçados os sentimentos e a inteligência para criar o verdadeiro jogo teatral".

Em 1985, Domingos de Oliveira dirigiu o texto de um autor estreante, "A Fonte da Eterna Juventude", de Tiago Santiago, e "Do Amor", nova coletânea de textos.


Em 1992, lançou "Confissões de Adolescente", espetáculo que foi sucesso de bilheteria e propôs um formato que o inspirava a escrever e dirigir, no ano seguinte, "Confissões das Mulheres de 30".

Na segunda metade da década de 1990, assumiu a direção do Teatro Planetário, onde realizou seus espetáculos até 2000. Ali escreveu, dirigiu, interpretou e organizou eventos. É dessa fase a sequência de cabarés filosóficos, em que misturava música, humor e crítica em espetáculos de diálogo direto com o público.

Domingos de Oliveira teve, durante anos, programas no Canal Brasil, que denominou de jornalismo autoral: "Todas as Mulheres do Mundo", "Todos os Homens do Mundo", "Swing", sempre em parceria com sua companheira, Priscilla Rozenbaum.

Domingos de Oliveira é pai da atriz e escritora Maria Mariana, a caçula da família. Foi casado também com Nazaré Ohana, mãe da atriz Claudia Ohana.

Morte

Domingos de Oliveira faleceu no sábado, 23/03/2019, aos 82 anos, no Rio de Janeiro, RJ. Ele estava em sua casa, no bairro do Leblon. Segundo familiares, ele sentiu falta de ar. Uma ambulância foi acionada, mas não chegou a tempo. Ele passou mal por volta das 14h00 e não resistiu.

Domingos de Oliveira foi diagnosticado com Mal de Parkinson há anos. O velório e o sepultamento ocorreram no próprio sábado, 23/03/2019, no Planetário da Gávea, no Rio de Janeiro, RJ.

Carreira Cinema

Como Diretor

  • 2017 - Os 8 Magníficos
  • 2016 - Barata Ribeiro, 716
  • 2014 - Infância
  • 2012 - Paixão e Acaso
  • 2012 - Primeiro Dia De Um Ano Qualquer
  • 2008 - Todo Mundo Tem Problemas Sexuais
  • 2008 - Juventude
  • 2006 - Carreiras
  • 2005 - Feminices
  • 2002 - Separações
  • 1997 - Amores
  • 1978 - Vida, Vida
  • 1977 - Teu Tua
  • 1973 - Deliciosas Traições do Amor
  • 1971 - A Culpa
  • 1970 - É Simonal
  • 1969 - As Duas Faces da Moeda
  • 1967 - Edu, Coração de Ouro
  • 1966 - Todas as Mulheres do Mundo

Como Roteirista

  • 2016 - Barata Ribeiro, 716
  • 2014 - Infância
  • 2012 - Primeiro Dia De Um Ano Qualquer
  • 2008 - Era Uma Vez...
  • 2008 - Todo Mundo Tem Problemas Sexuais
  • 2008 - Juventude
  • 2005 - Dois Filhos de Francisco
  • 2006 - Carreiras
  • 2005 - Feminices
  • 2002 - Separações
  • 1997 - Amores
  • 1975 - As Deliciosas Traições do Amor (Segmentos "Os Divinos Sons da Música do Prazer" e "O Olhar")
  • 1971 - A Culpa
  • 1970 - É Simonal
  • 1969 - As Duas Faces da Moeda
  • 1967 - Edu, Coração de Ouro
  • 1966 - Todas as Mulheres do Mundo
  • 1962 - Cinco Vezes Favela (Segmento "Couro de Gato")

Como Ator

  • 2008 - Juventude
  • 2006 - Carreiras
  • 2005 - Feminices
  • 2002 - Separações
  • 2004 - Redentor
  • 1997 - Amores
  • 1975 - Os Maniacos Eróticos
  • 1973 - Deliciosas Traições do Amor
  • 1972 - Sambizanga

Carreira Televisão

Como Diretor

  • 1994-1996 - Confissões de Adolescente (TV Cultura)

Como Roteirista

  • 2011 - Os Anjos do Sexo (Bandeirantes)
  • 2007 - Confissões de Mulheres de 30 (TVI)
  • 1994 - 74.5 Uma Onda no Ar (Manchete)
  • 1993 - Contos de Verão (TV Globo)
  • 1981 - Amizade Colorida (Episódio: 'Das Dificuldades de Ser Homem', TV Globo)
  • 1979 - Vestido de Noiva (TV Globo)
  • 1978 - Ciranda, Cirandinha (TV Globo)
  • 1977 - A Ordem Natural das Coisas (TV Globo)
  • 1973 - O Duelo (TV Globo)
  • 1972 - Somos Todos do Jardim de Infância (TV Globo)
  • 1972 - O Médico e o Monstro (TV Globo)
  • 1965 - 22-2000 Cidade Aberta (TV Globo)

Como Ator

  • 2006 - JK ... Jayme Ovalle
  • 1992 - As Noivas de Copacabana ... Indalécio Piolho
  • 1987 - Helena

Fonte: Wikipédia e Enciclopedia Itaú Cultural e Veja Abril
Indicação: Miguel Sampaio e Neyde Almeida
#famososquepartiram #domingosdeoliveira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!