Rafael Henzel

RAFAEL HENZEL VALMORBIDA
(45 anos)
Locutor de Rádio

☼ São Leopoldo, RS (25/08/1973)
┼ Chapecó, SC (26/03/2019)

Rafael Henzel Valmorbida foi um locutor de rádio nascido em São Leopoldo, RS, no dia 25/08/1973.

Rafael Henzel trabalhou na Rádio Oeste Capital FM, da cidade de Chapecó, Santa Catarina e ficou conhecido internacionalmente por ser o único jornalista sobrevivente do Voo LaMia 2933.

Rafael Henzel iniciou sua carreira de radialista aos quinze anos na Rádio Oeste Capital FM, da cidade de Chapecó, SC, passando por diversas rádios da cidade até estrear na televisão em 1993 como repórter da RCE TV, localizada em Xanxerê, SC. Também atuou como jornalista na TV Rio Sul, antes de retornar para a Rádio Oeste Capital FM, na qual mantinha um programa juntamente com o comentarista Renan Agnolin.

Em 28/11/2016, Renan Agnolin Rafael Henzel embarcaram no Voo LaMia 2933, a serviço da Associação Chapecoense de Futebol, proveniente de Santa Cruz de la Sierra, Bolívia e com destino ao Aeroporto Internacional José María Córdova em Rionegro, Colômbia, onde o clube disputaria a primeira partida da final da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional.

Por volta das 22h15 do horário local, a aeronave caiu, matando 71 das 77 pessoas que estavam a bordo, tendo por passageiros atletas, equipe técnica e diretoria do time brasileiro da Chapecoense, jornalistas e convidados. Rafael Henzel foi o único jornalista sobrevivente no acidente aéreo, apresentando sete costelas quebradas, pneumonia e lesão no pé direito.


Após permanecer internado por dez dias na UTI e vinte dias internado em um hospital da cidade de Medellín, Rafael Henzel retornou a Chapecó em 13/12/2016 juntamente com o lateral Alan Ruschel, um dos sobreviventes do acidente.

Apesar do acidente, o locutor manifestou interesse em voltar a atuar na profissão, inclusive prontificando-se para narrar o jogo de estreia da Chapecoense na Copa Libertadores da América de 2017 contra o Zulia, na Venezuela.

Em 25/01/2017, Brasil e Colômbia se enfrentaram em uma partida amistosa, cuja renda foi revertida para as famílias das vítimas do Voo LaMia 2933. Convidado pela TV Globo, Rafael Henzel narrou a partida ao lado de Galvão Bueno e homenageou os jornalistas mortos no acidente.

Rafael Henzel foi comentarista da RBS TV na Copa Libertadores da América de 2017. Além disso, tornou-se o autor do livro "Viva Como Se Estivesse De Partida", com relato sobre a queda do avião da Chapecoense.

Voo LaMia 2933

Pouco mais ,de quatro horas de voo separam Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, do aeroporto de Rionegro, localizado a quarenta minutos de Medellín, na Colômbia. Antes do embarque no Voo 2933 da LaMia, o jornalista Rafael Henzel e alguns outros passageiros aproveitaram a breve escala em solo boliviano para descer da aeronave e esticar as pernas por alguns instantes. A ansiedade tomava conta de todos e era natural. No dia seguinte, em 30/11/2016, a Chapecoense disputaria a sua Copa do Mundo na decisão da Sul-Americana contra o Atlético Nacional, no Estádio Atanásio Girardot.

"Fiz uma selfie com o jato ao fundo, personalizado com o emblema da Chapecoense, por achar interessante as plotagens que a empresa fazia com o símbolo das equipes que contratavam o seu serviço", contou Rafael Henzel no livro "Viva Como Se Estivesse De Partida" (Ed. Principium), um relato otimista e emocionante do jornalista que sobreviveu à tragédia que tiraria a vida de 71 pessoas.

Durante o voo, Rafael Henzel tentou pegar no sono, mas a inquietude não lhe permitiu. Buscou então se distrair proseando com amigos e companheiros de trabalho. Trocou quatro vezes de assento. O seu destino o colocou ao lado do colega Renan Agnolin, repórter da Rádio Oeste Capital, que o proibiu de se sentar no canto, na última fileira, porque Lionel Messi tinha se acomodado ali em uma viagem que a seleção argentina fizera semanas antes no mesmo avião da LaMia. Rafael Henzel, então, escolheu o meio. Ou melhor, foi obrigado pelo destino a sentar-se naquela poltrona.

Algumas horas de voo depois as conversas entre os passageiros silenciaram, assim como os motores da aeronave. Luzes se apagaram e os sinais de emergência acenderam. Uma pane seca fez com que o avião da Chapecoense se chocasse com um morro próximo ao aeroporto de Medellín. Dos 77 tripulantes a bordo, seis sobreviveram. Entre eles Rafael Henzel, que desde então buscava palavras e formas para expressar seu eterno agradecimento.
"Eu quero espalhar gratidão, seja aqui, seja na Colômbia, seja em qualquer lugar. As pessoas precisam saber que eu sou muito grato a todos. A gratidão é um dos sentimentos mais bonitos. Eu quero agradecer muito. Não me importo com as cicatrizes no rosto. Para mim elas são a marca de um milagre!"

Morte

Rafael Henzel faleceu na noite de terça-feira, 26/03/2019, aos 45 anos, em Chapecó, SC, após sofrer um infarto fulminante enquanto jogava uma partida de futebol. Ele estava reunido com amigos para um jogo de futebol quando passou mal. Foi levado ao Hospital Regional do Oeste ainda com vida, mas não resistiu.

Rafael Henzel foi sepultado no cemitério Jardim do Éden, em Chapecó, SC

Fonte: Wikipédia e R7 Esportes
#famososquepartiram #rafaelhenzel
Indicação: Miguel Sampaio, Fada Iracema e Neyde Almeida

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!