Tunai

JOSÉ ANTÔNIO DE FREITAS MUCCI
(69 anos)
Cantor e Compositor

☼ Ponte Nova, MG (13/11/1950)
┼ Rio de Janeiro, RJ (26/01/2020)

José Antônio de Freitas Mucci, mais conhecido como Tunai, foi um cantor e compositor nascido em Ponte Nova, MG, no dia 13/11/1950.

Tunai iniciou o seu curso de Engenharia Civil na cidade de Ouro Preto, MG, onde também estudou seu irmão e compositor João Bosco. Apesar de ser irmão de João Bosco, Tunai jamais usou o nome consagrado do irmão, famoso desde 1972, para pavimentar os caminhos na música. Os irmãos sempre estiveram profissionalmente distantes um do outro.

Depois de se transferir para Belo Horizonte, MG, onde concluiu seu curso, trabalhou durante um tempo como engenheiro e depois deixou a engenharia civil para se dedicar à carreira de músico, estreando em 1978.

Tunai foi parceiro de importantes letristas mineiros como Fernando Brant e Márcio Borges, autores dos versos das composições "Rei" (1981) e "Raras Maneiras" (1986).

Trabalhou com o letrista Sérgio Natureza, com quem compôs músicas para vários artistas como Elis Regina, Simone, Gal Costa, Nana Caymmi, Milton Nascimento, Beto Guedes, Roupa Nova, Fafá de Belém, Elba Ramalho e Sérgio Mendes, sempre com sucesso.


Foi Elis Regina, quem projetou Tunai como compositor em 1979, um ano após o artista ter decidido abandonar a faculdade de engenharia para se dedicar à música. Elis Regina já estava com o repertório do álbum "Essa Mulher" (1979) fechado. Mas decidiu reabri-lo assim que ouviu "As Aparências Enganam", canção de Tunai com letra de Sérgio Natureza.

A cantora ficou tão entusiasmada com a composição que tirou "Velho Arvoredo" (Hélio Delmiro e Paulo César Pinheiro) do disco para incluir "As Aparências Enganam" no álbum de 1979, ano em que Nana Caymmi deu voz a nada menos do que duas canções do então novato Tunai, "Pra Não Chorar" e "Pra Sempre", ambas com letras de Sérgio Natureza.

Começou ali para valer, naquele ano de 1979, a trajetória musical de Tunai, embora a rigor o compositor já tivesse sido lançado em 1978 por Fafá de Belém com a gravação de "Se Eu Disser", música de Tunai e Sérgio Natureza apresentada sem repercussão no álbum "Banho de Cheiro" (1978).

Tunai viveu o auge artístico na década de 1980. Em 1984, uma outra parceria de Tunai com Sérgio Natureza, "Frisson", de tonalidade bem mais pop do que as densas canções lançadas por Elis Regina e Gal Costa, invadiu as FMs e o coração do público em gravação feita pelo próprio Tunai para o álbum "Em Cartaz" (1984). "Frisson" também foi tema da novela "Suave Veneno" (1999), da TV Globo.

"Frisson" atravessou gerações em vozes como a da cantora Ivete Sangalo, que regravou a música em 1998, quando ainda era vocalista da Banda Eva.


Simone gravou sete composições de Tunai, incluindo a já mencionada "Raras Maneiras". "Depois das Dez" (Tunai e Sérgio Natureza), "Só de Amor" (Tunai e Sérgio Natureza), "Tinha de Ser" (Tunai e Sérgio Natureza), "Água na Boca" (Tunai e Abel Silva), "Olhos Negros" (Tunai) e "Apaixonada" (Tunai).

Milton Nascimento compôs "Certas Canções" com Tunai e lançou a música em álbum de 1982. A parceria foi ampliada com "Mar do Nosso Amor" (1984) e "Rádio Experiência" (1985).

Tunai também ficou imortalizado por canções e baladas de romantismo pop sensual como "Sintonia" (Sérgio Natureza). Também deixou samba, blues-rock e bolero em obra sintetizada pelo cantor e compositor no álbum "Eternamente...", songbook lançado em 2011 com participações de Milton Nascimento, Simone, entre outros nomes.

Mais recentemente, em 2019, Tunai festejou 40 anos de carreira com "Caderno de Lembranças" (2019), álbum que, ao contrário do que faz supor o título, apontou futuro para Tunai com repertório majoritariamente inédito.

Escrevendo para o Yahoo!, Regis Tadeu publicou uma crítica positiva para o cantor em 2012:
"Este talentoso e veterano cantor mineiro nunca recebeu os devidos créditos por conta de seu trabalho bem acima da média dos compositores advindos dos anos 70, mesmo que várias de suas canções tenham sido gravadas por Elis Regina, Fafá de Belém e Gal Costa. (...)"
Morte

Tunai faleceu na manhã de domingo, 26/01/2020, aos 69 anos, no Rio de Janeiro, RJ. Ele foi encontrado morto no sofá de sua casa por sua esposa. A morte foi constatada às 6h00, por parada cardíaca.

Discografia
  • 1980 - Trovoada - As Aparências Enganam (Polydor)
  • 1981 - Festival da Nova Música Popular Brasileira - Adeus à Dor (Polydor)
  • 1981 - Todos os Tons (PolyGram)
  • 1983 - Olhos do Coração (PolyGram)
  • 1984 - Em Cartaz (PolyGram)
  • 1985 - Tunai (PolyGram)
  • 1988 - Sobrou Pra Mim (Eldorado)
  • 1993- Dom (Maracujazz)
  • 2000 - Certas Canções (Jam Music)
  • 2003 - Sem Limites (Universal Music)
  • 2004 - Dança das Cadeiras (Independente)
  • 2011 - Eternamente... (MZA Music)

Fonte: Wikipédia e G1
#FamososQuePartiram #Tunai

2 comentários:

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!