Dionísio Azevedo

TOUFIK JACOB
(72 anos)
Ator e Diretor

* Conceição da Aparecida, MG (04/04/1922)
+ São Paulo, SP (11/12/1994)

No início dos anos 30, Dionísio mudou-se com a família para São Paulo. Ainda jovem, Dionísio cogitou a possibilidade de se tornar pastor, mas já se envolvia com atividades de teatro na própria igreja que frequentava, encenando textos de conteúdo bíblico.

A vontade de fazer cinema, que nasceu ainda em Minas, acabou falando mais alto e Dionísio ingressou no Instituto Brasileiro de Cultura Cinematográfica, tendo como professores Lima Barreto e Léo Ivanov. Na década de 40, através de Otávio Gabus Mendes e Oswaldo Moles, Dionísio iniciou uma bem sucedida carreira de rádio-ator, tornando-se muito popular.

Estreou no cinema em 1949 no filme "Quase no Céu". Com muitos filmes no currículo, seus maiores sucessos foram nos filmes "O Pagador de Promessas" (1962), "Independência ou Morte" (1972) — do qual também colaborou no roteiro — e "A Marvada Carne" (1985).

Desde o fim dos anos 40 até o início dos 60, o ator participou de diversas montagens do TBC (Teatro Brasileiro de Comédia) em momentos importantes como "O Bezerro de Ouro e Círculo de Champagne", "A Morte do Caixeiro Viajante" e "O Pagador de Promessas". Na década de 1970, Dionísio participou intensamente da vida teatral, em São Paulo e mesmo no Rio de Janeiro. Atuou em diversas outras peças como "Ensaio para Piano e Orquestra", "Gata em Teto de Zinco Quente" e uma remontagem de "O Pagador de Promessas".Na década de 80, outros sucessos vieram como em "O dia em que raptaram o Papa" e "Direita Volver".

Na década de 50, com o início da televisão no Brasil, passou a fazer adaptações de clássicos da literatura brasileira e universal, utilizadas nos primeiros teleteatros da TV Tupi, chamados de TV de Vanguarda. Dionísio Azevedo, junto a outros grandes nomes, foi uma das principais figuras daquele momento. Fazendo a adaptação, a direção e atuando como ator, Dionísio produziu um dos momentos mais fortes do TV de Vanguarda. Um de seus trabalhos mais marcantes uma adaptação pioneira do conto de João Guimarães Rosa "A Hora e a Vez de Augusto Matraga".

Da década de 60 o ator transferiu-se para a TV Excelsior, onde teve uma atuação muito importante no início do ciclo da telenovela brasileira. Dirigiu em seqüência três novelas de muito sucesso, que ajudaram a solidificar o formato. Foram elas: "“Ambição"(63), "A Moça Que Veio de Longe" (63) e "A Outra Face de Anita" (64). À frente da direção artística da TV Excelsior seus maiores êxitos foram a realização da minissérie "O Morro dos Ventos Uivantes" e da novela "O Tempo e o Vento". Como ator, seu papel mais marcante nesta época foi na novela "A Pequena Órfã"(68).

Em 1970 , trabalhando como responsável pela núcleo de teledramaturgia na TV Record, teve atuação marcante na novela "As Pupilas de Senhor Reitor", interpretando o Reitor. Dionísio prosseguiu sua carreira de ator, participando de várias novelas e mini-séries, com momentos de muito sucesso, como nas novelas "O Astro" (1977 )- na qual interpretou Salomão Hayala, personagem cuja morte foi um dos maiores mistérios da trama e fator de grande audiência por muitos meses- e "Pai Herói" (79), Rede Globo. Em 1981 interpretou suas origens na saga "Os Imigrantes", na TV Bandeirantes.

Foi casado por mais de 30 anos com a atriz Flora Geny, falecida em 1991, e com ela trabalhou em vários filmes, novelas e peças de teatro.

Morreu vítima de um câncer, inicialmente diagnosticado no cérebro.

Fonte: Wikipédia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!