Norah Fontes

ORGANDINA DE SOUZA CARDOSO
(86 anos)
Atriz

* Porto Alegre, RS (17/08/1910)
+ Porto Alegre, RS (09/10/1996)

Uma das pioneiras do rádio-teatro no Rio Grande do Sul nos anos 30, era casada com o também ator rádio Dário Cardoso, com quem teve o filho Régis Cardoso, diretor de televisão, falecido em 2005.

Em 1940, quando o marido foi contratado pela Companhia Eva Tudor e Luiz Iglesias, teve um infarte e morreu. Viúva, após alguns anos, Norah Fontes resolve vir para São Paulo, com seus dois filhos: Renato e Régis. Começou a trabalhar na Emissoras Associadas de São Paulo, logo encaminhando os filhos para pequenos serviços de escritório. Norah estava casada agora com o locutor Armando Mota.

Em 1950 veio a televisão e mãe e filhos foram trabalhar na PRF3 - Tupi de Televisão. Lá ela atuou em inúmeros teleteatros e entrou para as novelas em 1964 em "A Gata".

Participou de grande sucessos da TV como "A Ré Misteriosa"; "Antonio Maria"; "A Cabana do Pai Tomás"; "Pigmalião 70"; "A Próxima Atração"; "Vitória Bonelli" e "Meu Rico Português". Sua última atuação foi na novela "Os Gigantes", da Globo, em 1979.

Televisão

1979 - Os Gigantes - Matilde
1975 - Meu Rico Português - Mercedes
1974 - A Barba-Azul - Televina
1973 - Rosa-dos-Ventos
1972 - Vitória Bonelli - Mãe Ana
1971 - Minha Doce Namorada - Dona Anita
1970 - A Próxima Atração - Júlia
1970 - Pigmalião 70 - Guiomar
1969 - A Cabana do Pai Tomás - Jéssica
1968 - Antônio Maria - Berenice
1967 - Os Rebeldes
1967 - Meu Filho, Minha Vida
1967 - A Intrusa
1966 - A Ré Misteriosa - Deolinda
1965 - Um Rosto Perdido
1965 - Fatalidade
1965 - A Outra - Dircília
1965 - O Cara Suja - Sofia
1965 - Comédia Carioca
1964 - O Sorriso de Helena - Angélica
1964 - A Gata - Ama de Adriana
1962 - A Estranha Clementine
1959 - TV de Vanguarda
1959 - Doce Lar Teperman
1958 - TV de Comédia
1958 - Sétimo Céu
1958 - TV Teatro
1957 - Seu Genaro
1957 - O Corcunda de Notre Dame - Mãe de Quasímodo
1957 - Pequeno Mundo de D. Camilo
1955 - Seu Pepino
1954 - O Homem Sem Passado

Cinema

1976 - Ninguém segura essas mulheres
1975 - Amadas e violentadas
1970 - Em família
1968 - Bebel, garota propaganda
1968 - O pequeno mundo de Marcos
1965 - Quatro Brasileiros em Paris
1958 - O grande momento
1949 - Quase no céu

Faleceu em Porto Alegre, de Pneumonia, aos 86 anos de idade.

Fonte: Wikipédia, Dramaturgia Brasileira - In Memoriam e www.museudatv.com.br

Um comentário:

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!