Mário Andreazza

MÁRIO DAVID ANDREAZZA
(69 anos)
Militar e Político

☼ Caxias do Sul, RS (20/08/1918)
┼ São Paulo, SP (19/04/1988)

Mário Andreazza foi um militar e político brasileiro nascido em Caxias do Sul, RS, no dia 20/08/1918. Foi ministro dos Transportes nos governos de Artur da Costa e Silva e Emílio Garrastazu Médici, tendo sido responsável por obras como a Ponte Rio-Niterói e a Transamazônica, entre muitas outras.

Destacou-se também pelo que ficou conhecido como Batalha dos Fretes, em que conseguiu situar a Marinha Mercante brasileira no cenário antes dominado pelas potências marítimas internacionais.

No governo de João Batista Figueiredo, foi Ministro do Interior e responsável por programas habitacionais como o Promorar, que erradicou as palafitas, por exemplo, das favelas da Maré, no Rio de Janeiro, e dos Alagados, em Salvador.

Mário Andreazza foi candidato a sucessão de João Batista Figueiredo à Presidência da República, sendo indicado por este último para sucedê-lo. Entretanto, foi obrigado a concorrer na convenção nacional do Partido Democrático Social (PDS), quando o deputado federal Paulo Maluf, também se candidatou na convenção nacional do partido. Foi derrotado na convenção nacional do Partido Democrático Social (PDS) em 11/08/1984, pelo deputado Paulo Maluf por 493 votos a 350, fato esse que motivou o racha do partido, dando origem à chamada Frente Liberal, depois Partido da Frente Liberal (PFL), atual Democratas (DEM) que apoiou o candidato da oposição Tancredo Neves, vencedor das eleições.

Mário Andreazza foi um dos maiores colaboradores para a integração nacional. O Ministro dos Transportes que mais construiu e pavimentou estradas no Brasil. Como Ministro do Interior implantou o maior programa de habitação nacional, demarcou terras indígenas e lançou a Política Nacional do Meio Ambiente. São inúmeras as realizações de Mario Andreazza. No livro "Mario Andreazza e a Integração Brasileira" encontra-se a trajetória de sua grande obra como homem público.

Modesto, pelos seus hábitos, e otimista, por temperamento, Mário Andreazza era pessoa agradável de se conviver. Ele mantinha um padrão de vida pouco superior ao que lhe permitia o soldo de coronel da reserva, mas bastante inferior, por outro lado, ao dos donos e diretores de empreiteiras que fizeram negócios milionários graças às obras que ele construía. Sob o governo de Ernesto Geisel, o ex-ministro de uma das pastas mais ricas do governo foi obrigado a trabalhar para viver, com um emprego como vice-presidente da Companhia Atlântica Boavista de Seguros.

Mário Andreazza e Esposa
Curiosidade

No início da década de 1980, o humorista Renato Aragão criou para o humorístico "Os Trapalhões", da TV Globo, a personagem Severina, a reboque do sucesso da personagem Salomé, interpretado pelo também humorista Chico Anysio. Enquanto Salomé conversava e dava conselhos pelo telefone ao presidente da época, general João Batista Figueiredo, Severina explanava sua paixão pelos olhos verdes de Mário Andreazza, então Ministro do Interior do governo Figueiredo.

Morte

Consumidor de três maços de cigarro por dia, em 1986, Mário Andreazza descobriu que tinha câncer no pulmão esquerdo. Chegou a fazer uma pequena cirurgia, para extrair um nódulo do pulmão. Mais tarde, a doença espalhou-se pelos gânglios e vias respiratórias.

Internado no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, Mário Andreazza, aos 69 anos, submeteu-se a tratamentos à base de quimioterapia. Quando concluíram que nada mais poderiam fazer para salvá-lo, os médicos cuidaram para que não morresse pelo bloqueio das vias respiratórias, bastante doloroso, mas de parada cardíaca, reforçando transfusões de sangue para forçar o coração a trabalhar.

Com dificuldade para comunicar-se com as pessoas que o visitavam, na terça-feira, dia 18/04/1988, sua mulher, Liliana, e os dois filhos, o engenheiro Mário Gualberto Andreazza, e o administrador de empresas Atílio Andreazza, aproximaram-se de sua cama. O ministro morreu abraçando sua família.

Antigo chefe de uma pasta que movimentava bilhões de dólares, um grupo de amigos se cotizou para pagar o transporte, de avião, de seu corpo até no Rio de Janeiro.

Mário Andreazza morreu dia 19/04/1988, aos 69 anos, vítima de câncer, em São Paulo. Foi enterrado no Cemitério São João Batista, no Rio de Janeiro.

4 comentários:

  1. Assim são os verdadeiros patriotas! Agora, na atual conjuntura, os MILITARES são tratados como inimigos do BRASIL! Estes(as) que estão no Poder, se não fossem os MITARES, não estariam! Sóstenes Brandão de Miranda - 2o. Tenente da R/R do Exército Brasileiro e com MUITA HONRA!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu caro sostenes miranda,o Brasil democratico abriu as portas para muitos politicos corruptos aproveitadores do dinheiro publico,marajas.o PT deitou e rolou no governo lula,escandalos absurdos envolvendo seus principais lideres,acredito que o lula sabia de tudo mas se deu por inocente,,,,,a ditadura tentou calar a midia e os que se sentiram sem liberdade democratica social usando a violençia com estudantes,comunistas,cantores,e varias classes sociais.A ditadura para uns foi um barriu de polvoras e para outros como o proprio Roberto Marinho que apoiou a ditadura nao poderia em hipotese alguma critica-la em sua emissora de TV pois estaria correndo o risco de fecha-la

      Excluir
  2. E os comunistas dos PTtralhas ficando cada vez mais ricos com suas corrupcoes, malandragens e roubalheiras, haja visto o filho do LULA.

    Por que sera que a midia comunista e esquerdista nao informa a manipulada e imbecilizada sociedade civil sobre esses herois militares ?

    ResponderExcluir
  3. ouvi falar muito bem do andreazza. deve ter sido um grande politico.

    ResponderExcluir

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!