Piska

CARLOS ROBERTO PIAZZOLI
(60 anos)
Instrumentista, Arranjador e Compositor

* (1951)
+ São Paulo, SP (30/12/2011)

Carlos Roberto Piazzoli mais conhecido como Piska, foi um guitarrista, arranjador e compositor brasileiro. Autodidata, começou cedo o seu contato com a música. Aprendeu a tocar baixo, teclados e, por fim, adotou a guitarra como instrumento. Piska foi considerado um dos maiores compositores de sucesso. Embora seu nome fosse desconhecido do público, suas músicas fizeram enorme sucesso, especialmente nas vozes das duplas sertanejas.

Paulistano, filho de um músico de quem ficou órfão cedo, seu pai foi violonista que durante muito tempo atuou na noite. Nos anos 70, fez parte de diversos grupos de rock, entre os quais, Joelho de Porco e Casa das Máquinas, atuando como guitarrista. Tocou ainda com o grupo Novos Incríveis.

No fim dos anos 70, disposto a mudar de estilo, foi para o Rio de Janeiro onde começou a conhecer diversos nomes ligados a MPB. Passou a apresentar-se como guitarrista, acompanhando nomes como Gal Costa, Zizi Possi, Caetano Veloso e Marina Lima realizando shows por todo o Brasil e, mais recentemente, com KLB. No primeiro disco do trio, de 2000, foi autor de sete das 13 músicas gravadas. Fez uma grande turnê com o cantor Ney Matogrosso, na qual percorreu diversos países, entre os quais França, Portugal, Suécia, Montreux e América Latina.

Gravou com Elis Regina o disco Trem Azul. Esteve ligado ao estilo MPB de 1977 até 1989, quando mudou novamente para São Paulo, disposto a seguir novos rumos em sua carreira e trabalhar com a música sertaneja. Por essa época conheceu o compositor e produtor César Augusto, que o convidou para fazer as produções e os arranjos da faixa Eu Juro, de Leandro e Leonardo, e que foi seu primeiro trabalho na música sertaneja.

Piska e KLB
Em 1977, como integrante do conjunto Casa das Máquinas, teve o nome envolvido na morte de um cinegrafista da TV Record, agredido por membros do grupo após uma briga em frente à emissora. Foi absolvido em dois julgamentos na década de 80.

Em 1993, foi um dos arranjadores e regentes do CD lançado pela dupla Chrystian e Ralf e que incluiu ainda suas composções Louco Por Ela e É Desse Jeito Que a Gente Se Ama, ambas com Eduardo e Adriano, e Loucura Demais, Menina e Pra Ficar Com Você, as três com César Augusto. No mesmo ano, fez os arranjos e a regência nas faixas Mais Uma Vez Comigo, Olhos de Lua e Mais do Que Eu, no terceiro disco da dupla Zezé di Camargo e Luciano, que incluiu ainda sua composição Mais do Que Eu, parceria com Eduardo e Adriano.

Em 1995, a dupla Chitãozinho e Xororó gravou a composição Bandido é o Coração, de sua autoria e César Augusto. Em 1998, a mesma dupla gravou Casa e Comida, com César Augusto e Xororó. Entre outros, teve composições gravadas por Leandro e Leonardo, Amores São Coisas da Vida e Dor de Amor Não Tem Jeito, ambas em parceria com César Augusto. Trabalhou nos discos de Zezé di Camargo e Luciano e João Paulo e Daniel.

Em 1999, trabalhou nos discos de Guilherme e Santiago, André e Adriano e Cleiton e Camargo.

Atraído pela música sertaneja, resolveu fazer uma fusão com o pop/rock. Tem como marca registrada em seus arranjos as guitarras roqueiras e pesadas.

Piska e o músico Renato Suski (Foto: Renato Suski)
Em 1999, montou um estúdio de gravação para novos valores e, a partir daí, começou a lançar o selo Piska Records.

Em 2001 foi um dos recordistas em músicas executadas segundo o ECAD. Em 2002, teve a sua música, Um Bom Perdedor, com César Augusto, gravada pela dupla Bruno e Marrone, no CD/DVD Acústico ao Vivo, lançado pela Sony/BMG.

Em 2009, teve a sua música, Dor de Amor Não Tem Jeito, com César Augusto, gravada pelo cantor Leonardo, no CD/DVD Esse Alguém Sou Eu, lançado pela Universal Music.

Segundo a família, sua composição favorita era Minha Estrela Perdida, gravada pelo cantor Daniel.

Há 13 anos, decidiu ir morar na Praia Grande, onde teve um estúdio. Havia se afastado do trabalho por causa da saúde. Portador de hepatite, estava na fila do transplante, que não chegou a realizar.

Morreu na sexta-feira (30/12/2011), aos 60, de Falência Múltipla dos Órgãos, decorrente de problemas hepáticos que já o acompanhavam há dois anos. Deixou duas filhas e muito material inédito, conta a família.

Fonte: Folha.com, Dicionário Cravo Albin da MPB e Ligeirinho do Rádio.
Fonte Fotográfica: Romildo Pereira e Renato Suski

3 comentários:

  1. Morre junto com Piska a minha esperança de um dia poder conhecê-lo pessoalmente. Fui sempre fã de seu trabalho. Ele tinha uma pegada de guitarra inconfundível que quando tocava no rádio eu nem precisava ler a ficha técnica. Seus arranjos são os melhores da música sertaneja. O mundo perdeu um gênio...

    ResponderExcluir
  2. Conheci o Piska nessa epoca do Rio, tambem o Ney, Rita Lee e o Roberto(zeze)de Carvalho,oEzeqiel Neves, o Nelson Motta,o Dusek, O Vimana(Lulu, Lobão e Ritchie) e o Made in Brasil, entre outros.Esteja onde estiver, esta entre os melhores.Um dia viemos e um dia vamos, o que importa é o que deixamos.

    ResponderExcluir
  3. Pouca gente sabe mas foi ele quem compôs SONHO DE ÍCARO, para o cantor Ney Matogrosso, que não gravou, porém, virou o maior sucesso do cantor Byafra.

    ResponderExcluir

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!