Miúcha

HELOÍSA MARIA BUARQUE DE HOLANDA
(81 anos)
Cantora e Compositora

☼ Rio de Janeiro, RJ (30/11/1937)
┼ Rio de Janeiro, RJ (27/12/2018)

Heloísa Maria Buarque de Holanda, mais conhecida como Miúcha, foi uma cantora e compositora nascida no Rio de Janeiro, RJ, no dia 30/11/1937.

Filha de Sérgio Buarque de Holanda, historiador e jornalista brasileiro, e de Maria Amélia Cesário Alvim, pintora e pianista. É também irmã do cantor e compositor Chico Buarque e das também cantoras Ana de Holanda e Cristina Buarque. É mãe da cantora Bebel Gilberto, fruto de seu casamento com o compositor João Gilberto e tia da atriz Silvia Buarque, também e ex-cunhada da atriz Marieta Severo.

Miúcha nasceu no Rio de Janeiro, mas sua família mudou-se para São Paulo quando ela tinha apenas 8 anos. Ainda criança formou um conjunto vocal com seus irmãos, incluindo Chico Buarque. Sua casa era frequentada por Vinicius de Moraes e outros compositores.

Nos anos 1960, ganhou do governo francês uma bolsa de estudo em História da Arte. Matriculou-se na Sorbonne e na École du Louvre. Nessa época, viajou pela Itália e Grécia com dois amigos e o violão, tocando pelas cidades por onde passava. A experiência resultou em uma apresentação no bar La Candelaria, em Saint Germain, onde atuava Violeta Parra, que convidou João Gilberto para ouvir a cantora brasileira que interpretava bossa nova. Pouco tempo depois, mudou-se para Nova York e casou-se com João Gilberto, com quem teve a filha Bebel Gilberto, que se tornaria também cantora.

Tom Jobim, Miúcha, Vinícius de Moraes e Toquinho
Iniciou sua carreira artística em 1975, onde fez sua primeira gravação profissional como cantora participando do disco "The Best Of Two Worlds", de João Gilberto e Stan Getz, lançado em Nova York. Ainda nesse ano, atuou no Newport Jazz Festival, apresentou-se em shows com Stan Getz e gravou a faixa "Boto" no LP "Urubu", de Tom Jobim

Após este lançamento, Miúcha tornou-se parceira de Tom Jobim em dois discos, de 1977 e 1979, e fez parte do espetáculo organizado por Aloysio de Oliveira junto com Vinicius de MoraesTom Jobim e Toquinho. O espetáculo ficou em cartaz durante um ano no Canecão, Rio de Janeiro, seguiu para apresentações internacionais na América do Sul e na Europa, e deu origem a gravação "Tom, Vinícius, Toquinho e Miúcha Gravado Ao Vivo No Canecão" (1977).

Em 1977, gravou, com Tom Jobim, o álbum "Miúcha e Antônio Carlos Jobim", com destaque para as faixas "Maninha", composta especialmente para ela pelo irmão Chico Buarque, "Pela Luz Dos Olhos Teus" (Vinicius de Moraes) e "Vai Levando" (Chico Buarque e Caetano Veloso).

Em 1979, gravou, com Tom Jobim, o LP "Miúcha & Tom Jobim", contendo, entre outras, "Triste Alegria" (Miúcha), "Falando De Amor" (Tom Jobim) e "Dinheiro Em Penca" (Tom Jobim e Cacaso). O disco contou com a participação de Ron Carter e com arranjos de Claus Ogerman.

Chico Buarque e Miúcha
Em 1980, lançou o LP "Miúcha", que contou com arranjos de João Donato e com a participação de sua filha Bebel Gilberto, na faixa "Joujoux Et Balangandans" (Lamartine Babo), e também de João Gilberto (violão), nas faixas "All Of Me" (Gerald Marks e Seymour Simons) e "O Que É, O Que É" (Bororó e Evagrio Lopes). Constam, ainda, do repertório duas músicas de sua autoria: "Todo Amor" e "Segura A Coisa", essa última hino do bloco de mesmo nome do Carnaval de Olinda, mais tarde regravada pela cantora com a Banda do Maestro Duda.

Em 1989, apresentou-se, com o compositor João de Barro (Braguinha) e o conjunto Coisas Nossas, no musical "Yes, Nós Temos Braguinha", criado e dirigido por Ricardo Cravo Albin. O espetáculo foi montado no Teatro Municipal do Rio de Janeiro, para a entrega do Prêmio Shell de 1989 a Braguinha, e percorreu todo o Brasil. Nesse mesmo ano, gravou mais um LP intitulado "Miúcha", que contou com a participação especial de Pablo Milanés e Sua Banda, em gravação realizada em Cuba. Registrou no disco quatro parcerias de Guinga e Paulo César Pinheiro, "Chorando As Mágoas", "Por Gratidão", "Non Sense" e "Porto de Araújo", além de "Para Viver", versão de sua autoria para a canção "Para Vivir" (Pablo Milanés), entre outras músicas. Ainda em 1989, o jornal francês Le Monde incluiu dois de seus discos entre os sete melhores de música brasileira do ano.

Em 1999, lançou o CD "Rosa Amarela", com arranjos de Maurício Carrilho e J. Moraes, registrando as canções "Cabrochinha" (Paulo César Pinheiro e Maurício Carrilho), "João E Maria" (Chico Buarque e Sivuca), "De Você Eu Gosto" (Tom Jobim e Aloysio de Oliveira), "A Mesma Rosa Amarela" (Carlos Pena Filho e Capiba), "Doce De Coco" (Hermínio Bello de Carvalho e Jacob do Bandolim), "Pressentimento" (Élton Medeiros e Hermínio Bello de Carvalho), "Santo Amaro" (Luiz Claudio Ramos, Franklin da Flauta e Aldir Blanc), "Assentamento" (Chico Buarque), "Por Causa Desta Cabocla" (Ary Barroso e Luiz Peixoto), "Choro Bandido" (Chico Buarque e Edu Lobo), "Valsa De Uma Cidade" (Ismael Netto e Antônio Maria), "Só O Tempo" (Paulinho da Viola) e "Querelas Do Brasil" (Aldir Blanc e Maurício Tapajós).O disco foi lançado inicialmente no Japão, após shows realizados pela cantora nesse país, e, em seguida, no Brasil, pela BMG Brasil.


Em 2002, lançou o CD "Miúcha.compositores", com produção musical de José Milton e arranjos de João Donato, Francis Hime, Cristóvão Bastos, Leandro Braga, Eduardo Souto Neto e Hélvius Vilela. Constam do repertório do disco as canções "Pode Ir" (Carlos Lyra e Vinicius de Moraes), o samba-canção "Quando A Lembrança Não Vem" (Música de João Donato e letra de Tom Jobim), "Canção Inédita" (Edu Lobo e Chico Buarque), que inclui uma citação a Tchaikovsky feita pelas cordas de Cristóvão Bastos, "Fox e Trote" (Guinga e Nei Lopes), "Tomara" (NovelliMaurício Tapajós e Paulo César Pinheiro), "Cor De Cinza" (Noel Rosa), "E Daí" (Miguel Gustavo), "Solidão" (Tom Jobim e Alcides Gonçalves), "Lembre-se" (Moacir SantosVinicius de Moraes), "Refém Da solidão" (Baden Powell e Paulo César Pinheiro), "Vento" (Cristóvão Bastos e Abel Silva), "A Dor A Mais" (Fancis Hime e Vinicius de Moraes), faixa que inclui uma citação a "Medo De Amar" (Vinicius de Moraes), e "Você, Você" (Guinga e Chico Buarque), faixa que contou com a participação de Guinga, ao violão, e "Tempo De Amar" (Miúcha e João Donato). Ainda em 2002, trabalhou na produção de um documentário de Nelson Pereira dos Santos sobre seu pai, o historiador Sérgio Buarque de Hollanda.

Em 2003, sua gravação com Tom Jobim da música "Pela Luz Dos Olhos Teus", lançada em 1977 no disco "Miúcha e Antônio Carlos Jobim", foi tema de abertura da novela "Mulheres Apaixonadas" da TV Globo. Nesse mesmo ano, lançou o CD "Miúcha Canta Vinicius & Vinicius - Música e Letra", contendo exclusivamente obras nas quais Vinicius de Moraes é autor da música e da letra: "Tomara", "Ai Quem Me Dera", "Saudades Do Brasil Em Portugal", "Medo De Amar", "Serenata Do Adeus", "Valsa De Eurídice", "Teleco Teco", "Tempo Será", "Pela Luz Dos Olhos Teus", "Encontro À Tarde", "Canção De Nós Dois""Cem Por Cento", "Georgiana" e "Quem For Mulher Que Me Siga". Eduardo Souto Neto, Cristóvão Bastos, Helvius Vilela e Leandro Braga assinaram os arranjos do disco, que contou com a participação de Chico Buarque, Bebel Gilberto, Zeca Pagodinho, Daniel Jobim, Toquinho e Yamandú Costa, entre outros artistas.


Lançou, em 2007, o CD "Outros Sonhos", dedicado a Tom Jobim, Chico BuarqueVinicius de Moraes. No repertório, "Uma Palavra" (Chico Buarque), "Outros Sonhos" (Chico Buarque), "Você Vai Ver" (Tom Jobim), "Chansong" (Tom Jobim), "Fotografia" (Tom Jobim), "Eu Te Amo / Dis-moi Comment" (Tom Jobim e Chico Buarque), "Anos Dourados" (Tom Jobim e Chico Buarque), "Quando Tu Passas Por Mim" (Vinicius de Moraes e Antônio Maria), "Amei Tanto / Pra Que Chorar" (Baden Powell e Vinicius de Moraes), "Desalento" (Chico BuarqueVinicius de Moraes), "Gente Humilde" (Garoto, Chico BuarqueVinicius de Moraes), "Olha Maria" (Tom Jobim, Chico BuarqueVinicius de Moraes) e "Todo O Sentimento" (Cristóvão Bastos e Chico Buarque). Também nesse ano, foi co-roteirista de um documentário sobre Antônio Carlos Jobim, dirigido por Nelson Pereira dos Santos.

Em 2008, lançou o disco "Miúcha Com Vinicius / Tom / João". Como parte da coleção da Sony "Bossa Nova 50 Anos", o CD trouxe a voz da cantora em interpretações de clássicos de Vinicius de MoraesTom Jobim e João Gilberto como "Samba Do Avião", "Águas De Março", "Falando De Amor", "Minha Namorada", "Triste Alegria" e "Izaura".

Em 2015, saiu pela Biscoito Fino, "Miúcha Ao Vivo No Paço Imperial", resultado da gravação de um show realizado em 2000, no Rio de Janeiro. Acompanhada pelo pianista Cristovão Bastos e também na companhia de Guinga e Francis Hime, cantou "Na Batucada Da Vida", "Pra Que Mentir", "Carta Ao Tom", "O Amor Em Paz", "Pela Luz Dos Olhos Teus", "Falando De Amor", "Maninha", "João e Maria", "Chansong", "Querida", "Anos Dourados", "Todo O Sentimento", "Resposta Ao Tempo", "Catavento E Girassol", "Valsa Rancho", "Pressentimento", "Deixa / Tem Dó".

Morte

Miúcha faleceu às 17h30 de quinta-feira, 27/12/2018, aos 81 anos, vítima de parada respiratória, no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro, RJ, onde se tratava de um câncer de pulmão.

O sepultamento ocorreu na sexta-feira, 28/12/2018, no Cemitério São João Batista, na Zona Sul do Rio de Janeiro.

Discografia

  • 1976 - The Best Of Two Worlds - Stan Getz e João Gilberto
  • 1977 - Miúcha & Antônio Carlos Jobim
  • 1977 - Tom/Vinicius/Toquinho/Miúcha - Gravado Ao vivo No Canecão
  • 1977 - Os Saltimbancos
  • 1979 - Miúcha & Tom Jobim
  • 1979 - Tom Jobim, Vinicius de Moraes, Toquinho e Miúcha - Musicalmente Ao vivo Na Itália
  • 1980 - Miucha
  • 1989 - Miúcha
  • 1999 - Vivendo Vinicius Ao Vivo - Baden Powell, Carlos Lyra, Miúcha e Toquinho
  • 1999 - Rosa Amarela
  • 2002 - Miúcha.compositores
  • 2003 - Miúcha Canta Vinicius & Vinicius - Música e Letra
  • 2007 - Miúcha Outros Sonhos
  • 2008 - Miúcha Com Vinícius / Tom / João
  • 2015 - Miúcha Ao Vivo No Paço Imperial

Fonte: Wikipédia e Dicionário Cravo Albin da MPB
#FamososQuePartiram #Miúcha

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!