Elizeth Cardoso

ELIZETH MOREIRA CARDOSO
(69 anos)
Cantora

☼ Rio de Janeiro, RJ (16/07/1920)
┼ Rio de Janeiro, RJ (07/05/1990)

Elizeth Cardoso foi uma cantora brasileira nascida no Rio de Janeiro, RJ, no dia 16/07/1920. Conhecida como "A Divina"Elizeth Cardoso é considerada uma das maiores intérpretes da música brasileira e um das mais talentosas cantoras de todos os tempos, reverenciada pelo público e pela crítica.

Elizeth Moreira Cardoso nasceu na Rua Ceará, no subúrbio de São Francisco Xavier, e cantava desde pequena pelos bairros da Zona Norte carioca, cobrando ingresso no valor de 10 tostões das outras crianças para ouvi-la cantar os sucessos de Vicente Celestino. O pai, seresteiro, tocava violão e a mãe gostava de cantar.

Desde cedo precisou trabalhar e, entre 1930 e 1935, foi balconista, funcionária de uma fábrica de saponáceos e cabeleireira, até que o talento foi descoberto aos 16 anos, quando comemorava o aniversário. Foi então convidada para um teste na Rádio Guanabara, pelo chorão Jacob do Bandolim.

Apesar da oposição inicial do pai, apresentou-se em 1936 no "Programa Suburbano", ao lado de Vicente Celestino, Aracy de Almeida, Moreira da Silva, Noel Rosa e Marília Batista. Na semana seguinte foi contratada para um programa semanal na rádio.

Elizeth Cardoso casou-se no fim de 1939 com Ari Valdez, mas o casamento durou pouco.

Trabalhou em boates como taxi-girl, atividade que exerceria por muito tempo.

Em 1941, tornou-se crooner de orquestras, chegando a ser uma das atrações do Dancing Avenida, que deixou em 1945, quando se mudou para São Paulo para cantar no Salão Verde e para apresentar-se na Rádio Cruzeiro do Sul, no programa "Pescando Humoristas".

Estilo

Além do choro, Elizeth Cardoso consagrou-se como uma das grandes intérpretes do gênero samba-canção, surgido na década de 1930, ao lado de Maysa, Nora Ney, Dalva de Oliveira, Ângela Maria e Dolores Duran. O gênero, comparado ao bolero, pela exaltação do tema amor-romântico ou pelo sofrimento de um amor não realizado, foi chamado também de dor-de-cotovelo ou fossa.

O samba-canção antecedeu o movimento da bossa nova, surgido ao final da década de 1950, com o qual Maysa já foi identificada. Mas este último representou um refinamento e uma maior leveza nas melodias e interpretações em detrimento do drama e das melodias ressentidas, da dor-de-cotovelo e da melancolia.

Elizeth Cardoso migrou do choro para o samba-canção e deste para a bossa nova gravando em 1958 o LP "Canção do Amor Demais", considerado axial para a inauguração deste movimento, surgido em 1957. O antológico LP trazia ainda, também da autoria de Vinicius de Moraes e Tom Jobim, "Chega de Saudade", "Luciana", "Estrada Branca", "Outra Vez". A melodia ao fundo foi composta com a participação de um jovem baiano que tocava o violão de maneira original, inédita: o jovem João Gilberto.

Anos 1960

Em 1960, gravou jingle para a campanha vice-presidencial de João Goulart. Nos anos 1960 apresentou o programa de televisão "Bossaudade", na TV Record, Canal 7, São Paulo.

Em abril de 1965 conquistou o segundo lugar na estréia do I Festival de Música Popular Brasileira  da TV Record, interpretando "Valsa do Amor Que Não Vem" (Baden Powell e Vinicius de Moraes). O primeiro lugar foi da novata Elis Regina, com "Arrastão".

Elizeth Cardoso serviu também de influência para vários cantores que viriam depois, sendo uma das principais a cantora Maysa.

Em 1968 apresentou-se, num espetáculo que foi considerado o ápice da carreira, com Jacob do Bandolim, Época de Ouro e Zimbo Trio, no Teatro João Caetano, em benefício do Museu da Imagem e do Som (MIS), do Rio de Janeiro. Considerado um encontro histórico da Música Popular Brasileira, no qual foram ovacionados pela platéia. LPs foram lançados em edição limitada pelo Museu da Imagem e do Som (MIS).

Apelidos

Elizeth Cardoso teve vários apelidos como "A Noiva do Samba-Canção", "Lady do Samba", "Machado de Assis da Seresta", "Mulata Maior", "A Magnífica", apelido dado por Mister Eco, e a "Enluarada", por Hermínio Bello de Carvalho. Nenhum desses títulos, porém, se iguala ao que foi consagrado por Haroldo Costa: "A Divina", que a marcou para o público e para o meio artístico.

Elizeth Cardoso lançou mais de 40 LPs no Brasil e gravou vários outros em Portugal, Venezuela, Uruguai, Argentina e México.

"A Divina" teve sua inesquecível voz calada em 07/05/1990, quando faleceu no Rio de Janeiro, RJ,  aos 69 anos, vítima de um câncer no estômago.

Discografia

De 1950 até 1954, Elizeth Cardoso só lançou canções em discos 78 rpm.

Álbuns de Estúdio Solo
  • 1955 - Canções à Meia Luz
  • 1956 - Fim de Noite
  • 1957 - Noturno
  • 1958 - Canção do Amor Demais
  • 1958 - Retrato da Noite
  • 1958 - Naturalmente
  • 1959 - Magnífica
  • 1960 - A Meiga Elizeth
  • 1962 - A Meiga Elizeth nº 2
  • 1963 - Grandes Momentos
  • 1963 - A Meiga Elizeth nº 3
  • 1963 - Elizeth Interpreta Vinícius
  • 1963 - A Meiga Elizeth nº 4
  • 1964 - A Meiga Elizeth nº 5
  • 1965 - Quatrocentos Anos de Samba
  • 1965 - Elizete Sobe o Morro
  • 1966 - Muito Elizeth
  • 1967 - A Enluarada Elizeth
  • 1968 - Momento de Amor
  • 1970 - Falou e Disse
  • 1972 - Preciso Aprender a Ser Só
  • 1973 - Mulata Maior
  • 1974 - Feito em Casa
  • 1976 - Elizeth Cardoso
  • 1978 - A Cantadeira do Amor
  • 1979 - O Inverno do Meu Tempo
  • 1982 - Outra Vez Elizeth
  • 1991 - Ary Amoroso (1991)

Álbuns de Estúdio em Conjuntos
  • 1960 - Sax Voz
  • 1961 - Sax Voz nº 2
  • 1966 - A Bossa Eterna de Elizeth e Cyro
  • 1969 - A Bossa Eterna de Elizeth e Cyro nº 2
  • 1971 - Elizeth Cardoso e Silvio Caldas Vol. I
  • 1971 - Elizeth Cardoso e Silvio Caldas Vol. II
  • 1991 - Todo o Sentimento (1991)

Álbuns Ao Vivo Solo e em Conjuntos
  • 1968 - Ao Vivo no Teatro João Caetano Vol. I
  • 1968 - Ao Vivo no Teatro João Caetano Vol. II
  • 1969 - Elizeth e Zimbo Trio Balançam na Sucata
  • 1970 - Elizeth no Bola Preta Com a Banda do Sodré
  • 1970 - É de Manhã
  • 1977 - Elizeth Cardoso em Tokyo
  • 1981 - Elizethíssima
  • 1982 - Recital
  • 1983 - Elizeth - Uma Rosa Para Pixinguinha
  • 1984 - Leva Meu Samba
  • 1986 - Luz e Esplendor

Fonte: Wikipédia

3 comentários:

  1. Oi,
    Achei esse blog enquanto procurava sobre Elizete Cardoso.
    Muito bacana a postagem!
    Abraços,
    Lu Oliveira
    www.luoliveiraoficial.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Lu Oliveira!
      Obrigado pela visita e pelo comentário.
      Estive visitando seu site e baixei suas músicas. Nossa, você tem uma linda voz, canta muito bem!
      Parabéns!

      Um grande abraço

      Excluir
  2. Grande Elizeth a Divina estaria hoje Completando 93 anos.

    ResponderExcluir

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!