Carminha Brandão

MARIA DO CARMO BRANDÃO
(89 anos)
Atriz

☼ Raul Soares, MG (21/07/1921)
┼ São Paulo, SP (22/02/2011)

Maria do Carmo Brandão mais conhecida pelo nome artístico Carminha Brandão foi uma atriz brasileira, nascida em Raul Soares, MG, no dia 21/07/1921, filha de um comerciante de café. Estudou em Ponte Nova, MG, onde começou como professora. Lá, ela já organizava peças e um dia, a paixão pelos palcos fez a moça ir para Recife, PE. Ao se mudar para o Recife, começou a fazer teatro amador.

No Rio de Janeiro, o sucesso foi igual, e ela acabou chamada para trabalhar no Teatro Tablado. Foi um passo até se profissionalizar.

Em meados dos anos 50, mudou-se para São Paulo, contratada pelo Teatro Brasileiro de Comédia (TBC). Depois, atuou no Teatro dos Sete, criado por um grupo que tinha Fernanda Montenegro.

Na TV, foi premiada em 1966 por "Anjo Marcado" na TV Excelsior. Era lembrada pelos papéis em "A Barba Azul" (1974) e "O Profeta" (1977), ambas da TV Tupi. Passou ainda pela TV Record e TV Bandeirantes.

Sergio Britto e Carminha Brandão em "Beijo no Asfalto" - Teatro Ginástico, 1961
Vida Artística

A atriz Carminha Brandão fez sua estreia em novelas na extinta TV Rio em 1963 em "A Morta Sem Espelho", assinada por Nelson Rodrigues. Posteriormente, trabalhou em mais de duas dezenas de novelas da TV Excelsior, TV Record, TV Tupi, TV Bandeirantes, TV Globo e SBT.

Foi a Leonor de "Anjo Marcado" (1966) que lhe rendeu um Troféu Imprensa de melhor atriz. Viveu diversos personagens como a Henriqueta Terra de "O Tempo e o Vento" (1967), a Mariana de "Sangue do Meu Sangue" (1969), a Helena de "Camomila e Bem-me-Quer" (1972), a Baby de "Mulheres de Areia" (1973) e a Guiomar de "A Viagem" (1975).

Atuou também em "Minha Doce Namorada" (1973), "Os Inocentes" (1974), "Éramos Seis" (1977), "Cavalo Amarelo" (1980), "Maçã do Amor" (1983) e de teleteatros da TV Tupi e do SBT.

Na companhia de Fernanda Montenegro, funda o Teatro dos Sete. No teatro, subiu aos palcos ainda com peças como "O Baile dos Ladrões" e "Tom Paine".

Pelo desempenho em "A Casa de Bernarda Alba", de García Lorca, Carminha Brandão ganhou elogio atrás de elogio e, de quebra, alguns prêmios. Por isso, a peça feita por ela em Recife teve temporada no Rio de Janeiro.

Nos anos 80, gravava no SBT quando teve deslocamento das retinas. Nunca mais atuou, lembra o companheiro, Hilkias de Oliveira, que trabalhou com ela como ator.

Delegado de polícia aposentado, ele conta que em casa, Carminha Brandão era a mesma comediante dos palcos e que nunca a viu triste. Ela adorava García Márquez e sonhava adaptá-lo.

Morte

Carminha Brandão nos últimos tempos, sofria de Mal de Alzheimer. Morreu aos 89, vítima de pneumonia, em São Paulo, SP, no dia 22/02/2011, realizada e sem frustrações, contou o companheiro. Caminha Brandão não teve filhos.

Fonte: Wikipédia e Raul Soares OnLine

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção!

Prezado amigo leitor, a partir desta data, 13/05/2019, não serão mais aceitos comentários anônimos. Portanto, não me responsabilizarei pelos comentários que alguém possa vir a fazer denegrindo a imagem de quem quer que seja e que esteja publicada neste blog.

Antes de fazer o seu comentário, se identifique e se responsabilize.

Desde já fico grato!